As Boas Novas Segundo João 8:12-59

8  12  Então, Jesus dirigiu-se novamente a eles e disse: “Eu sou a luz do mundo.+ Quem me segue de modo algum andará na escuridão, mas terá a luz+ da vida.” 13  Os fariseus disseram-lhe então: “Tu dás testemunho de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro.” 14  Jesus respondeu-lhes: “Mesmo que eu dê testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque eu sei de onde vim e para onde vou.+ Mas vocês não sabem de onde eu vim nem para onde vou. 15  Vocês julgam segundo a carne;*+ eu não julgo ninguém. 16  Contudo, mesmo que eu julgue, o meu julgamento é verdadeiro, porque não estou sozinho, mas o Pai, que me enviou, está comigo.+ 17  Também, na vossa própria Lei está escrito: ‘O testemunho de dois homens é verdadeiro.’+ 18  Eu sou um que dá testemunho de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, dá testemunho de mim.”+ 19  Então, eles perguntaram-lhe: “Onde é que está o teu Pai?” Jesus respondeu: “Vocês não me conhecem, nem a mim nem ao meu Pai.+ Se me conhecessem, conheceriam também o meu Pai.”+ 20  Ele disse estas palavras no local onde ficavam os cofres do tesouro,+ enquanto ensinava no templo. Mas ninguém o prendeu, pois a sua hora ainda não tinha chegado.+ 21  Novamente, ele disse-lhes: “Eu vou-me embora, e vocês irão procurar-me, contudo morrerão nos vossos pecados.+ Para onde eu vou, vocês não podem ir.”+ 22  Então, os judeus começaram a dizer: “Será que ele se vai matar? Porque diz: ‘Para onde eu vou, vocês não podem ir.’” 23  E ele acrescentou: “Vocês são dos domínios de baixo; eu sou dos domínios de cima.+ Vocês são deste mundo; eu não sou deste mundo. 24  É por isso que eu vos disse: Vocês morrerão nos vossos pecados. Pois, se não acreditarem em quem eu sou, morrerão nos vossos pecados.” 25  Perguntaram-lhe então: “Quem és tu?” Jesus disse-lhes em resposta: “Porque é que eu ainda estou a falar convosco? 26  Tenho muitas coisas para dizer a vosso respeito e para julgar. De facto, Aquele que me enviou é verdadeiro, e aquilo que ouvi dele eu digo ao mundo.”+ 27  Eles não compreenderam que lhes falava do Pai. 28  Então, Jesus disse-lhes: “Depois de terem erguido o Filho do Homem,+ então saberão que eu sou ele+ e que não faço nada da minha própria iniciativa,+ mas digo aquilo que o Pai me ensinou. 29  E Aquele que me enviou está comigo; ele não me deixou só, porque faço sempre o que lhe agrada.”+ 30  Quando ele disse estas coisas, muitos depositaram fé nele. 31  Então, Jesus disse aos judeus que acreditaram nele: “Se permanecerem nas minhas palavras, são realmente meus discípulos, 32  e conhecerão a verdade,+ e a verdade irá libertar-vos.”+ 33  Responderam-lhe: “Somos descendentes* de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como é que dizes: ‘Vocês ficarão livres’?” 34  Jesus respondeu-lhes: “Digo-vos com toda a certeza: Todo aquele que pratica o pecado é escravo do pecado.+ 35  Além disso, o escravo não permanece na casa para sempre; o filho permanece para sempre. 36  Portanto, se o Filho vos libertar, serão realmente livres. 37  Sei que são descendentes de Abraão. Mas procuram matar-me, porque não aceitam as minhas palavras.* 38  Eu falo do que vi enquanto estava com o meu Pai,+ mas vocês fazem o que ouviram do vosso pai.” 39  Em resposta, eles disseram-lhe: “O nosso pai é Abraão.” Jesus disse-lhes: “Se fossem filhos de Abraão,+ fariam as obras de Abraão. 40  Mas o facto é que procuram matar-me, a mim, um homem que vos disse a verdade que ouviu de Deus.+ Abraão não agiu assim. 41  Vocês fazem as obras do vosso pai.” Eles disseram-lhe: “Não nascemos de imoralidade. Temos um só Pai, Deus.” 42  Jesus disse-lhes: “Se Deus fosse o vosso Pai, iriam amar-me,+ pois vim de Deus e estou aqui. Eu não vim da minha própria iniciativa, mas foi ele que me enviou.+ 43  Porque é que não entendem o que estou a dizer? Porque são incapazes de ouvir* as minhas palavras. 44  Vocês são filhos do vosso pai, o Diabo, e querem satisfazer os desejos do vosso pai.+ Ele foi um assassino quando começou,+ e não permaneceu na verdade, porque não há nele verdade. Quando ele mente, faz o que lhe é próprio, porque é um mentiroso e o pai da mentira.+ 45  Por outro lado, visto que eu vos digo a verdade, não acreditam em mim. 46  Quem de vocês me declara culpado de pecado?+ Se eu digo a verdade, porque é que não acreditam em mim? 47  Quem é de Deus escuta as declarações de Deus.+ É por isso que vocês não escutam, porque não são de Deus.”+ 48  Em resposta, os judeus disseram-lhe: “Não temos nós razão em dizer que tu és samaritano+ e tens um demónio?”+ 49  Jesus respondeu: “Eu não tenho nenhum demónio, mas honro o meu Pai, e vocês desonram-me. 50  Mas não procuro glória para mim mesmo;+ há Alguém que a procura, e ele julga. 51  Digo-vos com toda a certeza: Se alguém obedecer às minhas palavras, nunca jamais verá a morte.”+ 52  Os judeus disseram-lhe: “Agora sabemos que tens um demónio. Abraão morreu, os profetas também, mas tu dizes: ‘Se alguém obedecer às minhas palavras, nunca jamais provará a morte.’ 53  Será que tu és maior do que o nosso pai Abraão, que morreu? Os profetas também morreram. Quem é que tu pensas que és?” 54  Jesus respondeu: “Se eu me glorificar a mim mesmo, a minha glória não é nada. É o meu Pai quem me glorifica,+ aquele que vocês dizem ser o vosso Deus. 55  No entanto, vocês não o conhecem, mas eu conheço-o.+ E, se eu dissesse que não o conheço, seria um mentiroso, como vocês. Mas eu conheço-o e obedeço à sua palavra. 56  Abraão, o vosso pai, alegrou-se muito com a perspetiva de ver o meu dia, e ele viu-o e alegrou-se.”+ 57  Então, os judeus disseram-lhe: “Tu ainda nem tens 50 anos, e ainda assim viste Abraão?” 58  Jesus disse-lhes: “Digo-vos com toda a certeza: Antes de Abraão vir à existência, eu já existia.”+ 59  Assim, apanharam pedras para lhe atirarem, mas Jesus escondeu-se e saiu do templo.

Notas de rodapé

Ou: “segundo padrões humanos; pelas aparências”.
Lit.: “semente”.
Ou: “porque a minha palavra não progride entre vocês”.
Ou: “de aceitar”.

Notas de estudo

a luz do mundo: A metáfora que Jesus usou, comparando-se a si mesmo com uma luz, talvez tenha lembrado os seus ouvintes dos quatro enormes candelabros do Pátio das Mulheres, que eram acesos durante a Festividade das Tendas, ou Barracas. (Jo 7:2; veja o Apêndice B11.) A luz desses candelabros chegava longe, iluminando áreas muito distantes. Essa metáfora faz lembrar passagens do livro de Isaías que prediziam que “uma grande luz” seria vista pelos que “moravam na terra de profunda escuridão”, e que aquele a quem Isaías chamou “servo” de Jeová seria uma “luz para as nações”. (Is 9:1, 2; 42:1, 6; 49:6) No Sermão do Monte, Jesus usou essa mesma metáfora quando disse aos seus seguidores: “Vocês são a luz do mundo.” (Mt 5:14) A expressão “luz do mundo” (a palavra grega para “mundo”, kósmos, refere-se aqui à humanidade como um todo) está de acordo com as palavras de Is 49:6, que diziam que o Messias seria uma “luz para as nações”, não apenas para Israel. Em At 13:46, 47, Paulo e Barnabé mostraram que essas palavras proféticas de Isaías eram também uma ordem para todos os seguidores de Cristo continuarem a servir como luz para as nações. Tanto o ministério de Jesus como o dos seus seguidores levariam luz espiritual às pessoas e iriam libertá-las da escravidão a ensinos falsos.

o Pai: Alguns manuscritos dizem “aquele”, mas a opção usada aqui aparece em vários dos manuscritos mais antigos.

cofres do tesouro: Antigas fontes judaicas dizem que o formato desses cofres lembrava uma trombeta, ou uma buzina de chifre, e, evidentemente, tinham uma pequena abertura no topo. As pessoas depositavam nesses cofres contribuições para diversos objetivos. A palavra grega usada aqui também pode ser traduzida como “local onde ficavam os cofres do tesouro”, como ocorre em Jo 8:20. Parece que esse local ficava na área do templo chamada Pátio das Mulheres. (Veja a nota de estudo em Mt 27:6 e o Apêndice B11.) De acordo com escritos rabínicos, havia 13 cofres do tesouro ao longo dos muros do Pátio das Mulheres. Acredita-se que o templo também tinha uma grande sala do tesouro, onde se guardava o dinheiro trazido dos cofres.

no local onde ficavam os cofres do tesouro: Ou: “na tesouraria”. A palavra grega traduzida como “local onde ficavam os cofres do tesouro” é a mesma que aparece em Mr 12:41, 43 e Lu 21:1, onde foi traduzida como “cofres do tesouro”. Parece que aqui a palavra se refere à área do Pátio das Mulheres onde havia 13 cofres do tesouro. (Veja o Apêndice B11.) Acredita-se que o templo também tinha uma sala do tesouro, ou tesouraria, onde o dinheiro trazido dos cofres era guardado. Mas é improvável que este versículo se refira a essa sala. — Veja a nota de estudo em Mr 12:41.

imoralidade sexual: Tradução do grego porneía, um termo genérico para descrever todas as formas de relações sexuais que Deus proíbe. Inclui adultério, prostituição, sexo entre pessoas não casadas, entre pessoas do mesmo sexo e entre humanos e animais. — Veja o Glossário.

imoralidade: Ou: “imoralidade sexual”. Em grego, porneía. — Veja a nota de estudo em Mt 5:32 e o Glossário, “Imoralidade sexual”.

Não nascemos de imoralidade: Ou: “Não somos filhos ilegítimos”. Os judeus estavam a afirmar que eram filhos legítimos de Deus e de Abraão e que, por isso, eram herdeiros das promessas feitas a Abraão.

quando começou: Ou: “desde o princípio”. Aqui, esta expressão refere-se a quando o Diabo começou a agir como um assassino, um mentiroso e um caluniador de Deus. — 1Jo 3:8, nota de rodapé.

certo samaritano: Normalmente, os judeus desprezavam os samaritanos e recusavam-se a ter qualquer contacto com eles. (Jo 4:9) Alguns judeus até usavam a palavra “samaritano” para humilhar e ofender outros. (Jo 8:48) A Mishná relata que certo rabino disse: “Aquele que come o pão de um samaritano é como aquele que come carne de porco.” (Sheviit 8:10) Muitos judeus não acreditavam no testemunho de samaritanos nem aceitavam serviços prestados por eles. Jesus sabia que os judeus geralmente desprezavam os samaritanos e ensinou uma lição importante com essa ilustração, que é conhecida por muitos como a parábola do bom samaritano.

samaritano: Aqui, os judeus usaram a palavra “samaritano” como sinal de reprovação e desprezo. — Veja a nota de estudo em Lu 10:33 e o Glossário, “Samaritanos”.

ele viu-o: Ou seja, com os olhos da fé. — He 11:13; 1Pe 1:11.

viste Abraão?: Alguns manuscritos dizem “Abraão viu-te?”, mas a opção usada aqui aparece na maioria dos manuscritos mais antigos e mais confiáveis.

Eu [...] sou ele: Lit.: “Eu sou”. Em grego, egó eimi. Alguns dos que acreditam que Jesus e Deus são a mesma pessoa afirmam que estas palavras de Jesus são uma referência ao que Deus disse sobre si mesmo em Êx 3:14 (segundo a tradução da Septuaginta). No entanto, a expressão em Êx 3:14 (egó eimi ho on, “Eu sou O Ser; Eu sou O Existente”) é diferente da que foi usada aqui. Além disso, egó eimi também aparece na Septuaginta em textos que registam as palavras de humanos como Abraão, Eliézer, Jacó, David, entre outros. (Gén 15:2; 23:4; 24:34; 30:2; 1Cr 21:17) Outro fator a levar em conta é que, nas Escrituras Gregas Cristãs, egó eimi não é usada apenas quando Jesus está a falar. Por exemplo, essa expressão também aparece em Jo 9:9, que regista as palavras de um homem que tinha sido curado por Jesus. A expressão significa simplesmente: “Sou eu.” Essas mesmas palavras também foram usadas pelo anjo Gabriel, e por Pedro, Paulo e outros. (Lu 1:19; At 10:21; 22:3) É óbvio que eles não estavam a fazer referência a Êx 3:14. Além disso, um relato que aparece nos três Evangelhos sinópticos (Mateus, Marcos e Lucas) deixa claro que a expressão egó eimi não tem um significado especial. Ao comparar Mr 13:6 e Lu 21:8 com Mt 24:5, fica evidente que a expressão “sou eu” (usada em Marcos e Lucas) é simplesmente uma forma resumida da expressão completa “eu sou o Cristo” (usada em Mateus).

eu já existia: Os judeus que estavam a discutir com Jesus quiseram apedrejá-lo porque ele disse que tinha ‘visto Abraão’ apesar de nem sequer ter “50 anos”. (Jo 8:57) Na sua resposta, Jesus falou sobre a sua existência no céu como uma poderosa criatura espiritual antes de Abraão nascer. Alguns traduzem as palavras de Jesus “eu já existia” (em grego, egó eimí) como “eu sou”, e afirmam que Jesus estava a dar a entender que era Deus. Eles argumentam que a expressão grega usada aqui é uma referência ao texto de Êx 3:14 (conforme aparece na Septuaginta) e que esses dois versículos devem ser traduzidos da mesma forma. (Veja a nota de estudo em Jo 4:26.) No entanto, o próprio contexto em Jo 8:54, 55 mostra que Jesus não estava a querer dizer que ele e o Pai eram a mesma pessoa.

apanharam pedras para lhe atirarem: Cerca de dois meses depois da ocasião descrita aqui, os judeus tentaram novamente matar Jesus no templo. (Jo 10:31) O templo ainda estava a ser renovado. Alguns acreditam que os judeus apanharam essas pedras numa parte do templo que estava em obras.

Multimédia