Ir para conteúdo

Ir para índice

 ESTUDO 12

Mostre consideração pelos sentimentos dos outros

Mostre consideração pelos sentimentos dos outros

“Tenham empatia.” — 1 PED. 3:8.

CÂNTICO 90 ‘Encorajemo-nos Uns aos Outros’

O QUE VAMOS VER *

1. De acordo com 1 Pedro 3:8, porque é bom ter à nossa volta pessoas que se importam com os nossos sentimentos e com o nosso bem-estar?

É MUITO bom ter à nossa volta pessoas que se importam com os nossos sentimentos e com o nosso bem-estar. Elas tentam colocar-se no nosso lugar, ou seja, tentam entender os nossos pensamentos e sentimentos. Conseguem perceber do que vamos precisar e oferecem-nos ajuda – às vezes, mesmo antes de a pedirmos. Com certeza, ficamos felizes quando outros nos tratam com “empatia”. * — Leia 1 Pedro 3:8.

2. Porque é que mostrar empatia pode ser um desafio?

2 Já que somos cristãos, todos devemos mostrar empatia. Mas fazer isso pode ser um desafio. Porquê? Um dos motivos é que somos imperfeitos. (Rom. 3:23) Por isso, precisamos de lutar contra a tendência que temos de pensar apenas em nós próprios. Outra coisa que torna difícil para alguns mostrar empatia é o modo como foram criados e algumas dificuldades que tiveram na vida. Além disso, nós podemos ser influenciados pela atitude das pessoas deste mundo. Nestes últimos dias, muitos não se importam nada com os sentimentos dos outros. São “extremamente egoístas”. (2 Tim. 3:1, 2) Como podemos lidar com esses desafios e mostrar consideração pelos sentimentos dos outros?

3. (a) O que pode ajudar-nos a ter mais empatia? (b) O que vamos estudar neste artigo?

3 Algo que pode ajudar-nos a ter mais empatia é imitar a Jeová Deus e o seu Filho, Jesus Cristo. Jeová é amor e  dá-nos o melhor exemplo de como mostrar consideração por outros. (1 João 4:8) Jesus imitou perfeitamente as qualidades do seu Pai. (João 14:9) Quando esteve na Terra, ele deu o exemplo de como uma pessoa pode mostrar compaixão. Neste artigo, vamos ver como Jeová e Jesus mostraram consideração pelos sentimentos dos outros. Depois, vamos aprender como podemos imitá-los.

JEOVÁ, O NOSSO MAIOR EXEMPLO

4. Como é que Isaías 63:7-9 mostra que Jeová se preocupa com os sentimentos dos seus servos?

4 A Bíblia ensina-nos que Jeová se preocupa com os sentimentos dos seus servos. Por exemplo, quando os israelitas passaram por situações muito difíceis, veja como a Bíblia diz que Jeová se sentiu: “Durante toda a aflição deles, ele também ficou aflito.” (Leia Isaías 63:7-9.) Mais tarde, Jeová mandou Zacarias dizer que quem maltratasse o povo de Deus estaria como que a maltratar o próprio Deus. Jeová disse aos seus servos: “Aquele que toca em vocês, toca na menina do meu olho.” (Zac. 2:8) Imaginar essa cena ajuda-nos a entender bem a preocupação de Jeová pelo seu povo.

Jeová sentiu a dor dos israelitas e libertou o seu povo da escravidão no Egito (Veja o parágrafo 5.)

5. Dê um exemplo de como Jeová agiu para ajudar os seus servos.

5 Jeová faz mais do que se preocupar com o sofrimento dos seus servos. Ele age para ajudá-los. Por exemplo, quando os israelitas estavam a sofrer como escravos no Egito, Jeová sentiu a dor deles e agiu para libertá-los. Jeová disse o seguinte a Moisés: ‘Certamente vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor. Sei muito bem o quanto estão a sofrer. Vou descer para libertá-los.’ (Êxo. 3:7, 8) Jeová libertou o seu povo porque se preocupava com os sentimentos dele. Centenas de anos mais tarde, os israelitas foram atacados por inimigos quando estavam na Terra Prometida. Como é que Jeová reagiu? Ele “lamentava os seus gemidos, causados pelos que os oprimiam e os tratavam cruelmente”. Por isso, Jeová enviou juízes para salvar os israelitas dos seus inimigos. Mais uma vez, a empatia de Jeová levou-o a ajudar o seu povo. — Juí. 2:16, 18, nota.

6. Dê um exemplo de como Jeová mostra consideração pelos seus servos, mesmo quando pensam de modo errado.

 6 Jeová mostra sempre consideração pelos sentimentos dos seus servos, mesmo quando eles pensam de modo errado. Veja o caso de Jonas. Deus enviou-o para pregar que Nínive seria destruída. Mas as pessoas daquela cidade arrependeram-se, e Deus decidiu que já não ia destruí-las. Só que Jonas não gostou nada dessa decisão. Ele ficou “muito zangado” porque a mensagem que tinha pregado não se cumpriu. O que fez Jeová? Ele agiu com paciência e ajudou Jonas a corrigir o seu modo de pensar. (Jonas 3:10–4:11) Com o tempo, Jonas aprendeu a lição. Veja o privilégio que ele recebeu: Jonas foi usado por Jeová para escrever esses acontecimentos na Bíblia. E nós podemos aprender algo disso. — Rom. 15:4. *

7. O modo como Jeová tratou os seus servos faz-nos ter a certeza de quê?

7 O modo como Jeová tratou os seus servos no passado faz-nos ter a certeza de que ele também se preocupa com os nossos sentimentos. Ele está atento a cada dor e sofrimento que enfrentamos. A Bíblia diz sobre Jeová: “Só tu realmente conheces o coração do homem.” (2 Cró. 6:30) Ele entende os nossos pensamentos mais íntimos, os nossos sentimentos mais profundos e as nossas limitações. Além disso, Jeová ‘não deixará que sejamos tentados além do que podemos suportar’. (1 Cor. 10:13) Não concorda que essa promessa é maravilhosa?

O BOM EXEMPLO DE JESUS

8-10. Que três motivos devem ter contribuído para Jesus mostrar consideração por outros?

8 Quando viveu como humano aqui na Terra, Jesus mostrou que se preocupava com os sentimentos dos outros. Há pelo menos três motivos que contribuíram para isso. O primeiro, como já vimos, é que Jesus imitou perfeitamente as qualidades do seu Pai. Assim como Jeová, Jesus amava as pessoas. Ele ficou muito feliz por ajudar o seu Pai a fazer todas as coisas, mas ele “gostava especialmente dos filhos dos homens”, ou seja, dos humanos. (Pro. 8:31) Foi o amor que levou Jesus a mostrar consideração pelos sentimentos de outros.

9 O segundo motivo é que, assim como Jeová, Jesus podia ler corações. Isso quer dizer que ele conseguia saber os pensamentos e os sentimentos das pessoas. (Mat. 9:4; João 13:10, 11) Portanto, quando percebia que elas estavam com o coração quebrantado de tanto sofrimento, Jesus mostrava consideração e consolava as pessoas. — Isa. 61:1, 2; Luc. 4:17-21.

10 O terceiro motivo é que o próprio Jesus passou por algumas das dificuldades que as pessoas enfrentam. Por exemplo, Jesus, pelos vistos, era de uma família pobre. Ele teve de aprender a trabalhar arduamente com o seu pai adotivo, José. (Mat. 13:55; Mar. 6:3) Além disso, parece que José morreu antes de Jesus começar o seu ministério na Terra. Por isso, Jesus deve ter sentido a dor de perder alguém amado. Ele também sentiu a dificuldade de ter familiares com crenças diferentes das dele. (João 7:5) Essas e outras situações que Jesus viveu ajudaram-no a entender os desafios e os sentimentos das pessoas à sua volta.

Jesus sente compaixão por um homem surdo e cura-o longe da multidão (Veja o parágrafo 11.)

11. Quando é que Jesus tornou ainda mais evidente a sua preocupação pelas pessoas? Dê um exemplo. (Veja a imagem da capa.)

 11 Jesus tornou ainda mais evidente a sua preocupação pelas pessoas quando realizou milagres. Ele não fez isso porque se sentiu obrigado, mas porque “teve pena” daqueles que estavam a sofrer. (Mat. 20:29-34; Mar. 1:40-42) Por exemplo, imagine como Jesus se sentiu quando levou um homem surdo para longe da multidão e o curou. Ou pense em quando ele ressuscitou o filho único de uma viúva. (Mar. 7:32-35; Luc. 7:12-15) Jesus importava-se com as pessoas e queria muito ajudá-las.

12. Como é que João 11:32-35 mostra a empatia de Jesus por Marta e Maria?

12 Jesus também mostrou empatia por Marta e Maria. Quando viu a dor que elas sentiam pela morte do irmão, Lázaro, “Jesus começou a chorar”. (Leia João 11:32-35.) Ele não chorou só por ter perdido um amigo que amava muito, até porque ele sabia que ia ressuscitar Lázaro. Jesus chorou porque sabia o quanto as suas queridas amigas estavam a sofrer. Ele sentiu a dor delas.

13. Porque é bom saber que Jesus mostrava empatia pelas pessoas?

13 Aprender que Jesus mostrava empatia pelas pessoas é muito bom para nós. A consideração que ele tinha por outros faz-nos amá-lo ainda mais. (1 Ped. 1:8) É tão bom saber que agora Jesus está a governar no céu como Rei do Reino de Deus! Em breve, ele vai acabar com todo o sofrimento e toda a dor causados pelo governo de Satanás. Jesus é a melhor pessoa para fazer isso, porque ele próprio viveu na Terra como humano. Com certeza, somos abençoados por ter um governante capaz de “compreender as nossas fraquezas”. — Heb. 2:17, 18; 4:15, 16.

IMITE O EXEMPLO DE JEOVÁ E DE JESUS

14. Com base no que diz Efésios 5:1, 2, sentimo-nos motivados a fazer o quê?

14 Estudar o exemplo de Jeová e de Jesus motiva-nos a ter mais consideração pelos sentimentos dos outros. (Leia Efésios 5:1, 2.) Nós não somos capazes de ler corações, como Jeová e Jesus são. No entanto, podemos tentar entender os sentimentos e as necessidades de outros. (2 Cor. 11:29) Apesar de vivermos num mundo egoísta, esforçamo-nos para procurar ‘não apenas os nossos próprios interesses, mas também os interesses dos outros’. — Fil. 2:4.

(Veja os parágrafos 15 a 19.) *

15. Quem, em especial, precisa de mostrar empatia?

15 Especialmente os anciãos precisam de mostrar empatia. Eles sabem que vão ter de prestar contas a Jeová pelo modo como tratam as ovelhas dele. (Heb. 13:17) Para ajudar as irmãs e os irmãos da congregação, os anciãos têm de ser compreensivos. Como é que os anciãos podem mostrar consideração pelos sentimentos de outros?

16. O que faz um ancião que se preocupa com os sentimentos de outros? Porque é que isso é importante?

16 Um ancião que se preocupa com os sentimentos de outros gasta tempo com os seus queridos irmãos e irmãs. Ele faz perguntas e ouve com paciência e atenção. Fazer isso é ainda mais importante quando uma das ovelhinhas de Jeová tenta dizer como se está a sentir, mas não consegue encontrar as palavras certas. (Pro. 20:5) O ancião que está disposto a dar do seu tempo cria um forte laço de amizade, confiança e amor com os irmãos. — Atos 20:37.

17. De que qualidade é que muitos irmãos gostam num ancião? Dê um exemplo.

 17 Muitos irmãos na congregação dizem que a qualidade de que mais gostam num ancião é a preocupação com os sentimentos de outros. Porquê? Uma irmã chamada Adelaide diz: “Quando sabemos que um ancião nos entende, torna-se mais fácil conversar com ele.” Ela também diz: “Quando falamos com os anciãos e percebemos como eles reagem, fica claro que eles realmente se importam connosco.” Outro irmão lembra-se com carinho do que aconteceu certa vez: “Quando comecei a contar a um ancião o que eu estava a enfrentar, vi que os olhos dele ficaram cheios de lágrimas. Nunca me vou esquecer disso.” — Rom. 12:15.

18. Como podemos desenvolver empatia?

18 É claro que não são só os anciãos que devem mostrar empatia. Todos devemos desenvolver essa qualidade. Como? Tente entender o que os membros da sua família e os irmãos da congregação estão a passar. Dê atenção aos jovens, aos idosos, aos que estão doentes e aos que perderam alguém na morte. Pergunte-lhes como estão. Quando responderem, escute com atenção. Ajude-os a sentir que você realmente se importa com eles. Diga-lhes que está disposto a ajudar no que puder. Quando fazemos isso, mostramos verdadeiro amor. — 1 João 3:18.

19. Porque é que precisamos de ser flexíveis ao tentar ajudar outros?

19 Ao tentar ajudar outros, precisamos de ser flexíveis. Porquê? Porque cada um reage de forma diferente às dificuldades da vida. Alguns estão desejosos de contar o que sentem. Já outros não gostam de conversar sobre os seus problemas. Desejamos muito ajudar, mas temos de ter cuidado para não fazer perguntas constrangedoras. (1 Tes. 4:11) Às vezes, alguém pode abrir-se consigo, mas você não concorda com o que a pessoa diz. Se isso acontecer, lembre-se de que a pessoa está a contar como ela se sente. Queremos estar prontos para ouvir, mas não nos precipitarmos em falar. — Mat. 7:1; Tia. 1:19.

20. O que vamos ver no próximo estudo?

20 Além de mostrar empatia na congregação, queremos mostrar essa bela qualidade na pregação. Como podemos mostrar empatia ao fazer discípulos? Vamos ver isso no próximo estudo.

CÂNTICO 130 Vamos Perdoar-nos Uns aos Outros

^ par. 5 Jeová e Jesus preocupam-se com os sentimentos dos outros. Este estudo vai mostrar o que podemos aprender do exemplo deles. Também vamos ver por que razão precisamos de mostrar empatia e como podemos fazer isso.

^ par. 1 ENTENDA MELHOR: Mostrar “empatia” significa tentar entender os sentimentos dos outros e tentar sentir-se como eles se sentem. (Rom. 12:15) Neste artigo, “empatia”, “consideração” e “preocupação” querem dizer a mesma coisa.

^ par. 6 Jeová também mostrou consideração por outros servos fiéis que enfrentaram situações muito difíceis ou ficaram com medo. Pense no que aconteceu a Ana, Elias e Ebede-Meleque. — 1 Sam. 1:10-20; 1 Reis 19:1-18; Jer. 38:7-13; 39:15-18.

^ par. 65 IMAGEM: As reuniões congregacionais dão-nos muitas oportunidades para mostrar empatia. Nós vemos (1) um ancião a falar bondosamente com um jovem publicador e a mãe dele, (2) um pai e a sua filha a acompanharem uma irmã idosa até ao carro e (3) dois anciãos a escutarem com atenção uma irmã que precisa de ajuda.