Ir para conteúdo

Ir para índice

De quem é que você deseja receber reconhecimento?

De quem é que você deseja receber reconhecimento?

“Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra e do amor que mostraram pelo seu nome.” — HEB. 6:10.

CÂNTICOS: 39 e 30

1. Que necessidade é que todos nós temos?

JÁ ALGUMA vez alguém que você conhece e respeita se esqueceu do seu nome? Ou pior ainda, nem sequer o reconheceu? É muito desanimador, não é? Sentimo-nos assim porque temos a necessidade de sermos aceites pelos outros. Não é apenas uma questão de outros se lembrarem de nós. Também queremos que eles reconheçam as nossas qualidades e as coisas que fazemos. — Núm. 11:16, nota; Jó 31:6.

2, 3. O que pode acontecer à nossa necessidade de sermos valorizados por outros? (Veja a imagem no início do estudo.)

2 No entanto, é importante termos cuidado. Assim como qualquer outro sentimento, o desejo de sermos valorizados por outros pode ficar desequilibrado por causa da nossa imperfeição. O mundo de Satanás alimenta o desejo de ter fama e sucesso, o que nos impede de darmos ao nosso Pai, Jeová, o reconhecimento que só ele merece. — Apo. 4:11.

3 Alguns líderes religiosos da época de Jesus tinham uma  ideia errada sobre ter reconhecimento. Jesus alertou: “Cuidado com os escribas, que gostam de andar de vestes compridas e gostam muito dos cumprimentos nas praças públicas, dos primeiros [“melhores”, nota] assentos nas sinagogas e dos lugares mais destacados nos banquetes.” Depois, acrescentou: “Eles receberão um julgamento mais severo.” (Luc. 20:46, 47) Por outro lado, Jesus elogiou uma viúva pobre que fez uma pequena contribuição e da qual provavelmente ninguém se apercebeu. (Luc. 21:1-4) É óbvio que o ponto de vista de Jesus sobre ter reconhecimento não era igual ao das outras pessoas. Por isso, este estudo vai ajudar-nos a ter o ponto de vista correto sobre este assunto, o ponto de vista de Deus.

O RECONHECIMENTO MAIS IMPORTANTE

4. (a) Qual é o reconhecimento mais importante que existe? (b) Porquê?

4 Qual é o reconhecimento mais importante que alguém pode receber? Não é ter um diploma de um curso superior, ter sucesso nos negócios ou ser um artista famoso. O apóstolo Paulo explicou qual é o reconhecimento que temos de procurar: “Agora que conhecem a Deus, ou melhor, que são conhecidos por Deus, como é que voltam novamente às coisas elementares, fracas e mesquinhas, e querem novamente ser escravos delas?” (Gál. 4:9) Que privilégio maravilhoso sermos “conhecidos por Deus”, a pessoa mais importante de todo o Universo! Ele quer que sejamos amigos dele. Este é o verdadeiro objetivo da nossa vida: sermos amigos de Jeová. — Ecl. 12:13, 14.

5. O que temos de fazer para sermos conhecidos por Deus?

5 Moisés foi alguém que teve o privilégio de ser conhecido por Deus. Quando ele pediu a ajuda de Jeová para liderar a nação de Israel, Jeová respondeu: “Também farei o que estás a pedir, porque achaste favor aos meus olhos, e eu conheço-te por nome.” (Êxo. 33:12-17) Nós também podemos ter o privilégio de Jeová nos conhecer. Como? Temos de amá-lo verdadeiramente e dedicar-lhe a nossa vida. — Leia 1 Coríntios 8:3.

6, 7. O que poderia fazer-nos perder a nossa amizade com Jeová?

6 A nossa amizade com Jeová é muito preciosa. Temos de cuidar bem dela. Assim como Paulo alertou os gálatas, nós não podemos ser escravos das “coisas elementares, fracas e mesquinhas” do mundo, como a fama e o sucesso. (Gál. 4:9) Aqueles cristãos já tinham progredido bastante na verdade e conseguiram ser conhecidos por Deus. No entanto, Paulo disse que esses mesmos irmãos estavam a ‘voltar novamente’ às coisas sem valor. Por outras palavras, Paulo estava a dizer: “Vocês já progrediram tanto! Porque é que agora querem voltar às coisas inúteis que deixaram para trás?”

7 Será que nos pode acontecer algo parecido? Sim, pode. Muitos de nós, quando aprendemos a verdade, fizemos como Paulo. Abrimos mão de coisas que nos poderiam dar destaque no mundo de Satanás. (Leia Filipenses 3:7, 8.) Talvez tenhamos desistido de um curso superior ou não aceitámos uma promoção no emprego que nos daria muito dinheiro. Ou talvez tenhamos colocado de lado os nossos talentos para a arte ou para o desporto, apesar de sabermos que isso poderia dar-nos fama e sucesso.  (Heb. 11:24-27) Mas agora seria uma tolice acharmos que essas escolhas que fizemos foram ‘oportunidades perdidas’. Pensar assim pode fazer-nos voltar às coisas do mundo – coisas que antes considerávamos “fracas e mesquinhas”. *

ESTEJA DECIDIDO

8. Qual é um dos pontos que nos motiva a procurar o reconhecimento de Jeová?

8 Se estivermos decididos a procurar o reconhecimento de Jeová, não vamos querer o reconhecimento do mundo. Para manter essa decisão, precisamos de nos lembrar de dois pontos importantes. Primeiro, Jeová sempre dará reconhecimento a quem o serve fielmente. (Leia Hebreus 6:10; 11:6.) Jeová dá muito valor a cada um dos seus servos. Para ele, seria “injusto” ignorar qualquer um deles. Jeová “conhece os que lhe pertencem”. (2 Tim. 2:19) Ele “conhece o caminho dos justos” e sabe como ‘livrá-los da provação’. — Sal. 1:6; 2 Ped. 2:9.

9. Dê exemplos de como Jeová mostrou que aprovava o seu povo.

9 Houve ocasiões em que Jeová mostrou que aprovava o seu povo. (2 Cró. 20:20, 29) Por exemplo, lembre-se do que Jeová fez para salvar os israelitas no mar Vermelho quando o exército poderoso do Faraó estava atrás deles. (Êxo. 14:21-30; Sal. 106:9-11) Foi algo tão marcante que, mesmo 40 anos depois, pessoas que moravam naquela parte do mundo ainda falavam do que tinha acontecido. (Jos. 2:9-11) É muito bom lembrarmo-nos dessas ocasiões em que Jeová mostrou o seu amor e poder, porque, em breve, vamos enfrentar o ataque de Gogue de Magogue. (Eze. 38:8-12) Quando isso acontecer, vamos ver que valeu a pena procurar o reconhecimento de Deus, e não o do mundo.

10. De que outro ponto importante nos devemos lembrar sobre o modo de Jeová dar reconhecimento a alguém?

10 O segundo ponto importante que temos de nos lembrar é: Jeová pode dar-nos reconhecimento de um modo que nem imaginamos. Aqueles que fazem coisas boas só para serem notados por outros não vão receber nenhuma recompensa de Jeová. Porquê? Porque a recompensa deles já foi paga: receberam a honra de homens. (Leia Mateus 6:1-5.) Por outro lado, Jesus disse que o seu Pai “observa secretamente” as pessoas que não recebem crédito pelo bem que fazem. Jeová nota essas ações e recompensa a pessoa por isso. Mas essa recompensa pode vir de maneiras que a pessoa nem imagina. Vamos ver alguns exemplos.

UMA JOVEM HUMILDE RECEBE UMA RECOMPENSA INESPERADA

11. Como é que Jeová deu reconhecimento a Maria?

11 Quando chegou a altura de Jesus vir à Terra, Jeová escolheu Maria, uma jovem humilde e virgem, para ser a mãe dele. Maria vivia na cidade de Nazaré, uma pequena cidade que ficava longe da famosa Jerusalém com o seu belo templo. (Leia Lucas 1:26-33.) Porque é que Jeová escolheu Maria? O anjo Gabriel disse-lhe: “Achaste favor diante de Deus.” Maria era uma pessoa que gostava muito de coisas espirituais. Isso ficou claro quando ela mais tarde falou com  Elisabete, que era da sua família. (Luc. 1:46-55) Jeová estava a observar Maria. Ele viu que ela era uma mulher fiel e, por isso, deu-lhe um privilégio que ela nunca tinha imaginado.

12, 13. Como é que Jesus recebeu honra (a) no dia em que nasceu? (b) quando foi levado ao templo 40 dias depois de nascer?

12 Quando Jesus finalmente nasceu, Jeová não permitiu que nenhum dos oficiais ou dos governantes de Jerusalém ou de Belém soubesse disso. Jeová enviou anjos para avisar pastores humildes que cuidavam das ovelhas nos campos fora de Belém. (Luc. 2:8-14) Ao saberem do nascimento, os pastores foram visitar o bebé. (Luc. 2:15-17) José e Maria devem ter ficado felizes por verem Jesus receber honra dessa maneira inesperada. Agora, veja a diferença entre o modo de Deus fazer as coisas e o modo do Diabo. Quando Satanás enviou astrólogos para visitar Jesus e os pais dele, toda a Jerusalém ficou agitada com a notícia. (Mat. 2:3) Mas esse anúncio público acabou na morte de muitas crianças inocentes. — Mat. 2:16.

13 Quarenta dias depois de Jesus nascer, Maria teve de oferecer um sacrifício a Jeová no templo em Jerusalém, que ficava a 9 quilómetros de Belém. (Luc. 2:22-24) Enquanto viajava com José e Jesus, ela talvez se tenha perguntado se o sacerdote que ia fazer o sacrifício iria dizer alguma coisa sobre o que Jesus faria no futuro. Bem, Jesus recebeu reconhecimento, mas não como Maria talvez imaginasse. Jeová usou Simeão, um homem “justo e devoto”, e a profetisa Ana, uma viúva de 84 anos, para confirmar que aquela criança era realmente o prometido Messias, ou Cristo. — Luc. 2:25-38.

14. Que bênçãos é que Maria recebeu de Jeová?

14 E Maria? Será que ela continuou a receber reconhecimento de Jeová por criar o filho dele? Sim. Jeová fez questão de registar na Bíblia algumas das coisas que Maria fez e disse. Aparentemente, Maria não pôde acompanhar Jesus durante os três anos e meio do ministério dele. Talvez, por ser viúva, ela tivesse de ficar em Nazaré. É verdade que ela não presenciou muitos eventos importantes, mas estava com Jesus quando ele morreu. (João 19:26) Algum tempo depois, Maria esteve em Jerusalém com outros discípulos de Jesus. (Atos 1:13, 14) É provável que ela estivesse entre os discípulos que foram ungidos no Pentecostes. Se esse foi o caso, então ela ganhou a oportunidade de estar no céu com Jesus para sempre. Sem dúvida, Jeová recompensou Maria por todo o seu trabalho fiel!

JEOVÁ DÁ RECONHECIMENTO AO SEU FILHO

15. Enquanto Jesus estava na Terra, como é que Jeová mostrou que o aprovava?

15 Jesus não queria ser honrado pelos líderes políticos e religiosos da sua época. Mas ele deve ter-se sentido muito feliz quando Jeová, em três ocasiões diferentes, falou com ele do céu, mostrando a sua aprovação. Logo após Jesus ser batizado no rio Jordão, Jeová disse: “Este é o meu Filho, o amado, a quem eu aprovo.” (Mat. 3:17) Pelos vistos, a única pessoa além de Jesus que ouviu essas palavras foi João Batista. Depois, um ano antes de Jesus morrer, três apóstolos ouviram Jeová dizer: “Este é o meu Filho, o amado, a quem eu aprovo. Escutem-no.” (Mat. 17:5) E, apenas alguns  dias antes de Jesus morrer, Jeová falou novamente do céu com Jesus. — João 12:28.

O que podemos aprender do modo como Jeová deu reconhecimento a Jesus? (Veja os parágrafos 15 a 17.)

16, 17. Que honra inesperada é que Jeová deu a Jesus?

16 Jesus sabia que seria acusado de blasfémia e que sofreria uma morte vergonhosa. Mesmo assim, ele orou a Jeová: ‘Não como eu quero, mas como tu queres.’ (Mat. 26:39, 42) Jesus queria o reconhecimento de Jeová, e não o do mundo. Por isso, “ele suportou a morte numa estaca de tortura, desprezando a vergonha”. (Heb. 12:2) Como é que Jeová recompensou Jesus?

17 Quando estava na Terra, Jesus disse que queria voltar para o céu e ter novamente a glória que tinha com Jeová. (João 17:5) Na Bíblia, não há nada que diga que ele queria algo mais do que isso. Jesus não esperava “ser promovido” no céu por ter feito a vontade de Jeová. Mas o que é que Jeová fez? Ele honrou Jesus de um modo inesperado. Quando ressuscitou Jesus, Jeová deu-lhe “uma posição superior” no céu. E deu-lhe algo que nunca ninguém tinha recebido antes: uma vida imortal! * (Fil. 2:9; 1 Tim. 6:16) Jesus foi fiel e recebeu reconhecimento de Jeová de uma maneira impressionante!

18. O que nos pode ajudar a não ir atrás da aprovação deste mundo?

18 O que nos vai ajudar a não procurar a aprovação deste mundo? Lembre-se disto: Jeová sempre dará reconhecimento a quem o serve fielmente, e ele, muitas vezes, recompensa-nos de um modo que não imaginamos. Deus tem muitas bênçãos para nos dar no futuro. Enquanto isso, temos de perseverar e enfrentar os problemas deste mundo mau. Mas o mundo, e qualquer reconhecimento que ele possa oferecer, em breve vão desaparecer. (1 João 2:17) Por outro lado, Jeová é amoroso, e ele ‘não é injusto para se esquecer da nossa obra e do amor que mostrámos pelo seu nome’. (Heb. 6:10) Tenha a certeza de que vamos receber o reconhecimento de Deus, talvez de modos que nunca imaginámos!

^ par. 7 Outras Bíblias traduzem a palavra “mesquinhas” como “pobres”, “sem valor”, “miseráveis” e “que não prestam para nada”.

^ par. 17 Isso deve ter sido uma recompensa inesperada, porque a imortalidade nunca tinha sido mencionada nas Escrituras Hebraicas.