Ir para conteúdo

Ir para índice

 CAPÍTULO 5

“Este é o meu filho”

“Este é o meu filho”

QUANDO as crianças fazem coisas boas, os pais ficam felizes. Quando uma menina faz algo bem feito, o pai diz, todo contente: “Esta é a minha filha.” Ou se um menino faz uma coisa boa, o pai diz, orgulhoso: “Este é o meu filho.”

Jesus faz sempre o que agrada ao seu Pai. Por isso, o Pai tem orgulho dele. Lembras-te do que o Pai de Jesus disse um dia quando Jesus estava com três dos seus seguidores? — Deus disse do céu: “Este é o meu Filho, o amado, a quem eu aprovo.” — Mateus 17:5.

Jesus está sempre pronto a fazer aquilo que agrada ao seu Pai. Sabes porquê? Porque ele realmente ama o Pai. Quando fazemos as coisas porque somos obrigados, achamos difícil fazê-las. Mas quando estamos dispostos a fazer algo, é mais fácil. Sabes o que quer dizer estar disposto? — Significa realmente querer fazer algo.

Mesmo antes de vir à Terra, Jesus estava disposto a fazer qualquer coisa que o seu Pai, Jeová Deus, lhe pedisse, porque ele ama o Pai. Jesus morava num lugar maravilhoso com o seu Pai: no céu. Mas Deus tinha uma tarefa especial para ele. Para isso, Jesus teria de deixar o céu e nascer como bebé na Terra. Jesus estava disposto a fazer isso porque era a vontade de Jeová.

O que é que o anjo Gabriel disse a Maria?

Para nascer na Terra como bebé, Jesus precisava de uma mãe. Sabes quem foi a mãe dele? — O nome dela era Maria. Jeová enviou o seu anjo Gabriel do céu para falar com Maria. Gabriel disse-lhe que ela ia ter um bebé. Ela devia chamar Jesus ao menino. E quem seria o pai do bebé? — O anjo disse que o Pai seria Jeová Deus. Por isso, Jesus seria chamado Filho de Deus.

 Como é que achas que Maria se sentiu? — Será que ela disse: “Eu não quero ser mãe de Jesus”? Não, Maria estava pronta para fazer o que Deus queria. Mas como é que o Filho de Deus no céu poderia nascer como bebé na Terra? Porque é que o nascimento de Jesus foi diferente do nascimento de todos os outros bebés? Sabes dizer-me? —

Bem, Deus fez os nossos primeiros pais, Adão e Eva, de um modo que se pudessem unir de uma forma maravilhosa. Depois, um bebé começaria a crescer dentro da barriga da mãe. As pessoas dizem que isso é um milagre. E é mesmo um milagre, não concordas?

Mas Deus fez um milagre ainda mais maravilhoso. Ele pegou na vida do seu Filho, que estava no céu, e colocou-a dentro da barriga de Maria. Deus nunca tinha feito isso antes e nunca mais o voltou a fazer. Por causa desse milagre, Jesus começou a crescer dentro de Maria assim como os outros bebés crescem dentro da barriga da mãe. Depois disso, Maria casou-se com José.

Quando chegou o tempo de Jesus nascer, Maria e José estavam na cidade de Belém. No entanto, havia muita gente a visitar a cidade na mesma época. Não havia nenhum quarto disponível para Maria e José, de modo que tiveram de ficar num lugar onde os  animais passavam a noite. Ali, Maria deu à luz e Jesus foi colocado numa manjedoura, como podes ver aqui na imagem. Uma manjedoura é um lugar onde se coloca comida para as vacas e outros animais.

Porque é que Jesus foi colocado numa manjedoura?

Na noite em que Jesus nasceu, aconteceram coisas incríveis. Perto de Belém, um anjo apareceu a alguns pastores. Ele disse-lhes que Jesus era uma pessoa importante. O anjo disse: ‘Vou contar-vos boas notícias que vão deixar as pessoas felizes. Hoje, nasceu alguém que vai salvar as pessoas.’ — Lucas 2:10, 11.

Que boas notícias é que um destes anjos deu aos pastores?

O anjo disse aos pastores que poderiam encontrar Jesus em Belém, deitado numa manjedoura. Então, de repente, outros anjos apareceram no céu e juntaram-se ao primeiro a louvar a Deus.  Eles cantaram: “Glória a Deus [...] e, na terra, paz entre os homens de boa vontade.” — Lucas 2:12-14, nota.

Quando os anjos desapareceram, os pastores foram até Belém e encontraram Jesus. Ali, contaram a José e Maria todas as coisas boas que tinham ouvido. Imagina como Maria deve ter ficado contente por ter aceitado ser a mãe de Jesus!

Mais tarde, José e Maria levaram Jesus para a cidade de Nazaré. Jesus cresceu ali. Quando se tornou adulto, começou a sua grande obra de ensino. Essa obra era parte da tarefa que Jeová Deus queria que o seu Filho  realizasse na Terra. Jesus estava disposto a fazer essa tarefa porque amava muito o seu Pai celestial.

Antes de começar o seu trabalho como Grande Instrutor, Jesus foi batizado no rio Jordão por João Batista. Então, aconteceu algo impressionante! Quando Jesus estava a sair da água, Jeová disse desde o céu: “Este é o meu Filho, o amado, a quem eu aprovo.” (Mateus 3:17) Não gostas quando os teus pais te dizem que te amam? — Podes ter a certeza de que Jesus também gostou.

Jesus fazia sempre o que era certo. Ele não fingia ser o que não era. Ele não dizia às pessoas que era Deus. O anjo Gabriel disse a Maria que Jesus seria chamado Filho de Deus. O próprio Jesus disse que era Filho de Deus. Ele nunca disse às pessoas que sabia mais do que o seu Pai. Jesus disse: “O Pai é maior do que eu.” — João 14:28.

Mesmo no céu, quando o Pai de Jesus lhe dava tarefas para fazer, Jesus fazia-as. Ele não dizia que ia fazer, e depois fazia outra coisa. Ele amava o Pai. Por isso, escutava o que o seu Pai dizia. Depois, quando veio à Terra, Jesus fez o que o seu Pai celestial queria que ele fizesse. Ele não gastou tempo a fazer outras coisas. Não admira que Jeová ficasse feliz com o seu Filho.

Nós também queremos agradar a Jeová, não queremos? — Então, temos de mostrar que realmente escutamos a Deus, assim como Jesus fez. Deus fala connosco por meio da Bíblia. Não seria correto fingir escutar a Deus, mas, ao mesmo tempo, acreditar em coisas que são contrárias à Bíblia e praticá-las, não achas? — E lembra-te, se realmente amarmos a Jeová, vamos ficar felizes por lhe agradar.

Agora, lê também estes textos bíblicos que mostram o que temos de saber e em que devemos acreditar no que se refere a Jesus: Mateus 7:21-23; João 4:25, 26 e 1 Timóteo 2:5, 6.