Atos 20:1-38

20  Quando o alvoroço diminuiu, Paulo mandou chamar os discípulos e, depois de os encorajar e de se despedir deles, partiu em viagem para a Macedónia.  Ele percorreu aquelas regiões e disse aos discípulos muitas palavras de encorajamento. Depois, chegou à Grécia.  Passou lá três meses, mas, visto que os judeus fizeram uma conspiração contra ele+ quando estava prestes a navegar para a Síria, resolveu voltar pela Macedónia.  Estava acompanhado de Sópater, filho de Pirro, de Bereia; Aristarco+ e Segundo, dos tessalonicenses; Gaio, de Derbe; Timóteo+ e, da província da Ásia, Tíquico+ e Trófimo.+  Estes homens seguiram viagem e esperaram por nós em Tróade.  Nós embarcámos em Filipos, depois dos dias dos Pães sem Fermento,+ e, cinco dias depois, encontrámo-los em Tróade, onde passámos sete dias.  No primeiro dia da semana, quando estávamos reunidos para uma refeição, Paulo começou a falar aos presentes, visto que ia partir no dia seguinte. Ele prolongou o discurso até à meia-noite,  de modo que havia várias lâmpadas na sala do andar de cima, onde estávamos reunidos.  Um jovem chamado Êutico, que estava sentado à janela, caiu num sono profundo enquanto Paulo falava e, vencido pelo sono, caiu do terceiro andar.* Quando o levantaram, estava morto. 10  Contudo, Paulo desceu, deitou-se sobre ele, abraçou-o+ e disse: “Parem com o tumulto, pois ele está vivo.”*+ 11  Então, Paulo subiu, partiu o pão e comeu. Continuou a conversar por bastante tempo, até ao amanhecer, e depois foi-se embora. 12  De seguida, levaram o rapaz vivo, muito consolados. 13  Nós fomos à frente, até ao navio, e navegámos para Assos, onde iríamos receber Paulo a bordo. Ele tinha-nos instruído a fazer isso, pois pretendia ir para lá a pé. 14  Assim, quando nos alcançou em Assos, recebemo-lo a bordo e fomos a Mitilene. 15  No dia seguinte, navegámos a partir de lá e chegámos perto de Quios. No outro dia, aportámos brevemente em Samos e, no dia seguinte, chegámos a Mileto. 16  Paulo tinha decidido não parar em Éfeso,+ para não perder tempo na província da Ásia, pois ele tinha pressa de chegar a Jerusalém,+ se possível, no dia da Festividade de Pentecostes. 17  No entanto, a partir de Mileto, ele mandou chamar os anciãos da congregação de Éfeso. 18  Quando chegaram, ele disse-lhes: “Bem sabem como me comportei entre vocês desde o primeiro dia em que pisei a província da Ásia:+ 19  trabalhei como escravo para o Senhor, com toda a humildade*+ e com lágrimas, sofrendo provações por causa das conspirações dos judeus. 20  Ao mesmo tempo, não deixei de vos dizer coisa alguma que fosse proveitosa,* nem de vos ensinar publicamente+ e de casa em casa.+ 21  Porém, dei testemunho de forma cabal, tanto a judeus como a gregos, de que deviam arrepender-se+ e voltar-se para Deus, e ter fé no nosso Senhor Jesus.+ 22  E agora, compelido* pelo espírito, viajo para Jerusalém, embora não saiba o que me acontecerá lá. 23  Só sei que, de cidade em cidade, o espírito santo avisa-me repetidamente de que me aguardam prisões e tribulações.+ 24  Contudo, não considero que a minha vida* seja preciosa* para mim; o importante é que eu possa terminar a minha corrida+ e o ministério que recebi do Senhor Jesus: dar um testemunho cabal das boas novas a respeito da bondade imerecida de Deus. 25  “Agora, sei que nenhum de vocês, entre os quais preguei o Reino, verá novamente o meu rosto. 26  Portanto, vocês são testemunhas, no dia de hoje, de que estou limpo do sangue de todos os homens,+ 27  pois não deixei de vos declarar toda a vontade* de Deus.+ 28  Prestem atenção a vocês mesmos+ e a todo o rebanho, sobre o qual o espírito santo vos designou como superintendentes,+ para pastorearem a congregação de Deus,+ que ele comprou com o sangue do seu próprio Filho.+ 29  Sei que, depois de eu me ir embora, entrarão no vosso meio lobos ferozes,*+ que não tratarão o rebanho com ternura, 30  e mesmo dentre vocês surgirão homens que dirão coisas deturpadas para arrastar os discípulos atrás de si.+ 31  “Portanto, mantenham-se despertos e lembrem-se de que durante três anos,+ noite e dia, não parei de vos exortar, a cada um de vocês, com lágrimas. 32  E agora, entrego-vos aos cuidados de Deus e da palavra a respeito da Sua bondade imerecida, palavra que vos pode edificar e dar a herança entre todos os santificados.+ 33  Não cobicei a prata, nem o ouro, nem a roupa de ninguém.+ 34  Vocês mesmos sabem que estas minhas mãos supriram as minhas necessidades+ e as dos meus companheiros. 35  Em tudo, mostrei-vos que, trabalhando assim, arduamente,+ devem ajudar os fracos e ter em mente as palavras do Senhor Jesus, que disse: ‘Há mais felicidade em dar+ do que em receber.’” 36  Depois de dizer estas coisas, ajoelhou-se com todos eles e orou. 37  Todos começaram a chorar muito; então, abraçaram Paulo* e beijaram-no ternamente, 38  pois estavam tristes especialmente pelo que ele tinha dito, que eles não voltariam a ver o seu rosto.+ Depois, acompanharam-no até ao navio.

Notas de rodapé

Considerando-se o rés-do-chão como o primeiro andar.
Ou: “pois a sua alma está nele”.
Ou: “humildade mental”.
Ou: “para o vosso bem”.
Lit.: “amarrado”.
Ou: “alma”.
Ou: “de valor algum”.
Ou: “todo o propósito; todo o conselho”.
Ou: “opressivos”.
Lit.: “lançaram-se sobre o pescoço de Paulo”.

Notas de estudo

Multimédia

Lobo
Lobo

O lobo (Canis lupus) é um animal feroz, valente e insaciável. É comum os lobos matarem mais ovelhas do que conseguem comer ou arrastar. Os lobos de Israel saem para caçar principalmente à noite. (Hab 1:8) Na Bíblia, os animais, as suas características e os seus hábitos, muitas vezes, são usados para representar características humanas, tanto positivas como negativas. Por exemplo, numa profecia no seu leito de morte, Jacó comparou a tribo de Benjamim a um lobo, indicando que seriam guerreiros valentes. (Gén 49:27) Mas, na maioria das vezes, o lobo é usado em comparações por causa das suas características negativas, por ser feroz, insaciável e traiçoeiro. Alguns exemplos de pessoas que a Bíblia compara com lobos são: os falsos profetas (Mt 7:15), os ferozes opositores da obra de pregação (Mt 10:16; Lu 10:3) e os falsos instrutores, que seriam um perigo para a congregação cristã (At 20:29, 30). Os pastores sabiam muito bem que os lobos eram animais perigosos. Jesus falou de um “empregado” contratado para cuidar de um rebanho de ovelhas. Quando esse empregado “vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e foge”. Mas Jesus é diferente desse empregado que “não se importa com as ovelhas”. Ele é o “bom pastor”, que deu “a sua vida pelas ovelhas”. — Jo 10:11-13.