As Boas Novas Segundo Marcos 10:1-52

10  Ele levantou-se dali e foi para as fronteiras* da Judeia, do outro lado do Jordão, e novamente multidões se ajuntaram à sua volta. Ele começou a ensiná-las outra vez, como costumava fazer.+  Alguns fariseus aproximaram-se e, querendo pô-lo à prova, perguntaram se era permitido que um homem se divorciasse da esposa.+  Ele respondeu-lhes: “O que é que Moisés vos ordenou?”  Disseram: “Moisés permitiu que o homem escrevesse um certificado de divórcio e a mandasse embora.”+  Mas Jesus disse-lhes: “Foi por causa da dureza do vosso coração+ que ele vos escreveu esse mandamento.+  No entanto, no princípio da criação ‘Ele fê-los homem e mulher.+  Por esta razão, o homem deixará o seu pai e a sua mãe,+  e os dois serão uma só carne’,+ de modo que já não são dois, mas uma só carne.  Portanto, o que Deus pôs sob o mesmo jugo, o homem não deve separar.”+ 10  Quando estavam novamente na casa, os discípulos fizeram-lhe perguntas sobre isso. 11  Ele disse-lhes: “Quem se divorcia da sua esposa e se casa com outra comete adultério+ contra ela, 12  e, se uma mulher, depois de se divorciar do marido, se casa com outro, comete adultério.”+ 13  As pessoas começaram então a trazer-lhe crianças, para que lhes tocasse, mas os discípulos repreenderam as pessoas.+ 14  Vendo isso, Jesus ficou indignado e disse-lhes: “Deixem as criancinhas vir a mim. Não tentem impedi-las, pois o Reino de Deus pertence aos que são como elas.+ 15  Digo-vos a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criancinha, de modo algum entrará nele.”+ 16  E tomou as crianças nos braços e começou a abençoá-las, pondo as mãos sobre elas.+ 17  Quando ele ia a sair, um homem chegou a correr, pôs-se de joelhos diante dele e perguntou-lhe: “Bom Instrutor, o que devo fazer para herdar a vida eterna?”+ 18  Jesus disse-lhe: “Porque é que me chamas bom? Ninguém é bom, a não ser um só, Deus.+ 19  Conheces os mandamentos: ‘Não assassines;+ não cometas adultério;+ não furtes;+ não dês falso testemunho;+ não defraudes;+ honra o teu pai e a tua mãe.’”+ 20  O homem disse-lhe: “Instrutor, eu tenho cumprido todas essas coisas desde bem jovem.” 21  Jesus olhou para ele e, sentindo amor por ele, disse: “Falta-te uma coisa: vai, vende o que tens e dá o dinheiro aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem ser meu seguidor.”+ 22  Mas ele ficou triste com a resposta e foi-se embora abatido, porque tinha muitos bens. 23  Depois de olhar à volta, Jesus disse aos discípulos: “Como será difícil para os que têm dinheiro entrar no Reino de Deus!”+ 24  Mas os discípulos ficaram surpreendidos com as suas palavras. Jesus disse então: “Filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! 25  É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus.”+ 26  Eles ficaram ainda mais admirados e perguntaram-lhe: “Quem é que pode ser salvo?”+ 27  Jesus olhou diretamente para eles e disse: “Para os homens é impossível, mas para Deus não, pois para Deus todas as coisas são possíveis.”+ 28  Pedro começou a dizer-lhe: “Olha, deixámos tudo e seguimos-te.”+ 29  Jesus disse: “Eu garanto-vos: Ninguém deixou casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou campos, por minha causa e por causa das boas novas,+ 30  que não receba cem vezes mais agora, neste tempo,* casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições,+ e, no futuro sistema de coisas, a vida eterna. 31  Mas muitos dos que são primeiros serão últimos; e os últimos, primeiros.”+ 32  Iam então pela estrada, subindo para Jerusalém, e Jesus ia à frente deles, e eles estavam admirados; mas os que os seguiam estavam com medo. Novamente, ele chamou os Doze à parte e começou a dizer-lhes as coisas que estavam para lhe acontecer:+ 33  “Escutem, estamos a subir para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas. Eles vão condená-lo à morte e entregá-lo a homens das nações, 34  e estes vão ridicularizá-lo, cuspir-lhe,+ açoitá-lo e matá-lo, mas três dias depois ele será levantado.”+ 35  Tiago e João, os filhos de Zebedeu,+ aproximaram-se dele e disseram-lhe: “Instrutor, queremos que nos faças o que te pedirmos.”+ 36  Ele perguntou-lhes: “O que é que querem que eu vos faça?” 37  Eles responderam: “Concede-nos que nos sentemos um à tua direita e outro à tua esquerda, na tua glória.”+ 38  Mas Jesus disse-lhes: “Vocês não sabem o que estão a pedir. Será que podem beber o cálice que eu estou a beber ou ser batizados com o batismo com que eu estou a ser batizado?”+ 39  Disseram-lhe: “Podemos.” Então, Jesus disse-lhes: “Vocês beberão o cálice que eu estou a beber e serão batizados com o batismo com que eu estou a ser batizado.+ 40  No entanto, não me cabe a mim conceder que se sentem à minha direita ou à minha esquerda. Esses lugares pertencem àqueles para quem foram preparados.” 41  Quando os outros dez souberam disso, ficaram indignados com Tiago e João.+ 42  Mas Jesus chamou-os e disse-lhes: “Sabem que os que são considerados governantes das* nações dominam sobre elas, e os seus grandes exercem autoridade sobre elas.+ 43  Não deve ser assim entre vocês; mas quem quiser tornar-se grande entre vocês tem de ser o vosso servo,*+ 44  e quem quiser ser o primeiro entre vocês tem de ser o escravo de todos. 45  Pois até mesmo o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir*+ e dar a sua vida como resgate em troca de muitos.”+ 46  Eles entraram então em Jericó. Mas, quando ele, os seus discípulos e uma multidão considerável saíam de Jericó, Bartimeu (filho de Timeu), um mendigo cego, estava sentado à beira da estrada.+ 47  Ao ouvir que era Jesus, o Nazareno, ele começou a gritar: “Filho de David,+ Jesus, tenha misericórdia de mim!”+ 48  Em vista disso, muitos começaram a censurá-lo, mandando-o calar-se, mas ele gritava ainda mais: “Filho de David, tenha misericórdia de mim!” 49  Então, Jesus parou e disse: “Chamem-no.” E chamaram o cego, dizendo-lhe: “Coragem! Levanta-te, ele está a chamar-te.” 50  Atirando a capa para o lado, ele levantou-se rapidamente e foi ter com Jesus. 51  Então, Jesus perguntou-lhe: “O que é que queres que eu faça por ti?” O cego disse-lhe: “Raboni,+ deixe-me recuperar a visão.” 52  E Jesus disse-lhe: “Vai, a tua fé fez-te ficar bom.”*+ E ele recuperou imediatamente a visão+ e começou a segui-lo pela estrada.

Notas de rodapé

Ou: “os limites; as regiões”.
Ou: “na época atual”.
Ou: “os que parecem governar as”.
Ou: “ministro”.
Ou: “ministrar”.
Ou: “salvou-te”.

Notas de estudo

as fronteiras da Judeia, do outro lado do Jordão: Pelos vistos, refere-se à Pereia, uma região que ficava a leste do rio Jordão, especialmente à parte da Pereia que fazia fronteira com a Judeia. Jesus saiu da Galileia naquela ocasião e só voltou lá depois de ser ressuscitado. — Veja o Mapa 5 no Apêndice A7-F.

as fronteiras da Judeia, do outro lado do Jordão: Pelos vistos, refere-se à Pereia, uma região que ficava a leste do rio Jordão, especialmente à parte da Pereia que fazia fronteira com a Judeia. — Veja a nota de estudo em Mt 19:1 e o Mapa 5 no Apêndice A7-F.

certificado de divórcio: Se um homem quisesse divorciar-se, a Lei exigia que ele preparasse um documento jurídico. Para isso, ele provavelmente teria de procurar os anciãos da cidade. Assim, o homem teria tempo de voltar atrás nesse assunto tão sério. Pelos vistos, o objetivo dessa lei era impedir um divórcio precipitado e dar proteção jurídica às mulheres. (De 24:1) Mas, na época de Jesus, os líderes religiosos tinham tornado fácil conseguir o divórcio. O historiador Josefo, que viveu no primeiro século EC e era um fariseu divorciado, mencionou que o divórcio era permitido “por qualquer motivo (e os homens encontram muitos motivos para isso)”. — Veja a nota de estudo em Mt 5:31.

certificado de divórcio: Veja a nota de estudo em Mt 19:7.

princípio da criação: Pelos vistos, refere-se à criação dos humanos. Jesus estava a explicar que o Criador instituiu o casamento entre um homem e uma mulher, formando assim a base da sociedade humana.

Ele: Alguns manuscritos muito antigos dizem “Deus”.

uma só carne: Esta expressão grega é uma tradução literal da expressão hebraica que aparece em Gén 2:24. Também pode ser traduzida como “um só corpo” ou “uma só pessoa”, e descreve o vínculo mais forte que pode existir entre dois humanos. ‘Tornar-se uma só carne’ não se refere apenas às relações sexuais, mas também à união que deve existir entre marido e esposa em todos os sentidos. Essa união transforma duas pessoas em companheiros fiéis e inseparáveis. Não é possível romper esse tipo de vínculo sem que as duas partes sofram algum dano.

uma só carne: Veja a nota de estudo em Mt 19:5.

imoralidade sexual: Tradução do grego porneía, um termo genérico para descrever todas as formas de relações sexuais que Deus proíbe. Inclui adultério, prostituição, sexo entre pessoas não casadas, entre pessoas do mesmo sexo e entre humanos e animais. — Veja o Glossário.

se divorcia da sua esposa: Ou “manda a sua esposa embora”. Para entender corretamente as palavras de Jesus registadas por Marcos, deve-se levar em conta a declaração mais completa registada em Mt 19:9, que inclui a frase “a não ser por causa de imoralidade sexual”. (Veja a nota de estudo em Mt 5:32.) O que Marcos escreveu aplica-se aos casos em que a pessoa se divorcia por outros motivos, e não porque o marido ou a esposa cometeu “imoralidade sexual” (em grego, porneía).

comete adultério contra ela: Jesus estava a rejeitar o ensino rabínico mais aceite naquela época sobre divórcio. Esse ensino dava ao homem o direito de se divorciar da esposa “por qualquer motivo”. (Mt 19:3, 9) A maioria dos judeus achava que não era possível o marido cometer adultério contra a esposa. Os rabinos ensinavam que, mesmo que o marido tivesse relações sexuais com outra mulher, não estava a ser infiel; só a mulher podia ser considerada infiel ao marido. Ao mostrar que o marido tinha a mesma obrigação moral que a esposa, Jesus dignificou as mulheres e ensinou como elas deviam ser encaradas.

se uma mulher, depois de se divorciar do marido: Ao dizer isso, Jesus reconheceu o direito de a mulher se divorciar do marido se ele fosse infiel. Aparentemente, os judeus daquela época não reconheciam que as mulheres tinham esse direito. No entanto, Jesus deixou claro que, entre os cristãos, as mesmas normas se aplicariam a homens e mulheres.

crianças: Essas crianças talvez fossem de várias idades, visto que a palavra grega paidíon, traduzida aqui como “crianças”, é usada na Bíblia para se referir tanto a recém-nascidos e crianças de colo (Mt 2:8; Lu 1:59) como à filha de Jairo, uma criança maior que já tinha 12 anos (Mr 5:39-42). No entanto, no relato paralelo em Lu 18:15, que descreve o encontro de Jesus com esse grupo de crianças, Lucas usa a palavra grega bréfos, que se refere apenas a bebés ou a crianças muito pequenas. — Lu 1:41; 2:12.

como uma criancinha: Ou seja, tendo qualidades que as criancinhas geralmente têm. Por exemplo, elas são humildes, gostam de aprender e têm facilidade em confiar nos outros. — Mt 18:5.

tomou as crianças nos braços: Apenas o Evangelho de Marcos inclui esse detalhe. A palavra grega para “tomar nos braços” só ocorre aqui e em Mr 9:36, e também pode ser traduzida como “abraçar”. Além de abraçar as crianças, o relato diz que Jesus começou a abençoá-las. A palavra grega usada aqui é uma forma intensificada da palavra para “abençoar”, o que pode indicar que ele tratou as crianças com carinho. Jesus superou as expectativas das pessoas que trouxeram aquelas crianças. Elas esperavam que Jesus apenas “tocasse” nas crianças. (Mr 10:13) Mas Jesus fez mais do que isso porque conhecia bem as necessidades das crianças pequenas, já que ele era o filho mais velho da sua família e tinha pelo menos seis irmãos e irmãs. — Mt 13:55, 56.

Bom Instrutor: Pelos vistos, o homem estava a usar a expressão “Bom Instrutor” como um título formal para bajular Jesus, visto que os líderes religiosos costumavam exigir esse tipo de honra. Jesus não via nenhum problema em ser chamado “Instrutor” e “Senhor” (Jo 13:13), mas ele direcionava toda a honra para o seu Pai.

Ninguém é bom, a não ser um só, Deus: Jesus destacou aqui que Jeová é o padrão mais elevado do que é ser bom. Ele é o único que tem o direito supremo de determinar o que é bom e o que é mau. Adão e Eva quiseram ficar com esse direito para eles quando foram rebeldes e comeram do fruto da árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau. (Gén 2:17; 3:4-6) Mas Jesus é diferente. Ele é humilde e reconhece que somente o seu Pai pode estabelecer esses padrões. Deus ensina-nos o que é bom por meio das orientações que ele dá na sua Palavra, a Bíblia. — Mr 10:19.

sentindo amor por ele: Apenas Marcos relata o que Jesus sentiu pelo jovem governante rico. (Mt 19:16-26; Lu 18:18-30) Essa informação talvez tenha sido dada por Pedro, que também era um homem de fortes sentimentos. — Veja a “Introdução a Marcos”.

mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha: Aqui, Jesus usou uma hipérbole para ensinar uma lição importante. Assim como é impossível que um camelo passe pelo buraco de uma agulha, é impossível para uma pessoa rica entrar no Reino de Deus se ela continuar a amar mais as riquezas do que a Jeová. Mas Jesus não quis dizer que ninguém que fosse rico poderia entrar no Reino, pois ele disse: “Para Deus todas as coisas são possíveis.” — Mr 10:27.

perguntaram-lhe: Alguns manuscritos dizem “perguntaram uns aos outros”.

no futuro sistema de coisas: Ou: “na época futura”. A palavra grega aión tem o sentido básico de “época”. Também se pode referir a uma situação existente ou a características marcantes de certo período ou época. Neste versículo, Jesus estava a referir-se à época futura em que o Reino de Deus assumirá o controlo da Terra e as pessoas terão vida eterna. — Lu 18:29, 30; veja o Glossário, “Sistema(s) de coisas”.

as fronteiras da Judeia, do outro lado do Jordão: Pelos vistos, refere-se à Pereia, uma região que ficava a leste do rio Jordão, especialmente à parte da Pereia que fazia fronteira com a Judeia. — Veja a nota de estudo em Mt 19:1 e o Mapa 5 no Apêndice A7-F.

subindo para Jerusalém: A cidade de Jerusalém ficava cerca de 750 metros acima do nível do mar. Por isso, a Bíblia muitas vezes diz que as pessoas ‘subiam para Jerusalém’. (Jo 2:13; At 11:2) Jesus e os seus discípulos estavam a sair do vale do Jordão. (Veja a nota de estudo em Mr 10:1.) O ponto mais baixo desse vale fica cerca de 400 metros abaixo do nível do mar. Assim, eles teriam de subir cerca de 1000 metros para chegarem a Jerusalém.

cuspir-lhe: Cuspir numa pessoa, ou no rosto dela, era um ato de extremo desprezo, inimizade ou indignação, que humilhava a pessoa. (Núm 12:14; De 25:9) Jesus estava a dizer que sofreria esse tipo de humilhação, que cumpriria uma profecia sobre o Messias: “Não escondi o rosto das humilhações e do cuspo.” (Is 50:6) Ele passou por isso quando lhe cuspiram no julgamento diante do Sinédrio (Mr 14:65) e quando os soldados romanos lhe cuspiram depois de ele ter sido julgado por Pilatos (Mr 15:19).

Tiago [...] e o seu irmão João: A Bíblia menciona sempre Tiago juntamente com o seu irmão João e, na maioria das vezes, Tiago é mencionado primeiro. Isso talvez indique que Tiago era mais velho do que João. — Mt 4:21; 10:2; 17:1; Mr 1:29; 3:17; 5:37; 9:2; 10:35, 41; 13:3; 14:33; Lu 5:10; 6:14; 8:51; 9:28, 54; At 1:13.

Zebedeu: É possível que Zebedeu fosse marido de Salomé, a mãe de Tiago e João, e que Salomé fosse irmã de Maria, a mãe de Jesus. Se isso for verdade, Zebedeu era tio de Jesus, e Tiago e João eram primos de Jesus. — Veja a nota de estudo em Mr 15:40.

mãe dos filhos de Zebedeu: Ou seja, a mãe dos apóstolos Tiago e João. O relato paralelo em Marcos diz que quem falou com Jesus foram Tiago e João. (Mr 10:35) Pelos vistos, a ideia foi deles, mas eles fizeram o pedido por meio de Salomé, a sua mãe. É possível que Salomé fosse tia de Jesus. — Mt 27:55, 56; Mr 15:40, 41; Jo 19:25.

filhos: Alguns manuscritos dizem “dois filhos”, mas a palavra “dois” não aparece na maioria dos manuscritos mais antigos.

Tiago e João, os filhos de Zebedeu, aproximaram-se dele: O relato paralelo em Mateus diz que quem fez o pedido a Jesus foi a mãe de Tiago e João, mas, pelos vistos, a ideia foi dos dois filhos. O relato de Mateus apoia essa conclusão por dizer que, quando os outros dez apóstolos souberam disso, “ficaram indignados” com os dois irmãos, não com a mãe deles. — Mt 20:20-24; veja as notas de estudo em Mt 4:21; 20:20.

à sua direita [...] à sua esquerda: Em alguns contextos, as duas posições indicam honra e autoridade (Mt 20:21, 23), só que a posição de maior honra é sempre a da direita (Sal 110:1; At 7:55, 56; Ro 8:34). No entanto, aqui e em Mt 25:34, 41, há uma diferença bem clara entre o lado direito, que indica que a pessoa tem o favor do Rei, e o lado esquerdo, que indica que a pessoa não tem o favor dele. — Compare com as notas de rodapé em Ec 10:2.

um à tua direita e outro à tua esquerda: Neste contexto, as duas posições indicam honra e autoridade, mas a posição de maior honra é sempre a da direita. — Sal 110:1; At 7:55,56; Ro 8:34; veja a nota de estudo em Mt 25:33.

beber o cálice: A Bíblia, muitas vezes, usa a palavra “cálice” para representar a “porção” que Deus dá a alguém, ou seja, a vontade de Deus para aquela pessoa. (Sal 16:5; 23:5) Aqui, “beber o cálice” significa aceitar a vontade de Deus. O “cálice” de Jesus não envolvia apenas sofrer maus-tratos e morrer por causa da acusação falsa de blasfémia, mas também ser ressuscitado para a vida imortal no céu.

beber o cálice: A Bíblia, muitas vezes, usa a palavra “cálice” para representar a “porção” que Deus dá a alguém, ou seja, a vontade de Deus para aquela pessoa. (Sal 16:5; 23:5) Aqui, “beber o cálice” significa aceitar a vontade de Deus. O “cálice” de Jesus não envolvia apenas sofrer maus-tratos e morrer por causa da acusação falsa de blasfémia, mas também ser ressuscitado para a vida imortal no céu.

beber o cálice: Veja a nota de estudo em Mt 20:22.

ser batizados com o batismo com que eu estou a ser batizado: Ou: “ser imersos com a mesma imersão pela qual eu estou a passar”. Jesus usou aqui a palavra “batismo” em paralelo com “cálice”. (Veja a nota de estudo em Mt 20:22.) Ele estava a falar do seu batismo na morte. Quando Jesus foi batizado em água, ele aceitou seguir um caminho que o levaria à morte. Por isso, o seu batismo na morte já estava em andamento durante o seu ministério. Jesus seria totalmente batizado ou imerso quando morresse na estaca em 14 de nisã de 33 EC. Da mesma forma que o batismo literal se completa quando a pessoa é levantada da água, o batismo de Jesus na morte completou-se quando ele foi levantado dentre os mortos. (Ro 6:3, 4) Assim, há uma clara diferença entre o batismo de Jesus na morte e o seu batismo na água. Ao passo que o batismo na água foi realizado de forma completa no início do seu ministério, esse batismo era apenas o início do seu batismo na morte.

dominam sobre elas: Ou: “têm poder sobre elas; são donos delas”. Esta palavra grega só é usada quatro vezes nas Escrituras Gregas Cristãs. (Mt 20:25; Mr 10:42; At 19:16; 1Pe 5:3) O conselho de Jesus deve ter feito os seus ouvintes lembrarem-se da opressão do governo romano, que os judeus odiavam, e também da dinastia dos Herodes, que governavam com tirania. (Mt 2:16; Jo 11:48) Pelos vistos, Pedro entendeu o conselho. Anos mais tarde, ele orientou os anciãos cristãos a liderar por darem o exemplo, não por dominarem os irmãos. (1Pe 5:3) O relato paralelo de Lu 22:25 usa um verbo relacionado que também aparece em 2Co 1:24, onde Paulo diz que os cristãos não devem ser os “donos” da fé dos seus irmãos.

vida: A palavra grega psykhé, que foi traduzida como “alma” em todas as ocorrências nas edições anteriores da Tradução do Novo Mundo, aqui refere-se à vida. — Veja o Glossário, “Alma”.

Jericó: A primeira cidade cananeia a oeste do rio Jordão a ser conquistada pelos israelitas. (Núm 22:1; Jos 6:1, 24, 25) Na época de Jesus, existia uma nova Jericó cerca de 2 quilómetros a sul da Jericó antiga. Isso talvez explique por que razão Mateus diz que Jesus fez aquele milagre quando estava a sair de Jericó, mas o relato paralelo em Lu 18:35 diz que foi quando “se aproximava de Jericó”. É possível que Jesus estivesse a sair da Jericó judaica (a antiga) e a ir para a romana (a nova), ou o contrário. — Veja a nota de estudo em Lu 18:35 e os Apêndices B4 e B10.

Jericó: Veja a nota de estudo em Mt 20:29.

um mendigo cego: O relato paralelo de Mt 20:30 diz que havia dois cegos nesta ocasião. Mas Marcos e Lucas falam de apenas um cego. (Lu 18:35) Pelos vistos, eles concentraram-se em Bartimeu, que só é mencionado por nome no Evangelho de Marcos.

Nazaré: Provavelmente significa “cidade do renovo” (ou: “cidade do broto”). Ficava na Baixa Galileia e foi a cidade onde Jesus morou durante a maior parte da sua vida na Terra.

as palavras dos profetas: “Ele será chamado Nazareno”: Pelos vistos, é uma referência ao livro do profeta Isaías. (Is 11:1) O livro de Isaías refere-se ao prometido Messias como ‘um renovo [em hebraico, nétser] que sairia das raízes de Jessé’. Como Mateus menciona “profetas” no plural, é possível que ele também estivesse a referir-se a Jeremias e a Zacarias. Jeremias escreveu sobre “um renovo justo” que nasceria de David (Je 23:5; 33:15), e Zacarias falou de um rei que serviria como sacerdote e que se chamaria “Renovo”. (Za 3:8; 6:12, 13) Com o tempo, a palavra “Nazareno” foi usada para se referir a Jesus e, mais tarde, aos seus discípulos.

filho de David: Esta expressão indica que Jesus é o herdeiro do pacto que Jeová fez com David. Jeová tinha prometido que o herdeiro do Reino seria descendente de David. — 2Sa 7:11-16; Sal 89:3, 4.

David, o rei: Embora vários reis apareçam nesta genealogia, David é o único chamado pelo título de “rei”. A linhagem de reis descendentes de David era conhecida como “a casa de David”. (1Rs 12:19, 20) Ao chamar “filho de David” a Jesus no versículo 1, Mateus destaca o tema do Reino e mostra que Jesus é o herdeiro do Reino que Jeová prometeu no pacto com David. — 2Sa 7:11-16.

curvou-se diante dele: Ou: “prestou-lhe homenagem”. A mulher, mesmo não sendo judia, chamou “Filho de David” a Jesus. (Mt 15:22) Isso mostra que ela reconhecia Jesus como o prometido Messias. A mulher curvou-se diante dele para mostrar respeito a um representante de Deus, e não para adorar um deus. — Veja as notas de estudo em Mt 2:2; 8:2; 14:33; 18:26.

o Nazareno: Expressão usada para se referir a Jesus e, mais tarde, aos seus discípulos. (At 24:5) Alguns nomes eram comuns entre os judeus, incluindo o nome Jesus, e, por isso, muitos acrescentavam ao nome alguma palavra ou expressão para identificar a pessoa. Nos tempos bíblicos, era costume associar a pessoa ao seu lugar de origem. (2Sa 3:2, 3; 17:27; 23:25-39; Na 1:1; At 13:1; 21:29) Visto que Jesus passou a maior parte da sua vida na Terra em Nazaré, na Galileia, era natural que lhe chamassem “o Nazareno”. Várias pessoas usavam essa expressão para se referir a ele, em diversas situações. (Mr 1:23, 24; 10:46, 47; 14:66-69; 16:5, 6; Lu 24:13-19; Jo 18:1-7) O próprio Jesus aceitou esse nome e usou-o. (Jo 18:5-8; At 22:6-8) Na placa que Pilatos colocou na estaca de Jesus, ele escreveu em hebraico, latim e grego: “Jesus, o Nazareno, o Rei dos judeus”. (Jo 19:19, 20) A partir do Pentecostes de 33 EC, os apóstolos e outros, muitas vezes, chamaram a Jesus “o Nazareno” ou disseram que ele era de Nazaré. — At 2:22; 3:6; 4:10; 6:14; 10:38; 26:9; veja também a nota de estudo em Mt 2:23.

Filho de David: Ao chamar “Filho de David” a Jesus, Bartimeu declarou abertamente que acreditava que Jesus era o Messias. — Veja as notas de estudo em Mt 1:16; 15:25.

Raboni: Palavra semítica que significa “meu instrutor”. Pode ser que a palavra “Raboni” fosse originalmente considerada mais respeitosa do que a sua forma mais simples “Rabi”, que significa “instrutor” (Jo 1:38), ou fosse usada para se dirigir a um instrutor de maneira carinhosa. No entanto, quando João escreveu o seu Evangelho, o significado especial da forma “Raboni” talvez já se tivesse perdido, visto que ele a traduziu simplesmente como “Instrutor”. — Jo 20:16.

Multimédia

Pereia – Região a leste do Jordão
Pereia – Região a leste do Jordão

Esta fotografia mostra parte da região conhecida como Pereia, que ficava a leste do rio Jordão. Estendia-se desde o leste do Mar Morto (limite sul) até perto da cidade de Pela (limite norte). O nome “Pereia” não aparece na Bíblia. Vem de uma palavra grega que significa “do outro lado; além”. Essa palavra grega é usada com frequência na Bíblia e algumas vezes refere-se à região da Pereia. (Mt 4:25; Mr 3:8) As pessoas às vezes passavam pela Pereia quando viajavam da Galileia para Jerusalém. Perto do fim do seu ministério, Jesus ficou algum tempo a ensinar na Pereia. (Lu 13:22) Mais tarde, Jesus passou novamente pela Pereia a caminho de Jerusalém. — Mt 19:1; 20:17-19; Mr 10:1, 32, 46.

(1) Rio Jordão

(2) Planícies a leste do rio Jordão

(3) Montanhas de Gileade