Atos 4:1-37

4  Enquanto os dois estavam a falar com o povo, aproximaram-se deles os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus.+  Eles estavam irritados porque os apóstolos ensinavam o povo e declaravam abertamente a ressurreição de Jesus dentre os mortos.*+  Então, agarraram-nos* e puseram-nos na cadeia+ até ao dia seguinte, pois já tinha anoitecido.  No entanto, muitos dos que tinham escutado o discurso acreditaram, e o número de homens chegou a cerca de 5000.+  No dia seguinte, as autoridades, os anciãos e os escribas reuniram-se em Jerusalém,  juntamente com Anás,+ que era o principal sacerdote, Caifás,+ João, Alexandre e todos os que eram parentes do principal sacerdote.  Colocaram Pedro e João no meio deles e interrogaram-nos: “Com que poder ou em nome de quem é que fizeram isto?”  Então, Pedro, cheio de espírito santo,+ disse-lhes: “Líderes do povo e anciãos,  se hoje estamos a ser interrogados por causa de uma boa ação feita a um homem aleijado,+ e se querem saber quem fez esse homem ficar bom, 10  saibam os senhores e todo o povo de Israel que é em nome de Jesus Cristo, o Nazareno,+ aquele que os senhores executaram numa estaca,+ mas que Deus levantou dentre os mortos,+ sim, é por meio dele que este homem está aqui curado, diante dos senhores. 11  Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, não levaram em conta e que se tornou a principal pedra angular’.*+ 12  Além disso, não há salvação em mais ninguém, pois não há outro nome+ debaixo do céu, que tenha sido dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos.”+ 13  Quando viram a coragem* de Pedro e de João, e notaram que eles eram homens comuns e sem instrução,*+ ficaram admirados. E perceberam que eles tinham andado com Jesus.+ 14  Eles ficaram sem resposta,+ pois estavam a ver ali entre eles o homem que tinha sido curado.+ 15  Assim, ordenaram-lhes que saíssem do Sinédrio e começaram a discutir o assunto entre si; 16  diziam: “O que é que faremos com estes homens?+ Porque, realmente, ocorreu um sinal notável por meio deles, que passou a ser conhecido por todos os habitantes de Jerusalém,+ e não podemos negá-lo. 17  Para que isto não se espalhe ainda mais entre o povo, vamos ameaçá-los e dizer-lhes que não voltem a falar com ninguém à base deste nome.”+ 18  Por conseguinte, chamaram-nos e ordenaram-lhes que não dissessem nada nem ensinassem em nome de Jesus. 19  Contudo, Pedro e João responderam-lhes: “Julguem os senhores se é certo, à vista de Deus, obedecer-vos em vez de obedecer a Deus. 20  Quanto a nós, não podemos parar de falar das coisas que vimos e ouvimos.”+ 21  Assim, depois de terem voltado a ameaçá-los, soltaram-nos por não terem encontrado nenhuma base para puni-los e também por causa do povo,+ porque todos estavam a glorificar a Deus pelo que tinha acontecido. 22  Pois o homem curado por esse milagre* tinha mais de 40 anos. 23  Depois de serem soltos, foram ao encontro dos outros discípulos* e contaram o que os principais sacerdotes e os anciãos lhes tinham dito. 24  Ao ouvirem isso, unidos, levantaram a voz a Deus, dizendo: “Soberano Senhor, tu és aquele que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles,+ 25  e quem, por espírito santo, disse por meio do nosso antepassado David,+ teu servo: ‘Porque é que as nações ficaram agitadas e os povos meditaram em coisas vãs? 26  Os reis da terra tomaram a sua posição, e os governantes uniram-se contra Jeová* e contra o seu ungido.’*+ 27  De facto, Herodes e Pôncio Pilatos+ reuniram-se nesta cidade com homens das nações e com povos de Israel contra o teu santo servo Jesus, a quem ungiste,+ 28  para fazerem aquilo que o teu poder e a tua vontade* predeterminaram que ocorresse.+ 29  E agora, Jeová,* dá atenção às suas ameaças e concede aos teus escravos que continuem a falar a tua palavra com toda a coragem, 30  enquanto estendes a mão para curar e enquanto ocorrem sinais e milagres*+ por meio do nome do teu santo servo Jesus.”+ 31  Depois de terem feito a súplica,* o lugar onde estavam reunidos tremeu. Todos ficaram cheios de espírito santo+ e começaram a declarar a palavra de Deus com coragem.+ 32  Além disso, a multidão dos que creram era de um só coração e de uma só alma,* e nenhum deles dizia que as coisas que possuía eram suas, mas compartilhavam tudo o que tinham.+ 33  E os apóstolos continuavam, de forma poderosa, a dar testemunho a respeito da ressurreição do Senhor Jesus,+ e todos eles eram grandemente abençoados com bondade imerecida. 34  De facto, ninguém entre eles passava necessidade,+ porque todos os que possuíam campos ou casas vendiam-nos, traziam o dinheiro da venda 35  e colocavam-no aos pés dos apóstolos.+ Depois, fazia-se a distribuição, conforme a necessidade de cada um.+ 36  Assim fez José, a quem os apóstolos chamavam Barnabé+ (que traduzido significa “filho do consolo”), um levita, natural de Chipre, 37  que possuía um pedaço de terra. Ele vendeu-o, trouxe o dinheiro e colocou-o aos pés dos apóstolos.+

Notas de rodapé

Ou: “a ressurreição dentre os mortos no caso de Jesus”.
Ou: “prenderam-nos”.
Lit.: “a cabeça da esquina”.
Ou: “franqueza”.
Ou: “e indoutos”, isto é, que não tinham estudado nas escolas rabínicas. Mas isto não significa que fossem analfabetos.
Ou: “sinal”.
Ou: “do seu próprio povo”.
Veja o Ap. A5.
Ou: “o seu Cristo”.
Ou: “o teu conselho”.
Veja o Ap. A5.
Ou: “portentos”.
Ou: “orado fervorosamente”.

Notas de estudo

Multimédia

O Sinédrio
O Sinédrio

O supremo tribunal judaico, formado por 71 membros, era chamado Grande Sinédrio e ficava em Jerusalém. (Veja o Glossário, “Sinédrio”.) De acordo com a Mishná, os membros do Sinédrio sentavam-se num semicírculo de três degraus, e dois escrivães registavam as decisões do tribunal. Alguns dos detalhes arquitetónicos mostrados aqui baseiam-se numa estrutura descoberta em Jerusalém que alguns acreditam ser a Sala do Conselho, do primeiro século EC. — Veja o mapa “Jerusalém e Proximidades” no Apêndice B12-A.

1. Sumo sacerdote

2. Membros do Sinédrio

3. Acusado

4. Escrivães