Ir para conteúdo

Ir para conteúdo

 Parte 1

A Vida Satisfatória é Apenas uma Ilusão?

A Vida Satisfatória é Apenas uma Ilusão?

NUM país desenvolvido, uma casa equipada com todos os luxos da vida pode dar a impressão de conforto e prosperidade. Contudo, ao entrar ali, que situação talvez encontre? Um ambiente constrangedor e infeliz. Os adolescentes respondem aos seus pais com um mal-humorado “Sim” ou “Não”. A mãe anseia a atenção do marido. E o pai apenas quer que o deixem em paz. Os pais idosos deste casal, que moram em outro lugar, estão ansiosos pela companhia da família que já não veem há meses. Por outro lado, há famílias que apesar de enfrentar pressões parecidas conseguem resolver seus problemas e são realmente felizes. Gostaria de saber o porquê?

2 Veja o caso de uma família num país em desenvolvimento, talvez em outro extremo do mundo. Os sete membros da família moram num barraco que pode cair a qualquer momento. Não sabem quando farão a próxima refeição — um triste lembrete de que o homem não tem sido capaz de eliminar a fome e a pobreza do mundo. Contudo, há muitas famílias que enfrentam a pobreza com uma atitude feliz. Por quê?

3 Os problemas financeiros surgem mesmo em países abastados. No Japão, uma família comprou uma casa na época em que o país estava numa situação financeira de grande euforia. Certos de que sua renda mensal aumentaria, assumiram uma hipoteca com prestações altíssimas. Quando a euforia acabou, não tinham condições de continuar pagando as prestações e tiveram de vender a casa por um preço bem menor do que pagaram. Apesar de não morarem mais na casa, ainda estão pagando a dívida. Para piorar a situação, estão tendo dificuldades para pagar as contas de cartões de crédito. O pai faz apostas em cavalos de corrida, e a família fica cada vez mais atolada em dívidas. No entanto, muitas famílias fizeram ajustes que lhes trouxeram felicidade. Gostaria de saber como?

4 Independentemente de onde você more, os relacionamentos humanos podem ser uma fonte de constante tensão, tornando a vida insatisfatória. Talvez sofra calúnias no local de trabalho. Sua competência pode despertar inveja e fazer com que seja criticado injustamente. Pode ser que alguém com quem você lida no dia a dia tenha personalidade forte e o irrite. Seu filho pode ser maltratado, importunado ou ignorado na escola. Caso tenha filhos, mas não tenha cônjuge, você sabe que isso não melhora sua situação na vida no que diz respeito ao relacionamento com outras pessoas. Todos os problemas desse tipo fazem com que homens e mulheres fiquem mais estressados.

5 Os efeitos do estresse podem acumular-se silenciosamente ao longo do tempo até que a pessoa chegue ao esgotamento de uma hora para outra. Por isso, o estresse tem sido chamado de o assassino silencioso, e o estresse crônico, de veneno que mata lentamente. “Atualmente, trabalhadores de quase todos os cantos do mundo são atingidos pelo estresse e pelas doenças provenientes dele”, diz o Professor Robert L. Veninga, da Universidade de Minnesota. Estima-se que as doenças ligadas ao estresse custem anualmente 200 bilhões de dólares à economia dos EUA. O estresse é até mesmo chamado de o mais recente produto de exportação dos Estados Unidos, e muitos dos principais idiomas do mundo empregam a palavra “stress”. Quando você está estressado e não consegue fazer as coisas programadas, talvez tenha sentimentos de culpa. Um estudo recente revela que a pessoa mediana gasta duas horas por dia sentindo-se culpada. Apesar disso, alguns conseguem lidar com o estresse e ter satisfação na vida.

6 Como você pode lidar com esses problemas do dia a dia e ter satisfação? Alguns recorrem a livros de autoajuda e a manuais redigidos por especialistas. Pode-se confiar nesses livros? O Dr. Benjamin Spock, cujo livro sobre criação de filhos foi traduzido em 42 idiomas e tem uma tiragem de quase 50 milhões de exemplares, disse uma vez que “a incapacidade de ser firmes é . . . atualmente o problema mais comum dos pais nos Estados Unidos”. Ele acrescentou que os profissionais, incluindo ele próprio, têm muita culpa nisso. “Percebemos tarde demais”, admitiu, “como a nossa atitude de sabe-tudo estava minando a autoconfiança dos pais”. Assim, é bom nos perguntarmos: ‘O conselho de quem podemos seguir com segurança para ter uma vida satisfatória hoje e no futuro?’