Ir para conteúdo

Ir para índice

 APÊNDICE

Frações de sangue e procedimentos cirúrgicos

Frações de sangue e procedimentos cirúrgicos

Frações de sangue. São derivadas dos quatro componentes primários do sangue – glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas e plasma. Por exemplo, os glóbulos vermelhos contêm uma proteína chamada hemoglobina. Os produtos que contêm hemoglobina humana ou animal são usados para tratar pacientes com anemia aguda ou com grande perda de sangue.

O plasma – que é composto por 90% de água – transporta dezenas de hormónios, sais inorgânicos, enzimas e nutrientes, incluindo minerais e açúcar. Também transporta fatores de coagulação, proteínas, como a albumina, e anticorpos que combatem doenças. Se alguém fica exposto a certa doença, os médicos talvez receitem injeções de gamaglobulina extraída do plasma de pessoas que já adquiriram imunidade à doença. Os glóbulos brancos podem ser uma fonte de interferões e de interleucinas, usados para tratar algumas infeções virais e alguns tipos de cancro.

Será que os cristãos devem aceitar terapias que utilizam frações sanguíneas? A Bíblia não dá detalhes específicos, de modo que cada um deve tomar a sua própria decisão perante Deus segundo a sua consciência. Alguns decidem recusar todas as frações, raciocinando que a Lei de Deus a Israel exigia que o sangue retirado de um animal fosse ‘derramado na terra’.  (Deuteronómio 12:22-24) Outros, embora recusem transfusões de sangue total ou dos seus componentes primários, talvez aceitem tratamentos que utilizam frações de sangue. Talvez raciocinem que, num determinado ponto, as frações que são extraídas do sangue deixam de representar a vida da pessoa ou do animal do qual o sangue foi retirado.

Ao tomar decisões sobre frações de sangue, pergunte-se: ‘Reconheço que, por recusar todas as frações de sangue, estarei a rejeitar certos medicamentos que contêm derivados de sangue para combater doenças ou para ajudar o sangue a coagular a fim de estancar hemorragias? Saberia explicar a um médico por que motivo rejeito ou aceito o uso de certas frações de sangue?’

Procedimentos cirúrgicos. Estes incluem a hemodiluição e a recuperação intraoperatória de células. Na hemodiluição, o sangue é desviado do corpo, substituído por expansores de volume que não contêm sangue e, depois, devolvido ao paciente. A recuperação intraoperatória de células recolhe o sangue perdido durante a cirurgia e devolve-o ao paciente. Nesse processo, o sangue é recuperado de um ferimento ou de uma cavidade do corpo, purificado ou filtrado, e, então, devolvido ao paciente. Visto que a maneira de aplicar essas técnicas pode variar de um médico para outro, um cristão deve informar-se sobre o que o seu médico tem em mente.

Ao tomar decisões sobre estes procedimentos, pergunte-se: ‘Se parte do meu sangue for desviada do meu corpo e a circulação for interrompida, será que a minha consciência me permitirá  encarar esse sangue como ainda fazendo parte de mim, tornando desnecessário “derramá-lo na terra”? (Deuteronómio 12:23, 24) Será que a minha consciência treinada pela Bíblia ficaria perturbada se, durante um procedimento médico, parte do meu sangue fosse retirada, modificada e colocada novamente no meu corpo? Estou ciente de que, ao recusar todos os procedimentos que envolvem o meu próprio sangue, estarei também a  recusar submeter-me a exames de sangue e a tratamentos como hemodiálise ou o uso da máquina coração-pulmão?’

Um cristão tem de decidir por si mesmo como permitirá que o seu sangue seja manuseado durante um procedimento cirúrgico. O mesmo se aplica a exames médicos e terapias modernas que envolvem tirar uma pequena quantidade de sangue, talvez modificá-lo de alguma forma e, depois, injetá-lo novamente no corpo.