As Boas Novas Segundo João 16:1-33

16  “Disse-vos estas coisas para que não tropecem.  Os homens irão expulsar-vos da sinagoga.+ De facto, vem a hora em que quem vos matar+ pensará que está a prestar um serviço sagrado a Deus.  Mas farão estas coisas porque não conhecem nem o Pai nem a mim.+  Contudo, disse-vos estas coisas para que, quando chegar a hora de acontecerem, se lembrem de que vos falei delas.+ “Não vos disse estas coisas no princípio porque estava convosco.  Mas agora vou para Aquele que me enviou;+ mesmo assim, nenhum de vocês me pergunta: ‘Para onde vais?’  Pelo contrário, o vosso coração está cheio de tristeza porque eu vos disse estas coisas.+  Contudo, digo-vos a verdade: É em vosso benefício que me vou embora. Pois, se eu não me for embora, o ajudador+ não virá ter convosco; mas, se eu for, eu vo-lo enviarei.  E, quando ele vier, dará ao mundo provas convincentes do pecado, da justiça e do julgamento:  primeiro, do pecado,+ porque eles não exercem fé em mim;+ 10  depois, da justiça, porque vou para o Pai e vocês não me verão mais; 11  então, do julgamento, porque o governante deste mundo foi julgado.+ 12  “Ainda tenho muitas coisas para vos dizer, mas agora não são capazes de as suportar.+ 13  No entanto, quando ele vier, o espírito da verdade,+ ele irá guiar-vos a toda a verdade, pois não falará da sua própria iniciativa, mas falará o que ouvir e irá declarar-vos as coisas que virão.+ 14  Ele irá glorificar-me,+ porque receberá do que é meu e vo-lo declarará.+ 15  Tudo o que o Pai tem é meu.+ É por isso que eu disse que ele receberá do que é meu e vo-lo declarará. 16  Em breve deixarão de me ver;+ e também em breve me verão.” 17  Em vista disso, alguns dos seus discípulos disseram uns aos outros: “O que é que ele quer dizer com: ‘Em breve deixarão de me ver; e também em breve me verão’ e ‘porque vou para o Pai’?” 18  Eles diziam: “O que é que ele quer dizer com: ‘Em breve’? Não sabemos do que é que ele está a falar.” 19  Jesus sabia que eles lhe queriam fazer perguntas, de modo que lhes disse: “Estão a perguntar isso uns aos outros porque vos disse: ‘Em breve deixarão de me ver; e também em breve me verão’? 20  Digo-vos com toda a certeza: Vocês irão chorar e lamentar-se,+ mas o mundo irá alegrar-se; vocês irão ficar tristes, mas a vossa tristeza irá transformar-se em alegria.+ 21  Quando uma mulher está a dar à luz, ela sofre porque chegou a sua hora; mas, quando o bebé nasce, ela já não se lembra da aflição, por causa da alegria de um ser humano ter vindo ao mundo. 22  Da mesma maneira, agora vocês estão tristes; mas eu voltarei a ver-vos, e o vosso coração irá alegrar-se,+ e ninguém vos tirará a vossa alegria. 23  Nesse dia, vocês não me farão absolutamente nenhuma pergunta. Digo-vos com toda a certeza: Se pedirem ao Pai qualquer coisa+ em meu nome, ele vo-la dará.+ 24  Até agora vocês não pediram nem uma única coisa em meu nome. Peçam e receberão, para que a vossa alegria seja completa. 25  “Disse-vos estas coisas usando comparações. Vem a hora em que já não vos falarei por meio de comparações, mas irei falar-vos claramente a respeito do Pai. 26  Nesse dia pedirão ao Pai em meu nome. Não quero dizer com isto que pedirei por vocês. 27  Pois o próprio Pai ama-vos, porque vocês me amam+ e acreditam que eu vim como representante de Deus.+ 28  Vim como representante do Pai e entrei no mundo. Agora, deixo o mundo e vou para o Pai.”+ 29  Os seus discípulos disseram: “Agora, sim, estás a falar claramente e não por meio de comparações. 30  Agora sabemos que sabes todas as coisas e não precisas de que te façam perguntas. Por isso acreditamos que vieste de Deus.” 31  Jesus respondeu-lhes: “Agora acreditam? 32  Escutem: Vem a hora — realmente já veio — em que vocês serão espalhados, cada um para a sua própria casa, e irão deixar-me sozinho.+ Mas eu não estou sozinho, porque o Pai está comigo.+ 33  Disse-vos estas coisas para que, por meio de mim, tenham paz.+ No mundo terão tribulação,+ mas coragem! Eu venci o mundo.”+

Notas de rodapé

Notas de estudo

tribunais locais: Na língua original, este versículo usa o plural da palavra synédrion. Nas Escrituras Gregas Cristãs, essa palavra, geralmente, refere-se ao Sinédrio, o supremo tribunal judaico em Jerusalém. (Veja o Glossário, “Sinédrio”, e as notas de estudo em Mt 5:22; 26:59.) No entanto, synédrion também era uma palavra genérica para uma assembleia ou reunião. Aqui, refere-se aos tribunais locais que funcionavam nas sinagogas. Esses tribunais tinham a autoridade de aplicar punições como açoitamento e excomunhão (expulsar da comunidade religiosa). — Mt 23:34; Mr 13:9; Lu 21:12; Jo 9:22; 12:42; 16:2.

lhe prestar [...] serviço sagrado: Ou: “adorá-lo”. A palavra grega usada aqui, latreúo, tem o sentido básico de “servir”. Na Bíblia, essa palavra refere-se a prestar serviço a Deus, a trabalhar em coisas relacionadas com a adoração dele (Mt 4:10; Lu 2:37; 4:8; At 7:7; Ro 1:9; Fil 3:3; 2Ti 1:3; He 9:14; 12:28; Ap 7:15; 22:3), ou a realizar serviços no santuário ou no templo (He 8:5; 9:9; 10:2; 13:10). Por isso, em certos contextos, esta expressão pode ser traduzida como “adorar”. Em poucos casos, esta palavra é usada em relação à adoração falsa, ou seja, a servir ou adorar coisas criadas. — At 7:42; Ro 1:25.

expulsar-vos da sinagoga: Ou: “excomungar-vos; banir-vos da sinagoga”. A palavra grega aposynágogos (lit.: “fora da sinagoga”) aparece apenas três vezes nas Escrituras: em Jo 9:22, em Jo 12:42 e aqui neste versículo. Uma pessoa que fosse expulsa da sinagoga seria desprezada e excluída do convívio social com outros judeus, e isso também poderia trazer graves problemas financeiros à família. O principal objetivo das sinagogas era instruir. Mas, pelos vistos, também serviam como tribunais locais que tinham a autoridade de aplicar punições, como açoitamento e excomunhão (expulsar alguém de uma comunidade religiosa). (Veja a nota de estudo em Mt 10:17.) As palavras de Jesus neste versículo eram um alerta sobre o que poderia acontecer a quem decidisse segui-lo. Jesus já tinha dito que o mundo odiaria os seus seguidores, mas esta foi a primeira vez em que ele disse que alguns deles chegariam a ser mortos.

um serviço sagrado: O substantivo grego usado aqui, latreía, refere-se a um ato de adoração. Nas Escrituras Gregas Cristãs, esse substantivo é sempre usado com referência a serviço prestado a Deus. — Ro 9:4; 12:1; He 9:1, 6; para uma explicação sobre o verbo grego relacionado, latreúo, veja a nota de estudo em Lu 1:74.

ajudador: Ou: “consolador; encorajador; advogado”. A palavra grega traduzida aqui como “ajudador” (parákletos) é usada na Bíblia para se referir tanto ao espírito santo (Jo 14:16, 26; 15:26; 16:7) como a Jesus (1Jo 2:1). A palavra poderia ser traduzida literalmente como “pessoa chamada para o lado de alguém” para prestar ajuda. Apesar de o espírito santo ser uma força, e não uma pessoa, Jesus chamou-lhe “ajudador” e disse que esse ajudador iria ‘ensinar’, ‘dar testemunho’, ‘dar provas’, ‘guiar’, ‘falar’, ‘ouvir’ e ‘receber’. (Jo 14:26; 15:26; 16:7-15) Ao falar do espírito santo dessa forma, Jesus estava a usar uma figura de estilo chamada personificação, que envolve falar de algo sem vida ou de um objeto como se fossem uma pessoa. Essa mesma figura de estilo é usada nas Escrituras para falar sobre muitas outras coisas, como a sabedoria, a morte, o pecado e a bondade imerecida. (Mt 11:19; Lu 7:35; Ro 5:14, 17, 21; 6:12; 7:8-11) É óbvio que nenhuma dessas coisas é realmente uma pessoa. Além disso, o espírito de Deus é muitas vezes mencionado juntamente com outras coisas sem vida, o que também mostra que não é uma pessoa. (Mt 3:11; At 6:3, 5; 13:52; 2Co 6:4-8; Ef 5:18) Alguns argumentam que o facto de o texto grego usar pronomes masculinos para se referir a esse “ajudador” prova que o espírito santo é uma pessoa. (Jo 14:26) No entanto, de acordo com a gramática grega, como a palavra parákletos é masculina, os pronomes também precisam de ser masculinos. (Jo 16:7, 8, 13, 14) Por outro lado, quando a palavra usada para se referir ao espírito santo é pneúma, que é do género neutro, os pronomes usados também são neutros. — Veja as notas de estudo em Jo 14:17.

ajudador: Veja a nota de estudo em Jo 14:16.

ele: Nos versículos 13 e 14, a palavra “ele” refere-se ao “ajudador” mencionado em Jo 16:7. Jesus usou a expressão “o ajudador” para se referir ao “espírito santo”, que é uma força, não uma pessoa. Em grego, a palavra para “ajudador” é do género masculino, mas a palavra para “espírito santo” é do género neutro. — Veja a nota de estudo em Jo 14:16.

ele: Aqui, a palavra “ele” refere-se ao “ajudador”, mencionado no versículo anterior. (Veja a nota de estudo em Jo 16:13.) Ao chamar “ajudador” ao espírito santo, Jesus usou uma figura de estilo chamada personificação, que envolve falar de algo sem vida ou de um objeto como se fossem uma pessoa. Apesar de o espírito santo ser uma força, e não uma pessoa, Jesus disse que o ajudador iria ‘ensinar’, ‘dar testemunho’, ‘dar provas’, ‘guiar’, ‘falar’, ‘ouvir’ e ‘receber’. (Jo 14:26; 15:26; 16:7-15) O espírito daria ao mundo provas convincentes do pecado porque tornaria evidente que o mundo não tinha fé no Filho de Deus. O espírito também daria provas convincentes da justiça porque o facto de Jesus ir para o céu provaria que ele era visto por Deus como justo. Além disso, o espírito mostraria porque é que o julgamento recebido por Satanás, “o governante deste mundo”, é merecido. (Jo 16:9-11) A palavra grega traduzida aqui como “dará [...] provas convincentes” é elégkho, que também é traduzida como “repreender”. — 1Ti 5:20; Tit 1:9.

ajudador: Ou: “consolador; encorajador; advogado”. A palavra grega traduzida aqui como “ajudador” (parákletos) é usada na Bíblia para se referir tanto ao espírito santo (Jo 14:16, 26; 15:26; 16:7) como a Jesus (1Jo 2:1). A palavra poderia ser traduzida literalmente como “pessoa chamada para o lado de alguém” para prestar ajuda. Apesar de o espírito santo ser uma força, e não uma pessoa, Jesus chamou-lhe “ajudador” e disse que esse ajudador iria ‘ensinar’, ‘dar testemunho’, ‘dar provas’, ‘guiar’, ‘falar’, ‘ouvir’ e ‘receber’. (Jo 14:26; 15:26; 16:7-15) Ao falar do espírito santo dessa forma, Jesus estava a usar uma figura de estilo chamada personificação, que envolve falar de algo sem vida ou de um objeto como se fossem uma pessoa. Essa mesma figura de estilo é usada nas Escrituras para falar sobre muitas outras coisas, como a sabedoria, a morte, o pecado e a bondade imerecida. (Mt 11:19; Lu 7:35; Ro 5:14, 17, 21; 6:12; 7:8-11) É óbvio que nenhuma dessas coisas é realmente uma pessoa. Além disso, o espírito de Deus é muitas vezes mencionado juntamente com outras coisas sem vida, o que também mostra que não é uma pessoa. (Mt 3:11; At 6:3, 5; 13:52; 2Co 6:4-8; Ef 5:18) Alguns argumentam que o facto de o texto grego usar pronomes masculinos para se referir a esse “ajudador” prova que o espírito santo é uma pessoa. (Jo 14:26) No entanto, de acordo com a gramática grega, como a palavra parákletos é masculina, os pronomes também precisam de ser masculinos. (Jo 16:7, 8, 13, 14) Por outro lado, quando a palavra usada para se referir ao espírito santo é pneúma, que é do género neutro, os pronomes usados também são neutros. — Veja as notas de estudo em Jo 14:17.

ele: Nos versículos 13 e 14, a palavra “ele” refere-se ao “ajudador” mencionado em Jo 16:7. Jesus usou a expressão “o ajudador” para se referir ao “espírito santo”, que é uma força, não uma pessoa. Em grego, a palavra para “ajudador” é do género masculino, mas a palavra para “espírito santo” é do género neutro. — Veja a nota de estudo em Jo 14:16.

mundo: A palavra grega usada aqui é kósmos. Neste contexto, refere-se à sociedade humana injusta afastada de Deus, ou seja, a todas as pessoas que não servem a Deus. João é o único escritor dos Evangelhos que regista que Jesus falou sobre os seus seguidores não fazerem parte do mundo ou não pertencerem ao mundo. Na última oração de Jesus com os seus apóstolos fiéis, Jesus disse isso mais duas vezes. — Jo 17:14, 16.

o mundo: A palavra grega usada aqui é kósmos. Neste contexto, refere-se à sociedade humana injusta afastada de Deus, ou seja, a todas as pessoas que não servem a Deus. — Compare com a nota de estudo em Jo 15:19.

o mundo inteiro: O sentido básico da palavra grega kósmos, que na maioria das vezes é traduzida como “mundo”, é “ordem” ou “estrutura”. A palavra às vezes aparece na literatura grega transmitindo a ideia de “sociedade humana”, e é usada muitas vezes nas Escrituras Gregas Cristãs com esse mesmo sentido. (Veja as notas de estudo em Jo 1:9, 10; 3:16.) No entanto, kósmos não é simplesmente um sinónimo de “humanidade”. Na Bíblia, a palavra mantém o seu sentido básico de “ordem” ou “estrutura”, já que a sociedade humana está, de certa forma, organizada em diversas culturas, tribos, nações e sistemas económicos. É esse o sentido que a palavra “mundo” tem aqui e em alguns outros contextos. Essa “estrutura” em que a humanidade está organizada torna-se cada vez mais complexa à medida que o tempo passa e a população aumenta. — Veja a nota de estudo em Jo 16:21.

vindo ao mundo: Jesus usou o nascimento de um bebé para ilustrar como lágrimas e sofrimento poderiam ser ‘transformados em alegria’. (Jo 16:20) Ao dar à luz, a mulher passa por muitas dores. Mas, quando o filho nasce, a alegria que ela sente é tão grande que a faz esquecer a dor que sentiu. Neste contexto, a palavra “mundo” (em grego, kósmos) refere-se à sociedade humana organizada, onde o bebé passa a viver. Na Bíblia, a palavra “mundo” às vezes tem esse sentido. — 1Co 14:10; 1Ti 6:7; veja a nota de estudo em Lu 9:25.

qualquer coisa: Além dos assuntos que Jesus mencionou na oração-modelo (Mt 6:9-13), as Escrituras falam sobre muitas outras coisas que afetam a vida dos servos de Deus e que podem ser incluídas nas suas orações. Isso mostra que as orações pessoais podem incluir praticamente qualquer assunto. — Fil 4:6; 1Pe 5:7; 1Jo 5:14.

comparação: João é o único escritor dos Evangelhos que usa a palavra grega paroimía. (Jo 10:6; 16:25, 29) O significado dessa palavra é semelhante ao da palavra grega parabolé (“parábola” ou “ilustração”), que é muito usada nos outros Evangelhos, mas não aparece nenhuma vez no Evangelho de João. (Veja a nota de estudo em Mt 13:3.) A palavra paroimía também pode transmitir a ideia de uma comparação ou analogia. Pedro usou essa mesma palavra para se referir ao “provérbio” sobre o cão que volta ao próprio vómito e a porca que volta a revolver-se na lama. (2Pe 2:22) Na Septuaginta, paroimía é usada como título do livro de Provérbios.

comparações: Ou: “figuras de estilo; linguagem figurada”. — Veja a nota de estudo em Jo 10:6.

ama-vos: Ou: “tem afeição por vocês”. O verbo grego filéo pode ser traduzido como “ter afeição”, “amar”, “gostar” e “beijar”. (Jo 12:25; Mt 23:6; Mr 14:44) Esse verbo muitas vezes descreve um forte apego, do tipo que verdadeiros amigos têm uns pelos outros. Quando Jesus estava a caminho do túmulo de Lázaro e “começou a chorar”, as pessoas disseram: “Vejam como ele o amava [uma forma do verbo filéo]!” (Jo 11:35, 36) Esse verbo também é usado para descrever o relacionamento achegado que costuma existir entre pais e filhos. (Mt 10:37) Além disso, como mostra este versículo, filéo é usado para falar do forte apego que Jeová tem por cada um dos seguidores do seu Filho e também para falar dos sentimentos que esses seguidores têm pelo Filho de Deus. Em Jo 5:20, esse mesmo verbo é usado para descrever o forte apego que o Pai tem pelo Filho.

o Pai está em união comigo e eu em união com o Pai: Lit.: “o Pai em mim e eu no Pai”. Neste contexto, a preposição grega en indica grande proximidade. Esse uso da preposição en é comum nos escritos do apóstolo João e do apóstolo Paulo. (Gál 1:22; 3:28; Ef 2:13, 15; 6:1) Em 1Jo 3:24 e 4:13, 15, essa preposição foi usada para descrever a relação que existe entre Deus e os cristãos. Outra prova de que aqui a preposição en tem o sentido de “em união com” é o modo como foi usada em Jo 17:20-23, onde aparece cinco vezes.

ele não tem nenhum poder sobre mim: Lit.: “em mim ele não tem nada”. Jesus não tinha nenhuma imperfeição ou desejo errado que Satanás pudesse usar para fazê-lo deixar de servir a Deus. Pode ser que a expressão traduzida como “não tem nenhum poder sobre mim” venha da expressão idiomática hebraica “ele não tem direito sobre mim”, que era usada em contextos jurídicos. No caso de Judas, a situação foi diferente. O Diabo conseguiu entrar em Judas e ter poder sobre ele. — Jo 13:27.

por meio de mim: Ou: “em união comigo”. A preposição grega en (traduzida aqui como “por meio de”) pode referir-se a um meio para atingir um objetivo (“por meio de”) ou a uma relação de grande proximidade e união (“em união com”). — Veja a nota de estudo em Jo 10:38.

Eu venci o mundo: Neste contexto, a palavra grega kósmos (“mundo”) refere-se à sociedade humana injusta afastada de Deus, ou seja, a todas as pessoas que não servem a Deus. Essa palavra foi usada com um sentido parecido em Jo 12:31; 15:19; 2Pe 2:5; 3:6; 1Jo 2:15-17 e 5:19. As Escrituras deixam claro qual é a vontade de Deus. Mas, em geral, as pessoas deste “mundo” pensam e agem de uma maneira que vai contra a vontade dele. (1Jo 2:16) Na sua última noite antes de morrer, Jesus pôde dizer: “Eu venci o mundo.” Ele venceu o mundo porque não se tornou como o mundo; ele não permitiu que os pensamentos e as ações das pessoas do mundo tivessem qualquer influência sobre ele. A fé, a lealdade e a integridade de Jesus provaram que “o governante do mundo”, Satanás, não tinha “nenhum poder” sobre ele. (Veja a nota de estudo em Jo 14:30.) Na oração de Jesus registada em Jo 17, ele disse que nem ele nem os seus discípulos faziam parte do mundo. (Jo 17:15, 16) E, quando estava a ser julgado pelo governante romano Pilatos, Jesus disse-lhe: “O meu Reino não faz parte deste mundo.” (Jo 18:36) Mais de 60 anos depois do julgamento de Jesus, o apóstolo João foi inspirado a escrever: “Esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé.” — 1Jo 5:4, 5.

Multimédia