Ir para conteúdo

Ir para menu secundário

Ir para conteúdo

Testemunhas de Jeová

Língua Gestual Portuguesa

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Agosto 2017

Desenvolva e mantenha a nova personalidade

Desenvolva e mantenha a nova personalidade

‘Revistam-se da nova personalidade.’ — COL. 3:10.

CÂNTICOS: 43, 27

1, 2. (a) Por que podemos ter a nova personalidade? (b) Colossenses 3:10-14 fala de que qualidades da nova personalidade?

“NOVA personalidade.” Essa expressão aparece duas vezes na Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. (Efé. 4:24; Col. 3:10) A nova personalidade se refere a várias qualidades que agradam a Deus. Ter essa nova personalidade é algo que está ao nosso alcance. Por quê? Porque Jeová criou os humanos à imagem dele, e isso quer dizer que podemos ter as excelentes qualidades que ele tem. — Gên. 1:26, 27; Efé. 5:1.

2 Infelizmente, todos nós somos imperfeitos e temos desejos errados. Também somos influenciados pela nossa criação ou pelo ambiente à nossa volta. Mas Jeová nos ajuda a ser o tipo de pessoas que ele ama. Neste estudo, vamos falar de várias qualidades da nova personalidade. O apóstolo Paulo escreveu sobre isso em Colossenses 3:10-14. (Leia.) Também vamos ver como podemos mostrar essas qualidades na pregação. Estudar isso vai fortalecer nossa determinação de ter a nova personalidade.

IMPARCIALIDADE

3. Para termos a nova personalidade, o que é preciso?

3 Para termos a nova personalidade, precisamos ser imparciais, ou seja, tratar todos de modo igual, não importa a raça, o país ou a condição financeira da pessoa. A imparcialidade é uma qualidade que se destaca entre o povo de Deus. Sobre isso, Paulo escreveu: “Não há nem grego nem judeu, nem circuncisão nem incircuncisão, nem estrangeiro, cita, escravo nem homem livre.” * Por que é importante sermos imparciais? Porque os verdadeiros seguidores de Cristo “são um só”. — Col. 3:11; Gál. 3:28.

4. (a) Como os servos de Jeová tratam as pessoas? (b) Que desafio os irmãos na África do Sul enfrentam?

4 Os que têm a nova personalidade não olham para a condição social ou a raça das pessoas. Eles tratam todos com respeito. (Rom. 2:11) Em alguns lugares, fazer isso é um desafio. Por exemplo, no passado, o governo da África do Sul decidia onde as pessoas podiam morar de acordo com as raças delas. Havia lugares separados para negros, brancos e mestiços. A maioria dos irmãos ainda mora nessas áreas. Por isso, para incentivar os irmãos a abrir ainda mais seu coração, o Corpo Governante aprovou em outubro de 2013 um arranjo que está ajudando os irmãos a conhecer melhor uns aos outros. (2 Cor. 6:13) Como isso funciona?

5, 6. (a) O que está sendo feito para fortalecer a união dos irmãos na África do Sul? (Veja a foto no começo do estudo.) (b) Quais foram os resultados?

5 Primeiro, são feitos preparativos para que duas congregações de idiomas ou raças diferentes se reúnam juntas. Durante alguns fins de semana, esses irmãos pregam e assistem às reuniões juntos. Eles também vão às casas uns dos outros. Isso já aconteceu em centenas de congregações na África do Sul, e o Betel de lá recebeu muitos comentários positivos, até de pessoas que não são Testemunhas de Jeová. Por exemplo, um ministro religioso disse: “Eu não sou da religião de vocês, mas admiro o jeito que vocês pregam. E apesar de serem de muitas raças, vocês são unidos.” E os irmãos? O que estão achando disso?

6 Veja o exemplo de Noma, uma irmã que fala o idioma xosa. Ela não se sentia à vontade para convidar irmãos brancos de uma congregação de língua inglesa, porque a casa dela é simples. Mas, depois de pregar com irmãos brancos e de visitar a casa deles, ela concluiu: “Eles são pessoas normais, como a gente!” Daí chegou a vez de os irmãos da congregação dela receberem a congregação de língua inglesa. Noma preparou um lanche e convidou alguns irmãos brancos, inclusive um ancião. Ela conta: “Fiquei impressionada com a simplicidade do irmão. Ele não se importou de sentar numa caixa de plástico, que eu uso como banquinho.” Essa iniciativa está ajudando muitos irmãos a fazer amizade com pessoas de outras raças.

COMPAIXÃO E BONDADE

7. Por que precisamos ter compaixão?

7 Enquanto não chegar o fim deste mundo, vamos continuar enfrentando dificuldades, como desemprego, doenças graves, perseguição, desastres naturais e assaltos. Nós precisamos ajudar os irmãos a lidar com esses problemas. Para isso, precisamos ter compaixão. A compaixão nos motiva a praticar atos de bondade. (Efé. 4:32) Essas duas qualidades fazem parte da nova personalidade. Elas nos ajudam a imitar a Jeová e ser uma fonte de consolo para as pessoas. — 2 Cor. 1:3, 4.

8. Conte um exemplo que mostra a importância de ter compaixão e bondade na congregação.

8 Na congregação, podemos mostrar compaixão e bondade principalmente por estrangeiros ou outras pessoas que precisam de ajuda. Como? Precisamos fazer amizade com essas pessoas e mostrar que elas são uma parte importante da congregação. (1 Cor. 12:22, 25) Veja o exemplo de Dannykarl, que se mudou das Filipinas para o Japão. No trabalho, ele sofria preconceito. Mas um dia ele foi a uma reunião das Testemunhas de Jeová. Ele disse: “Quase todos eram japoneses, mas eles me receberam muito bem. Parecia que me conheciam há muito tempo.” Os irmãos continuaram tratando Dannykarl com bondade, e isso contribuiu para o progresso dele. Ele se batizou e hoje serve como ancião. Os outros anciãos dizem que ele e a esposa, Jennifer, são um grande apoio para a congregação: “Eles são pioneiros e levam uma vida bem simples. São um excelente exemplo de pessoas que buscam primeiro o Reino.” — Luc. 12:31.

9, 10. Que bênçãos Tiffany e a família de Sakiko receberam por mostrar compaixão na pregação?

9 Uma boa oportunidade de ‘fazer o bem a todos’ é por pregar a mensagem do Reino. (Gál. 6:10) E muitos irmãos mostram compaixão pelos estrangeiros em seu território por aprender um novo idioma. (1 Cor. 9:23) Quem faz isso recebe muitas bênçãos. Veja o exemplo de Tiffany, uma pioneira da Austrália que aprendeu suaíli para ajudar uma congregação na cidade de Brisbane. Não foi fácil, mas Tiffany sente que valeu a pena. Ela diz: “Se você quiser que a pregação fique mais animada, é só apoiar uma congregação de língua estrangeira. É como se você viajasse sem sair da sua cidade! E você também sente mais de perto a união que existe entre o povo de Jeová no mundo inteiro.”

O que motiva os cristãos a ajudar pessoas de outros países? (Veja o parágrafo 10.)

10 Veja também o exemplo de uma família no Japão. A filha, Sakiko, conta: “Nos anos 90, era comum encontrar brasileiros no território. A gente mostrava na Bíblia em português textos como Apocalipse 21:3, 4 e Salmo 37:10, 11, 29. Eles prestavam atenção e, às vezes, até se emocionavam.” A compaixão dessa família não parou por aí. Sakiko diz: “Quando vimos o interesse deles, eu e minha família começamos a estudar português.” Essa família ajudou a formar uma congregação de língua portuguesa e, com o tempo, muitos estrangeiros que estudaram com eles se tornaram servos de Jeová. Sakiko diz: “Aprender português foi uma luta, mas nossas bênçãos foram muito maiores que nossos esforços. Somos muito gratos a Jeová.” — Leia Atos 10:34, 35.

HUMILDADE

11, 12. (a) Por que é importante se revestir da nova personalidade com a motivação certa? (b) O que vai nos ajudar a continuar humildes?

11 O principal motivo de nos revestirmos da nova personalidade deve ser o desejo de dar honra a Jeová, e não o desejo de receber elogios. Ter a motivação certa é muito importante porque nós temos a tendência de ser orgulhosos. Lembre-se: até um anjo pecou porque se tornou orgulhoso. (Note Ezequiel 28:17.) Se isso aconteceu com uma criatura perfeita, é claro que pode acontecer com a gente também! Então, temos que desenvolver humildade. O que vai nos ajudar a fazer isso?

12 Para continuar humildes, precisamos tirar tempo para meditar todos os dias na Palavra de Deus. (Deut. 17:18-20) Os ensinos de Jesus e seu exemplo de humildade podem nos ajudar muito. (Mat. 20:28) Jesus até lavou os pés dos apóstolos. (João 13:12-17) Além de meditar, temos que pedir sempre a ajuda de Jeová para lutar contra a tendência de nos sentir melhores do que outras pessoas. — Gál. 6:3, 4; Fil. 2:3.

13. Como a humildade nos ajuda?

13 Leia Provérbios 22:4. Jeová espera que todos os seus servos sejam humildes. Isso resulta em muitos benefícios. Ser humildes nos ajuda a fazer de tudo para ter paz e união com os nossos irmãos. Além disso, Deus trata os humildes com bondade. O apóstolo Pedro disse: “Revistam-se de humildade uns para com os outros, porque Deus se opõe aos arrogantes, mas concede bondade imerecida aos humildes.” — 1 Ped. 5:5.

BRANDURA E PACIÊNCIA

14. Quem é o melhor exemplo de brandura e paciência?

14 No mundo, muitos veem a brandura e a paciência como fraquezas. Mas a verdade é o contrário: só pessoas fortes têm essas qualidades. Jeová, a pessoa mais poderosa do Universo, é o melhor exemplo de brandura e paciência. (2 Ped. 3:9) Lembra das ocasiões em que Abraão e Ló questionaram a decisão de Jeová? Jeová foi brando e paciente com eles. (Gên. 18:22-33; 19:18-21) Jeová também lidou por mais de 1.500 anos com um povo teimoso e desobediente. Ele precisou de muita brandura e paciência. — Eze. 33:11.

15. Como Jesus foi brando e paciente?

15 Jesus tinha um “temperamento brando”. (Mat. 11:29) Ele foi muito paciente ao lidar com as falhas dos seus seguidores. Enquanto estava na Terra, Jesus foi criticado por líderes religiosos, mas continuou brando e paciente até a sua morte. Mesmo sofrendo uma dor terrível, Jesus orou pedindo que seu Pai perdoasse os soldados que o pregaram na estaca. Ele disse: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo.” (Luc. 23:34) Sem dúvida, Jesus é um grande exemplo de como podemos mostrar brandura e paciência mesmo se estivermos sofrendo. — Leia 1 Pedro 2:21-23.

16. Como podemos ser brandos e pacientes?

16 Uma maneira de sermos brandos e pacientes é fazendo o que Paulo escreveu em Colossenses 3:13: “Continuem a suportar uns aos outros e a perdoar uns aos outros liberalmente, mesmo que alguém tenha razão para queixa contra outro. Assim como Jeová os perdoou liberalmente, vocês devem fazer o mesmo.” Só quem é brando e paciente consegue perdoar outros. Quando perdoamos de coração, ajudamos a congregação a continuar unida.

17. Por que devemos ser brandos e pacientes?

17 Ser brando e paciente não é opcional. Nossa salvação depende de termos essas qualidades. (Mat. 5:5; Tia. 1:21) Mais importante ainda: quando temos brandura e paciência, damos honra a Jeová e ajudamos outros a fazer o mesmo. — Gál. 6:1; 2 Tim. 2:24, 25.

AMOR

18. Como Tiago mostrou que o amor e a imparcialidade estão relacionados?

18 As seis qualidades que estudamos até agora estão muito relacionadas com o amor. O discípulo Tiago falou, por exemplo, da relação entre o amor e a imparcialidade. Alguns irmãos estavam sendo parciais, tratando os ricos de um jeito e os pobres de outro. Tiago mostrou que isso era falta de amor. Ele lembrou os cristãos do mandamento: “Ame o seu próximo como a si mesmo.” Depois, disse: “Se vocês continuam mostrando favoritismo, estão cometendo um pecado.” (Tia. 2:8, 9) O amor nos ajuda a tratar todos como iguais, não importa a raça, a condição financeira ou a escolaridade da pessoa. E nossa imparcialidade não pode ser apenas uma máscara. Ela deve vir do coração.

19. Por que é importante mostrar amor?

19 A Bíblia também diz que o amor é paciente, bondoso e humilde. (1 Cor. 13:4) Precisamos dessas qualidades para continuar pregando a mensagem do Reino. (Mat. 28:19) Elas também nos ajudam a nos dar bem com todos os irmãos. Quando somos amorosos, a congregação fica mais unida. Isso dá honra a Jeová e atrai pessoas sinceras à organização. O amor é tão importante que a Bíblia termina de falar da nova personalidade com as seguintes palavras: “Além de todas essas coisas, revistam-se de amor, pois é o perfeito vínculo de união.” — Col. 3:14.

CONTINUE A TER A NOVA PERSONALIDADE

20. (a) Que perguntas precisamos fazer para nós mesmos, e por quê? (b) O que vai acontecer no futuro?

20 Todos nós devemos nos perguntar: ‘O que mais eu posso fazer para me livrar completamente da velha personalidade?’ Além de pedir a ajuda de Jeová, precisamos fazer o máximo para vencer qualquer tendência ou prática errada que nos impeça de ganhar vida eterna. (Gál. 5:19-21) Outra pergunta que temos que fazer é: ‘Será que continuo disposto a melhorar minha personalidade para agradar a Jeová?’ (Efé. 4:23, 24) Fazer essas perguntas é muito importante. Afinal, revestir-se da nova personalidade não é uma coisa que fazemos uma vez na vida. É algo que temos que fazer sempre! No futuro, todos os humanos vão demonstrar de modo perfeito as qualidades da nova personalidade. Não temos dúvidas de que a vida será maravilhosa!

^ par. 3 Nos tempos bíblicos, os citas eram um povo desprezado. Muitos achavam que eles não eram civilizados.