Ir para conteúdo

Ir para menu secundário

Ir para conteúdo

Testemunhas de Jeová

Língua Gestual Portuguesa

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Dezembro 2016

A bondade imerecida de Deus nos libertou

A bondade imerecida de Deus nos libertou

‘O pecado não deve dominar sobre vocês, visto que vocês estão debaixo de bondade imerecida.’ — ROM. 6:14.

CÂNTICOS: 2, 61

1, 2. Por que o texto de Romanos 5:12 é importante?

SE VOCÊ fizesse uma lista com os textos bíblicos mais usados pelas Testemunhas de Jeová, será que Romanos 5:12 estaria na sua lista? Pense em quantas vezes você já leu estas palavras para alguém: “Por meio de um só homem o pecado entrou no mundo, e a morte por meio do pecado, e desse modo a morte se espalhou por toda a humanidade, porque todos haviam pecado.”

2 Esse texto aparece várias vezes nos livros O Que a Bíblia Realmente Ensina? e Você Pode Entender a Bíblia!. Quando você estuda os capítulos 35 e 6 com seus filhos ou com outras pessoas, é provável que leia esse texto para explicar por que a Terra não é um paraíso, por que Jesus morreu por nós e por que morremos. Mas quantas vezes você lê esse texto pensando em sua amizade com Jeová, suas ações e sua esperança para o futuro?

3. Que realidade temos de aceitar?

3 É claro que não podemos fugir da seguinte realidade: todos nós somos pecadores. Erramos todos os dias. Mas algo que nos tranquiliza é saber que Deus entende que somos imperfeitos e quer nos perdoar. (Sal. 103:13, 14) Quando ensinou seus discípulos a orar, Jesus incluiu o pedido: “Perdoa-nos os nossos pecados.” (Luc. 11:2-4) Por isso, não precisamos ficar remoendo erros do passado que Deus já perdoou. Mas pensar no que Jeová fez para perdoar nossos pecados nos ajuda a dar ainda mais valor à bondade dele.

O QUE JEOVÁ FEZ PARA NOS PERDOAR

4, 5. (a) Como podemos entender melhor Romanos 5:12? (b) O que é “bondade imerecida”?

4 Para entendermos melhor Romanos 5:12, precisamos estudar os capítulos antes e depois desse texto, principalmente o capítulo 6. Assim, vamos entender o que Jeová fez para nos perdoar. Por exemplo, no capítulo 3 lemos: “Todos pecaram . . . , e é como dádiva que são declarados justos pela Sua bondade imerecida, por meio do livramento pelo resgate pago por Cristo Jesus.” (Rom. 3:23, 24) O que é a “bondade imerecida” de Deus? Paulo usou uma palavra grega que, de acordo com uma obra de referência, passa a ideia de “fazer alguma coisa por alguém sem esperar nem exigir nada em troca”. É algo que alguém recebe sem ter feito nada para merecer.

5 Certo estudioso disse: “Quando [essa palavra grega] é usada com relação a Deus ou a Cristo, ela muitas vezes se refere à bondade que eles mostram em salvar a humanidade mesmo sem ela merecer.” É por isso que a Tradução do Novo Mundo traduz essa palavra por “bondade imerecida”. Mas como Deus demonstra esse tipo de bondade? E o que ela tem a ver com nossa esperança e nossa amizade com ele?

6. Como a humanidade vai se beneficiar da bondade imerecida de Deus?

6 A Bíblia diz que “a morte reinou por meio de um só homem”. Ou seja, por causa do pecado de Adão, todos nós pecamos e morremos. Mas Jeová demonstrou bondade imerecida a toda a humanidade “por meio de um só [homem], Jesus Cristo”. (Rom. 5:12, 15, 17) Como assim? A Bíblia diz que “por meio da obediência de [Jesus], muitos serão feitos justos” e poderão ter vida eterna. — Rom. 5:19, 21.

7. Por que o que Jeová fez por nós foi muito bondoso, algo que não merecemos?

7 Quando Jeová mandou seu Filho à Terra para morrer por nós, ele tornou possível o perdão dos nossos pecados. Ele não tinha a obrigação de fazer isso. Além disso, nascemos pecadores e não merecemos o que Jeová e Jesus fizeram por nós. Mas por causa da bondade de Jeová podemos ser perdoados e ter a esperança de viver para sempre. Essa bondade é realmente um presente de Deus! Queremos mostrar que damos valor a essa bondade por fazer o máximo para agradar a Jeová todos os dias.

DÊ VALOR À BONDADE IMERECIDA DE DEUS

8. O que nunca devemos pensar?

8 Por sermos descendentes de Adão, temos a tendência de fazer o que é errado, de pecar. Mas seria um erro abusar da bondade imerecida de Deus por pensar: ‘Se eu fizer alguma coisa errada não tem problema; Jeová vai me perdoar. Ele sempre perdoa.’ Infelizmente, alguns cristãos pensavam assim nos dias dos apóstolos. (Leia Judas 4.) Pode ser que a gente nunca chegue a falar uma coisa dessas, mas talvez lá no fundo a gente pense assim. Ou pode ser que deixemos que ideias erradas de outros criem raízes dentro de nós.

9, 10. Em que sentido os cristãos ungidos tinham ‘morrido com relação ao pecado’?

9 Leia Romanos 6:1, 2. Esse texto mostra que não devemos achar que o perdão de Deus é garantido. Paulo disse aos cristãos ungidos que eles tinham ‘morrido com relação ao pecado’. O que ele queria dizer?

10 Por meio do resgate, Deus perdoou Paulo e outros cristãos nos seus dias. Jeová os ungiu com espírito santo e eles se tornaram seus filhos. Se fossem fiéis, eles viveriam no céu e governariam com Cristo. Mas como Paulo podia dizer que eles tinham ‘morrido com relação ao pecado’ se eles ainda estavam vivos? Paulo usou uma comparação para mostrar que a vida deles tinha mudado completamente. Ele disse que, quando Jesus foi ressuscitado para viver no céu, a morte não tinha mais poder sobre ele. Assim como a morte não tinha mais poder sobre Jesus, os desejos errados não tinham mais poder sobre os cristãos ungidos. Ou seja, eles não eram mais controlados pelos seus desejos errados. Estavam como que “mortos com relação ao pecado, mas vivos com relação a Deus, por meio de Cristo Jesus”. — Rom. 6:9, 11.

11. Em que sentido os cristãos hoje ‘morreram com relação ao pecado’?

11 E nós que servimos a Jeová hoje? Antes de nos tornar cristãos, a gente pecava e talvez nem percebesse que o que fazíamos era errado aos olhos de Deus. A gente era como que “escravos à impureza e ao que é contra a lei”, ou seja, “escravos do pecado”. (Rom. 6:19, 20) Daí aprendemos a verdade, fizemos mudanças na vida, nos dedicamos a Deus e fomos batizados. Passamos a ser “obedientes de coração” aos ensinos e às orientações de Deus. É nesse sentido que fomos “libertados do pecado” e ‘nos tornamos escravos da justiça’. (Rom. 6:17, 18) Assim como os cristãos nos dias de Paulo, nós também “morremos com relação ao pecado”.

12. Que escolha cada um de nós tem?

12 Agora, pare e pense nas palavras de Paulo: “Não deixem que o pecado continue a reinar em seus corpos mortais, fazendo com que vocês obedeçam aos seus desejos.” (Rom. 6:12) Quando seguimos nossos desejos errados, estamos ‘deixando que o pecado continue a reinar’ em nós. Sendo assim, temos uma escolha: deixar que o pecado nos domine ou não. Pergunte-se: ‘O que eu realmente quero? Será que às vezes deixo que meus desejos e pensamentos me levem na direção errada? Ou estou “morto com relação ao pecado”, vivendo para agradar a Deus e a Jesus?’ No fim das contas, a questão é se damos valor ou não à bondade imerecida de Deus.

UMA LUTA QUE VOCÊ PODE VENCER

13. Que exemplos mostram que podemos parar de fazer coisas erradas?

13 Os servos de Jeová nos dias de Paulo rejeitaram ‘o fruto que produziam’, ou seja, pararam de fazer as coisas erradas que faziam antes de conhecer, amar e servir a Deus. Alguns tinham feito ‘coisas das quais se envergonhavam’, pecados que poderiam levar à morte deles. (Rom. 6:21) Só que eles fizeram mudanças. Por exemplo, alguns em Corinto adoravam ídolos, traíam o marido ou a esposa, eram homossexuais, roubavam ou bebiam demais. Mas eles foram “lavados” e “santificados”. (1 Cor. 6:9-11) Parece que isso também aconteceu com alguns cristãos em Roma. Paulo escreveu a eles: “Nem continuem a apresentar os seus corpos ao pecado como armas da injustiça, mas apresentem-se a Deus como pessoas que passaram da morte para a vida; apresentem também os seus corpos a Deus como armas da justiça.” (Rom. 6:13) Paulo sabia que eles podiam se manter puros e continuar se beneficiando da bondade imerecida de Deus.

14, 15. O que devemos nos perguntar sobre pecados que alguns não acham tão graves?

14 Hoje não é diferente. Alguns irmãos e irmãs já foram como os cristãos em Corinto. Mas eles também fizeram mudanças. Pararam de fazer coisas erradas e foram “lavados”. Você com certeza também teve que fazer mudanças. Mas a pergunta é: qual é a sua situação hoje com Jeová? Deus tornou possível o perdão de pecados por meio da sua grande bondade. Sendo assim, você está decidido a nunca mais ‘apresentar seu corpo ao pecado’? Está decidido a ‘apresentar seu corpo a Deus’ para fazer a vontade dele?

15 Para fazermos isso, é claro que não podemos cometer pecados graves, como os que Paulo mencionou. Afinal, se cometemos pecados graves, não podemos dizer que aceitamos a bondade imerecida de Deus e que ‘o pecado não domina mais sobre nós’. Mas que dizer de pecados que alguns não acham tão graves? Será que, nesses casos, também estamos decididos a ser “obedientes de coração”? — Rom. 6:14, 17.

16. Como as palavras de Paulo mostram que não basta evitar pecados graves?

16 Veja o caso do apóstolo Paulo. É claro que ele não cometia os pecados graves mencionados em 1 Coríntios 6:9-11. Mesmo assim, Paulo reconheceu que também pecava. Ele escreveu: “Eu sou carnal, vendido como escravo ao pecado. Pois não entendo por que ajo assim. Pois não pratico o que quero, mas faço aquilo que odeio.” (Rom. 7:14, 15) Paulo sabia que para agradar a Jeová ele precisava lutar contra outras coisas que também são erradas. (Leia Romanos 7:21-23.) Assim como Paulo, devemos nos esforçar para ser “obedientes de coração”.

17. Por que você está decidido a ser honesto?

17 Como exemplo, vamos ver a questão da honestidade. Para ser um verdadeiro cristão, a pessoa tem que ser honesta. (Leia Provérbios 14:5; Efésios 4:25.) A Bíblia diz que “o pai da mentira” é Satanás. Além disso, ela diz que alguns foram mortos porque mentiram, como Ananias e Safira. Não queremos ser como essas pessoas, por isso não mentimos. (João 8:44; Atos 5:1-11) Mas será que para ser honesto basta não mentir? Se realmente dermos valor à bondade imerecida de Deus, vamos ser honestos em todos os sentidos.

18, 19. Por que ser honesto é mais do que não mentir? Dê um exemplo.

18 Mentir é dizer algo que não é verdade. Mas Jeová não quer apenas que seus servos não contem mentiras. Ele disse aos israelitas: “Vocês devem ser santos, porque eu, Jeová, seu Deus, sou santo.” Depois ele deu exemplos do que significa ser santo. Ele disse: “Não furtem, não enganem, não sejam falsos uns com os outros.” (Lev. 19:2, 11) Pode ser que a pessoa não conte uma mentira, mas quando não conta toda a verdade, ela está enganando a outra pessoa.

Estamos decididos a não mentir nem enganar? (Veja o parágrafo 19.)

19 Veja o seguinte exemplo: um homem diz para o chefe que precisa sair mais cedo porque tem que resolver um assunto médico. Mas na verdade ele quer sair mais cedo porque vai viajar com a família. O “assunto médico” é apenas ir à farmácia ou dar uma passadinha no consultório médico para buscar um exame. Pode até ter uma “pontinha de verdade” no que ele disse. Mas você diria que ele está sendo honesto? Ou está enganando o chefe? Você talvez consiga pensar em outros exemplos como esse. Às vezes alguém age assim para esconder um erro ou para tirar vantagem de outros. Mesmo que tecnicamente a pessoa não diga uma “mentira”, será que ela está obedecendo à ordem de Deus: “Não enganem”? Com certeza queremos fazer o que é certo para continuarmos puros aos olhos de Jeová. — Rom. 6:19.

20, 21. O que a bondade imerecida de Deus nos motiva a fazer?

20 O ponto é que quem dá valor à bondade imerecida de Deus faz mais do que apenas evitar o que é obviamente errado. Por exemplo, nós não só evitamos a imoralidade sexual, mas também evitamos filmes, programas de TV ou livros que sejam imorais. Se formos “escravos da justiça”, não apenas vamos evitar ficar bêbados, mas também não vamos beber até ficar quase bêbados. Lutar contra essas coisas erradas não é nada fácil, mas é uma luta que podemos vencer.

21 Não queremos apenas evitar pecados graves, mas também pecados que não parecem tão graves. Não conseguimos fazer isso perfeitamente, mas temos que nos esforçar, assim como Paulo. Ele disse aos seus irmãos: “Não deixem que o pecado continue a reinar em seus corpos mortais, fazendo com que vocês obedeçam aos seus desejos.” (Rom. 6:12; 7:18-20) Quando lutamos contra todo tipo de pecado, mostramos que damos valor à bondade de Deus e de Cristo.

22. Se dermos valor à bondade imerecida de Deus, que recompensa teremos?

22 Por causa da sua grande bondade, Jeová perdoa nossos pecados e vai continuar a fazer isso. Se dermos valor a essa bondade, vamos lutar contra qualquer tendência de cometer pecados que outros não acham tão graves. Paulo falou sobre a recompensa que teremos se fizermos isso: “Agora que foram libertados do pecado e se tornaram escravos de Deus, o fruto que estão produzindo é a santidade, e o fim será a vida eterna.” — Rom. 6:22.