2 Samuel 1:1-27

1  Depois da morte de Saul, quando David retornou após derrotar* os amalequitas, David permaneceu dois dias em Ziclague.+  No terceiro dia, veio um homem do acampamento de Saul, com as roupas rasgadas e com terra na cabeça. Quando ele se aproximou de David, prostrou-se, lançando-se por terra.  David perguntou-lhe: “De onde vens?” Ele respondeu: “Escapei do acampamento de Israel.”  David perguntou-lhe: “O que é que aconteceu? Conta-me, por favor.” Ele disse: “Os soldados fugiram* da batalha, e muitos foram feridos e morreram. Até mesmo Saul e o seu filho Jonatã morreram.”+  David perguntou ao homem que lhe trouxe a notícia: “Como é que sabes que Saul e o seu filho Jonatã morreram?”  O homem respondeu: “Eu, por acaso, estava no monte Gilboa,+ e vi Saul a apoiar-se na sua lança, e os carros de guerra e os cavaleiros estavam a aproximar-se dele.+  Quando olhou para trás, viu-me e chamou-me. Eu disse-lhe: ‘Estou aqui!’  Ele perguntou-me: ‘Quem és tu?’ Eu respondi: ‘Sou amalequita.’+  Então, ele disse: ‘Anda cá e mata-me, pois estou em grande agonia, mas ainda estou vivo.’* 10  Por isso, fui até ele e matei-o,+ porque sabia que ele não conseguiria sobreviver depois de ter sido gravemente ferido. Então, tirei-lhe a coroa* da cabeça e o bracelete do seu braço e trouxe-os até aqui, ao meu senhor.” 11  Em vista disso, David agarrou as suas roupas e rasgou-as, e todos os homens que estavam com ele fizeram o mesmo. 12  Eles lamentaram, choraram e jejuaram+ até ao anoitecer, por Saul, pelo seu filho Jonatã, pelo povo de Jeová e pela casa de Israel,+ porque tinham caído pela espada. 13  David perguntou ao homem que lhe trouxe a notícia: “De onde és?” Ele respondeu: “Sou filho de um residente estrangeiro amalequita.” 14  David disse-lhe: “Porque é que não temeste levantar a mão para matar o ungido de Jeová?”+ 15  Então, David chamou um dos seus homens e ordenou-lhe: “Vem até aqui e mata-o!” Portanto, o homem golpeou-o e ele morreu.+ 16  David disse-lhe: “Que o teu sangue recaia sobre a tua cabeça, porque foi a tua própria boca que te condenou, quando disse: ‘Eu matei o ungido de Jeová.’”+ 17  Então, David cantou um cântico fúnebre por Saul e pelo seu filho Jonatã,+ 18  e disse que se devia ensiná-lo ao povo de Judá. Esse cântico, chamado “O Arco”, está escrito no livro de Jasar+ e diz: 19  “A tua beleza, ó Israel, pereceu sobre os montes.+ Como caíram os valentes! 20  Não o relatem em Gate;+Não o anunciem nas ruas de Ascalom,Para que não se alegrem as filhas dos filisteus,Para que não exultem as filhas dos incircuncisos. 21  Ó montes de Gilboa,+Não haja orvalho ou chuva sobre vocês,Nem campos que produzam contribuições sagradas,+Porque ali foi profanado o escudo dos valentes,O escudo de Saul já não está ungido com óleo. 22  Do sangue dos que eram mortos, da gordura dos valentes,O arco de Jonatã não recuava,+E a espada de Saul não voltava sem êxito.+ 23  Saul e Jonatã,+ tão amados e queridos* durante a sua vida,Nem na morte foram separados.+ Eram mais velozes do que as águias+E mais fortes do que os leões.+ 24  Ó filhas de Israel, chorem por Saul,Que vos vestiu de escarlate e com adornos,Que colocou enfeites de ouro na vossa roupa. 25  Como caíram os valentes na batalha! Jonatã está morto sobre os montes!+ 26  Estou aflito por ti, meu irmão Jonatã;Eras um amigo muito querido.+ Para mim, o teu amor era superior ao amor das mulheres.+ 27  Como caíram os valentes,E pereceram as armas de guerra!”

Notas de rodapé

Ou: “golpear”.
Ou: “O povo fugiu”.
Ou: “porque toda a minha alma ainda está em mim”.
Ou: “o diadema”.
Ou: “e agradáveis”.

Notas de estudo

Multimédia