Ir para conteúdo

Ir para índice

Jovens, mantenham-se firmes contra o Diabo

Jovens, mantenham-se firmes contra o Diabo

“Ponham a armadura completa de Deus, para que se mantenham firmes contra as artimanhas do Diabo.” — EFÉ. 6:11.

CÂNTICOS: 79 e 140

1, 2. (a) O que está a ajudar os jovens cristãos a vencer a luta contra Satanás e os demónios? (Veja a imagem no início do estudo.) (b) O que vamos ver neste estudo?

O APÓSTOLO Paulo comparou os cristãos com soldados envolvidos numa luta corpo a corpo. Só que a nossa luta não é contra pessoas, mas sim contra guerreiros espirituais muito experientes: Satanás e os demónios. À primeira vista, pode parecer que não temos nenhuma hipótese contra eles, principalmente no caso dos jovens. Será que os jovens podem vencer a luta contra forças tão poderosas? Sim, podem! Aliás, já estão a vencer. Como? Eles ‘continuam a ser fortalecidos no Senhor’. Mas esses jovens fazem mais do que pedir a força de Deus. Eles preparam-se para a batalha. Assim como soldados bem treinados, eles ‘põem a armadura completa de Deus’. — Leia Efésios 6:10-12.

2 Quando fez essa ilustração, é provável que Paulo estivesse a pensar na armadura dos soldados romanos. (Atos 28:16) Neste estudo, vamos ver porque esta é uma boa comparação. Também vamos ver o que alguns jovens pensam sobre os desafios  e as vantagens de se usar cada parte da armadura espiritual.

Será que a sua armadura está completa?

“O CINTO DA VERDADE”

3, 4. Porque é que as verdades da Palavra de Deus são como um cinto romano?

3 Leia Efésios 6:14. O cinto que os soldados romanos usavam tinha placas de metal que protegiam a cintura. Aliviava o peso da couraça, a parte de cima da armadura. Alguns cintos também tinham presilhas resistentes que serviam para carregar uma espada e um punhal. Com o cinto bem apertado, o soldado sentia-se confiante e pronto para a batalha.

4 Assim como o cinto protegia o soldado, as verdades que aprendemos na Palavra de Deus protegem-nos de ensinos falsos. (João 8:31, 32; 1 João 4:1) E quanto mais amor tivermos pelas verdades da Bíblia, mais fácil se torna levar a nossa “couraça”, ou seja, seguir os padrões de Deus. (Sal. 111:7, 8; 1 João 5:3) Além disso, quando entendemos bem as verdades da Palavra de Deus, temos mais confiança para defendê-las dos nossos inimigos. — 1 Ped. 3:15.

5. Porque devemos dizer a verdade?

5 As verdades da Bíblia são como um cinto. Quando fazem parte da nossa vida, vivemos em harmonia com elas e isso motiva-nos a dizer sempre a verdade. Porque não devemos mentir? Porque a mentira é uma das melhores armas de Satanás. Ela prejudica quem mente e quem acredita nela. (João 8:44) Por isso, apesar de sermos imperfeitos, temos de nos esforçar para não mentir. (Efé. 4:25) Isso não é fácil. Abigail, * uma jovem de 18 anos, diz: “Dizer a verdade nem sempre parece ser uma boa ideia. Principalmente quando uma mentira poderia livrar-me de uma situação difícil.” Mas o que motiva Abigail a dizer sempre a verdade? Ela diz: “Quando sou honesta, tenho a consciência limpa perante Jeová. E os meus pais e amigos sabem que podem confiar em mim.” Victoria, de 23 anos, concorda: “Alguns podem tratar-te mal só porque dizes a verdade e defendes as tuas crenças. Mas as vantagens valem a pena. Ganhas confiança, ficas mais amigo de Jeová e conquistas o respeito das pessoas que te amam.” Sem dúvida, é importante usar sempre “o cinto da verdade”.

O cinto da verdade (Veja os parágrafos 3 a 5.)

“A COURAÇA DA JUSTIÇA”

6, 7. Porque é que a justiça pode ser comparada a uma couraça?

6 A couraça dos soldados romanos podia ser feita de faixas horizontais de ferro que ficavam umas em cima das outras. As faixas eram moldadas para se ajustarem ao peito e abdómen do soldado. Elas ficavam unidas entre si por meio de tiras de couro presas em ganchos e fivelas de metal. Os ombros do soldado eram cobertos com mais faixas de metal presas por tiras de couro. A couraça diminuía um pouco os movimentos do soldado, e ele tinha de estar sempre a ver se as faixas de ferro estavam no lugar. No entanto, era a couraça que protegia o coração e os outros órgãos importantes de um golpe de espada ou da ponta de uma flecha.

7 Os padrões justos de Jeová são como uma couraça. Eles protegem o nosso coração. (Pro. 4:23) Um soldado nunca trocaria uma couraça de ferro por outra feita de um metal mais fraco. Do mesmo modo, nós nunca devemos trocar os padrões justos de Jeová pelos nossos. Afinal, a nossa sabedoria é limitada e não dá a proteção de que o nosso coração precisa. (Pro. 3:5, 6) Por isso, temos de analisar sempre se as “faixas de metal” da couraça  que Jeová nos deu continuam a proteger o nosso coração.

8. Porque acha que é importante seguir os padrões de Jeová?

8 Acha que, às vezes, os padrões de Jeová são pesados ou lhe tiram a sua liberdade? Daniel, de 21 anos, disse: “Na escola, os meus professores e colegas riam-se de mim por eu seguir o que a Bíblia diz. Durante algum tempo, fiquei inseguro e deprimido.” Daniel diz como se sente agora: “Por fim, percebi que seguir os padrões de Jeová é a melhor coisa a fazer. Alguns dos meus ‘amigos’ começaram a usar drogas, outros deixaram a escola. Foi triste ver o que fizeram com a vida deles. Sem dúvida, Jeová protege-nos muito.” Madison, uma jovem de 15 anos, conta: “É uma luta seguir os padrões de Jeová e não ir atrás do que os meus colegas dizem que é giro e divertido.” Ela diz o que faz para conseguir isso: “Eu tento lembrar-me sempre de que levo o nome de Jeová e que aquela tentação é só mais uma tentativa de Satanás para me atingir. Quando venço uma batalha, sinto-me muito bem.”

A couraça da justiça (Veja os parágrafos 6 a 8.)

‘PÉS CALÇADOS COM A PRONTIDÃO PARA DECLARAR AS BOAS NOVAS’

9-11. (a) Que calçado simbólico é que os cristãos precisam de usar? (b) O que pode ser de ajuda para nos sentirmos mais à vontade ao pregar?

9 Leia Efésios 6:15. Um soldado romano não poderia ir descalço para a batalha. Ele usava calçado parecido com sandálias, feito com três camadas de pele. Era muito resistente, mas ao mesmo tempo confortável. O resultado era que o soldado podia caminhar com segurança e não escorregar.

10 Assim como os pés dos soldados romanos estavam calçados para a batalha, os pés dos cristãos também precisam de calçado simbólico: a prontidão, ou disposição, de levar uma mensagem de paz. (Isa. 52:7; Rom. 10:15) Mesmo assim, é preciso coragem para pregar. Roberto, um irmão de 20 anos, diz: “Eu tinha medo de pregar aos meus colegas de escola. Acho que me sentia um pouco envergonhado. Ao olhar para trás, vejo que não tinha motivos para isso. Hoje, fico feliz por dar testemunho aos meus colegas.”

11 Muitos jovens perceberam que é mais fácil dar testemunho quando estão bem preparados. O que é que os jovens podem fazer para estarem prontos? Julia, de 16 anos, conta: “Eu levo sempre algumas publicações na mochila. Também presto atenção ao que os meus colegas dizem e às crenças deles. Assim, torna-se mais fácil saber o que vai ser de ajuda para eles. Quando me preparo, consigo dizer-lhes exatamente o que eles precisam de ouvir.” Makenzie, uma irmã de 23 anos, diz: “Se fores bondoso e souberes escutar, vais ter uma ideia dos problemas dos teus colegas. Além disso, procuro ler toda a matéria publicada para os jovens. Dessa forma, consigo levar a conversa para alguma parte da Bíblia que vai ser de ajuda ou para o site jw.org.” Conforme mostrado nestes exemplos, preparar-se bem é como usar calçado firme e confortável.

Pés calçados com prontidão (Veja os parágrafos 9 a 11.)

“O GRANDE ESCUDO DA FÉ”

12, 13. Quais são algumas “flechas ardentes” que Satanás usa?

12 Leia Efésios 6:16. Um soldado carregava um escudo grande, em forma de retângulo, que o cobria desde os ombros até aos joelhos. O escudo protegia o soldado de espadas, flechas e lanças.

13 Algumas das “flechas ardentes” que Satanás pode atirar contra nós são mentiras sobre Jeová. Satanás quer que achemos que Jeová não se importa connosco  e que nunca nos vai amar. Ida, de 19 anos, luta contra esses sentimentos. Ela diz: “Às vezes, acho que Jeová não quer ser meu amigo e que ele está longe de mim.” O que é que ela faz quando se sente assim? Ida conta: “As reuniões recarregam a minha fé. Antes, sentava-me no meu canto e não comentava, achando que ninguém ia querer ouvir-me. Agora, preparo-me bem para as reuniões e tento dar dois ou três comentários. Não é fácil, mas depois sinto-me muito bem. E os irmãos são tão amorosos! Eu saio sempre das reuniões a sentir que Jeová me ama.”

14. O que aprendemos da experiência de Ida?

14 A experiência de Ida mostra uma verdade importante: o tamanho de um escudo literal é sempre o mesmo, mas o tamanho do nosso escudo da fé pode diminuir ou aumentar. A escolha é nossa. (Mat. 14:31; 2 Tes. 1:3) Para que o “escudo da fé” nos proteja, precisamos de aumentar cada vez mais a nossa fé!

O grande escudo da fé (Veja os parágrafos 12 a 14.)

“O CAPACETE DA SALVAÇÃO”

15, 16. De que modo é que a nossa esperança é como um capacete?

15 Leia Efésios 6:17. Um soldado usava um capacete para proteger a cabeça, o rosto e o pescoço. Alguns capacetes tinham uma alça para os soldados os carregarem na mão.

16 Assim como o capacete protegia o cérebro do soldado, a nossa “esperança da salvação” protege os nossos pensamentos. (1 Tes. 5:8; Pro. 3:21) A esperança ajuda-nos a concentrarmo-nos nas  promessas de Jeová e não nos nossos problemas. (Sal. 27:1, 14; Atos 24:15) Mas, se queremos que a nossa esperança nos proteja, ela tem de ser real para nós. Para isso, precisamos de usar o nosso “capacete”, e não apenas carregá-lo na mão.

17, 18. (a) Como é que Satanás poderia fazer-nos tirar o nosso capacete? (b) Como mostramos que não somos enganados pelas armadilhas de Satanás?

17 Como é que Satanás poderia fazer-nos tirar o nosso capacete? Lembre-se de como ele tentou Jesus. Satanás sabia que Jesus tinha a esperança de um dia governar a Terra. Mas, primeiro, ele teria de sofrer e morrer. Depois, teria de esperar até Jeová o tornar Rei. Então, Satanás ofereceu a Jesus a oportunidade de conseguir isso mais cedo. Satanás disse que, se Jesus fizesse um só ato de adoração, poderia começar a governar o mundo naquele momento. (Luc. 4:5-7) Da mesma forma, Satanás sabe que Jeová promete dar-nos coisas materiais no novo mundo. Mas temos de esperar que isso aconteça, e, entretanto, talvez passemos por problemas. Então, Satanás oferece-nos a possibilidade de ter uma vida confortável já agora. Ele quer que coloquemos as coisas materiais em primeiro lugar e deixemos o Reino em segundo. — Mat. 6:31-33.

18 Muitos jovens não se deixam enganar pelas armadilhas de Satanás. Por exemplo, Kiana, de 20 anos, diz: “Eu sei que a única solução para os nossos problemas é o Reino de Deus.” E como é que essa esperança afeta o modo de pensar e de agir de Kiana? Ela continua a dizer: “A esperança do Paraíso ajuda-me a colocar as outras coisas que não são tão importantes no devido lugar.” Em vez de concentrar o seu tempo e as suas energias numa carreira de sucesso, Kiana concentra-se em servir a Jeová.

O capacete da salvação (Veja os parágrafos 15 a 18.)

“A ESPADA DO ESPÍRITO, ISTO É, A PALAVRA DE DEUS”

19, 20. Como podemos melhorar no uso da Bíblia?

19 Na época do apóstolo Paulo, os soldados romanos usavam uma espada de cerca de 50 centímetros, feita para uma luta corpo a corpo. Os soldados treinavam todos os dias com a espada e, por isso, eram muito bons.

20 Paulo comparou a Palavra de Deus com uma espada. Mas precisamos de aprender a usá-la para defender as nossas crenças ou ajustarmos o nosso modo de pensar. (2 Cor. 10:4, 5; 2 Tim. 2:15) Como podemos melhorar neste sentido? Sebastian, de 21 anos, diz: “De cada capítulo que leio na Bíblia, escolho um versículo. Estou a fazer uma lista dos meus textos preferidos. Ao fazer isso, sinto-me mais em sintonia com o modo de pensar de Jeová.” Daniel, já citado, conta: “Na minha leitura da Bíblia, escolho alguns versículos que sei que vão ser de ajuda para as pessoas do território. Eu vejo que elas reagem bem quando percebem o amor que temos pela Bíblia e que queremos ajudá-las.”

A espada do espírito (Veja os parágrafos 19 e 20.)

21. Porque é que não devemos ter medo de Satanás e dos demónios?

21 Conforme aprendemos dos exemplos dos jovens deste estudo, nós não precisamos de ter medo de Satanás e dos demónios. É verdade que eles são poderosos, mas não são mais poderosos do que Jeová. E eles não vão viver para sempre. Durante os mil anos do reinado de Cristo, eles estarão presos e já não vão prejudicar ninguém. Depois disso, serão destruídos. (Apo. 20:1-3, 7-10) Nós conhecemos o nosso inimigo, as suas táticas e o seu objetivo. Com a ajuda de Jeová, podemo-nos manter firmes contra o Diabo!

^ par. 5 Alguns nomes foram mudados.