Ir para conteúdo

Ir para índice

 CAPÍTULO 1

O que significa “o amor de Deus”

O que significa “o amor de Deus”

“O amor de Deus significa o seguinte: que obedeçamos aos seus mandamentos; contudo, os seus mandamentos não são pesados.” — 1 JOÃO 5:3.

1, 2. O que o motiva a amar a Jeová Deus?

VOCÊ ama a Deus? Se já tem uma relação dedicada com Jeová Deus, com certeza, responderá sim a essa pergunta – e com toda a razão! É natural amarmos a Jeová. Na realidade, amamos a Deus porque ele nos ama. A Bíblia expressa isso da seguinte maneira: “Nós amamos porque ele [Jeová] nos amou primeiro.” — 1 João 4:19.

2 Foi Jeová quem nos amou primeiro. Ele deu-nos um lindo lar terrestre, e cuida das nossas necessidades físicas e materiais. (Mateus 5:43-48) Mais importante ainda, ele supre as nossas necessidades espirituais. Jeová deu-nos a sua Palavra, a Bíblia. Além disso, convida-nos a orar a ele com a garantia de que seremos ouvidos e de que receberemos a ajuda do seu espírito santo. (Salmo 65:2; Lucas 11:13) Acima de tudo, ele enviou o seu Filho mais querido como Resgatador para nos livrar do pecado e da morte. Que grande amor Jeová tem por nós! — Leia João 3:16; Romanos 5:8.

3. (a) O que devemos fazer para permanecer no amor de Deus? (b) Que pergunta importante precisamos de considerar, e onde é que se encontra a resposta?

3 Jeová quer que nos beneficiemos do seu amor para  sempre. Mas sermos ou não beneficiados dependerá exclusivamente de nós. A Bíblia aconselha-nos a ‘mantermo-nos no amor de Deus, [...] visando a vida eterna’. (Judas 21) A expressão “manter-se” indica que, para permanecer no amor de Deus, é necessário que haja ação da nossa parte. Precisamos de corresponder ao Seu amor de maneiras práticas. Por isso, é importante que nos perguntemos: ‘Como posso demonstrar que amo a Deus?’ A resposta encontra-se nas palavras inspiradas do apóstolo João: “O amor de Deus significa o seguinte: que obedeçamos aos seus mandamentos; contudo, os seus mandamentos não são pesados.” (1 João 5:3) Devemos analisar  com atenção o sentido dessas palavras, pois queremos mostrar ao nosso Deus o quanto o amamos.

O QUE SIGNIFICA “O AMOR DE DEUS”

4, 5. (a) A que se refere a expressão “o amor de Deus”? (b) Descreva como o amor de Jeová começou a desenvolver-se no seu coração.

4 “O amor de Deus” – o que tinha em mente o apóstolo João quando escreveu estas palavras? Esta expressão refere-se não ao amor de Deus por nós, mas ao nosso amor por ele. Consegue lembrar-se de quando o amor por Jeová começou a desenvolver-se no seu coração?

A dedicação e o batismo marcam o início de uma vida de obediência a Jeová motivada pelo amor

5 Pense por instantes em quando você aprendeu a verdade sobre Jeová e os seus propósitos, e começou a ter fé nele. Passou a entender que, embora tenha nascido como pecador apartado de Deus, Jeová abriu-lhe o caminho, por meio de Cristo, para ganhar a perfeição que Adão perdeu e ter vida eterna. (Mateus 20:28; Romanos 5:12, 18) Você começou a entender a magnitude do sacrifício de Jeová ao dar o Filho que ele mais ama para morrer por si. Isso tocou-lhe o coração, e fez com que passasse a amar o Deus que demonstrou esse grande amor por si. — Leia 1 João 4:9, 10.

6. Como se demonstra o verdadeiro amor, e o que é que o amor a Deus o motivou a fazer?

6 Esse sentimento, contudo, era apenas o início do verdadeiro amor a Jeová. O amor não é um simples sentimento; envolve mais do que meras palavras. O verdadeiro amor a Deus vai mais além do que apenas dizer “eu amo a Jeová”. O amor genuíno, assim como a fé, é demonstrado por ações, mais especificamente, por ações que agradam a quem amamos. (Tiago 2:26) Assim, quando o amor a Jeová se torna forte no coração de alguém, a pessoa sente-se motivada a viver de um modo  que agrada ao seu Pai celestial. E o que dizer de si? Já é uma Testemunha de Jeová batizada? Em caso afirmativo, a profunda afeição e devoção que desenvolveu por Deus fez com que tomasse a decisão mais importante da sua vida. Dedicou-se a Jeová para fazer a vontade dele, e simbolizou isso pelo batismo. (Leia Romanos 14:7, 8.) Cumprir essa promessa solene feita a Jeová envolve o que o apóstolo João menciona a seguir.

‘OBEDECEMOS AOS SEUS MANDAMENTOS’

7. Quais são alguns dos mandamentos de Deus, e o que está envolvido em obedecer-lhes?

João explica que o amor de Deus significa ‘obedecer aos seus mandamentos’. Quais são os mandamentos de Deus? Jeová dá-nos vários mandamentos específicos na Bíblia. Por exemplo, ele proíbe práticas como a embriaguez, a imoralidade sexual, a idolatria, o roubo e a mentira. (1 Coríntios 5:11; 6:18; 10:14; Efésios 4:28; Colossenses 3:9) Obedecer aos mandamentos de Deus envolve viver em harmonia com os padrões de moral claramente especificados na Bíblia.

8, 9. Como podemos saber o que agrada a Jeová mesmo em situações para as quais não há uma ordem bíblica específica? Dê um exemplo.

8 Para agradar a Jeová, porém, precisamos de fazer mais do que apenas obedecer a mandamentos específicos. Jeová não restringe a nossa liberdade com leis que governam cada aspeto da nossa vida. Por isso, podemos deparar-nos diariamente com muitas situações para as quais não há nenhuma ordem bíblica específica. Nesses casos, como podemos saber o que agrada a Jeová? A Bíblia mostra claramente o conceito de Deus sobre os assuntos. À medida que a estudamos, aprendemos sobre o que Jeová ama e o que ele odeia. (Leia Salmo 97:10; Provérbios  6:16-19) Passamos a compreender quais são os pensamentos e as ações que lhe agradam. Quanto mais aprendemos sobre a personalidade de Jeová e como ele age, mais permitimos que o seu modo de pensar molde as nossas decisões e influencie as nossas ações. Assim, mesmo em situações para as quais não há uma lei bíblica específica, geralmente, podemos discernir “qual é a vontade de Jeová”. — Efésios 5:17.

9 Por exemplo, a Bíblia não contém uma ordem direta que nos proíba de ver filmes ou programas de televisão que mostram crassa violência ou imoralidade sexual. Mas será que é realmente necessário haver uma lei específica que proíba ver essas coisas? Sabemos o ponto de vista de Jeová sobre esses assuntos. A sua Palavra diz claramente: “[Jeová] odeia quem ama a violência.” (Salmo 11:5) Além disso, também diz: “Deus julgará os que praticam a imoralidade sexual e os adúlteros.” (Hebreus 13:4) Por refletirmos nessas palavras inspiradas, podemos perceber claramente qual é a vontade de Jeová. Por isso, decidimos que não nos divertimos por assistir a representações vívidas de coisas que o nosso Deus odeia. Sabemos que Jeová se agrada quando evitamos a degradação moral que este mundo nos tenta oferecer como diversão inofensiva. *

10, 11. Por que razão decidimos obedecer a Jeová, e que tipo de obediência lhe prestamos?

10 Qual é o principal motivo de obedecermos aos mandamentos de Deus? Por que razão queremos viver cada dia em harmonia com o seu modo de pensar? Quando decidimos agir assim, não é apenas para evitar a punição ou as más consequências sofridas pelos que desconsideram a vontade de Deus. (Gálatas 6:7) Em vez disso,  consideramos a obediência a Jeová como uma excelente oportunidade de mostrar que o amamos. Assim como uma criança deseja muito receber a aprovação do seu pai, nós queremos ter a aprovação de Jeová. (Salmo 5:12) Ele é o nosso Pai, e nós amamo-lo. Nada nos dá mais alegria e satisfação do que saber que vivemos de um modo que resulta em ‘obter a aprovação de Jeová’. — Provérbios 12:2.

11 Portanto, a nossa obediência não é de má vontade; não é seletiva nem condicional. * Não escolhemos obedecer só quando nos é conveniente ou quando há pouca ou nenhuma dificuldade envolvida. Pelo contrário, somos “obedientes de coração”. (Romanos 6:17) Temos os mesmos sentimentos do salmista bíblico que escreveu: “Gosto muito dos teus mandamentos, sim, eu amo os teus mandamentos.” (Salmo 119:47) De facto, nós amamos obedecer a Jeová. Reconhecemos que ele merece – e exige – a nossa obediência plena e incondicional. (Deuteronómio 12:32) Queremos que Jeová diga a nosso respeito o mesmo que a sua Palavra diz sobre o fiel patriarca Noé, que demonstrou o seu amor a Deus por ser obediente durante muitas décadas. A Bíblia diz: “Noé fez tudo o que Deus lhe tinha mandado. Fez exatamente assim.” — Génesis 6:22.

12. Quando é que a nossa obediência alegra o coração de Jeová?

12 Como é que Jeová se sente quando lhe obedecemos de boa vontade? A sua Palavra diz que isso ‘alegra o seu coração’. (Provérbios 27:11) Será que a nossa obediência realmente alegra o coração do Soberano Senhor do Universo? Com certeza que sim – e com bons motivos! Jeová  criou-nos com livre-arbítrio – ou liberdade de escolha. Isso significa que podemos escolher obedecer ou desobedecer a Deus. (Deuteronómio 30:15, 16, 19, 20) Quando escolhemos de livre vontade obedecer a Jeová porque o amamos de coração, agradamos e alegramos o nosso Pai celestial. (Provérbios 11:20) Escolhemos, assim, o melhor modo de vida.

“OS SEUS MANDAMENTOS NÃO SÃO PESADOS”

13, 14. Porque é que se pode dizer que os ‘mandamentos de Deus não são pesados’, e como se pode ilustrar isso?

13 O apóstolo João escreveu algo muito animador a respeito dos requisitos de Jeová: “Os seus mandamentos não são pesados.” A palavra grega traduzida como “pesados” em 1 João 5:3 significa literalmente “opressivos”. * Outra tradução da Bíblia diz: “Os seus mandamentos não são difíceis de obedecer.” (Nova Tradução na Linguagem de Hoje) Os mandamentos de Jeová não são desarrazoados nem opressivos. Mesmo sendo imperfeitos, os humanos conseguem obedecer às leis de Deus.

14 Para ilustrar, imagine que um amigo seu lhe pede para o ajudar a mudar de casa. Há muitas caixas para carregar. Algumas são leves e podem ser carregadas por uma pessoa, mas outras são pesadas e são precisas duas pessoas para carregá-las. O seu amigo pede-lhe para levar algumas caixas. Será que ele separaria as que são demasiado pesadas para você levar? Não. Ele não gostaria que você se magoasse ao tentar carregá-las sozinho. Da mesma forma, o  nosso amoroso e bondoso Deus não nos dá mandamentos que não temos condições de cumprir. (Deuteronómio 30:11-14) Ele nunca nos pediria para carregar tal fardo pesado. Jeová entende as nossas limitações, pois “sabe bem de que modo somos formados, lembra-se de que somos pó”. — Salmo 103:14.

15. Por que motivos podemos estar certos de que os mandamentos de Jeová são para o nosso bem?

15 Os mandamentos de Jeová, com certeza, não são pesados; eles são para o nosso bem. (Leia Isaías 48:17.) Por isso, Moisés pôde dizer ao Israel antigo: “Jeová ordenou que cumpríssemos todos estes decretos e temêssemos a Jeová, nosso Deus, para o nosso bem duradouro, a fim de que continuássemos vivos, assim como estamos hoje.” (Deuteronómio 6:24) Nós também podemos estar certos de que, ao dar-nos as suas leis, Jeová visa os nossos melhores interesses – o nosso bem-estar eterno. Realmente, não podíamos esperar outra coisa dele. Jeová é um Deus de infinita sabedoria. (Romanos 11:33) Ele sabe, portanto, o que é melhor para nós. Jeová é também a personificação do amor. (1 João 4:8) O amor, a essência do seu próprio ser, influencia tudo o que ele diz e faz. É a base de todos os mandamentos que ele dá aos seus servos.

16. Porque podemos ser obedientes apesar das influências deste mundo moralmente corrupto e da imperfeição humana?

16 Isso não quer dizer que a obediência a Deus seja fácil. Temos de lutar contra as influências deste mundo moralmente corrupto, que “está sob o poder do Maligno”. (1 João 5:19) Por causa da imperfeição humana, temos de lutar também contra a tendência de violar as leis de Deus. (Romanos 7:21-25) Mas o nosso amor a Deus pode vencer. Jeová abençoa os que querem provar o amor que têm por ele, sendo obedientes. Ele dá o seu espírito  santo “aos que lhe obedecem como governante”. (Atos 5:32) Esse espírito produz um fruto excelente em nós – importantes qualidades que nos ajudam a ser obedientes. — Gálatas 5:22, 23.

17, 18. (a) O que examinaremos neste livro, e o que devemos ter em mente ao fazer isso? (b) O que consideraremos no próximo capítulo?

17 Neste livro, examinaremos os princípios e os padrões morais de Jeová e muitas outras coisas que indicam qual é a sua vontade. Ao fazermos isso, tenhamos em mente alguns pontos importantes: Jeová não nos obriga a obedecer às suas leis e princípios – antes, ele deseja que lhe obedeçamos de coração, e espera que vivamos de um modo que traga ricas bênçãos agora e resulte em vida eterna no futuro. Devemos considerar a nossa obediência de coração como uma excelente oportunidade para mostrar a Jeová quanto o amamos.

18 Para nos ajudar a distinguir o certo do errado, amorosamente, Jeová dotou-nos da faculdade da consciência. Mas, para ser um guia confiável, a nossa consciência precisa de ser treinada, como veremos no próximo capítulo.

^ par. 11 Até os espíritos maus podem obedecer de má vontade. Quando Jesus ordenou que os demónios saíssem de algumas pessoas possessas, eles foram obrigados a reconhecer a autoridade de Jesus e a obedecer-lhe, embora não quisessem fazê-lo. — Marcos 1:27; 5:7-13.

^ par. 13 Em Mateus 23:4, essa palavra é usada para descrever “cargas pesadas”, ou seja, regras minuciosas e tradições humanas que os escribas e fariseus impunham ao povo comum. Essa mesma palavra é traduzida como “ferozes” em Atos 20:29, 30 e refere-se aos apóstatas opressores que diriam “coisas deturpadas” com o objetivo de desencaminhar outros.