Ir para conteúdo

Ir para menu secundário

Ir para conteúdo

Testemunhas de Jeová

Língua Gestual Portuguesa

Como Ter uma Vida Satisfatória

 Parte 2

Sugestões para Viver de Maneira Satisfatória

Sugestões para Viver de Maneira Satisfatória

QUANDO enfrenta um problema, onde procura conselhos? Talvez procure um amigo de confiança ou um conselheiro experiente. Verificar algumas fontes de informação, como as que se encontram em bibliotecas, pode ajudar. Ou talvez recorra à “sabedoria da vovó”, como alguns orientais a chamam, para se beneficiar de seus anos de experiência. Qualquer que seja o método de sua preferência, é bom analisar algumas palavras de sabedoria que nos dão sugestões excelentes para resolver o problema. Veja alguns bons conselhos práticos.

“Educa o rapaz segundo o caminho que é para ele”

2 Vida familiar: Muitos pais ficam preocupados por ter de criar os filhos num mundo cheio de más influências. O seguinte conselho pode ajudar: “Educa o rapaz segundo o caminho que é para ele; mesmo quando envelhecer não se desviará dele.” 1 À medida que os filhos crescem, precisam do “caminho”, um conjunto de padrões a seguir. É cada vez maior o número de especialistas que reconhecem a importância de estabelecer regras benéficas para os filhos. As boas normas que os pais estabelecem fazem com que os filhos se sintam seguros. Além disso: “A vara e a repreensão é que dão sabedoria; mas, o rapaz deixado solto causará vergonha à sua mãe.” 2 “A vara” refere-se à autoridade que os pais devem exercer de maneira amorosa para evitar que os filhos adotem um proceder errado. O uso da autoridade de forma alguma implica em algum tipo de abuso contra a criança. O conselho para os pais é o seguinte: “Não estejais exasperando os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.” 3

“Cada um de vós . . . ame a sua esposa como a si próprio”

3 A base da felicidade familiar é o excelente relacionamento entre marido e esposa. O que é necessário para conseguir um relacionamento assim? “Cada um de vós, individualmente, ame a sua esposa como a si próprio; por outro lado, a esposa deve ter profundo respeito pelo seu marido.” 4 O amor e o respeito atuam como lubrificantes do mecanismo familiar. Para que esse conselho funcione, é fundamental haver comunicação, porque “há frustração de planos quando não há palestra confidencial”. 5 Para promover a comunicação aberta, devemos procurar conhecer a fundo os sentimentos de nosso cônjuge e descobrir como realmente se sente. É bom ter em mente que “os pensamentos de uma pessoa são como água em poço fundo, mas quem é inteligente sabe como tirá-los para fora”. 6

Seja positivo e tome a iniciativa de fazer boas amizades

4 Muitos idosos se sentem solitários e abandonados pelos filhos, mesmo em países onde o respeito pelos pais costumava ser a norma. É bom que os filhos dessas pessoas idosas parem para pensar nas seguintes declarações sábias: “Honra teu pai e tua mãe.” 7 “Não desprezes a tua mãe só porque ela envelheceu.” 8 “Aquele que maltrata o pai e que põe em fuga a mãe é filho que age de modo vergonhoso e ignominioso.” 9 Por outro lado, os pais idosos precisam ter atitude positiva e tomar a iniciativa de fazer boas amizades.“Quem se isola procurará o seu próprio desejo egoísta; estourará contra toda a sabedoria prática.” 10

5 Uso do álcool: É verdade que “o próprio vinho alegra a vida”, 11 e que tomar bebidas alcoólicas pode fazer com que a pessoa ‘não se lembre mais da própria desgraça’. 12 Contudo, lembre-se que “o vinho é zombador, a bebida inebriante é turbulenta, e quem se perde por ele não é sábio”. 13 Pense nos efeitos de beber demais: “No seu fim [o vinho] morde igual a uma serpente e segrega veneno igual a uma víbora. Teus próprios olhos verão coisas estranhas e teu próprio coração falará coisas perversas. . . . ‘Quando é que acordarei? Eu o procurarei ainda mais.’” 14 Quando usadas com moderação, as bebidas alcoólicas podem fazer bem, mas nunca se deve abusar delas.

6 Controle do dinheiro: Quando se usa criteriosamente o dinheiro, às vezes se consegue prevenir problemas financeiros. Preste atenção ao seguinte conselho: “Não venhas a ficar entre os beberrões de vinho, entre os que são comilões de carne. Porque o beberrão e o glutão ficarão pobres, e a sonolência vestirá a pessoa de meros trapos.” 15 Quando a pessoa não abusa do álcool, não usa drogas nem gasta dinheiro com jogos de azar, ela pode usar o que ganha para prover, de maneira benéfica, o que sua família precisa. Mas muitos não conseguem viver com o que ganham e acabam tendo de trabalhar demais simplesmente para pagar as dívidas. Alguns chegam até a pedir empréstimo para pagar juros de outro empréstimo. É bom ter em mente as seguintes palavras de sabedoria: “Aquele que se empenha por coisas sem valor terá fartura de pobreza.” 16 Pergunte-se: ‘Preciso realmente das coisas que quero comprar? Quantas coisas acabam ficando guardadas depois de poucas vezes de uso? Um colunista escreveu: “As necessidades do homem são poucas — seus desejos, infinitos.” Observe estas palavras de sabedoria: “Não trouxemos nada ao mundo, nem podemos levar nada embora. Assim, tendo sustento e com que nos cobrir, estaremos contentes com estas coisas. . . . O amor ao dinheiro é raiz de toda sorte de coisas prejudiciais, e alguns, por procurarem alcançar este amor . . . se traspassaram todo com muitas dores.” 17

7 O fato de a pessoa ser trabalhadora ajuda muito na solução dos problemas financeiros. “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; vê os seus caminhos e torna-te sábio. . . . Mais um pouco de sono, mais um pouco de cochilo, mais um pouco de cruzar as mãos ao estar deitado, e certamente chegará a tua pobreza como um bandoleiro.” 18 É bom também fazer um planejamento detalhado e um orçamento realístico: “Quem de vós, querendo construir uma torre, não se assenta primeiro e calcula a despesa, para ver se tem bastante para completá-la?” 19

“Observaste o homem que é destro na sua obra?”

8 Mas e se não tivermos culpa por nossa pobreza? Por exemplo, por causa da situação econômica difícil talvez venhamos a ficar desempregados, embora estejamos dispostos a trabalhar com diligência. Ou talvez moremos num país onde o nível de vida da maioria da população está abaixo da linha de pobreza. O que fazer então? “A sabedoria é para proteção, assim como o dinheiro é para proteção; mas a vantagem do conhecimento é que a própria sabedoria preserva vivos os que a possuem.” 20 Veja também o seguinte conselho: “Observaste o homem que é destro na sua obra? É perante reis que ele se postará.” 21 Será que podemos aprender a fazer coisas que nos ajudarão a conseguir emprego?

“Praticai o dar, e dar-vos-ão”

9 O seguinte conselho pode parecer contraditório, mas realmente funciona: “Praticai o dar, e dar-vos-ão. . . . Pois, com a medida com que medis, medirão a vós em troca.” 22 Isso não quer dizer que devemos dar com a esperança de receber algo em troca. O conselho é cultivar a generosidade: “Far-se-á que a própria alma generosa engorde, e aquele que rega liberalmente os outros também será regado liberalmente.” 23 O fato de partilharmos as coisas quando há necessidade faz com que outros tenham a mesma atitude e, com o tempo, nós mesmos podemos ser beneficiados por isso.

10 Relacionamentos humanos: Um rei sábio observou: “Eu mesmo vi todo o trabalho árduo e toda a proficiência no trabalho, que significa rivalidade de um para com o outro; também isto é vaidade e um esforço para alcançar o vento.” 24 A rivalidade já fez muitas pessoas agir de maneira imprudente. Alguém vê que seu vizinho comprou uma televisão de 32 polegadas e lá vai ele comprar uma de 36 polegadas, embora seu aparelho de 27 polegadas funcione perfeitamente. Essa rivalidade é pura vaidade; é o mesmo que ficar correndo atrás do vento — uma corrida a troco de nada. Não concorda?

Como podemos lidar com essa forte emoção, a ira?

11 Talvez nos ofendamos com o que alguém nos diga. Mas analise o seguinte conselho: “Não te precipites no teu espírito em ficar ofendido, pois ficar ofendido é o que descansa no seio dos estúpidos.” 25 É verdade que há situações em que a indignação é justificável. “Ficai furiosos”, admite um antigo escritor, “mas não pequeis; não se ponha o sol enquanto estais encolerizados”. 26 Mas como podemos lidar com essa forte emoção, a ira? “A perspicácia do homem certamente torna mais vagarosa a sua ira, e é beleza da sua parte passar por alto a transgressão.” 27 É preciso ter perspicácia. Podemos perguntar-nos: ‘Por que ele agiu daquela maneira? Existem fatores atenuantes?’ Além de perspicácia, há outras qualidades que podemos cultivar para lidar com a ira. “Revesti-vos das ternas afeições de compaixão, benignidade, humildade mental, brandura e longanimidade. Continuai a suportar-vos uns aos outros e a perdoar-vos uns aos outros liberalmente, se alguém tiver razão para queixa contra outro. . . . Além de todas estas coisas, porém, revesti-vos de amor, pois é o perfeito vínculo de união.” 28 O amor resolve muitos problemas nos relacionamentos humanos.

12 Contudo, há “um membro pequeno” que atrapalha o relacionamento pacífico com outras pessoas — a língua. Alguém disse com razão: “A língua, ninguém da humanidade a pode domar. É uma coisa indisciplinada e prejudicial, cheia de veneno mortífero.” 29 E o seguinte conselho é realmente digno de nota: “Todo homem tem de ser rápido no ouvir, vagaroso no falar, vagaroso no furor.” 30 Mas ao usarmos a língua, temos de ter cuidado para não recorrermos a meias-verdades para manter uma paz superficial. “Deixai simplesmente que a vossa palavra Sim signifique Sim, e o vosso Não, Não; pois tudo o que for além disso é do iníquo.” 31

13 Como podemos manter relacionamentos saudáveis com outros? Veja o princípio orientador: ‘Não vise, em interesse pessoal, apenas os seus próprios assuntos, mas também, em interesse pessoal, os dos outros.’ 32 Se agirmos assim, viveremos de acordo com o que muitos chamam de regra de ouro: “Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles.” 33

14 Estresse: Como é possível manter o equilíbrio emocional neste mundo cheio de estresse? “O coração alegre tem bom efeito sobre o semblante, mas por causa da dor de coração há um espírito abatido.” 34 É fácil perder a ‘alegria’ quando vemos que outros desprezam o que consideramos certo. Mas é bom nos lembrarmos das seguintes palavras: “Não fiques justo demais, nem te mostres excessivamente sábio. Por que devias causar a ti mesmo a desolação?” 35 Por outro lado, as ansiedades da vida podem nos afligir constantemente. O que fazer nesse caso? Lembremo-nos do seguinte: “A ansiedade no coração do homem é o que o fará curvar-se, mas a boa palavra é o que o alegra.” 36 Podemos meditar na “boa palavra” que nos encoraja. Termos atitude positiva apesar de circunstâncias deprimentes pode até ser saudável: “O coração alegre faz bem como o que cura.” 37 Quando ficamos deprimidos porque temos a impressão de que os outros não se importam conosco, podemos tentar colocar em prática a seguinte recomendação: “Há mais felicidade em dar do que há em receber.” 38 Se tivermos atitude positiva, poderemos lidar com o estresse do dia a dia.

15 Acha que as palavras de sabedoria mencionadas acima são práticas para você que vive no século 21? Na verdade, elas se encontram num livro antigo — a Bíblia. Mas por que recorrer à Bíblia e não a outras fontes de sabedoria? Porque, além de outros motivos, os princípios encontrados nela já se provaram valiosos ao longo do tempo. Veja o exemplo de Yasuhiro e Kayoko, que estavam envolvidos no movimento da liberação feminina. Eles se casaram somente porque Kayoko estava grávida de Yasuhiro. Contudo, por causa dos problemas financeiros e da incompatibilidade, eles logo se divorciaram. Algum tempo depois, sem que o outro soubesse, ambos começaram a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová. Cada um notou que o outro estava fazendo mudanças significativas. Decidiram casar-se novamente. Embora não estejam isentos de problemas, agora têm os princípios bíblicos para orientar seu modo de viver, e ambos cedem para resolver os problemas. Entre as Testemunhas de Jeová, você verá os excelentes resultados de aplicar os princípios bíblicos na vida. Que tal assistir a uma de suas reuniões e conhecer pessoas que estão se esforçando para viver de acordo com as orientações bíblicas?

16 Os conselhos citados nesta matéria são apenas alguns exemplos do infindável suprimento de sabedoria prática que se pode encontrar nessa mina de ouro de esclarecimentos, a Bíblia. As Testemunhas de Jeová têm motivos para estar dispostas a aplicar os princípios bíblicos. Porque não descobre quais são e aprende algumas coisas básicas sobre a Bíblia?