2 Reis 18:1-37

18  No terceiro ano de Oseias,+ filho de Elá, rei de Israel, Ezequias,+ filho de Acaz,+ rei de Judá, tornou-se rei.  Ele tinha 25 anos de idade quando se tornou rei, e reinou durante 29 anos em Jerusalém. O nome da sua mãe era Abi,* filha de Zacarias.+  Ele fazia o que era certo aos olhos de Jeová,+ assim como David, seu antepassado, tinha feito.+  Foi ele quem removeu os altos sagrados,+ despedaçou as colunas sagradas e derrubou o poste sagrado.*+ Também esmiuçou a serpente de cobre que Moisés tinha feito,+ pois até àquela altura o povo de Israel oferecia-lhe fumo sacrificial; e chamavam-lhe ídolo-serpente de cobre.*  Ezequias confiou em Jeová,+ o Deus de Israel; não houve ninguém igual a ele entre todos os reis de Judá, nem antes nem depois dele.  Ele apegava-se a Jeová+ e não deixou de o seguir. Continuou a guardar os mandamentos que Jeová tinha dado a Moisés.  E Jeová estava com ele. Em tudo o que ele fazia, agia com sabedoria. Rebelou-se contra o rei da Assíria e recusou-se a servi-lo.+  Ele também derrotou os filisteus+ até Gaza e os seus territórios, desde a torre de vigia até à cidade fortificada.*  No quarto ano do rei Ezequias, isto é, no sétimo ano de Oseias,+ filho de Elá, rei de Israel, Salmaneser, rei da Assíria, veio contra Samaria e começou a cercá-la.+ 10  Eles tomaram-na+ ao fim de três anos; Samaria foi tomada no sexto ano de Ezequias, que era o nono ano de Oseias, rei de Israel. 11  Depois, o rei da Assíria levou Israel para o exílio+ na Assíria, e estabeleceu-os em Hala e em Habor, ao pé do rio Gozã, e nas cidades dos medos.+ 12  Isto aconteceu porque não tinham escutado a voz de Jeová, seu Deus, mas continuaram a violar o seu pacto, tudo o que Moisés, o servo de Jeová, tinha ordenado.+ Eles não escutaram nem obedeceram. 13  No décimo quarto ano do rei Ezequias, Senaqueribe, rei da Assíria,+ veio contra todas as cidades fortificadas de Judá e conquistou-as.+ 14  Portanto, Ezequias, rei de Judá, mandou dizer ao rei da Assíria em Laquis: “Errei. Retira-te da minha terra e eu irei dar-te o que me exigires.” O rei da Assíria exigiu que Ezequias, rei de Judá, pagasse um tributo de 300 talentos* de prata e 30 talentos de ouro. 15  Assim, Ezequias deu toda a prata que havia na casa de Jeová e no tesouro da casa* do rei.+ 16  Naquele tempo, Ezequias, rei de Judá, retirou* as portas do templo+ de Jeová e as ombreiras que o próprio rei Ezequias tinha revestido,*+ e deu-as ao rei da Assíria. 17  Então, de Laquis,+ o rei da Assíria enviou o Tartã,* o Rabe-Saris* e o Rabsaqué* com um grande exército ao rei Ezequias, em Jerusalém.+ Eles subiram até Jerusalém e posicionaram-se junto ao aqueduto do reservatório superior, que fica na estrada do campo do lavadeiro.+ 18  Quando chamaram o rei para vir até eles, Eliaquim,+ filho de Hilquias, que era o encarregado da casa,* Sebna,+ o secretário, e o cronista Joá, filho de Asafe, foram ao seu encontro. 19  O Rabsaqué disse-lhes: “Digam a Ezequias: ‘Assim diz o grande rei, o rei da Assíria: “Em que é que se baseia a tua confiança?+ 20  Tu dizes: ‘Tenho uma estratégia e poder para a guerra’, mas isso não passa de palavras ocas. Em quem é que depositaste a tua confiança para teres a ousadia de te rebelares contra mim?+ 21  Vê, confias na ajuda daquela cana rachada, o Egito,+ que penetra e fura a palma da mão de quem se apoia nela. Assim é o Faraó, rei do Egito, para todos os que confiam nele. 22  E caso me digam: ‘Nós confiamos em Jeová, nosso Deus’,+ não são dele os altos sagrados e os altares que Ezequias removeu,+ dizendo a Judá e a Jerusalém: ‘É diante deste altar em Jerusalém que se devem curvar’?”’+ 23  Agora, faz uma aposta com o meu senhor, o rei da Assíria: eu irei dar-te 2000 cavalos se conseguires encontrar cavaleiros suficientes para eles.+ 24  Então, como é que poderias repelir até mesmo um dos governadores menos destacados do meu senhor, se confias nos carros de guerra e nos cavaleiros do Egito? 25  Agora, será que foi sem a autorização de Jeová que vim contra este lugar para o destruir? O próprio Jeová me disse: ‘Vai e destrói essa terra.’” 26  Em vista disso, Eliaquim, filho de Hilquias, Sebna+ e Joá disseram ao Rabsaqué:+ “Por favor, fala com os teus servos em aramaico,*+ pois entendemos essa língua. Não fales connosco no idioma dos judeus, pois o povo que está sobre a muralha está a ouvir.”+ 27  No entanto, o Rabsaqué disse: “Será que foi apenas ao teu senhor e a ti que o meu senhor me mandou dizer estas palavras? Não foi também aos homens que estão sentados sobre a muralha, que vão comer o seu próprio excremento e beber a sua própria urina convosco?” 28  Então, o Rabsaqué continuou de pé e disse bem alto no idioma dos judeus: “Ouçam as palavras do grande rei, o rei da Assíria.+ 29  Assim diz o rei: ‘Não deixem que Ezequias vos engane, porque ele não vos pode livrar das minhas mãos.+ 30  E que Ezequias não vos faça confiar em Jeová, dizendo: “Jeová certamente nos livrará, e esta cidade não será entregue nas mãos do rei da Assíria.”+ 31  Não escutem Ezequias, pois assim diz o rei da Assíria: “Façam paz comigo e rendam-se,* e cada um poderá comer da sua própria videira e da sua própria figueira, e beber água da sua própria cisterna, 32  até que eu venha e vos leve a uma terra igual à vossa,+ uma terra de cereais e de vinho novo, uma terra de pão e de vinhas, uma terra de oliveiras e de mel. Então continuarão vivos, não morrerão. Não escutem Ezequias, pois ele está a enganar-vos, dizendo: ‘Jeová irá livrar-nos.’ 33  Será que algum dos deuses das nações livrou a terra delas das mãos do rei da Assíria? 34  Onde estão os deuses de Hamate+ e de Arpade? Onde estão os deuses de Sefarvaim,+ de Hena e de Iva? Será que eles livraram Samaria das minhas mãos?+ 35  De todos os deuses destas terras, qual deles foi capaz de livrar a sua terra das minhas mãos? Então, será que Jeová livrará Jerusalém das minhas mãos?”’”+ 36  Contudo, o povo ficou calado e não lhe disse uma palavra em resposta, pois a ordem do rei era: “Não lhe respondam.”+ 37  Por conseguinte, Eliaquim, filho de Hilquias, que era o encarregado da casa,* Sebna, o secretário, e o cronista Joá, filho de Asafe, dirigiram-se a Ezequias com as suas roupas rasgadas e contaram-lhe as palavras do Rabsaqué.

Notas de rodapé

Forma abreviada de Abias.
Ou: “chamavam-lhe Neustã”.
Isto é, em todos os lugares, tanto nos pouco habitados como nos populosos.
Um talento equivalia a 34,2 kg. Veja o Ap. B14.
Ou: “do palácio”.
Lit.: “decepou”.
Isto é, revestido de ouro.
Ou: “o comandante”.
Ou: “o oficial principal da corte”.
Ou: “o chefe dos copeiros”.
Ou: “do palácio”.
Ou: “sírio”.
Lit.: “Façam uma bênção comigo e saiam a mim”.
Ou: “do palácio”.

Notas de estudo

Multimédia