Ir para conteúdo

Ir para índice

Não perca a paz interior ao passar por mudanças

Não perca a paz interior ao passar por mudanças

“Eu acalmei e tranquilizei a minha alma.” — SAL. 131:2.

CÂNTICOS: 128 e 129

1, 2. (a) Como talvez nos sintamos quando a nossa vida muda inesperadamente? (Veja a fotografia no início do estudo.) (b) De acordo com o Salmo 131, o que nos pode ajudar a não perder a paz interior?

LLOYD E ALEXANDRA eram betelitas há mais de vinte e cinco anos. De repente, foram designados para servir fora de Betel. No início, ficaram tristes. Lloyd diz: “A minha vida girava em torno de Betel e da minha designação de trabalho. Eu entendia os motivos da mudança, mas, nas semanas e meses seguintes, muitas vezes senti-me rejeitado. Foi uma sequência de altos e baixos: havia momentos em que eu estava bem, noutros sentia-me deprimido.”

2 Quando a nossa vida muda inesperadamente, talvez nos sintamos ansiosos e stressados. (Pro. 12:25) Às vezes, é difícil aceitarmos as mudanças. Em situações assim, como podemos ‘acalmar e tranquilizar a nossa alma’? (Leia Salmo 131:1-3.) Vamos ver o exemplo de alguns servos de Jeová do passado e dos nossos dias que passaram por mudanças na vida sem perder a paz interior.

 COMO SENTIR “A PAZ DE DEUS”

3. Que mudança aconteceu na vida de José?

3 José era o filho que Jacó mais amava. Isso deixava os seus irmãos com muita inveja. Por isso, quando José tinha 17 anos, os seus irmãos venderam-no como escravo. (Gén. 37:2-4, 23-28) Durante cerca de treze anos, ele sofreu no Egito. Primeiro, como escravo e depois, como prisioneiro. José estava longe de Jacó, o seu amado pai. Ele podia ter perdido toda a esperança e ter-se tornado uma pessoa amarga, mas não foi isso o que aconteceu. O que é que ajudou José?

4. (a) No que é que José se concentrava enquanto estava preso? (b) Como é que Jeová respondeu às orações de José?

4 É muito provável que José tentasse concentrar-se em como Jeová o estava a ajudar. (Gén. 39:21; Sal. 105:17-19) Lembrar-se dos sonhos que teve quando era mais jovem ajudou-o a ter a certeza de que Jeová estava ao seu lado. (Gén. 37:5-11) Além disso, José deve ter orado muito a Jeová, abrindo-lhe o seu coração. (Sal. 145:18) E Jeová respondeu às orações de José por lhe dar a confiança de que ‘estaria com ele’ em todos os desafios. — Atos 7:9, 10. *

5. Que efeito é que “a paz de Deus” pode ter em nós?

5 Hoje, mesmo que passemos por mudanças difíceis, podemos sentir de perto “a paz de Deus”. Ela dá-nos alívio e ‘guarda a nossa mente’. (Leia Filipenses 4:6, 7.) Quando sentir que a ansiedade está a tomar conta de si, a paz de Deus vai ajudá-lo a seguir em frente e vai dar-lhe forças para não desistir. Vamos ver alguns exemplos modernos que mostram isso.

PEÇA A JEOVÁ PARA O AJUDAR A RECUPERAR A PAZ INTERIOR

6, 7. Dê um exemplo que mostre que fazer orações específicas pode ajudar-nos a recuperar a paz interior.

6 Ryan e Juliette serviam como pioneiros especiais temporários. Quando a designação deles acabou, sentiram-se desanimados. Ryan diz: “Nós orámos imediatamente a Jeová sobre o assunto. Sabíamos que aquela era uma oportunidade especial para mostrar a nossa confiança nele. Muitos da nossa congregação eram novos na verdade. Por isso, pedimos a Jeová para nos ajudar a ser um bom exemplo de fé para eles.”

7 Como é que Jeová respondeu à oração deles? Ryan lembra-se: “Assim que terminámos a oração, todos os sentimentos negativos e preocupações que tínhamos desapareceram. A paz de Deus estava mesmo a guardar o nosso coração e a nossa mente. Percebemos que, se tivéssemos a atitude certa, Jeová iria continuar a usar-nos de alguma forma.”

8-10. (a) Como é que o espírito de Deus nos ajuda a lidar com a ansiedade? (b) Como é que o exemplo de Philip e Mary mostra que Jeová abençoa os que mantêm um ponto de vista espiritual?

8 Além de nos acalmar, o espírito de Deus pode fazer-nos lembrar de textos bíblicos que mostram o que é realmente importante na vida. (Leia João 14:26, 27.) Veja o exemplo de Philip e Mary, um casal que serviu em Betel por quase vinte e cinco anos. Num espaço de quatro meses, a mãe de Philip, a mãe de Mary e outro familiar deles morreram, e o casal teve de começar a cuidar do pai de Mary, que sofre de demência.

 9 Philip conta: “Eu até achei que estava a lidar bem com tudo, mas faltava alguma coisa. Então, um artigo na revista A Sentinela citou Colossenses 1:11. Eu estava a perseverar, é verdade, mas não da maneira correta. Eu precisava de ‘perseverar plenamente com paciência e alegria. Este versículo lembrou-me de que a alegria não depende das minhas circunstâncias, mas de eu ter o espírito de Deus na minha vida.”

10 Jeová abençoou muito os esforços de Philip e Mary para manterem um ponto de vista espiritual sobre a sua situação. Logo que saíram de Betel, os dois passaram a ter estudantes da Bíblia que queriam estudar mais de uma vez por semana. Relembrando o que se passou, Mary diz: “Os estudos eram a nossa alegria. Era como se Jeová nos estivesse a dizer: ‘Vai ficar tudo bem.’”

FAÇA A SUA PARTE

Como podemos imitar o exemplo de José, seja qual for a nossa situação? (Veja os parágrafos 11 a 13.)

11, 12. (a) Como é que José fez a parte dele quando passou por mudanças? (b) Como é que José foi recompensado por ter perseverado?

11 Uma mudança inesperada pode facilmente deixar-nos paralisados, a pensar apenas nas nossas dificuldades. Isso podia ter acontecido a José. Mas, pelos vistos, ele decidiu encarar a sua situação de modo positivo e fez a parte dele. Embora estivesse na prisão, José esforçou-se muito para cumprir todas as tarefas dadas pelo carcereiro-chefe, assim como fazia quando trabalhava para Potifar. — Gén. 39:21-23.

12 Dois homens que trabalhavam na corte do Faraó foram presos. Um dia, o chefe da guarda encarregou José de cuidar deles. José tratou-os de modo bondoso, e os dois homens sentiram-se à vontade para lhe contar as suas preocupações e os sonhos estranhos que tiveram na noite anterior. (Gén. 40:5-8) José não fazia ideia, mas aquela conversa iria ajudá-lo a ficar livre novamente. Embora tivesse de suportar mais dois anos na prisão, José foi finalmente solto e, no mesmo dia, designado como o homem mais importante do Egito depois do Faraó. — Gén. 41:1, 14-16, 39-41.

13. Seja qual for a nossa situação, o que é que temos de fazer para Jeová nos abençoar?

13 Assim como José, nós talvez tenhamos pouco ou nenhum controlo sobre a nossa situação. No entanto, se formos pacientes e fizermos o melhor dentro das nossas circunstâncias, Jeová vai abençoar-nos. (Sal. 37:5) É verdade que, às vezes, vamos sentir-nos “perplexos”, mas, como o apóstolo Paulo disse, nunca seremos deixados “em desespero”. (2 Cor. 4:8, nota) Jeová estará ao nosso  lado, principalmente, se continuarmos concentrados na pregação.

CONCENTRE-SE NA PREGAÇÃO

14-16. Como é que Filipe, o evangelizador, se manteve concentrado na pregação apesar de mudanças na vida?

14 Filipe, o evangelizador, é um ótimo exemplo de alguém que se concentrou na pregação apesar de mudanças na vida. Filipe tinha acabado de receber um privilégio de serviço. (Atos 6:1-6) Mas, depois da morte de Estêvão, * os cristãos em Jerusalém começaram a ser vítimas de perseguição. Por causa disso, os cristãos fugiram para outras cidades. Apesar dessa nova situação, Filipe não ficou de braços cruzados. Ele foi pregar em Samaria, uma cidade que até então tinha pouco contacto com as boas novas. — Mat. 10:5; Atos 8:1, 5.

15 Filipe estava disposto a ir aonde quer que o espírito de Deus o mandasse. Por isso, Jeová usou-o para começar a pregação em novos territórios. É provável que os samaritanos gostassem muito de ouvir Filipe. Ao contrário dos judeus, que tratavam mal os samaritanos, Filipe não tinha nenhum preconceito e pregava a todos. Não é de admirar que as multidões prestassem muita atenção quando ele ensinava! — Atos 8:6-8.

16 Depois, o espírito de Deus levou Filipe para Asdode e Cesareia, duas cidades que tinham muitos não judeus. (Atos 8:39, 40) Anos depois, a vida de Filipe, pelos vistos, mudou outra vez. Agora, ele era um chefe de família e tinha um território de pregação fixo. Apesar de tantas mudanças, Filipe manteve-se sempre concentrado na pregação. Por causa disso, ele e a sua família foram muito abençoados por Jeová. — Atos 21:8, 9.

17, 18. Porque é que estarmos concentrados na pregação nos ajuda quando passamos por mudanças?

17 Muitos servos de tempo integral que passaram por mudanças confirmam que a pregação os ajudou a manter o equilíbrio. Veja o exemplo de Osborne e Polite, um casal da África do Sul. Quando saíram de Betel, acharam que encontrariam rapidamente um emprego a part-time e um lugar para morar. Mas Osborne diz: “Infelizmente, encontrar emprego não foi tão rápido como imaginávamos.” Polite, sua esposa, relembra: “Ficámos três  meses sem encontrar emprego e não tínhamos nenhum dinheiro guardado. Foi muito difícil.”

18 Como é que eles conseguiram lidar com essa fase stressante? Osborne diz: “Concentrámo-nos em pregar com a congregação, e isso ajudou-nos a ficar focados e positivos. Em vez de nos preocuparmos, decidimos envolver-nos na pregação, e isso deixou-nos muito felizes. Procurámos emprego em todos os sítios, e finalmente conseguimos.”

ESPERE PACIENTEMENTE POR JEOVÁ

19-21. (a) O que vai ajudar-nos a manter a paz interior? (b) Porque é que pode ser bom adaptarmo-nos a mudanças?

19 Como estes exemplos mostram, se fizermos o melhor dentro das nossas circunstâncias e confiarmos totalmente em Jeová, vamos manter a paz interior. (Leia Miqueias 7:7.) Com o tempo, até podemos perceber que as mudanças fizeram bem à nossa espiritualidade. Polite, já citada, disse: “Quando saí de Betel, aprendi o que realmente significa depender de Jeová, mesmo quando tudo parece estar contra mim. A minha amizade com ele está mais forte agora.”

20 Mary, mencionada no parágrafo 8, ainda é pioneira e cuida do pai idoso. Ela admite: “Aprendi que, quando estou ansiosa, tenho de parar, orar e acalmar-me. Acho que a maior lição de todas foi aprender a deixar as coisas nas mãos de Jeová. É algo de que vamos precisar muito no futuro.”

21 Lloyd e Alexandra, mencionados no parágrafo 1, admitem que as mudanças que sofreram testaram a fé deles de modos que não esperavam. Mas eles dizem: “Testes de fé mostram se a nossa fé é forte o suficiente para nos dar apoio e consolo em épocas difíceis. Tudo isso nos tornou pessoas melhores.”

Mudanças inesperadas podem trazer bênçãos inesperadas! (Veja os parágrafos 19 a 21.)

22. Se fizermos o melhor dentro das nossas circunstâncias, que certeza podemos ter?

22 Se a sua vida mudar inesperadamente – talvez por causa de uma nova designação, de problemas de saúde ou de novas responsabilidades na família –  tenha a certeza de que Jeová se importa consigo e vai ajudá-lo na hora certa. (Heb. 4:16; 1 Ped. 5:6, 7) Enquanto isso, faça o seu melhor dentro das suas circunstâncias. Ore sempre a Jeová e aprenda a deixar os seus problemas nas mãos dele. Se fizer isso, mesmo que a sua vida passe por mudanças, não perderá a sua paz interior.

^ par. 4 Algum tempo depois de ser solto da prisão, José disse que Deus tinha aliviado todo o seu sofrimento por lhe dar um filho. O nome desse primeiro filho era Manassés, porque José disse: “Deus fez-me esquecer todas as minhas desgraças.” — Gén. 41:51, nota.

^ par. 14 Veja o artigo “Já sabia?” neste número.