As Boas Novas Segundo Marcos 3:1-35

3  Novamente ele entrou numa sinagoga, e estava ali um homem com a mão atrofiada.*+  Assim, observavam-no atentamente para ver se curaria o homem no sábado, a fim de o acusarem.+  Ele disse ao homem com a mão atrofiada:* “Levanta-te e vem para o centro.”  A seguir, perguntou-lhes: “É permitido, no sábado, fazer o bem ou fazer o mal, salvar uma vida ou matar?”+ Mas eles continuaram calados.  Depois de olhar para os que estavam à sua volta, com indignação e profundamente triste com a insensibilidade do coração deles,+ ele disse ao homem: “Estende a mão.” Ele estendeu-a, e a mão foi restabelecida.  Então, os fariseus saíram e imediatamente começaram a conspirar com os partidários de Herodes+ contra Jesus, para o matarem.  Mas Jesus foi para o mar com os discípulos, e seguia-o uma grande multidão da Galileia e da Judeia.+  Ao ouvir falar de quantas coisas ele fazia, uma grande multidão foi ao seu encontro, até mesmo de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do Jordão e dos arredores de Tiro e de Sídon.  E ele disse aos discípulos que mantivessem um pequeno barco à disposição dele, para que a multidão não o apertasse. 10  Visto que ele curava muitos, todos os que tinham doenças graves aglomeravam-se à sua volta para lhe tocarem.+ 11  Até mesmo os espíritos impuros,+ sempre que o viam, prostravam-se diante dele, gritavam e diziam: “Tu és o Filho de Deus.”+ 12  Muitas vezes, porém, ele ordenou-lhes com firmeza que não dissessem a outros quem ele era.+ 13  Ele subiu a um monte e convocou os que ele quis,+ e eles dirigiram-se a ele.+ 14  Formou* então um grupo de 12, a quem deu o nome de apóstolos, aqueles que o acompanhariam e que ele enviaria para pregar,+ 15  com autoridade para expulsar demónios.+ 16  E no grupo dos Doze+ que ele formou* estavam Simão (a quem também deu o nome de Pedro),+ 17  Tiago, filho de Zebedeu, João, irmão de Tiago (ele também lhes deu o nome de Boanerges, que significa “filhos do trovão”),+ 18  André, Filipe, Bartolomeu,+ Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Tadeu, Simão, o Cananita, 19  e Judas Iscariotes, que mais tarde o traiu. Então, ele entrou numa casa, 20  e novamente a multidão se ajuntou, de modo que não podiam sequer tomar uma refeição.+ 21  Mas, quando os seus parentes souberam o que estava a acontecer, saíram para o apanhar, pois diziam: “Ele perdeu o juízo.”+ 22  Também os escribas que desceram de Jerusalém diziam: “Ele está dominado por Belzebu e expulsa os demónios por meio do governante dos demónios.”+ 23  Portanto, depois de os chamar, falou-lhes com ilustrações: “Como é que Satanás pode expulsar Satanás? 24  Se um reino fica dividido contra si mesmo, tal reino não pode ficar de pé,+ 25  e, se uma casa fica dividida contra si mesma, tal casa não poderá ficar de pé. 26  Também, se Satanás se levantou contra si mesmo e ficou dividido, não pode ficar de pé, mas está a chegar ao fim. 27  De facto, ninguém que entre na casa de um homem forte é capaz de lhe roubar os bens, a menos que amarre primeiro o homem forte. Só então é que poderá roubar-lhe a casa. 28  Digo-vos a verdade: Todas as coisas serão perdoadas aos filhos dos homens, não importa que pecados cometam e que blasfémias digam. 29  No entanto, quem blasfema contra o espírito santo nunca terá perdão,+ mas é culpado de pecado eterno.”+ 30  Jesus disse isto porque diziam: “Ele está com um espírito impuro.”+ 31  Em seguida, a sua mãe e os seus irmãos+ chegaram e, ficando do lado de fora, mandaram alguém chamá-lo.+ 32  Como estava uma multidão sentada à sua volta, disseram-lhe: “Olhe! A sua mãe e os seus irmãos estão lá fora à sua procura.”+ 33  Mas ele respondeu-lhes: “Quem são a minha mãe e os meus irmãos?”+ 34  Então, ele olhou para os que estavam sentados ao seu redor e disse: “Aqui estão a minha mãe e os meus irmãos!+ 35  Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.”+

Notas de rodapé

Ou: “paralisada”. Lit.: “ressequida”.
Ou: “paralisada”. Lit.: “ressequida”.
Ou: “Designou”.
Ou: “designou”.

Notas de estudo

vida: Ou: “alma”. — Veja o Glossário, “Alma”.

salvar uma vida ou matar: Ou: “salvar ou matar uma alma”. — Veja o Glossário, “Alma”.

com indignação e profundamente triste: Apenas Marcos relata a reação de Jesus ao ver a insensibilidade, ou dureza, do coração dos líderes religiosos nesta ocasião. (Mt 12:13; Lu 6:10) Esta informação de como Jesus se sentiu talvez tenha sido dada por Pedro, que também era um homem de fortes sentimentos. — Veja a “Introdução a Marcos”.

começaram a conspirar: Ou: “começaram a reunir-se em conselho”. Esta é a primeira de duas ocasiões em que a Bíblia diz especificamente que dois grupos rivais, os fariseus e os partidários de Herodes, conspiraram juntos para se livrarem de Jesus. A segunda ocasião foi quase dois anos mais tarde, três dias antes de Jesus ser morto. Isso indica que esses dois grupos continuaram a tramar contra Jesus durante um longo período de tempo. — Mt 22:15-22.

partidários de Herodes: Veja o Glossário.

mar da Galileia: Lago de água doce no norte de Israel. (A palavra grega traduzida como “mar” também pode significar “lago”.) Já foi chamado mar de Quinerete (Núm 34:11), lago de Genesaré (Lu 5:1) e mar de Tiberíades (Jo 6:1). Fica cerca de 210 metros abaixo do nível do mar. Tem 21 quilómetros de comprimento (de norte a sul) e 12 quilómetros de largura (de leste a oeste). O seu ponto mais fundo fica cerca de 48 metros abaixo da superfície. — Veja “Acontecimentos no Mar da Galileia” no Mapa 3B do Apêndice A7-D.

o mar: Ou seja, o mar da Galileia. — Veja a nota de estudo em Mt 4:18.

Idumeia: Na época do ministério de Jesus, a Idumeia era a extremidade sul da província romana da Judeia. (Veja o Apêndice B10.) Em grego, o nome dessa região significa “[terra] dos edomitas”. Os edomitas originalmente ocupavam o território a sul do mar Morto. (Veja os Apêndices B3 e B4.) No século 6 AEC, eles foram derrotados por Nabonido, rei de Babilónia. Com o tempo, os árabes nabateus ocuparam a terra dos edomitas. Então, no século 4 AEC, os edomitas foram mais para norte, para o Neguebe, chegando até à região ao redor de Hébron, e foi esse território que ficou conhecido como Idumeia. Eles foram derrotados pelos asmoneus (macabeus) e obrigados a escolher entre serem circuncidados e seguir a lei judaica ou serem expulsos da Idumeia. Os antepassados dos Herodes estavam entre os edomitas que aceitaram a lei e os costumes judaicos.

do outro lado do Jordão: Pelos vistos, neste contexto, refere-se à região a leste do rio Jordão, também chamada Pereia (da palavra grega péran, que significa “o outro lado; além”).

não dissessem a outros quem ele era: Os espíritos impuros sabiam que Jesus era “o Filho de Deus” e usaram esta expressão ao dirigirem-se a ele (versículo 11). Mas Jesus não permitiu que os demónios dessem testemunho sobre ele porque eles odeiam o que é santo, são rebeldes e são rejeitados por Deus como inimigos dele. (Veja a nota de estudo em Mr 1:25.) Do mesmo modo, quando “um demónio de adivinhação” fez com que uma rapariga identificasse Paulo e Silas como “escravos do Deus Altíssimo” e proclamadores do “caminho da salvação”, Paulo expulsou dela o demónio. — At 16:16-18.

Cala-te: Lit.: “Sê amordaçado”. Aquele espírito impuro sabia que Jesus era o Cristo, ou Messias, e chamou-lhe “o Santo de Deus” no versículo 24. Mas Jesus não permitia que os demónios dessem testemunho sobre ele. — Mr 1:34; 3:11, 12.

apóstolos: Ou: “enviados”. A palavra grega apóstolos vem do verbo apostéllo, que é usado no final do versículo e foi traduzido como “enviaria”. — Veja a nota de estudo em Mt 10:2.

apóstolos: Ou: “enviados”. A palavra grega apóstolos vem do verbo apostéllo, que significa “enviar”. (Mt 10:5; Lu 11:49; 14:32) O sentido básico dessa palavra pode ser visto claramente em Jo 13:16, onde é traduzida como “o enviado”.

a quem também deu o nome de Pedro: O nome que Jesus deu a Simão significa “pedra; um pedaço de rocha”. (Jo 1:42) Jesus conseguiu discernir o que Pedro era no íntimo, assim como conseguiu discernir que Natanael era um homem ‘em quem não havia falsidade’. (Jo 1:47) Pedro tinha qualidades que o ajudariam a permanecer firme como uma rocha, especialmente depois da morte e da ressurreição de Jesus. — Veja a nota de estudo em Mt 10:2.

Simão, o chamado Pedro: As Escrituras Gregas usam cinco nomes diferentes para Pedro: (1) “Simeão”; (2) “Simão” (tanto “Simeão” como “Simão” vêm de um verbo hebraico que significa “ouvir; escutar”); (3) “Pedro”, nome de origem grega que significa “pedra; um pedaço de rocha” (só esse apóstolo é identificado por esse nome na Bíblia); (4) “Cefas”, que é o equivalente semítico do nome grego Pedro e talvez esteja relacionado com a palavra hebraica kefím (rochas), que aparece em Jó 30:6 e Je 4:29; e (5) a combinação “Simão Pedro”. — At 15:14; Jo 1:42; Mt 16:16.

Boanerges: Expressão de origem semítica encontrada apenas no relato de Marcos. Jesus deu a Tiago e João este nome que provavelmente descrevia bem o intenso entusiasmo deles. — Lu 9:54.

que significa: Marcos explica ou traduz palavras que um leitor judeu já conheceria. Isso indica que ele escreveu o seu relato a pensar em leitores não judeus.

filhos do trovão: Em hebraico, aramaico e grego a expressão “filho(s) de” pode ser usada para indicar uma qualidade ou característica que se destaca numa pessoa ou para identificar um grupo de pessoas. — Veja a nota de estudo em Boanerges neste versículo e a nota de estudo em At 4:36.

filho do: Em hebraico, aramaico e grego a expressão “filho(s) de” pode ser usada para indicar uma qualidade ou característica que se destaca numa pessoa ou para identificar um grupo de pessoas. Por exemplo, em De 3:18, a expressão “homens valentes” significa literalmente “filhos da habilidade” e refere-se a guerreiros corajosos. Em Jó 1:3, a expressão “orientais” significa literalmente “filhos do Oriente”. E, em 1Sa 25:17, a expressão “homem [...] imprestável” significa literalmente “filho de belial”, ou seja, “filho da inutilidade”. Nas Escrituras Gregas Cristãs, a expressão “filhos de” é usada para falar de pessoas que têm certo modo de agir ou apresentam uma determinada característica, como por exemplo nas expressões “filhos do Altíssimo”, “filhos da luz e filhos do dia”, e “filhos da desobediência”. — Lu 6:35; 1Te 5:5; Ef 2:2.

Bartolomeu: Significa “filho de Tolmai”. Os Evangelhos de Mateus e de Lucas mencionam os apóstolos Bartolomeu e Filipe juntos, do mesmo modo que o Evangelho de João menciona Natanael e Filipe juntos. (Mt 10:3; Lu 6:14; Jo 1:45, 46) Por isso, acredita-se que Bartolomeu seja a mesma pessoa a que João chama Natanael.

Tiago, filho de Alfeu: Pelos vistos, é o mesmo discípulo chamado “Tiago, o Menor” em Mr 15:40. Acredita-se que Alfeu seja o Clopas mencionado em Jo 19:25. Se esse for o caso, então, ele seria casado com a mulher a quem Mateus chama “a outra Maria”. (Mt 27:56; 28:1; Mr 15:40; 16:1; Lu 24:10) Tudo indica que esse Alfeu não é o mesmo Alfeu mencionado em Mr 2:14, o pai de Levi.

Tadeu: O nome Tadeu não aparece nas listas com os nomes dos apóstolos feitas por Lucas em Lu 6:16 e At 1:13. No lugar de Tadeu, aparece “Judas, filho de Tiago”. Pelos vistos, Tadeu é outro nome do apóstolo a quem João chama “Judas, não o Iscariotes”. (Jo 14:22) Talvez Mateus e Marcos tenham usado o nome Tadeu para que ele não fosse confundido com Judas Iscariotes, o traidor.

o Cananita: Uma descrição usada para que o apóstolo Simão não fosse confundido com o apóstolo Simão Pedro. (Mt 10:4) Acredita-se que a palavra “Cananita” venha de uma palavra hebraica ou aramaica que significa “zeloso; entusiasta”. Lucas refere-se a esse Simão por usar a palavra grega zelotés, que também significa “zeloso; entusiasta”. (Lu 6:15; At 1:13) É possível que antes Simão fizesse parte dos zelotes, um partido judaico que lutava contra os romanos. Mas também é possível que ele tenha sido descrito assim por causa do seu zelo e entusiasmo.

Iscariotes: Veja a nota de estudo em Mt 10:4.

Iscariotes: É possível que essa palavra signifique “homem de Queriote”. O pai de Judas, Simão, também é chamado “Iscariotes”. (Jo 6:71) Muitos estudiosos acham que essa palavra indica que Simão e Judas eram de Queriote-Esrom, uma cidade da Judeia. (Jos 15:25) Se isso for verdade, Judas era o único dos 12 apóstolos que era da Judeia. Os outros 11 eram da Galileia.

Tiago: Tudo indica que esse meio-irmão de Jesus seja o Tiago mencionado em At 12:17 (veja a nota de estudo) e em Gál 1:19, e o escritor do livro bíblico de Tiago. — Tg 1:1.

Judas: Tudo indica que esse meio-irmão de Jesus seja o escritor do livro bíblico de Judas. — Ju 1.

os seus parentes: Entre esses parentes talvez estivessem Tiago e Judas, meios-irmãos de Jesus, que escreveram um livro bíblico cada um. Os textos de Mt 13:55 e Mr 6:3 mencionam os nomes de quatro meios-irmãos de Jesus. — Veja as notas de estudo em Mt 13:55.

Belzebu: Possivelmente, é uma variação do nome Baal-Zebube, que significa “dono (senhor) das moscas”. Esse era o Baal adorado pelos filisteus em Ecrom. (2Rs 1:3) Alguns manuscritos gregos usam as variações Beelzeboúl e Beezeboúl, que talvez signifiquem “dono (senhor) da morada (habitação) elevada”. Outra possibilidade é que essas variações sejam um jogo de palavras com o termo hebraico zével (esterco), que não aparece na Bíblia. Se esse for o caso, Beelzeboúl e Beezeboúl significam “dono (senhor) do esterco”. Como Mt 12:24 mostra, Belzebu é usado para se referir a Satanás – o príncipe, ou governante, dos demónios.

Belzebu: Nome usado para se referir a Satanás. — Veja a nota de estudo em Mt 10:25.

ilustrações: Veja a nota de estudo em Mt 13:3.

ilustrações: Ou: “parábolas”. A palavra grega parabolé significa literalmente “colocar ao lado (junto)”, e pode referir-se a uma parábola, um provérbio ou uma comparação. Jesus, muitas vezes, explicava uma coisa por ‘colocá-la ao lado’ de algo, ou seja, por compará-la com outra coisa parecida. (Mr 4:30) As ilustrações de Jesus eram curtas, e, muitas vezes, eram histórias fictícias que ensinavam uma lição de moral ou uma verdade espiritual.

casa: Na língua original, a palavra traduzida como “casa” podia referir-se aos membros de uma família e, em alguns casos, podia incluir escravos e empregados. Às vezes, referia-se aos que moravam ou trabalhavam no palácio do rei. (At 7:10; Fil 4:22) A mesma palavra era usada para se referir a famílias reais como a dos Herodes e a dos Césares, onde conflitos e divisões eram comuns e contribuíram para a sua queda.

ficar de pé: Ou: “durar (permanecer unida)”. — Veja a nota de estudo em casa neste versículo.

blasfema contra o espírito santo: Blasfemar inclui dizer coisas que ofendem ou difamam a Deus ou falar com desrespeito de coisas sagradas. Visto que o espírito santo vem do próprio Deus, a pessoa que age intencionalmente contra o espírito ou não reconhece a sua atuação está a blasfemar contra Deus. Conforme mostram Mt 12:24, 28 e Mr 3:22, os líderes religiosos judaicos viam Jesus realizar milagres por meio do espírito santo de Deus, mas atribuíam esse poder a Satanás, o Diabo.

culpado de pecado eterno: “Pecado eterno” parece referir-se ao pecado intencional que resulta em condenação eterna; não existe nenhum sacrifício que possa cobrir esse tipo de pecado. — Veja a nota de estudo em blasfema contra o espírito santo neste versículo e a nota de estudo no relato paralelo, em Mt 12:31.

blasfémia: Inclui dizer coisas que ofendem ou difamam a Deus ou falar com desrespeito de coisas sagradas. Visto que o espírito santo vem do próprio Deus, a pessoa que intencionalmente age contra o espírito ou não reconhece a sua atuação está a blasfemar contra Deus. Conforme Mt 12:24, 28, os líderes religiosos judaicos viam Jesus realizar milagres por meio do espírito santo de Deus, mas atribuíam esse poder a Satanás, o Diabo.

os seus irmãos: Ou seja, meios-irmãos de Jesus. O nome de quatro meios-irmãos de Jesus aparece em Mt 13:55 e Mr 6:3. — Para mais informações sobre a palavra “irmão”, veja a nota de estudo em Mt 13:55.

irmãos: Embora a palavra grega usada aqui, adelfós, também seja usada na Bíblia para se referir a irmãos em sentido espiritual, neste contexto, é usada para se referir aos meios-irmãos de Jesus: os filhos que José e Maria tiveram depois de Jesus. Alguns acreditam que Maria continuou virgem depois de Jesus nascer e afirmam que, neste versículo, a palavra adelfós se refere a primos. No entanto, as Escrituras Gregas Cristãs usam outras palavras, não adelfós, para se referir a primos e familiares. Por exemplo, Col 4:10 usa a palavra anepsiós para se referir a um “primo”. Lu 21:16 usa a palavra syggenés para se referir a familiares (o que pode incluir primos) na mesma lista em que aparece a palavra adelfós (irmão). Esses exemplos mostram que as Escrituras Gregas Cristãs usam palavras específicas para se referir a diferentes graus de parentesco.

Aqui estão a minha mãe e os meus irmãos!: Jesus fez aqui um contraste entre os seus irmãos de sangue e os seus irmãos espirituais, os discípulos. Pelos vistos, alguns dos meios-irmãos de Jesus não tinham fé nele. (Jo 7:5) Por outro lado, os seus discípulos esforçavam-se por fazer “a vontade de Deus”. (Mr 3:35) Jesus mostrou que, por mais que amasse os membros da sua família, o amor que sentia pelos seus discípulos era ainda maior.

Multimédia