Ir para conteúdo

Ir para índice

 ESTUDO 32

Deixe que o seu amor se torne cada vez mais abundante

Deixe que o seu amor se torne cada vez mais abundante

“Isto é o que continuo a pedir em oração: que o vosso amor se torne cada vez mais abundante.” — FIL. 1:9.

CÂNTICO 106 Amor – Uma Qualidade sem Igual

O QUE VAMOS VER *

1. Quem ajudou a formar a congregação em Filipos?

QUANDO o apóstolo Paulo, Silas, Lucas e Timóteo chegaram à colónia romana de Filipos, encontraram muitas pessoas que se interessaram pela mensagem do Reino. Esses quatro irmãos zelosos ajudaram a formar uma congregação ali, e todos os discípulos começaram a reunir-se, provavelmente, na casa de uma irmã hospitaleira chamada Lídia. — Atos 16:40.

2. Que desafio enfrentou a congregação em Filipos?

2 A nova congregação enfrentou logo um desafio. Satanás fez com que algumas pessoas se tornassem inimigas da verdade e ficassem contra a obra de pregação. Paulo e Silas foram detidos, espancados com varas e presos. Depois de serem soltos, eles visitaram os novos discípulos para encorajá-los. A seguir, Paulo, Silas e Timóteo foram-se embora, enquanto Lucas provavelmente continuou em Filipos. Como é que a nova congregação lidou com as dificuldades? Com a ajuda do espírito de Jeová, os novos irmãos continuaram a servir com determinação. (Fil. 2:12) Sem dúvida, Paulo podia sentir muito orgulho deles!

3. De acordo com Filipenses 1:9-11, o que é que Paulo pedia em oração?

3 Cerca de dez anos mais tarde, Paulo escreveu uma carta à congregação em Filipos. Nessa carta, podemos sentir o quanto Paulo amava aqueles irmãos. Ele escreveu: “Tenho muitas saudades de todos vocês, com terna afeição, como a de Cristo Jesus.” (Fil. 1:8) Nessa mesma carta, Paulo disse que orava  muito por eles. Ele pedia a Jeová que ajudasse os irmãos a terem um amor cada vez mais abundante e a certificarem-se das coisas mais importantes. Paulo também orava para que eles fossem sem defeito, não fizessem outros tropeçar e ficassem cheios de fruto justo. Essas palavras sinceras de Paulo não serviram apenas para os filipenses. Nós também podemos aprender muito com elas. Por isso, vamos ler o que Paulo escreveu aos filipenses. (Leia Filipenses 1:9-11.) Em seguida, vamos considerar os pontos que ele mencionou e analisar como podemos colocar em prática cada um deles.

TORNE O SEU AMOR CADA VEZ MAIS ABUNDANTE

4. (a) De acordo com 1 João 4:9, 10, qual foi a maior prova do amor de Jeová por nós? (b) Como deve ser o nosso amor por Deus?

4 Jeová ama-nos muito. A maior prova disso foi ele ter mandado o seu Filho à Terra para morrer pelos nossos pecados. (Leia 1 João 4:9, 10.) O grande amor de Jeová motiva-nos a amá-lo também. (Rom. 5:8) Mas como deve ser o nosso amor por Deus? Jesus respondeu a essa pergunta quando disse a um fariseu: “Ama a Jeová, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua mente.” (Mat. 22:36, 37) O nosso coração não pode estar dividido. Queremos que o nosso amor a Deus aumente todos os dias. Como disse o apóstolo Paulo, o nosso amor deve ser “cada vez mais abundante”. O que podemos fazer para fortalecer o nosso amor por Jeová?

5. O que vai fortalecer o nosso amor?

5 Para amarmos a Deus, temos de o conhecer. A Bíblia diz: “Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.” (1 João 4:8) O apóstolo Paulo indicou que o nosso amor por Deus ficaria mais forte se obtivéssemos “conhecimento exato e pleno discernimento” sobre Ele. (Fil. 1:9) Quando começámos a estudar a Bíblia, nós aprendemos a amar a Deus, mesmo sem conhecer todas as suas qualidades maravilhosas. Com o passar do tempo, aprendemos mais coisas sobre Jeová, e o nosso amor por ele foi ficando cada vez maior. Não queremos que esse amor pare de crescer. É por isso que o estudo da Bíblia e a meditação estão entre as coisas que consideramos mais importantes na vida. — Fil. 2:16.

6. De acordo com 1 João 4:11, 20, 21, qual é um modo de tornar o nosso amor cada vez mais abundante?

6 O grande amor de Deus por nós vai motivar-nos a amar os nossos irmãos. (Leia 1 João 4:11, 20, 21.) Talvez achemos que amar os irmãos e irmãs é algo que vai acontecer naturalmente. Afinal, nós adoramos a Jeová e esforçamo-nos para imitar as qualidades dele. Também seguimos o exemplo de Jesus, que nos amou tanto ao ponto de dar a própria vida por nós. No entanto, às vezes, obedecer ao mandamento de nos amarmos uns aos outros não é assim tão fácil. Veja o que aconteceu na congregação em Filipos.

7. O que aprendemos do conselho que Paulo deu a Evódia e Síntique?

7 Evódia e Síntique eram duas irmãs zelosas que tinham trabalhado “lado a lado” com o apóstolo Paulo. Aparentemente, as duas tiveram algum problema entre si e deixaram de ser amigas. Por isso, quando escreveu a carta aos filipenses, Paulo foi específico ao mencionar Evódia e Síntique e deu-lhes um conselho muito claro: ‘Tenham a mesma mentalidade.’ (Fil. 4:2, 3) Paulo também achou necessário dar este outro conselho a toda a congregação: “Continuem a fazer todas as coisas sem queixas nem discussões.”  (Fil. 2:14) Sem dúvida, os conselhos diretos de Paulo foram bons não apenas para aquelas duas irmãs fiéis, mas para toda a congregação. Os irmãos filipenses entenderam a importância de mostrar mais amor uns pelos outros.

Porque devemos esforçar-nos para ver o lado bom dos nossos irmãos? (Veja o parágrafo 8.) *

8. O que pode ameaçar o nosso amor pelos irmãos, e como podemos ultrapassar isso?

8 Assim como no caso de Evódia e Síntique, o nosso amor pelos irmãos talvez encontre um obstáculo – a tendência de ver apenas as imperfeições dos outros. Todos nós cometemos erros todos os dias. Mas, se nos concentrarmos apenas nas imperfeições dos outros, o nosso amor por eles vai começar a enfraquecer. Por exemplo, imagine que um irmão se esquece de ajudar na limpeza do Salão do Reino. Talvez fiquemos irritados, e, então, comecemos a fazer na mente uma lista de todas as vezes que esse irmão fez algo errado. Só que essa atitude vai deixar-nos mais irritados e vai fazer o nosso amor pelo irmão diminuir. Se um dia passar por uma situação assim, tente lembrar-se deste facto: Jeová consegue ver as imperfeições do irmão e consegue ver as suas. Apesar disso, ele ainda ama esse irmão e ainda o ama a si. Não concorda que é muito melhor imitar a Jeová e ver o lado bom dos nossos irmãos? Quando nos esforçamos para amar os nossos irmãos, ficamos ainda mais unidos. — Fil. 2:1, 2.

“AS COISAS MAIS IMPORTANTES”

9. Quais são algumas das “coisas mais importantes”?

9 O espírito santo inspirou Paulo a dizer aos filipenses – e a todos os cristãos – para ‘se certificarem das coisas mais importantes’. (Fil. 1:10) Entre as coisas importantes estão a santificação do nome de Jeová, o cumprimento da vontade dele e a paz e a união da congregação. (Mat. 6:9, 10; João 13:35) Se nós realmente amarmos a Jeová, essas coisas também serão as mais importantes para nós.

10. O que temos de fazer para que Jeová nos considere pessoas sem defeito?

10 Paulo também disse: “Sejam sem defeito.” Isso não quer dizer que devemos ser perfeitos. Nós não podemos ser sem defeito assim como Jeová é. Mas se fizermos o máximo para desenvolvermos amor e se nos certificarmos das coisas mais importantes, Jeová vai considerar-nos pessoas sem defeito. Um modo de mostrarmos amor é por fazermos tudo o que pudermos para não sermos motivo de tropeço para outros.

11. Porque devemos evitar fazer outros tropeçar?

11 Em seguida, Paulo deu um alerta: “Não façam outros tropeçar.” Como poderíamos fazer uma pessoa tropeçar? Talvez pelo entretenimento que escolhemos, pela roupa que usamos ou até mesmo pelo emprego que temos. Pode ser que você decida fazer algo que não seja errado. No entanto, se a sua escolha incomodar a consciência de uma pessoa e ela tropeçar por causa disso, então, o assunto torna-se sério. Jesus disse que seria melhor atirarem-nos ao mar com uma pedra pesada ao pescoço do que fazermos uma das suas ovelhas tropeçar. — Mat. 18:6.

12. O que aprendemos do exemplo de um casal de pioneiros?

12 Veja como um casal de pioneiros levou a sério o aviso de Jesus. Na congregação deles, havia um casal recém-batizado, e tanto o marido como a esposa tinham sido criados em famílias muito conservadoras, que não permitiam muitas coisas. Por causa disso, eles achavam que os cristãos não deviam ir ao cinema – nem sequer para assistir a filmes que não tinham nada de errado. Um dia, o casal  de pioneiros foi ao cinema. Só que isso deixou aqueles novos irmãos chocados. Qual foi a atitude dos pioneiros? Eles decidiram deixar de ir ao cinema até que o casal recém-batizado desenvolvesse uma consciência mais equilibrada. (Heb. 5:14) Por fazer isso, o casal de pioneiros provou que amava os seus novos irmãos na fé não apenas em palavras, mas também em ações. — Rom. 14:19-21; 1 João 3:18.

13. Como poderíamos levar uma pessoa a cometer um pecado?

13 Nós também poderíamos fazer uma pessoa tropeçar por dizer algo que a fizesse cometer um pecado. Como assim? Pense nesta situação: um estudante da Bíblia, depois de muito esforço e muito tempo, consegue libertar-se do vício do álcool. Ele percebe que, no caso dele, seria melhor não tomar absolutamente nada com álcool. Esse estudante faz progresso e batiza-se. Algum tempo depois, um irmão da congregação convida o novo irmão para um almoço e oferece-lhe uma bebida alcoólica, dizendo: “Agora, tu já és batizado; já tens o espírito santo de Jeová. Um dos aspetos do fruto do espírito é o autodomínio, não é? Se tiveres autodomínio, vais conseguir beber de forma moderada.” Que péssimo conselho! Imagine o que poderia acontecer se o novo irmão o aceitasse.

14. Como é que as reuniões nos ajudam a colocar em prática o que diz Filipenses 1:10?

14 As nossas reuniões mostram-nos vários modos de colocar em prática o que diz  Filipenses 1:10. Primeiro, a matéria considerada nas reuniões lembra-nos do que é mais importante para Jeová. Segundo, as reuniões mostram como aplicar o que aprendemos, e isso ajuda-nos a sermos sem defeito. E terceiro, as reuniões estimulam-nos “ao amor e às boas obras”. (Heb. 10:24, 25) Quanto mais somos encorajados pelos nossos irmãos, mais o nosso amor por Deus e por eles aumenta. E se o nosso coração estiver cheio desses dois tipos de amor, não vamos querer fazer nada que leve os nossos irmãos a tropeçar.

“FIQUEM CHEIOS DE FRUTO JUSTO”

15. O que significa ficar ‘cheio de fruto justo’?

15 Na sua oração, Paulo pediu que os filipenses ficassem “cheios de fruto justo”. (Fil. 1:11) Sem dúvida, esse “fruto justo” incluía o amor a Jeová e aos irmãos. Incluía também falar a outros sobre a fé em Jesus e sobre a maravilhosa esperança que tinham para o futuro. Em Filipenses 2:15, Paulo diz que os filipenses deveriam ‘brilhar como iluminadores no mundo’. Essa comparação é apropriada, porque Jesus chamou “luz do mundo” aos seus discípulos. (Mat. 5:14-16) Ele também mandou os seus seguidores ‘fazerem discípulos’ e disse que eles seriam ‘testemunhas até à parte mais distante da terra’. (Mat. 28:18-20; Atos 1:8) Por isso, outra maneira de produzirmos “fruto justo” é por participarmos o máximo possível nesse trabalho tão importante.

Enquanto está preso numa casa em Roma, Paulo escreve a sua carta à congregação em Filipos. Durante aquele período, Paulo também aproveita para pregar aos guardas e a visitantes. (Veja o parágrafo 16.)

16. Como é que Filipenses 1:12-14 mostra que podemos brilhar como iluminadores apesar das nossas circunstâncias? (Veja a imagem da capa.)

16 Não importam as nossas circunstâncias, nós podemos brilhar como iluminadores. Às vezes, uma situação que parece ser um obstáculo pode tornar-se uma ótima oportunidade para pregar as boas novas. Veja o caso do apóstolo Paulo. Quando escreveu a sua  carta aos filipenses, ele estava preso numa casa em Roma. Mas as correntes não impediram Paulo de pregar aos guardas que o vigiavam e aos visitantes. Apesar da sua situação, Paulo continuou determinado a pregar, e isso ajudou os irmãos a terem confiança e coragem “para falar destemidamente a palavra de Deus”. — Leia Filipenses 1:12-14; 4:22.

Procure sempre maneiras de fazer o seu melhor no ministério (Veja o parágrafo 17.) *

17. Dê um exemplo moderno de irmãos que produzem fruto apesar de circunstâncias difíceis.

17 Muitos dos nossos irmãos e irmãs imitam a coragem de Paulo. Eles moram em países em que a pregação de casa em casa é proibida, mas encontram outros modos de falar das boas novas. (Mat. 10:16-20) Em certo país nessa situação, um superintendente de circuito sugeriu que cada publicador cobrisse o seu próprio “território”, ou seja, pregasse a parentes, vizinhos, colegas de trabalho ou de escola e conhecidos. Menos de dois anos depois, o número de congregações nesse circuito aumentou bastante. Talvez a pregação de casa em casa não esteja proibida no nosso país. Mesmo assim, o exemplo desses irmãos e irmãs dedicados ensina-nos algo importante: procure sempre formas de fazer o seu melhor no ministério, e confie que Jeová vai dar-lhe a força de que precisa para vencer qualquer desafio. — Fil. 2:13.

18. O que deve estar determinado a fazer?

18 Nesta época marcante em que vivemos, esteja determinado a seguir o conselho que Paulo deu na sua carta aos filipenses. Certifique-se das coisas mais importantes, seja sem defeito, não faça outros tropeçar e fique cheio de fruto justo. Se fizer isso, o seu amor vai tornar-se abundante e vai honrar o nosso amoroso Pai, Jeová.

CÂNTICO 17 “Eu Quero!”

^ par. 5 Hoje, mais do que nunca, o nosso amor pelos irmãos precisa de ser ainda mais forte. A carta aos filipenses mostra como o nosso amor pode ser cada vez mais abundante, mesmo quando isso é difícil.

^ par. 54 IMAGENS: Durante a limpeza do Salão do Reino, um irmão chamado José para de trabalhar e fica a conversar com outro irmão e o filho. Isso deixa Márcio, o irmão que está a aspirar, muito irritado. Ele pensa: ‘Em vez de limpar, o José passa o tempo a conversar.’ Mais tarde, o Márcio vê o José a ajudar uma irmã idosa. Essa cena ajuda o Márcio a lembrar-se das boas qualidades do seu irmão na fé.

^ par. 58 IMAGENS: Em certo país onde as Testemunhas de Jeová não podem pregar de casa em casa, um irmão fala discretamente sobre as boas novas com um conhecido. Mais tarde, durante um intervalo, o irmão dá testemunho a um colega de trabalho.