As Boas Novas Segundo Mateus 12:1-50

12  Naquela ocasião, Jesus passou pelos campos de cereais no sábado. Os seus discípulos ficaram com fome e começaram a arrancar espigas e a comer.+  Vendo isso, os fariseus disseram-lhe: “Vê! Os teus discípulos estão a fazer o que não é permitido fazer no sábado.”+  Ele disse-lhes: “Não leram o que David fez quando ele e os seus homens ficaram com fome?+  Não leram sobre como ele entrou na casa de Deus, e eles comeram os pães da apresentação,+ algo que não era permitido comer, nem a ele nem aos que estavam com ele, mas apenas aos sacerdotes?+  Ou não leram também na Lei que, nos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado e permanecem sem culpa?+  Mas digo-vos que está aqui algo maior do que o templo.+  No entanto, se tivessem entendido o que significa: ‘Quero misericórdia+ e não sacrifício’,+ não teriam condenado os inocentes.  Porque o Filho do Homem é Senhor do sábado.”+  Depois de partir daquele lugar, entrou na sinagoga deles, 10  e havia lá um homem com a mão atrofiada.*+ Assim, para que pudessem acusá-lo, perguntaram-lhe: “É permitido curar no sábado?”+ 11  Ele disse-lhes: “Se um de vocês tiver uma ovelha, e essa ovelha cair num buraco no sábado, será que ele não vai agarrá-la e tirá-la de lá?+ 12  Quanto mais vale um homem do que uma ovelha! Por isso, é permitido fazer algo bom no sábado.” 13  Disse então ao homem: “Estende a mão.” Ele estendeu-a, e ela foi restabelecida e ficou boa como a outra mão. 14  Porém, os fariseus saíram e começaram a conspirar contra ele, para o matarem. 15  Ao saber disso, Jesus retirou-se. Muitos o seguiram,+ também, e ele curou-os a todos, 16  mas ordenou-lhes com firmeza que não dissessem a outros quem ele era,+ 17  para que se cumprissem as palavras de Isaías, o profeta, que disse: 18  “Vejam o meu servo+ a quem escolhi, o meu amado, a quem aprovo!+ Porei sobre ele o meu espírito,+ e ele esclarecerá às nações o que é a justiça. 19  Não discutirá,+ nem gritará, e ninguém ouvirá a sua voz nas ruas principais. 20  Não esmagará nenhuma cana partida, nem apagará um pavio que ainda esteja a fumegar,+ até trazer a justiça com êxito. 21  Realmente, as nações esperarão no seu nome.”+ 22  Levaram-lhe então um homem possesso, que era cego e mudo, e ele curou-o, de modo que o mudo pôde falar e ver. 23  Ora, todas as multidões ficaram maravilhadas e começaram a dizer: “Não será este o Filho de David?” 24  Ouvindo isso, os fariseus disseram: “Este homem não expulsa os demónios senão por meio de Belzebu, o governante dos demónios.”+ 25  Conhecendo os pensamentos deles, ele disse-lhes: “Todo o reino dividido contra si mesmo cai em ruína, e toda a cidade ou casa dividida contra si mesma não ficará de pé. 26  Do mesmo modo, se Satanás expulsa Satanás, ele ficou dividido contra si mesmo. Então, como é que o seu reino ficará de pé? 27  Além disso, se eu expulso os demónios por meio de Belzebu, por meio de quem é que os vossos filhos os expulsam? É por isso que eles vos julgarão. 28  Contudo, se é por meio do espírito de Deus que eu expulso os demónios, o Reino de Deus, realmente, alcançou-vos.*+ 29  Ou como é que alguém pode invadir a casa de um homem forte e apoderar-se dos seus bens, a menos que amarre primeiro o homem forte? Só então é que poderá roubar-lhe a casa. 30  Quem não está do meu lado está contra mim, e quem comigo não ajunta, espalha.+ 31  “Por esta razão, digo-vos: Todo o tipo de pecados e blasfémias será perdoado aos homens, mas a blasfémia contra o espírito não será perdoada.+ 32  Por exemplo, quem disser uma palavra contra o Filho do Homem será perdoado;+ mas quem falar contra o espírito santo não será perdoado, não, nem neste sistema de coisas, nem no que há de vir.+ 33  “Se cultivarem uma árvore boa, o fruto será bom; se cultivarem uma árvore má,* o fruto será mau.* Pois é pelo fruto que se conhece a árvore.+ 34  Descendência de víboras,+ como é que vocês podem dizer coisas boas se são maus? Pois a boca fala do que o coração está cheio.+ 35  O homem bom faz sair coisas boas do seu bom tesouro, ao passo que o homem mau faz sair coisas más do seu mau tesouro.+ 36  Digo-vos que os homens prestarão contas+ no Dia do Julgamento por toda a declaração sem valor* que fizerem; 37  pois pelas tuas palavras serás declarado justo e pelas tuas palavras serás condenado.” 38  Em vista disso, alguns escribas e fariseus disseram: “Instrutor, queremos ver um sinal da tua parte.”+ 39  Em resposta, ele disse-lhes: “Uma geração má e adúltera persiste em procurar um sinal,* mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas, o profeta.+ 40  Porque, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do enorme peixe,+ assim também o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da terra.+ 41  Homens de Nínive irão levantar-se no julgamento com esta geração e condená-la, porque se arrependeram com o que Jonas pregou.+ Porém, agora, está aqui alguém maior do que Jonas.+ 42  A rainha do sul será levantada no julgamento com esta geração e vai condená-la, porque ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão.+ Mas, agora, está aqui alguém maior do que Salomão.+ 43  “Quando um espírito impuro sai de um homem, ele passa por lugares áridos à procura de onde descansar e não encontra nada.+ 44  Por isso, diz: ‘Voltarei para a minha casa, da qual me mudei’; e, ao chegar, encontra a casa desocupada, varrida e decorada. 45  Então, ele vai e traz consigo outros sete espíritos, ainda piores do que ele, e, depois de entrarem, ficam lá a morar; e a situação final deste homem torna-se pior do que no início.+ É assim que acontecerá também com esta geração má.” 46  Enquanto ainda falava às multidões, a sua mãe e os seus irmãos+ ficaram parados do lado de fora, querendo falar com ele.+ 47  Portanto, alguém lhe disse: “Olhe! A sua mãe e os seus irmãos estão lá fora e querem falar consigo.” 48  Ele respondeu a quem lhe falou: “Quem é a minha mãe e quem são os meus irmãos?” 49  E, estendendo a mão para os seus discípulos, disse: “Aqui estão a minha mãe e os meus irmãos!+ 50  Pois quem faz a vontade do meu Pai, que está no céu, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.”+

Notas de rodapé

Ou: “paralisada”.
Ou: “já chegou até vocês; apanhou-vos de surpresa”.
Ou: “podre”.
Ou: “podre”.
Ou: “inútil”.
Ou: “uma prova milagrosa”.

Notas de estudo

pelos campos de cereais: Talvez através dos caminhos que separavam os campos ou as propriedades.

sábado: Veja o Glossário.

o que não é permitido: Jeová tinha ordenado aos israelitas que não trabalhassem no sábado. (Êx 20:8-10) Os líderes religiosos judaicos achavam que tinham o direito de definir em detalhes o que devia ser considerado trabalho. Na opinião deles, os discípulos de Jesus estavam a desobedecer à Lei por arrancarem e esfregarem cereais nas mãos. Para aqueles líderes religiosos, isso era equivalente a colher e a debulhar. (Lu 6:1, 2) No entanto, essa interpretação da Lei ia além do que Jeová tinha ordenado.

casa de Deus: Aqui, esta expressão refere-se ao tabernáculo. O acontecimento mencionado por Jesus (1Sa 21:1-6) ocorreu quando o tabernáculo estava localizado em Nobe, uma cidade que, pelos vistos, ficava no território de Benjamim, perto de Jerusalém. — Veja o Apêndice B7 (parte ampliada do mapa).

casa de Deus: Veja a nota de estudo em Mr 2:26.

pães da apresentação: Ou: “pães da proposição”. A expressão grega usada aqui traduz uma expressão hebraica que significa literalmente “pão da face”. Era como se o pão oferecido regularmente a Jeová ficasse diante da face dele. — Êx 25:30; veja o Glossário e o Apêndice B5.

violam o sábado: Ou seja, eles trabalhavam no sábado como se fosse qualquer outro dia. Abatiam animais e realizavam outras atividades relacionadas com os sacrifícios oferecidos no templo. — Núm 28:9, 10.

representa: Lit.: “é”. Aqui, o verbo grego estín é usado com o sentido de “significa; simboliza”. Isso era muito claro para os apóstolos porque, naquela ocasião, o corpo perfeito de Jesus estava ali à frente deles, e também o pão sem fermento que iam comer. Por isso, o pão não podia ser o corpo literal de Jesus. É interessante que a mesma palavra grega estín é usada em Mt 12:7, e, muitas Bíblias traduzem-na como “significa”.

misericórdia e não sacrifício: Jesus citou duas vezes (aqui e em Mt 12:7) estas palavras de Os 6:6. Entre os escritores dos Evangelhos, Mateus (um cobrador de impostos desprezado pelo povo que se tornou um amigo próximo de Jesus) é o único que regista estas citações e a ilustração do escravo que não perdoou. (Mt 18:21-35) O Evangelho de Mateus mostra que Jesus enfatizou repetidas vezes que Deus não quer apenas sacrifícios, mas também misericórdia.

significa: Lit.: “é”. Aqui o verbo grego estín é usado com o sentido de “significa”. — Veja a nota de estudo em Mt 26:26.

misericórdia e não sacrifício: Veja a nota de estudo em Mt 9:13.

Filho do Homem: Ou: “Filho de um Humano”. Esta expressão aparece cerca de 80 vezes nos Evangelhos, e Jesus usava-a para se referir a ele próprio. Pelos vistos, ele queria destacar que era realmente um humano, nascido de uma mulher, e que era um equivalente perfeito de Adão. Assim, ele poderia dar a sua vida para livrar a humanidade do pecado e da morte. (Ro 5:12, 14, 15) A expressão também mostrava que Jesus era o Messias, ou o Cristo. — Da 7:13, 14; veja o Glossário.

Filho do Homem: Veja a nota de estudo em Mt 8:20.

Senhor do sábado: Jesus usou esta expressão para se referir a si próprio (Mr 2:28; Lu 6:5), indicando que ele tinha autoridade para realizar no sábado o trabalho que Jeová lhe tinha dado. (Compare com Jo 5:19; 10:37, 38.) Jesus realizou alguns dos seus milagres mais impressionantes, incluindo curar pessoas doentes, no dia de sábado. (Lu 13:10-13; Jo 5:5-9; 9:1-14) É muito provável que isso apontasse para o alívio que ele vai trazer durante o seu reinado, que será como um sábado de descanso. — He 10:1.

mão: A palavra grega traduzida como “mão” é muito abrangente e pode referir-se ao braço, à mão e aos dedos. — Veja também Mt 12:13.

quanto mais: Jesus usava muito esse tipo de raciocínio. Primeiro, ele falava de um facto muito óbvio ou de algo que todos conheciam bem. Depois, usava esse facto para ajudar os seus ouvintes a entender uma verdade maior e mais importante. — Mt 10:25; 12:12; Lu 11:13; 12:28.

Quanto mais: Veja a nota de estudo em Mt 7:11.

não dissessem a outros quem ele era: Os espíritos impuros sabiam que Jesus era “o Filho de Deus” e usaram esta expressão ao dirigirem-se a ele (versículo 11). Mas Jesus não permitiu que os demónios dessem testemunho sobre ele porque eles odeiam o que é santo, são rebeldes e são rejeitados por Deus como inimigos dele. (Veja a nota de estudo em Mr 1:25.) Do mesmo modo, quando “um demónio de adivinhação” fez com que uma rapariga identificasse Paulo e Silas como “escravos do Deus Altíssimo” e proclamadores do “caminho da salvação”, Paulo expulsou dela o demónio. — At 16:16-18.

não dissessem a outros quem ele era: Veja a nota de estudo em Mr 3:12.

para cumprir o que Jeová tinha dito por meio do seu profeta: Mateus usa muitas vezes esta expressão e outras parecidas. Pelos vistos, ele queria deixar claro aos leitores judeus que Jesus era o prometido Messias. — Mt 2:15, 23; 4:14; 8:17; 12:17; 13:35; 21:4; 26:56; 27:9.

para que se cumprissem as palavras de Isaías, o profeta: Veja a nota de estudo em Mt 1:22.

Vejam!: A palavra grega idoú, que, às vezes, é traduzida como “veja” ou “vejam”, costuma ser usada para chamar a atenção do leitor para o que vai ser dito em seguida. Essa palavra incentiva o leitor a visualizar a cena ou a observar algum detalhe da narrativa. Também é usada para enfatizar algo ou para apresentar algo novo ou surpreendente. Nas Escrituras Gregas Cristãs, os livros de Mateus, Lucas e Apocalipse são os que mais usam essa palavra. Em hebraico existe uma expressão equivalente, e é usada muitas vezes nas Escrituras Hebraicas.

a quem eu aprovo: Ou: “que me agrada muito; que me dá muita alegria”. A mesma expressão é usada em Mt 12:18, que cita a profecia de Is 42:1 sobre o Messias, ou Cristo. Quando disse que aprovava o seu Filho e o ungiu com espírito santo, Jeová deixou bem claro que Jesus era o prometido Messias. — Veja a nota de estudo em Mt 12:18.

Vejam: Veja a nota de estudo em Mt 1:23.

aprovo: Ou: “a minha alma aprova”. Mateus cita aqui Is 42:1, usando a palavra grega psykhé para traduzir a palavra hebraica néfesh. Essas duas palavras foram traduzidas para português como “alma” em todas as ocorrências nas edições anteriores da Tradução do Novo Mundo. — Veja o Glossário, “Alma”.

a quem aprovo: Ou: “que me agrada muito”. — Veja a nota de estudo em Mt 3:17.

um pavio que ainda esteja a fumegar: A lâmpada que as pessoas usavam em casa era um pequeno recipiente de barro. Elas colocavam azeite dentro da lâmpada, e um pavio de linho absorvia o azeite para alimentar a chama. A expressão grega traduzida como “um pavio que ainda esteja a fumegar” pode referir-se a uma lâmpada que está quase a apagar-se ou que já se apagou, mas que está a deitar fumo porque o pavio ainda está a queimar-se. Aqui, Mateus cita a profecia de Is 42:3, que predisse que o Messias sentiria compaixão pelas pessoas. Ele nunca seria responsável por acabar com o último fio de esperança das pessoas humildes e oprimidas.

com êxito: Ou: “à vitória”. A palavra grega níkos é traduzida como “vitória” em 1Co 15:55, 57.

Belzebu: Possivelmente, é uma variação do nome Baal-Zebube, que significa “dono (senhor) das moscas”. Esse era o Baal adorado pelos filisteus em Ecrom. (2Rs 1:3) Alguns manuscritos gregos usam as variações Beelzeboúl e Beezeboúl, que talvez signifiquem “dono (senhor) da morada (habitação) elevada”. Outra possibilidade é que essas variações sejam um jogo de palavras com o termo hebraico zével (esterco), que não aparece na Bíblia. Se esse for o caso, Beelzeboúl e Beezeboúl significam “dono (senhor) do esterco”. Como Mt 12:24 mostra, Belzebu é usado para se referir a Satanás – o príncipe, ou governante, dos demónios.

Belzebu: Nome usado para se referir a Satanás. — Veja a nota de estudo em Mt 10:25.

casa: Na língua original, a palavra traduzida como “casa” pode referir-se apenas aos membros de uma família ou incluir também escravos e empregados. Às vezes, referia-se aos que moravam ou trabalhavam no palácio do rei. (At 7:10; Fil 4:22) A mesma palavra era usada para se referir a famílias reais como a dos Herodes e a dos Césares, onde discussões e divisões eram comuns e contribuíram para a sua queda. Aqui, no relato de Mateus, a palavra “casa” aparece juntamente com a palavra cidade, indicando que divisões podem levar à queda de grupos de pessoas, tanto pequenos como grandes.

Satanás: Vem da palavra hebraica satán, que significa “opositor; adversário”.

Satanás: Veja a nota de estudo em Mt 4:10.

filhos: Aqui, a palavra é usada no sentido de “seguidores; discípulos”.

eles: Ou seja, “os vossos filhos”.

vos julgarão: Ou seja, o que os “filhos” dos fariseus faziam mostrava que aquela acusação não fazia sentido.

dedo de Deus: Jesus estava a referir-se ao espírito santo, conforme mostra o relato de Mateus sobre uma conversa parecida que Jesus teve numa ocasião anterior. Aqui em Lucas, Jesus falou sobre expulsar demónios “por meio do dedo de Deus”, e em Mateus ele falou sobre fazer isso “por meio do espírito de Deus”, a sua força ativa. — Mt 12:28.

do espírito de Deus: Ou: “da força ativa de Deus”. Numa conversa parecida que Jesus teve numa ocasião posterior (Lu 11:20), ele falou sobre expulsar demónios “por meio do dedo de Deus”. — Veja a nota de estudo em Lu 11:20.

blasfémia: Inclui dizer coisas que ofendem ou difamam a Deus ou falar com desrespeito de coisas sagradas. Visto que o espírito santo vem do próprio Deus, a pessoa que intencionalmente age contra o espírito ou não reconhece a sua atuação está a blasfemar contra Deus. Conforme Mt 12:24, 28, os líderes religiosos judaicos viam Jesus realizar milagres por meio do espírito santo de Deus, mas atribuíam esse poder a Satanás, o Diabo.

sistema de coisas: A palavra grega usada aqui, aión, tem o sentido básico de “época”. Também se pode referir a uma situação existente ou a características marcantes de certo período ou época. Jesus estava a dizer que a blasfémia contra o espírito santo não seria perdoada nem agora, neste sistema perverso governado por Satanás (2Co 4:4; Ef 2:2; Tit 2:12), nem no futuro sistema de coisas governado por Deus, onde as pessoas terão “vida eterna” (Lu 18:29, 30). — Veja o Glossário.

Serpentes, descendência de víboras: Satanás, “a serpente original” (Ap 12:9), é o pai espiritual de todos os inimigos da adoração verdadeira. Por isso, Jesus tinha motivos para chamar àqueles líderes religiosos “serpentes, descendência de víboras”. (Jo 8:44; 1Jo 3:12) Eles eram pessoas más, e os que seguissem os ensinos falsos deles poderiam perder a sua amizade com Deus. João Batista também usou a expressão “descendência de víboras”. — Mt 3:7.

Descendência de víboras: Veja a nota de estudo em Mt 23:33.

adúltera: Ou: “infiel”. Assim como uma esposa que é infiel ao marido é considerada adúltera, uma pessoa que está num pacto com Deus, mas é infiel, é considerada adúltera em sentido espiritual. Os israelitas eram culpados de adultério espiritual porque violaram o pacto da Lei, misturando a religião falsa com a adoração de Jeová. (Je 3:8, 9; 5:7, 8; 9:2; 13:27; 23:10; Os 7:4) Por motivos parecidos, Jesus chamou adúltera à geração de judeus dos seus dias. (Mt 12:39; 16:4) Se um cristão que faz parte do novo pacto se contaminar com este mundo, ele estará a cometer adultério em sentido espiritual. De certa forma, isso também se aplica a todos os que se dedicaram a Jeová. — Tg 4:4.

adúltera: Assim como uma esposa adúltera não é fiel ao marido, aquela geração era adúltera em sentido espiritual porque não era fiel a Deus. — Veja a nota de estudo em Mr 8:38.

sinal de Jonas: Para Jonas, ser libertado da barriga do peixe depois de “três dias e três noites” foi como ser ressuscitado da Sepultura. (Jon 1:17–2:2) A ressurreição de Jesus da sepultura literal seria tão real como Jonas ter sido libertado da barriga do peixe. No entanto, mesmo depois da ressurreição de Jesus no terceiro dia, aqueles críticos teimosos não tiveram fé nele.

três dias e três noites: Outros textos da Bíblia indicam que esta expressão nem sempre se refere a três dias completos. Às vezes, pode encarar-se parte de um dia como um dia inteiro. — Gén 42:17, 18; 1Rs 12:5, 12; Mt 27:62-66; 28:1-6.

rainha do sul: Ou seja, a rainha de Sabá. Acredita-se que o reino dela ficava no sudoeste da Arábia. — 1Rs 10:1.

irmãos: Embora a palavra grega usada aqui, adelfós, também seja usada na Bíblia para se referir a irmãos em sentido espiritual, neste contexto, é usada para se referir aos meios-irmãos de Jesus: os filhos que José e Maria tiveram depois de Jesus. Alguns acreditam que Maria continuou virgem depois de Jesus nascer e afirmam que, neste versículo, a palavra adelfós se refere a primos. No entanto, as Escrituras Gregas Cristãs usam outras palavras, não adelfós, para se referir a primos e familiares. Por exemplo, Col 4:10 usa a palavra anepsiós para se referir a um “primo”. Lu 21:16 usa a palavra syggenés para se referir a familiares (o que pode incluir primos) na mesma lista em que aparece a palavra adelfós (irmão). Esses exemplos mostram que as Escrituras Gregas Cristãs usam palavras específicas para se referir a diferentes graus de parentesco.

irmãos: Ou seja, os meios-irmãos de Jesus. O nome deles aparece em Mt 13:55 e em Mr 6:3. — Para mais informações sobre a palavra “irmão”, veja a nota de estudo em Mt 13:55.

Portanto, alguém [...] consigo: Este versículo não aparece em alguns manuscritos antigos.

Aqui estão a minha mãe e os meus irmãos!: Jesus fez aqui um contraste entre os seus irmãos de sangue e os seus irmãos espirituais, os discípulos. Pelos vistos, alguns dos meios-irmãos de Jesus não tinham fé nele. (Jo 7:5) Por outro lado, os seus discípulos esforçavam-se para fazer ‘a vontade do Pai’. (Mt 12:50) Jesus mostrou que, por mais que amasse os membros da sua família, o amor que sentia pelos seus discípulos era ainda maior.

Multimédia

Grãos de trigo
Grãos de trigo

É possível que os discípulos de Jesus tenham arrancado e comido grãos de trigo como os mostrados aqui.

Sinagoga do primeiro século EC
Sinagoga do primeiro século EC

Esta representação inclui alguns detalhes de uma sinagoga do primeiro século EC encontrada em Gamla, cerca de 10 quilómetros a nordeste do mar da Galileia. Ela dá uma ideia de como era uma sinagoga antiga.

Víbora-cornuda
Víbora-cornuda

Tanto João Batista como Jesus chamaram aos escribas e fariseus “descendência de víboras”, porque os seus ensinos falsos eram como veneno para as pessoas que acreditassem neles. (Mt 3:7; 12:34) Esta fotografia é de uma víbora-cornuda, que tem um pequeno corno, ou chifre, por cima de cada olho. Outras espécies perigosas de víboras nativas de Israel são a amódita (Vipera ammodytes) do vale do Jordão e a víbora palestina (Vipera palaestina).