Ir para conteúdo

Ir para menu secundário

Ir para conteúdo

Testemunhas de Jeová

Língua Gestual Portuguesa

A Sentinela — Edição de Estudo  |  Outubro 2016

Mantenha forte sua amizade com Jeová ao servir no campo estrangeiro

Mantenha forte sua amizade com Jeová ao servir no campo estrangeiro

“Guardo no coração as tuas declarações.” — SAL. 119:11.

CÂNTICOS: 142, 92

1-3. (a) O que deve vir em primeiro lugar na nossa vida?(b) Que desafios os que estão aprendendo outro idioma enfrentam? (Veja a foto no começo do artigo.) (c) Que perguntas vamos considerar neste artigo?

MILHARES de Testemunhas de Jeová hoje estão pregando as boas novas “a toda nação, tribo, língua e povo”, participando assim no cumprimento da profecia de Apocalipse 14:6. Você está aprendendo outro idioma? Talvez você seja um missionário ou esteja servindo onde a necessidade é maior. Ou talvez tenha começado a assistir às reuniões numa congregação de língua estrangeira no seu próprio país.

2 Como servos de Deus, todos nós sabemos que a nossa espiritualidade e a espiritualidade de nossa família devem vir em primeiro lugar. (Mat. 5:3) Só que, às vezes, é difícil fazer estudo pessoal de qualidade por causa da correria do dia a dia. Mas, para os que servem no campo estrangeiro, pode ser ainda mais difícil. Como assim?

3  Os que servem no campo estrangeiro já têm o desafio de aprender uma nova língua. Além disso, precisam tomar cuidado para não ficar estudando apenas assuntos básicos da Bíblia por causa da dificuldade com o novo idioma. (1 Cor. 2:10) Mas como podem manter forte sua amizade com Jeová se não entendem bem a língua falada na congregação? E o que os pais cristãos podem fazer para que a Palavra de Deus toque o coração dos filhos?

UM PERIGO PARA A NOSSA AMIZADE COM DEUS

4. O que pode colocar nossa amizade com Deus em perigo? Dê um exemplo.

4 Nossa amizade com Deus pode ficar em perigo quando não conseguimos entender a Bíblia por causa do idioma. Por exemplo, quando Neemias voltou a Jerusalém, ele ficou preocupado com o que viu. Alguns dos filhos dos judeus que tinham voltado de Babilônia não sabiam falar hebraico. (Leia Neemias 13:23, 24.) Por não saberem hebraico, esses filhos não entendiam bem as Escrituras, e por isso não se sentiam parte do povo de Deus. — Nee. 8:2, 8.

5, 6. (a) O que alguns pais cristãos que servem no campo de língua estrangeira perceberam? (b) Por que isso pode acontecer?

5 Alguns pais cristãos que servem no campo de língua estrangeira percebem que o interesse dos filhos pela verdade está diminuindo. Os filhos não conseguem entender tudo o que é dito nas reuniões e, por isso, o que ouvem acaba não mexendo com eles. Pedro, [1] que se mudou com sua família da América do Sul para a Austrália, disse: “Falar sobre coisas espirituais tem que mexer com o coração e os sentimentos.” — Luc. 24:32.

6 Quando lemos em outro idioma, isso talvez não toque o nosso coração como tocaria se a gente lesse no nosso próprio idioma. Além disso, não conseguir se comunicar bem em outra língua pode exigir muito de nós em sentido mental e afetar nossa espiritualidade. É importante manter vivo o nosso desejo de servir no campo de língua estrangeira. Mas também é importante proteger nossa amizade com Jeová. — Mat. 4:4.

ELES PROTEGERAM SUA AMIZADE COM DEUS

7. Como os babilônios tentaram fazer com que Daniel aceitasse a cultura deles?

7 Quando Daniel e seus amigos foram levados como prisioneiros para Babilônia, os babilônios tentaram fazer com que eles aceitassem a cultura do país. Por exemplo, ensinaram a eles “a língua dos caldeus”, ou babilônios. Além disso, deram a eles nomes babilônicos. (Dan. 1:3-7) O nome dado a Daniel era uma referência ao principal deus de Babilônia, que se chamava Bel. Pelo visto, o rei Nabucodonosor queria fazer Daniel pensar que esse deus era mais forte que o Deus de Daniel, Jeová. — Dan. 4:8.

8. O que ajudou Daniel a manter forte sua amizade com Deus mesmo vivendo em outro país?

8 Os babilônios ofereceram a Daniel os melhores alimentos da corte. Mas ele “decidiu no coração” que “não se tornaria impuro” com os alimentos que eram proibidos na Lei de Deus. (Dan. 1:8) Daniel continuou estudando os “livros sagrados” na sua língua materna. Por isso, ele conseguiu manter forte sua amizade com Deus enquanto vivia em outro país. (Dan. 9:2, nota) Assim, mesmo depois de uns 70 anos vivendo em Babilônia, ele ainda era conhecido pelo seu nome hebraico. — Dan. 5:13.

9. Como a Palavra de Deus ajudou o escritor do Salmo 119?

9 O escritor do Salmo 119 foi desprezado por alguns membros da corte real. Mas meditar na Palavra de Deus lhe deu forças para ser diferente das pessoas à sua volta. (Sal. 119:23, 61) Ele permitiu que as ‘declarações de Deus’ mexessem muito com ele. — Leia Salmo 119:11, 46.

MANTENHA FORTE SUA AMIZADE COM DEUS

10, 11. (a) Qual deve ser nosso objetivo quando estudamos a Palavra de Deus? (b) Que equilíbrio precisamos ter? Dê um exemplo.

10 Todos nós temos muitas responsabilidades na congregação e no dia a dia. Mesmo assim, precisamos tirar tempo para o estudo pessoal e para a adoração em família. (Efé. 5:15, 16) Mas nosso objetivo não deve ser simplesmente cobrir certo número de páginas ou apenas preparar comentários para participar nas reuniões. Queremos deixar que a Palavra de Deus toque o nosso coração e fortaleça a nossa fé.

11 Quando estudamos, é importante pensar em como ajudar outros. Mas é preciso ter equilíbrio; não podemos nos esquecer de fortalecer nossa amizade com Deus. (Fil. 1:9, 10) Temos que reconhecer que, quando nos preparamos para o campo, para as reuniões ou para dar um discurso, talvez não apliquemos a nós mesmos o que lemos. Por exemplo: Quando uma cozinheira prepara uma refeição para outros, ela experimenta a comida para ver se está boa. Mas será que ela está realmente se alimentando se só experimentar os pratos que prepara para outros? Claro que não. Ela precisa preparar refeições para ela mesma. Assim também, para manter forte nossa amizade com Deus, precisamos nos alimentar em sentido espiritual, pensando em nossas necessidades.

12, 13. Por que muitos acham melhor estudar a Bíblia na sua própria língua?

12 Muitos que servem no campo estrangeiro acham melhor estudar a Bíblia na “língua do seu nascimento”. (Atos 2:8, nota) Até os missionários reconhecem que, para continuarem fortes em outro país, eles não podem se contentar com o pouco que entendem das reuniões.

13 Alain já estuda o idioma persa por uns oito anos. Ele diz: “Quando preparo as reuniões em persa, eu me concentro mais na língua em si. Mas fazendo isso eu acabo usando tanto a mente que as coisas que leio nem sempre tocam meu coração. É por isso que eu tiro tempo para ler a Bíblia e as publicações na minha própria língua.”

TOQUE O CORAÇÃO DOS SEUS FILHOS

14. Que certeza os pais cristãos precisam ter? Por quê?

14 Os pais cristãos precisam ter certeza de que a Palavra de Deus está tocando o coração e a mente dos filhos. Serge e sua esposa, Muriel, serviram no campo de língua estrangeira por mais de três anos. Eles perceberam que seu filho de 17 anos não gostava muito nem das reuniões nem do campo. Muriel diz: “Ele chegava a ficar irritado de ter que ir no campo em outro idioma. Só que antes ele amava pregar no nosso idioma, o francês.” Serge conta: “Quando a gente viu que nosso filho não estava progredindo espiritualmente, achamos melhor voltar pra nossa ex-congregação.”

Faça com que a Palavra de Deus toque o coração dos filhos (Veja os parágrafos 14 e 15.)

15. (a) O que pode ajudar os pais a decidir se devem voltar a apoiar uma congregação no idioma dos filhos? (b) Que conselho Deuteronômio 6:5-7 dá aos pais?

15 O que pode ajudar os pais a decidir se devem voltar a apoiar uma congregação no idioma dos filhos? Eles podem pensar nas seguintes perguntas: ‘Será que realmente tenho tempo e energia para ensinar meus filhos a amar a Jeová e, ao mesmo tempo, a falar outro idioma? Será que meus filhos perderam a vontade de ir ao campo ou às reuniões? Eles gostam de servir no campo de língua estrangeira?’ Nesse caso, talvez seja melhor voltar a apoiar uma congregação no idioma que toca o coração dos filhos até que a amizade deles com Jeová esteja bem forte. — Leia Deuteronômio 6:5-7.

16, 17. Como alguns pais conseguem ensinar seus filhos sem precisar deixar o campo de língua estrangeira?

16 Alguns pais conseguem ensinar seus filhos sobre Jeová em seu próprio idioma sem precisar deixar o campo de língua estrangeira. Veja o caso de Charles, que tem três filhas, de 9 a 13 anos. Ele apoia um grupo no idioma lingala. Ele diz: “Fazemos o estudo de nossas filhas e a adoração em família no nosso idioma. Mas também incluímos jogos e treinos em lingala para que elas aprendam o idioma se divertindo.”

Ajude sua família a aprender o idioma e a participar nas reuniões (Veja os parágrafos 16 e 17.)

17 Kevin também serve numa congregação de língua estrangeira. Ele tem uma filha de 5 e uma de 8 anos e percebe que elas não entendem bem as reuniões. O que Kevin faz para ajudar suas filhas? Ele diz: “Eu e minha esposa dirigimos o estudo das nossas filhas em francês, a língua delas. Também assistimos às reuniões em francês uma vez por mês. E aproveitamos as férias para assistir aos congressos no nosso idioma.”

18. (a) Como Romanos 15:1, 2 pode ajudar você a saber o que é melhor para os seus filhos? (b) Que sugestões outros pais deram? (Veja a nota no fim do artigo.)

18 É claro que cada família deve decidir o que é melhor para os seus filhos em sentido espiritual. [2] (Gál. 6:5) Veja o caso de Muriel, já mencionada. Ela e o marido queriam muito servir no campo estrangeiro. Muriel reconhece que eles tiveram que abrir mão do seu alvo para ajudar o filho a progredir espiritualmente. (Leia Romanos 15:1, 2.) Hoje, Serge acha que valeu a pena. Ele diz: “Depois que nos mudamos para uma congregação em francês, a espiritualidade do nosso filho deslanchou, e ele foi batizado. Agora ele é pioneiro regular e está até pensando em apoiar novamente um grupo de língua estrangeira.”

A PALAVRA DE DEUS PRECISA TOCAR SEU CORAÇÃO

19, 20. Como podemos mostrar que amamos a Palavra de Deus?

19 Por amor, Jeová tornou a Bíblia disponível em centenas de idiomas, para que ‘todo tipo de pessoas possam ter um conhecimento exato da verdade’. (1 Tim. 2:4) Ele sabe que ler a Bíblia no idioma que toca o nosso coração fortalece a nossa amizade com ele.

20 Não importa a nossa situação, devemos nos esforçar para nos alimentar bem em sentido espiritual. Por tirarmos tempo para estudar a Bíblia no nosso idioma, vamos conseguir cuidar da nossa espiritualidade e da espiritualidade da nossa família. Assim, vamos mostrar que damos valor às declarações de Deus. — Sal. 119:11.

^ [1] (parágrafo 5) Os nomes foram mudados.

^ [2] (parágrafo 18) Para saber como os princípios bíblicos podem ajudar sua família, veja o artigo “Criar filhos num país estrangeiro — os desafios e as recompensas”, em A Sentinela, 15 de outubro de 2002.