Ir para conteúdo

Ir para índice

 CAPÍTULO 7

Você valoriza a vida assim como Deus?

Você valoriza a vida assim como Deus?

“Contigo está a fonte da vida.” — SALMO 36:9.

1, 2. Qual é o dom que recebemos de Jeová, e porque é que isso é especialmente valioso hoje em dia?

AO DAR-NOS a vida, o nosso Pai celestial dotou-nos de algo inestimável – o dom da vida como humanos inteligentes, capazes de refletir as Suas qualidades. (Génesis 1:27) Graças a esse dom precioso, podemos entender os princípios bíblicos. Por aplicá-los, podemos tornar-nos pessoas espiritualmente maduras, que amam a Jeová e cuja “capacidade de discernimento [é] treinada para saber distinguir tanto o certo como o errado”. — Hebreus 5:14.

2 A capacidade de entender princípios bíblicos é especialmente importante hoje em dia, pois o mundo tornou-se tão complexo que seria impossível haver leis que abrangessem todas as situações que possam surgir na vida. A medicina ilustra bem esse ponto, em especial, quando se trata de procedimentos e produtos que utilizam sangue. Este é um assunto de grande interesse e preocupação para os que querem obedecer a Jeová. Contudo, se entendermos os princípios bíblicos envolvidos, conseguiremos tomar boas decisões, que nos deixarão com a consciência limpa e nos manterão no amor de Deus. (Provérbios 2:6-11) Veja alguns desses princípios.

A VIDA E O SANGUE SÃO SAGRADOS

3, 4. Quando é que a santidade do sangue foi mencionada pela primeira vez nas Escrituras, e em que princípios se baseia?

3 Foi pouco tempo depois de Caim matar Abel que Jeová  revelou, pela primeira vez, que a vida e o sangue são sagrados e estão intimamente relacionados. Ele disse a Caim: “Escuta! O sangue do teu irmão está a clamar a mim desde o solo.” (Génesis 4:10) Do ponto de vista de Jeová, o sangue de Abel representava a sua vida, que lhe tinha sido tirada de forma violenta. Por isso, podia-se dizer que o sangue de Abel clamava a Deus por vingança. — Hebreus 12:24.

4 Depois do Dilúvio dos dias de Noé, Deus deu permissão aos humanos para comerem a carne de animais, mas não o sangue. Deus disse: “Só não comam a carne de um animal com a sua vida – o seu sangue. Além disso, exigirei uma prestação de contas pelo vosso sangue, a vossa vida.” (Génesis 9:4, 5) Este mandamento aplica-se a todos os descendentes de Noé até aos nossos dias. Confirma o que estava subentendido nas palavras de Deus a Caim – que a vida, ou a alma, de todas as criaturas é representada pelo sangue. Esse mandamento também deixa claro que todos os humanos que desrespeitam a vida e o sangue terão de prestar contas a Jeová, a Fonte da vida. — Salmo 36:9.

5, 6. Como é que a Lei mosaica deixava claro que o sangue é sagrado e precioso? (Veja também o quadro “ Respeite a vida dos animais”.)

5 Estas duas verdades fundamentais eram evidentes na Lei mosaica. Levítico 17:10, 11 diz: “Se algum homem [...] comer o sangue de qualquer criatura, eu certamente me voltarei contra aquele que comer o sangue, e irei eliminá-lo dentre o povo. Pois a vida de uma criatura está no sangue, que eu mesmo vos dei no altar para que façam expiação por vocês mesmos. Pois é o sangue que faz expiação por meio da vida que está nele.” * — Veja o quadro “ O valor expiatório do sangue”.

6 Se o sangue de um animal sacrificado não fosse usado no altar, devia ser derramado na terra. Assim, de forma simbólica,  a vida era devolvida ao Dono original. (Deuteronómio 12:16; Ezequiel 18:4) Observe, porém, que não era necessário que os israelitas tomassem medidas extremas para tentar remover todos os vestígios de sangue da carne do animal. Desde que o animal tivesse sido abatido e sangrado de modo correto, um israelita podia comê-lo com a consciência limpa, porque já se havia mostrado o devido respeito pelo Dador da Vida.

7. Como é que David mostrou respeito pela santidade do sangue?

 7 O rei David, ‘um homem que agradava ao coração de Deus’, entendia bem os princípios envolvidos na lei de Deus sobre o sangue. (Atos 13:22) Em certa ocasião, quando ele estava com muita sede, três dos seus homens invadiram um acampamento inimigo, tiraram água da cisterna e trouxeram-na a ele. Qual foi a reação de David? “Como é que eu poderia beber o sangue dos homens que arriscaram a sua vida?”, perguntou ele. Para David, aquela água representava a vida dos seus homens. Por isso, embora estivesse com sede, ele “derramou-a para Jeová”. — 2 Samuel 23:15-17.

8, 9. Será que o conceito de Deus sobre a vida e o sangue mudou depois da formação da congregação cristã? Explique.

8 Cerca de 2400 anos depois de Jeová dar a Noé a ordem de não comer sangue, e aproximadamente 1500 anos depois de estabelecer o pacto da Lei, ele inspirou o corpo governante da congregação cristã do primeiro século a escrever: “Pareceu bem ao espírito santo e a nós próprios não vos impor nenhum fardo além destas coisas necessárias: que persistam em abster-se de coisas sacrificadas a ídolos, de sangue, do que foi estrangulado e de imoralidade sexual.” — Atos 15:28, 29.

9 Assim, fica evidente que o corpo governante do primeiro século entendeu que o sangue é sagrado e que o seu mau uso é tão moralmente errado como participar em idolatria ou cometer imoralidade sexual. Atualmente, os cristãos verdadeiros adotam essa mesma posição. Além disso, por se orientarem por princípios bíblicos, podem agradar a Jeová ao tomarem decisões sobre o uso do sangue.

O USO DO SANGUE NA MEDICINA

Como é que eu explicaria a um médico a minha decisão sobre o uso de frações de sangue?

10, 11. (a) Qual é o ponto de vista das Testemunhas de Jeová sobre as transfusões de sangue total e dos seus componentes primários? (b) Em que questões referentes ao sangue é que os cristãos talvez tenham opiniões diferentes?

10 As Testemunhas de Jeová entendem que ‘abster-se de sangue’ significa não aceitar transfusões de sangue e não doar ou armazenar o seu próprio sangue para ser usado em  transfusões. Por respeito à lei de Deus, também não aceitam os quatro componentes primários do sangue: glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas e plasma.

11 Hoje em dia, por meio de processamento adicional, esses componentes são muitas vezes subdivididos em frações, que são usadas de diversas maneiras. Seria correto que um cristão aceitasse essas frações? Será que ele as considera como “sangue”? Cada um deve tomar a sua própria decisão neste assunto. Isso também se aplica a procedimentos médicos como a hemodiálise, a hemodiluição e a recuperação intraoperatória de células do sangue da própria pessoa, desde que este não tenha sido armazenado. — Veja o tópico “Frações de sangue e procedimentos cirúrgicos” no Apêndice.

12. Como devemos encarar os assuntos que envolvem a consciência, e como devemos agir?

12 Será que os assuntos de decisão pessoal são de pouca  importância para Jeová? Não, pois ele interessa-se muito pelos nossos pensamentos e motivações. (Leia Provérbios 17:3; 24:12.) Por isso, depois de pedir a orientação de Jeová e pesquisar sobre um produto derivado de sangue ou um procedimento médico, devemos agir de acordo com a nossa consciência treinada pela Bíblia. (Romanos 14:2, 22, 23) Naturalmente, as outras pessoas não devem tentar impor-nos a sua opinião; por outro lado, não devemos perguntar a outros o que fariam se estivessem no nosso lugar. Nestes assuntos, cada cristão deve ‘levar a sua própria carga’. * — Gálatas 6:5; Romanos 14:12; veja o quadro “ Considero o sangue como sagrado?”.

AS LEIS DE JEOVÁ REFLETEM O SEU AMOR PATERNAL

13. O que é que as leis e os princípios de Jeová revelam sobre ele? Dê um exemplo.

13 As leis e os princípios encontrados na Bíblia revelam que Jeová é um Legislador sábio e, ao mesmo tempo, um Pai amoroso que se importa muito com o bem-estar dos seus filhos. (Salmo 19:7-11) O mandamento de nos ‘abstermos de sangue’ não foi dado como uma medida para proteger a nossa saúde. Contudo, se lhe obedecermos, evitamos as complicações relacionadas com as transfusões de sangue. (Atos 15:20) De facto, muitos da área médica consideram a cirurgia sem sangue como o padrão de excelência da medicina moderna. Para os cristãos verdadeiros, factos como esse simplesmente confirmam a extraordinária sabedoria e o amor paternal de Jeová. — Leia Isaías 55:9; João 14:21, 23.

14, 15. (a) Que leis tornavam evidente o amor de Deus pelo seu povo? (b) Como se pode aplicar os princípios que servem de base para essas leis de segurança?

14 A preocupação de Deus com o bem-estar do seu povo no Israel antigo era evidente em muitas das suas leis. Por exemplo, visto que o terraço das casas dos israelitas era uma área  muito utilizada, Deus exigia que eles construíssem um parapeito a fim de evitar acidentes. (Deuteronómio 22:8; 1 Samuel 9:25, 26; Neemias 8:16; Atos 10:9) Deus também ordenou que os touros perigosos fossem mantidos presos. (Êxodo 21:28, 29) Desconsiderar essas exigências mostrava total falta de respeito pelo bem-estar dos outros e podia resultar em culpa de sangue.

15 Como se pode aplicar os princípios que servem de base para essas leis? Pense no estado do seu veículo, nos seus hábitos ao volante, nos seus animais, na sua casa, no seu local de trabalho e nas diversões que escolhe. Em alguns países, os acidentes são a principal causa de morte entre os jovens, geralmente por causa de eles se arriscarem desnecessariamente. Todavia, os jovens que querem permanecer no amor de Deus dão valor à vida e não participam em atividades perigosas à procura de emoção. Eles não se enganam por acharem que, por serem jovens, nada de mal lhes vai acontecer. Em vez disso, aproveitam a juventude, evitando coisas prejudiciais. — Eclesiastes 11:9, 10.

16. Que princípio bíblico se aplica ao aborto? (Veja também a nota.)

16 Até mesmo a vida de um bebé por nascer é preciosa para Deus. No Israel antigo, se alguém ferisse uma mulher grávida e, em resultado disso, ela ou o bebé morressem, Deus considerava o responsável pelo acidente como assassino, e ele tinha de pagar “vida por vida”. * (Leia Êxodo 21:22, 23.) Imagine como Jeová se deve sentir ao ver inúmeros bebés a serem abortados ano após ano, sendo que muitos são mortos por pura conveniência e em favor da liberdade sexual.

17. Como consolaria alguém que fez um aborto antes de aprender as normas de Deus?

17 O que dizer, porém, de uma mulher que fez um aborto  antes de aprender a verdade da Bíblia? Será que ela pode contar com a misericórdia de Deus? Com certeza que sim! Uma pessoa realmente arrependida pode confiar no perdão de Deus à base do sangue derramado de Jesus. (Salmo 103:8-14;  Efésios 1:7) O próprio Jesus Cristo disse: “Eu não vim chamar os justos ao arrependimento, mas os pecadores.” — Lucas 5:32.

EVITE O ÓDIO

18. Como é que a Bíblia identifica a causa principal de muito derramamento de sangue?

18 Jeová deseja não só que evitemos prejudicar outros, mas também que eliminemos do coração o sentimento que causa muito derramamento de sangue – o ódio. “Todo aquele que odeia o seu irmão é assassino”, escreveu o apóstolo João. (1 João 3:15) Tal pessoa, além de não gostar do seu irmão, quer vê-lo morto. Essa inimizade pode manifestar-se em forma de calúnia ou de acusações falsas que, se fossem verdadeiras, fariam com que a pessoa acusada merecesse ser condenada à morte por Deus. (Levítico 19:16; Deuteronómio 19:18-21; Mateus 5:22) É muito importante que nos esforcemos em eliminar qualquer maldade que possa existir no nosso coração. — Tiago 1:14, 15; 4:1-3.

19. Como é que uma pessoa que se orienta por princípios bíblicos encara textos tais como o Salmo 11:5 e Filipenses 4:8, 9?

19 Os que valorizam a vida assim como Jeová e que desejam manter-se no seu amor também evitam toda a forma de violência. O Salmo 11:5 diz: “Ele odeia quem ama a violência.” Esse texto não fala apenas da personalidade de Deus; contém um princípio que deve orientar a nossa vida. Motiva quem ama a Deus a evitar todo o tipo de diversão que promova um espírito violento. Da mesma maneira, saber que Jeová é “o Deus de paz” incentiva os seus servos a encher a mente e o coração com coisas amáveis, virtuosas e dignas de louvor, que contribuem para a paz. — Leia Filipenses 4:8, 9.

NÃO FAÇA PARTE DE ORGANIZAÇÕES QUE TÊM CULPA DE SANGUE

20-22. Qual é a posição dos cristãos em relação ao mundo, e porquê?

20 Do ponto de vista de Deus, o inteiro mundo de Satanás tem culpa de sangue. Os seus sistemas políticos, representados  nas Escrituras como feras selvagens, mataram incontáveis milhões de pessoas, incluindo muitos servos de Jeová. (Daniel 8:3, 4, 20-22; Apocalipse 13:1, 2, 7, 8) O alto comércio e a ciência têm cooperado com esses poderes governamentais, semelhantes a feras, para desenvolver algumas das armas mais horríveis que se possa imaginar, recebendo enormes lucros. De facto, “o mundo inteiro está sob o poder do Maligno”. — 1 João 5:19.

21 Visto que os seguidores de Jesus “não fazem parte do mundo” e não se envolvem na política nem nas guerras, evitam ter culpa de sangue tanto direta como indiretamente. * (João 15:19; 17:16) E, imitando Cristo, não agem com violência quando são perseguidos. Em vez disso, mostram amor pelos seus inimigos, até mesmo orando por eles. — Mateus 5:44; Romanos 12:17-21.

22 Acima de tudo, os cristãos verdadeiros evitam qualquer envolvimento com “Babilónia, a Grande”, o império  mundial da religião falsa, que é quem mais tem culpa de sangue. A Palavra de Deus diz: “Nela foi encontrado o sangue dos profetas, dos santos e de todos os que foram mortos na terra.” Assim, somos alertados: “Saiam dela, meu povo.” — Apocalipse 17:6; 18:2, 4, 24.

23. O que significa sair de Babilónia, a Grande?

23 Sair de Babilónia, a Grande, envolve que a pessoa faça mais do que tirar o seu nome da lista de membros de uma instituição religiosa. Também inclui odiar as práticas más que a religião falsa aceita ou promove abertamente – como a imoralidade, o envolvimento na política e a busca gananciosa de riquezas. (Leia Salmo 97:10; Apocalipse 18:7, 9, 11-17) Muitas vezes, essas práticas resultam em derramamento de sangue.

24, 25. (a) Qual é a base para Jeová estender misericórdia a uma pessoa que tem culpa de sangue e está arrependida? (b) De que provisão nos tempos bíblicos é que isso nos faz lembrar?

24 Antes de aceitar a adoração verdadeira, cada um de nós, de uma forma ou de outra, apoiava o sistema de Satanás e, por isso, tinha certa medida de culpa de sangue. No entanto, por mudarmos o nosso modo de agir, termos fé no sacrifício de resgate de Cristo e dedicarmos a nossa vida a Deus, recebemos a Sua misericórdia e proteção espiritual. (Atos 3:19) Essa proteção faz-nos lembrar as cidades de refúgio nos tempos bíblicos. — Números 35:11-15; Deuteronómio 21:1-9.

25 Como funcionava essa provisão? Se um israelita causasse acidentalmente a morte de alguém, devia fugir para uma das cidades de refúgio. Depois de juízes habilitados julgarem o assunto, a pessoa que, sem querer, tivesse causado a morte de alguém tinha de residir na cidade de refúgio até à morte do sumo sacerdote. Depois disso, ela estava livre para morar noutro lugar. Este é um exemplo maravilhoso da misericórdia de Deus e do grande valor que ele dá à vida humana. A provisão de Deus, à base do sacrifício de resgate de Cristo, é similar a essas antigas cidades de refúgio. Como? No sentido de que nos  protege de sermos mortos por violarmos, sem querer, a lei de Deus sobre a santidade da vida e do sangue. Sente apreço por esta provisão? Como pode demonstrá-lo? Uma maneira de o fazer é por convidar outros a também aceitarem a provisão de Deus para a sua proteção, especialmente porque a “grande tribulação” se aproxima rapidamente. — Mateus 24:21; 2 Coríntios 6:1, 2.

RESPEITE A VIDA POR PREGAR A MENSAGEM DO REINO

26-28. De que forma é que a nossa situação atual é similar à do profeta Ezequiel, e como podemos manter-nos no amor de Deus?

26 A situação do povo de Deus nos nossos dias faz-nos lembrar a do profeta Ezequiel, a quem Jeová designou como vigia para declarar os avisos de Deus à casa de Israel. Deus disse: “Quando ouvires uma palavra da minha boca, deves transmitir-lhes o meu aviso.” Se Ezequiel não cumprisse a sua comissão, tornar-se-ia responsável pelo sangue dos que seriam executados quando Jerusalém tivesse de prestar contas a Deus. (Ezequiel 33:7-9) No entanto, Ezequiel obedeceu e não teve culpa de sangue.

27 Estamos muito perto do fim de todo o sistema de Satanás. Por isso, para as Testemunhas de Jeová, é um dever e um privilégio proclamar o “dia de vingança” de Deus como parte da mensagem do Reino. (Isaías 61:2; Mateus 24:14) Tenha uma participação plena nesta obra importante! O apóstolo Paulo levou a sério a sua comissão de pregar. Por isso, ele pôde dizer: “Estou limpo do sangue de todos os homens, pois não deixei de vos declarar toda a vontade de Deus.” (Atos 20:26, 27) Que excelente exemplo para imitarmos!

28 Naturalmente, mantermo-nos no amor de Jeová e usufruirmos dos seus cuidados paternais envolve mais do que ter o mesmo conceito que ele tem sobre a vida e o sangue. Também precisamos de nos manter limpos, ou santos, aos seus olhos, conforme veremos no próximo capítulo.

^ par. 5 No que diz respeito à declaração de Deus de que “a vida de uma criatura está no sangue”, a revista Scientific American disse: “Além do significado metafórico, a declaração é verdadeira em sentido literal: cada tipo de célula sanguínea é necessário para a vida.”

^ par. 12 Veja a Despertai! de agosto de 2006, páginas 3-12, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

^ par. 16 Há lexicógrafos bíblicos que afirmam que a fraseologia do texto hebraico “aparentemente torna impossível interpretar as palavras como se referindo apenas aos danos causados à mulher”. Note também que a Bíblia não diz nada que indique que a idade do embrião ou do feto fosse um fator determinante no julgamento de Jeová.

^ par. 21 Veja o Capítulo 5, “Como se manter separado do mundo”.

^ par. 70 Para informações detalhadas, veja o artigo “Frações de sangue e procedimentos cirúrgicos” no Apêndice.