Ir para conteúdo

Ir para índice

Ele poderia ter sido amigo de Deus

Ele poderia ter sido amigo de Deus

NÓS servimos a Jeová e queremos ser seus amigos, não é verdade? Mas quem pode ser amigo de Deus e receber as suas bênçãos? A Bíblia fala de pessoas que cometeram erros graves, mas que continuaram amigas de Deus. Também fala de pessoas que tinham ótimas qualidades, mas que deixaram de agradar a Jeová. Isso faz-nos pensar: “O que é que Jeová realmente procura em cada um de nós?” O exemplo de Roboão, rei de Judá, pode dar-nos a resposta.

UM MAU COMEÇO

Roboão era filho de Salomão, que tinha reinado em Israel durante 40 anos. (1 Reis 11:42) Salomão morreu em 997 AEC. Então, Roboão viajou de Jerusalém a Siquém para ser ungido como rei. (2 Cró. 10:1) Consegue imaginar como Roboão devia estar ansioso? Afinal, o seu pai era conhecido por ser muito sábio. Será que Roboão ia seguir os passos de Salomão? Em pouco tempo, surgiu uma situação que testou as habilidades dele.

Roboão deve ter percebido o clima tenso. Os israelitas sentiam-se oprimidos, e representantes do povo foram até Roboão para deixar claro qual era o problema. Eles disseram: “O seu pai tornou duro o nosso jugo. Mas, se o senhor aliviar o serviço duro e tornar mais leve o jugo pesado que o seu pai colocou sobre nós, iremos servi-lo.” — 2 Cró. 10:3, 4.

Este pedido não era nada fácil. Se Roboão o atendesse, ele, a sua família e os membros da corte teriam de abrir mão de alguns luxos e exigir menos do povo. Por outro lado, se Roboão dissesse que não, o povo poderia rebelar-se. O que fazer? O novo rei decidiu consultar os homens mais velhos, que foram conselheiros de Salomão. Eles sugeriram que Roboão atendesse ao pedido do povo. Em seguida, Roboão pediu a opinião dos jovens que cresceram com ele. Eles aconselharam-no a não escutar o pedido dos representantes. Seguindo o conselho deles, Roboão decidiu maltratar o povo. Ele disse: ‘Eu tornarei mais pesado o vosso jugo. O meu pai castigou-vos com chicotes, mas eu vou fazê-lo com chicotes farpados.’ — 2 Cró. 10:6-14.

Consegue ver a lição para nós? É muito melhor ouvir os mais velhos e que são maduros em sentido espiritual. Por terem experiência de vida, eles conseguem perceber os resultados de uma decisão, e, portanto, podem dar-nos bons conselhos. — Jó 12:12.

 “ELES OBEDECERAM À PALAVRA DE JEOVÁ”

Para controlar a rebelião, Roboão preparou o seu exército. No entanto, Jeová não deixou o rei ir à guerra. Ele mandou o profeta Semaías dizer a Roboão: “Não vão à guerra contra os vossos irmãos israelitas. Volte cada um para a sua casa, pois fui eu que fiz isto acontecer.” — 1 Reis 12:21-24. *

Não ir à guerra? Imagine como isso deve ter incomodado Roboão. O que é que o povo ia pensar dele? Pouco antes, ele tinha ameaçado tratar o povo com “chicotes farpados”. E agora não ia fazer nada para acabar com essa terrível rebelião? (Veja também 2 Crónicas 13:7.) Apesar disso, o rei e o exército “obedeceram à palavra de Jeová e voltaram para casa, assim como Jeová lhes tinha ordenado”.

O que aprendemos disto? É sempre melhor obedecer a Jeová, mesmo que isso talvez nos faça sentir vergonha do que outros vão pensar. Se formos sempre obedientes, Jeová vai abençoar-nos. — Deut. 28:2.

Como é que Jeová abençoou a obediência de Roboão? Ele continuou a ser o rei de Judá e Benjamim. Roboão concentrou-se em construir cidades nas regiões dessas duas tribos, e ele “tornou-as muito fortes”. (2 Cró. 11:5-12) E o mais importante é que, por algum tempo, Roboão seguiu as leis de Jeová. As dez tribos governadas por Jeroboão estavam a afundar-se na idolatria. Por isso, muitas das pessoas que ali moravam “apoiaram Roboão”. Elas iam até Jerusalém para mostrar que estavam do lado da adoração verdadeira. (2 Cró. 11:16, 17) Por causa da obediência de Roboão, Jeová tornou o seu reino mais forte.

ROBOÃO ERROU, MAS ARREPENDEU-SE

No entanto, quando o seu reino estava firmemente estabelecido, Roboão fez algo que ninguém esperava: parou de servir a Jeová e começou a adorar deuses falsos! Mas porquê? A Bíblia não diz. Talvez tenha sido influenciado pela sua mãe, que era amonita. (1 Reis 14:21) Não importa o motivo, o problema foi que a nação o imitou e envolveu-se na adoração falsa. Então, Jeová deixou que Sisaque, rei do Egito, capturasse muitas das cidades de Judá que Roboão tinha fortificado. — 1 Reis 14:22-24; 2 Cró. 12:1-4.

A situação ficou pior quando Sisaque chegou a Jerusalém, que era onde Roboão reinava. Então, o profeta Semaías transmitiu ao rei e aos príncipes a mensagem de Deus: “[Vocês] abandonaram-me, por isso eu também vos abandono às mãos de Sisaque.” Como é que Roboão reagiu quando recebeu a disciplina? Nisso, ele foi um exemplo! A Bíblia diz: “Os príncipes de Israel e o rei humilharam-se e disseram: ‘Jeová é justo.’” Por isso, Jeová poupou Roboão e Jerusalém da destruição. — 2 Cró. 12:5-7, 12.

Depois disso, Roboão continuou a governar o reino do sul. Antes de morrer, ele foi generoso e distribuiu vários presentes pelos seus muitos filhos. Provavelmente, ele quis impedir que eles se revoltassem contra Abias, o filho de Roboão que seria o próximo rei. (2 Cró. 11:21-23) Nesse momento, Roboão teve o bom senso que lhe faltou quando era mais jovem.

BOM OU MAU?

Apesar dos seus pontos positivos, Roboão não foi um amigo leal de Deus. A Bíblia resumiu assim o seu reinado: “Ele fez o que era mau.” Porquê? Porque “não estava determinado no coração a buscar a Jeová”. — 2 Cró. 12:14.

Roboão não se esforçou para ser amigo de Jeová assim como David

O que é que a vida de Roboão nos ensina? Ele foi obediente a Jeová algumas vezes. E fez coisas boas pelo povo de Deus. Mas nunca se esforçou em ser amigo de Jeová. Nunca teve um profundo desejo de agradar a Deus. Por isso, fez o que era errado e envolveu-se na adoração falsa. Mesmo nas ocasiões em que ele obedeceu a Jeová, ficamos com a dúvida: ‘Será que Roboão foi obediente porque estava arrependido e queria  agradar a Deus? Ou foi só porque outros disseram que ele tinha de obedecer?’ (2 Cró. 11:3, 4; 12:6) Mais tarde na vida, Roboão voltou a fazer o que era errado. Que diferença entre ele e o seu avô, o rei David! É verdade que David cometeu erros, mas arrependeu-se de coração. E tinha muito amor por Jeová e pela adoração verdadeira. — 1 Reis 14:8; Sal. 51:1, 17; 63:1.

Podemos aprender mais com a vida de Roboão. É muito bom que uma pessoa se esforce para cuidar da família e para fazer coisas boas. Mas, para sermos amigos de Jeová, o mais importante é apoiar a adoração verdadeira e nunca a deixar.

Só conseguiremos fazer isso se o nosso amor por Jeová for bem forte. É como acender uma fogueira. Para a manter acesa, temos de continuar a pôr lenha. Do mesmo modo, para o nosso amor por Jeová não acabar, temos de ler regularmente a Bíblia, meditar e orar. (Sal. 1:2; Rom. 12:12) O resultado é que esse amor vai motivar-nos a agradar a Deus em tudo o que fizermos. Também, vai motivar-nos a arrependermo-nos de coração se cometermos um erro. Então, seremos diferentes de Roboão e continuaremos firmes na adoração verdadeira! — Judas 20, 21.

^ par. 9 Quando Salomão se tornou infiel, Deus já tinha indicado que o reino de Israel seria dividido. — 1 Reis 11:31.