1 Samuel 25:1-44

25  Depois de algum tempo, Samuel+ morreu, e todo o Israel se reuniu para lamentá-lo e enterrá-lo perto da sua casa, em Ramá.+ Então, David foi para o deserto de Parã.  Em Maom,+ havia um homem que trabalhava em Carmelo.*+ Ele era muito rico; tinha 3000 ovelhas e 1000 cabras, e estava a tosquiar as suas ovelhas em Carmelo.  O homem chamava-se Nabal,+ e a sua esposa, Abigail.+ A esposa era sensata e bonita, mas o marido, descendente de Caleb,+ era rude e mau.+  No deserto, David ouviu dizer que Nabal estava a tosquiar as suas ovelhas.  Portanto, David enviou dez homens a Nabal e disse-lhes: “Subam até Carmelo e, quando encontrarem Nabal, perguntem-lhe como é que ele está, em meu nome.  Depois, digam-lhe: ‘Que tenha uma vida longa e que tudo vá bem* consigo, com os da sua casa e com tudo o que tem.  Ouvi dizer que o senhor está a tosquiar as ovelhas. Quando os seus pastores estiveram connosco, não lhes fizemos nenhum mal,+ e eles não deram pela falta de nada durante todo o tempo que passaram em Carmelo.  Pergunte aos seus homens e eles confirmarão isso mesmo. Que os meus homens achem favor aos seus olhos, pois viemos numa ocasião alegre.* Por favor, dê qualquer coisa aos seus servos e ao seu filho David. Dê aquilo que puder dar.’”+  Assim, os homens de David foram e transmitiram a Nabal todas estas palavras de David. Quando terminaram, 10  Nabal disse aos servos de David: “Quem é David e quem é o filho de Jessé? Hoje em dia, há muitos servos que fogem dos seus senhores.+ 11  Porque é que eu deveria agarrar no meu pão, na minha água e na carne dos animais que abati para os meus tosquiadores e dá-los a homens que vieram não sei de onde?” 12  Em vista disso, os homens de David voltaram e contaram-lhe tudo o que Nabal tinha dito. 13  David disse imediatamente aos seus homens: “Ponham todos a espada na cintura!”+ Então, todos puseram a espada na cintura, e David também pôs a espada na cintura. Cerca de 400 homens foram com David, ao passo que 200 ficaram com a bagagem. 14  Entretanto, um dos servos disse a Abigail, esposa de Nabal: “David enviou mensageiros a partir do deserto, a fim de desejar o bem ao nosso senhor, mas ele insultou-os.+ 15  Esses homens foram muito bons connosco. Não nos fizeram nenhum mal, e não demos pela falta de nada durante todo o tempo que passámos com eles no campo.+ 16  De dia e de noite, eles foram como uma muralha protetora à nossa volta, durante todo o tempo que passámos com eles a guardar o rebanho. 17  Agora, decida o que vai fazer, porque isto, com certeza, vai resultar num desastre para o nosso senhor e todos os da sua casa.+ Ele é um homem tão imprestável*+ que ninguém consegue falar com ele.” 18  Assim, Abigail+ pegou rapidamente em duzentos pães, dois odres grandes de vinho, cinco ovelhas preparadas, cinco seás* de grãos torrados, cem tortas de passas e duzentas tortas de figos prensados, e colocou tudo sobre os jumentos.+ 19  Então, ela disse aos seus servos: “Vão à minha frente e eu irei atrás.” No entanto, ela não disse nada a Nabal, seu marido. 20  Enquanto ela descia num jumento por um caminho escondido pela montanha, encontrou David e os seus homens, que vinham na sua direção. 21  David tinha dito: “Não adiantou nada proteger tudo o que pertence a este homem no deserto. Não desapareceu nada do que lhe pertence+ e, ainda assim, ele paga-me o bem com o mal.+ 22  Que Deus faça o mesmo ou até pior aos inimigos de David,* se até ao amanhecer eu deixar vivo um único homem* que pertence a Nabal.” 23  Quando Abigail viu David, desceu depressa do jumento e prostrou-se diante de David, com o rosto por terra. 24  Prostrada aos seus pés, ela disse: “Que a culpa recaia sobre mim, meu senhor. Deixe a sua serva falar, e escute as palavras da sua serva. 25  Por favor, meu senhor, não dê atenção a este homem imprestável, Nabal,+ pois ele faz jus ao seu nome. O nome dele é Nabal,* e ele é um insensato. Mas eu, sua serva, não vi os homens que o meu senhor enviou. 26  E agora, meu senhor, tão certo como Jeová vive e como o senhor* vive, foi Jeová quem o impediu+ de incorrer em culpa de sangue+ e de fazer justiça* com as próprias mãos. Que os seus inimigos e os que procuram fazer mal ao meu senhor se tornem como Nabal. 27  Agora, dê este presente,*+ que a sua serva trouxe ao meu senhor, aos homens que o acompanham.+ 28  Por favor, perdoe a transgressão da sua serva, pois Jeová certamente estabelecerá para o meu senhor uma casa permanente,+ pois o meu senhor está a travar as guerras de Jeová+ e não se achou nenhum mal no meu senhor durante todos os seus dias.+ 29  Quando alguém o perseguir e tentar tirar a sua vida,* a vida* do meu senhor estará bem guardada na bolsa da vida junto a Jeová, seu Deus, mas a vida* dos seus inimigos ele lançará para longe, como pedras atiradas de uma funda.* 30  E, quando Jeová tiver feito ao meu senhor todas as coisas boas que prometeu e o designar como líder de Israel,+ 31  o senhor não terá nenhum remorso nem arrependimento* no coração por ter derramado sangue sem motivo ou por ter feito justiça* com as suas próprias mãos.+ Quando Jeová fizer o bem ao meu senhor, lembre-se da sua serva.” 32  Então, David disse a Abigail: “Louvado seja Jeová, o Deus de Israel, que, neste dia, te enviou ao meu encontro! 33  Bendita seja a tua sensatez! Que sejas abençoada por, neste dia, me teres impedido de incorrer em culpa de sangue+ e de fazer justiça* com as minhas próprias mãos. 34  Caso contrário, tão certo como vive Jeová, o Deus de Israel, que me impediu de te fazer mal,+ se não tivesses vindo depressa ao meu encontro,+ amanhã cedo, não teria restado nem sequer um único homem* dos que pertencem a Nabal.”+ 35  Assim, David aceitou o que ela tinha trazido e disse-lhe: “Vai em paz para a tua casa. Eu ouvi o que disseste e vou atender ao teu pedido.” 36  Mais tarde, quando Abigail voltou a Nabal, ele estava a banquetear-se como um rei na sua casa. Nabal* estava alegre e completamente bêbado. Ela não lhe disse nada até à manhã seguinte. 37  De manhã, quando Nabal estava sóbrio, a sua esposa contou-lhe tudo. Então, o coração dele ficou como o de um morto, e ele ficou paralisado, como uma pedra. 38  Cerca de dez dias depois, Jeová entregou Nabal à morte. 39  Quando David soube que Nabal tinha morrido, disse: “Louvado seja Jeová, que defendeu a minha causa+ e que me livrou da humilhação que Nabal+ trouxe sobre mim, e que impediu o seu servo de fazer o mal.+ Jeová fez a maldade de Nabal recair sobre a sua própria cabeça!” Então, David mandou uma mensagem a Abigail, propondo-lhe que se tornasse sua esposa. 40  Quando os servos de David foram ao encontro de Abigail, em Carmelo, disseram-lhe: “David ordenou que viéssemos buscar-te, para que te tornes sua esposa.” 41  Ela curvou-se imediatamente com o rosto por terra e disse: “Estou disposta a tornar-me uma serva para lavar os pés+ dos servos do meu senhor.” 42  Então, Abigail+ preparou-se depressa, montou o jumento e, acompanhada por cinco criadas, foi com os mensageiros de David e tornou-se sua esposa. 43  David também se tinha casado com Ainoã,+ de Jezreel,+ e as duas mulheres tornaram-se suas esposas.+ 44  Saul, porém, tinha dado sua filha Mical,+ esposa de David, a Palti,+ filho de Laís, que era de Galim.

Notas de rodapé

Uma cidade em Judá, sem nenhuma relação com o monte Carmelo.
Ou: “que haja paz”.
Lit.: “num bom dia”.
Ou: “inútil”.
Um seá equivalia a 7,33 l. Veja o Ap. B14.
Ou, possivelmente: “e até pior a David”.
Lit.: “alguém que urina contra o muro”. Expressão hebraica que indica desprezo e que se refere a homens.
Que significa “insensato; tolo”.
Ou: “trazer salvação”.
Ou: “a sua alma”.
Lit.: “esta bênção”.
Ou: “e procurar a sua alma”.
Ou: “alma”.
Ou: “alma”.
Ou: “como que da concavidade de uma funda”.
Lit.: “cambaleio ou tropeço”.
Ou: “trazido salvação”.
Ou: “trazer salvação”.
Lit.: “ninguém que urina contra o muro”. Expressão hebraica que indica desprezo e que se refere a homens.
Lit.: “O coração de Nabal”.

Notas de estudo

Multimédia