2 Reis 25:1-30

25  No nono ano do reinado de Zedequias, no décimo mês, no dia dez do mês, Nabucodonosor,+ rei de Babilónia, veio contra Jerusalém, com todo o seu exército.+ Ele acampou para atacá-la e construiu um muro de cerco a toda a volta,+  e a cidade ficou cercada até ao décimo primeiro ano do rei Zedequias.  No nono dia do quarto mês, a fome era severa+ na cidade e não havia comida para o povo da terra.+  Abriu-se uma brecha na muralha da cidade.+ Todos os soldados fugiram à noite pelo portão entre as duas muralhas, que fica perto do jardim do rei, enquanto os caldeus cercavam a cidade; e o rei foi pelo caminho do Arabá.+  No entanto, o exército caldeu perseguiu o rei e alcançou-o nas planícies desérticas de Jericó, e todos os soldados dele se dispersaram.  A seguir, agarraram o rei+ e levaram-no ao rei de Babilónia, em Ribla, e decretaram a sua sentença.  Eles mataram os filhos de Zedequias diante dos seus olhos. Depois, Nabucodonosor cegou os olhos de Zedequias, prendeu-o com correntes de cobre e levou-o para Babilónia.+  No quinto mês, no dia sete do mês — era o décimo nono ano de Nabucodonosor, rei de Babilónia —, Nebuzaradã,+ chefe da guarda e servo do rei de Babilónia, veio a Jerusalém.+  Ele queimou a casa de Jeová,+ a casa* do rei+ e todas as casas de Jerusalém.+ Queimou, também, a casa de todos os homens de destaque.+ 10  E as muralhas que cercavam Jerusalém foram demolidas por todo o exército caldeu que estava com o chefe da guarda.+ 11  Nebuzaradã, chefe da guarda, levou para o exílio o restante do povo que tinha sido deixado na cidade, os desertores que tinham tomado o lado do rei de Babilónia e o restante da população.+ 12  No entanto, o chefe da guarda deixou alguns dos mais pobres do povo da terra para trabalharem nas vinhas e para servirem como trabalhadores forçados.+ 13  Os caldeus derrubaram as colunas de cobre+ da casa de Jeová, assim como os carrinhos+ e o Mar de cobre+ que ficavam na casa de Jeová, e levaram o cobre para Babilónia.+ 14  Além disso, levaram os recipientes, as pás, os cortadores de pavio, as taças e todos os utensílios de cobre usados no serviço do templo. 15  O chefe da guarda levou os braseiros e as tigelas que eram de ouro puro+ e de prata pura.+ 16  Quanto às duas colunas, ao Mar e aos carrinhos, que Salomão tinha feito para a casa de Jeová, não era possível pesar o cobre de todos esses objetos.+ 17  Cada coluna tinha 18 côvados*+ de altura. O capitel que ficava sobre cada coluna era de cobre. A altura do capitel era de três côvados, e as redes e as romãs à volta do capitel eram todas de cobre.+ A segunda coluna, com as suas redes, era igual. 18  O chefe da guarda também levou Seraías,+ o principal sacerdote; Sofonias,+ o segundo sacerdote; e os três porteiros.+ 19  E levou da cidade um oficial da corte que era o comandante dos soldados; cinco conselheiros do rei que estavam na cidade; o secretário do chefe do exército, que recrutava o povo da terra; e 60 homens do povo da terra que ainda estavam na cidade. 20  Nebuzaradã,+ chefe da guarda, pegou neles e levou-os ao rei de Babilónia, em Ribla.+ 21  O rei de Babilónia golpeou-os e matou-os em Ribla, na terra de Hamate.+ Assim, Judá foi exilado da sua terra.+ 22  Nabucodonosor, rei de Babilónia, designou Gedalias,+ filho de Aicão,+ filho de Safã,+ sobre o povo que tinha deixado na terra de Judá.+ 23  Quando todos os chefes do exército e os seus homens souberam que o rei de Babilónia tinha designado Gedalias, foram imediatamente ter com Gedalias, em Mispá. Eles eram Ismael, filho de Netanias; Joanã, filho de Careá; Seraías, filho de Tanumete, o netofatita; e Jaazanias, filho do maacatita; eles com os seus homens.+ 24  Gedalias fez-lhes um juramento, a eles e aos seus homens, dizendo: “Não tenham medo de ser servos dos caldeus. Morem no país e sirvam o rei de Babilónia, e tudo vos correrá bem.”+ 25  No sétimo mês, Ismael,+ filho de Netanias, filho de Elisama, que era da linhagem real,* foi a Mispá com mais dez homens. Eles golpearam Gedalias e ele morreu; os judeus e os caldeus que estavam com ele também morreram.+ 26  Depois disso, todo o povo, do pequeno ao grande, e os chefes do exército saíram e foram para o Egito,+ pois estavam com medo dos caldeus.+ 27  E, no trigésimo sétimo ano do exílio de Joaquim,+ rei de Judá, no décimo segundo mês, no dia 27 do mês, no ano em que Evil-Merodaque se tornou rei de Babilónia, ele libertou* Joaquim, rei de Judá, da prisão.+ 28  Falou bondosamente com ele e colocou-o numa posição mais honrada do que a* dos outros reis que estavam com ele em Babilónia. 29  Assim, Joaquim tirou a sua roupa de prisioneiro e passou a comer regularmente à mesa do rei, todos os dias da sua vida. 30  Ele recebia regularmente uma porção de alimento da parte do rei, dia após dia, todos os dias da sua vida.

Notas de rodapé

Ou: “o palácio”.
Um côvado equivalia a 44,5 cm. Veja o Ap. B14.
Lit.: “semente do reino”.
Lit.: “levantou a cabeça de”.
Ou: “e colocou o seu trono mais alto do que os tronos”.

Notas de estudo

Multimédia