Ir para conteúdo

Ir para índice

 CAPÍTULO 10

O casamento – uma dádiva de um Deus amoroso

O casamento – uma dádiva de um Deus amoroso

“Um cordão tríplice não pode ser facilmente rebentado.” — ECLESIASTES 4:12.

1, 2. (a) O que é que talvez nos perguntemos sobre os recém-casados, e porquê? (b) Que perguntas analisaremos neste capítulo?

GOSTA de ir a casamentos? Muitos gostam, porque costumam ser ocasiões agradáveis. Talvez aprecie ver os noivos elegantemente vestidos e, mais do que isso, os seus rostos radiantes de felicidade. Nesse dia, tudo é alegria, e o futuro dos noivos parece promissor.

2 Ainda assim, deve-se admitir que, na atualidade, em muitos sentidos, a instituição do casamento está a desmoronar-se. Embora o nosso desejo seja que os recém-casados tenham um casamento bem-sucedido, uma vez por outra, talvez nos perguntemos: ‘Será que eles serão mesmo felizes? O casamento vai durar?’ Isso dependerá de o marido e a esposa confiarem nos conselhos de Deus sobre o casamento e de os colocarem em prática. (Leia Provérbios 3:5, 6.) É necessário que façam isso para permanecerem no amor de Deus. Vamos concentrar-nos na resposta da Bíblia a quatro perguntas. Porquê casar-se? Se pretende casar-se, quem deve escolher como futuro marido ou futura esposa? Como pode preparar-se para o casamento? E o que pode ajudar um casal a permanecer feliz no casamento?

PORQUÊ CASAR-SE?

3. Porque não seria sensato casar-se por motivos triviais?

3 Alguns acham que o casamento é essencial para a  felicidade – que só é possível encontrar satisfação ou alegria na vida se encontrar alguém com quem se casar. Isso simplesmente não é verdade. Jesus, que nunca se casou, falou do estado de solteiro como um dom e incentivou os que pudessem permanecer solteiros a fazê-lo. (Mateus 19:11, 12) O apóstolo Paulo também falou das vantagens do estado de solteiro. (1 Coríntios 7:32-38) Contudo, nem Jesus nem Paulo estabeleceram uma regra a exigir que os cristãos fiquem solteiros; tanto é assim que proibir o casamento foi alistado entre os “ensinamentos de demónios”. (1 Timóteo 4:1-3) No entanto, o estado de solteiro apresenta muitas vantagens aos que querem servir a Jeová sem maiores preocupações. Não seria sensato, então, casar-se por motivos triviais, como, por exemplo, a pressão de outros.

4. Que base é que um bom casamento fornece para criar filhos?

4 Por outro lado, será que há motivos válidos para se casar? Sim. O casamento também é uma dádiva do nosso Deus amoroso. (Leia Génesis 2:18.) Portanto, o casamento tem certas vantagens e pode trazer felicidade. Por exemplo, um bom casamento é a melhor base para se formar uma família. Os filhos precisam de um ambiente estável com pai e mãe para os criar e para lhes dar amor, disciplina e orientação. (Salmo 127:3; Efésios 6:1-4) Porém, criar filhos não é o único motivo para alguém se casar.

5, 6. (a) De acordo com Eclesiastes 4:9-12, quais são alguns benefícios de uma amizade achegada? (b) Como pode um casamento ser comparado a um cordão tríplice?

5 Considere o texto temático deste capítulo juntamente com o contexto: “Melhor dois do que um, porque eles têm uma boa recompensa pelo seu trabalho árduo. Pois, se um deles cai, o outro pode ajudar o seu companheiro a levantar-se. Porém, o que acontecerá com aquele que cai e não tem ninguém para ajudá-lo a levantar-se? Além disso, se dois se deitarem juntos, vão aquecer-se; mas como é que alguém sozinho pode aquecer-se? Além disso, alguém pode  vencer um que está só, mas dois juntos conseguem resistir ao agressor. E um cordão tríplice não pode ser facilmente rebentado.” — Eclesiastes 4:9-12.

6 Esse texto aplica-se, em especial, ao valor da amizade nos relacionamentos. O casamento, naturalmente, é o mais íntimo dos relacionamentos. Conforme o texto mostra, tal união pode proporcionar ajuda, consolo e proteção. O casamento será ainda mais forte se for mais do que um laço entre apenas duas pessoas. Conforme o versículo citado dá a entender, um cordão duplo pode ser rebentado. Mas seria muito mais difícil rebentar um cordão de três fios. Quando a preocupação principal tanto do marido como da esposa é agradar a Jeová, o casamento é comparável a esse cordão tríplice. Jeová torna-se, assim, uma parte importante do casamento, resultando numa união realmente forte.

7, 8. (a) Que conselho deu Paulo aos cristãos solteiros que lutam com desejos sexuais? (b) Que conceito realista sobre o casamento é que a Bíblia contém?

7 Além disso, a única maneira correta de satisfazer os desejos sexuais é dentro do casamento, onde as relações sexuais são encaradas corretamente como fonte de prazer. (Provérbios 5:18) Mesmo que uma pessoa solteira já tenha passado do período a que a Bíblia chama “flor da juventude” – a fase da vida em que os impulsos sexuais se tornam fortes –, ela talvez ainda tenha de lutar com desejos sexuais. Se não forem controlados, esses desejos podem levar a conduta impura ou imprópria. Por isso, Paulo foi inspirado a escrever este conselho a pessoas solteiras: “Se não tiverem autodomínio, que se casem, pois é melhor casar-se do que ficar a arder de paixão.” — 1 Coríntios 7:9, 36; Tiago 1:15.

8 Sejam quais forem os motivos que levam alguém a casar-se, convém ser realista. Como disse Paulo, os que se ­casam “terão dificuldades na vida”. (1 Coríntios 7:28) Os casados enfrentam desafios que os solteiros não têm. No  entanto, se decidir casar-se, o que poderá fazer para ter mais alegrias e menos problemas no casamento? Uma coisa que pode fazer é escolher bem o seu futuro cônjuge.

QUEM PODERIA SER UM BOM MARIDO OU UMA BOA ESPOSA?

9, 10. (a) Como é que Paulo ilustrou o perigo de se formar um vínculo achegado com descrentes? (b) Em geral, qual é o resultado quando alguém desconsidera o conselho de Deus de não se casar com um descrente?

9 Paulo foi inspirado a escrever sobre um princípio importante que deve ser aplicado ao escolher um cônjuge: “Não se ponham em jugo desigual com descrentes.” (2 Coríntios 6:14) A sua ilustração foi baseada num facto relacionado com as atividades agrícolas. Se dois animais que diferem em tamanho e força forem colocados juntos sob um mesmo jugo, ambos sofrerão. Da mesma forma, um cristão e um descrente unidos no mesmo jugo, pelo casamento, com certeza, terão muitos atritos. Se um dos cônjuges deseja permanecer no amor de Jeová enquanto o outro se importa muito pouco ou quase nada com isso, as suas prioridades na vida serão diferentes. Provavelmente, isso ­resultará em muito sofrimento. Por isso, Paulo aconselhou os ­cristãos a casarem-se “somente no Senhor”. — 1 Coríntios 7:39.

10 Alguns cristãos solteiros acham que um jugo desigual seria melhor do que a solidão que sentem no momento. Por isso, decidem desconsiderar o conselho bíblico e casam-se com uma pessoa que não serve a Jeová. Em geral, isso resulta em tristeza. Eles veem-se casados com alguém com quem não podem compartilhar as coisas mais importantes da vida. Podem sentir muito mais solidão do que quando eram solteiros. Felizmente, há milhares de cristãos solteiros que confiam no conselho divino sobre este assunto e seguem-no fielmente. (Leia Salmo 32:8.) Embora desejem  casar-se um dia, permanecem solteiros até encontrarem um cônjuge entre os que adoram a Jeová Deus.

11. O que o pode ajudar a escolher bem um cônjuge? (Veja também o quadro “ O que procuro num cônjuge?”.)

11 É evidente que ser servo de Jeová não significa que a pessoa será automaticamente um cônjuge adequado. Se estiver a pensar em casar-se, procure alguém cuja personalidade seja compatível com a sua, com quem tenha alvos espirituais em comum e que realmente ame a Deus. O escravo fiel e prudente tem fornecido muita matéria sobre este assunto. Seria sensato considerar com oração esses conselhos bíblicos e deixar-se orientar por eles, ao tomar essa importante decisão. * — Leia Salmo 119:105.

12. Qual é o costume ligado ao casamento que prevalece em muitos países, e que exemplo bíblico serve de orientação para isso?

12 Em muitos países, é costume os pais escolherem com quem os filhos se vão casar. Nessas culturas, há a opinião geral de que os pais têm mais sabedoria e experiência para tomar essa importante decisão. Muitas vezes, os casamentos arranjados funcionam, como nos tempos bíblicos. O exemplo de Abraão ao enviar o seu servo para encontrar uma esposa para Isaque serve de orientação para os pais atuais que talvez se encontrem numa situação similar. Abraão não estava preocupado com o dinheiro nem com a posição social. Em vez disso, ele fez o que estava ao seu alcance para encontrar uma esposa para Isaque entre os que adoravam a Jeová. * — Génesis 24:3, 67.

 COMO SE PREPARAR PARA TER UM CASAMENTO BEM-SUCEDIDO?

13-15. (a) Como é que o princípio encontrado em Provérbios 24:⁠27 pode ajudar um jovem que está a pensar em casar-se? (b) Como é que uma jovem se pode preparar para a vida de casada?

13 Se está a pensar seriamente em casar-se, faria bem em perguntar-se: ‘Será que estou mesmo preparado?’ A resposta não depende simplesmente do que pensa sobre amor, sexo, companheirismo ou criação de filhos. Há responsabilidades que cada pessoa que deseja casar-se deve considerar.

14 Um jovem que procura uma esposa deve pensar bem neste princípio: “Prepara o teu trabalho lá fora e deixa tudo pronto no campo; depois constrói a tua casa.” (Provérbios 24:27) O que quer esse texto destacar? Nos tempos bíblicos, se um homem quisesse casar-se e constituir família, devia perguntar-se: ‘Será que tenho condições de sustentar uma família?’ Primeiro, ele tinha de trabalhar, cuidando dos campos. O mesmo princípio se aplica nos nossos dias. Um homem que deseja casar-se precisa de se preparar para as responsabilidades do casamento. Enquanto ele for fisicamente capaz, terá de trabalhar. A Palavra de Deus mostra que o homem que não cuida das necessidades físicas, emocionais e espirituais da sua família é pior do que alguém sem fé. — Leia 1 Timóteo 5:8.

15 Uma mulher que decida casar-se também concorda em assumir grandes responsabilidades. A Bíblia valoriza algumas aptidões e qualidades de que uma esposa talvez precise para ajudar o marido e cuidar da casa. (Provérbios 31:10-31) Os que se apressam em casar-se sem estarem preparados para assumir as responsabilidades envolvidas, na verdade, são egoístas, pois deixam de pensar no que podem proporcionar ao futuro cônjuge. Mas, acima de tudo, os que ­desejam casar-se precisam de estar preparados em sentido espiritual.

16, 17. Em que princípios bíblicos devem meditar aqueles que se preparam para se casar?

 16 Preparar-se para o casamento inclui meditar no papel que Deus designou ao marido e à esposa. É importante que o homem entenda o que significa ser o cabeça de uma família cristã. Isso não lhe dá o direito de agir como tirano. Pelo contrário, ele deve imitar a maneira de Jesus exercer a chefia. (Efésios 5:23) Do mesmo modo, a mulher cristã precisa de entender o papel digno da esposa. Será que ela está disposta a ser submissa à “lei do seu marido”? (Romanos 7:2) Ela já está sob a lei de Jeová e de Cristo. (Gálatas 6:2) A autoridade do seu marido na família constitui outra lei. Será que ela consegue ser apoiadora e submissa quando se trata de estar sob a autoridade de um homem imperfeito? Se essa ideia não lhe agradar, é melhor que não se case.

17 Além disso, cada cônjuge tem uma necessidade especial que o outro deve estar preparado para satisfazer. (Leia Filipenses 2:4.) Paulo escreveu: “Que cada um de vocês ame a sua esposa como a si mesmo; por outro lado, a esposa deve ter profundo respeito pelo seu marido.” Sob inspiração divina, Paulo compreendeu que o homem tem a necessidade especial de sentir que a esposa o respeita profundamente. E a mulher tem a necessidade especial de se sentir amada pelo marido. — Efésios 5:21-33.

De modo sensato, muitos casais de namorados têm sempre um acompanhante

18. Porque é que os casais devem ter autodomínio durante o namoro?

18 Sendo assim, o namoro não é uma simples diversão. É um período para um homem e uma mulher aprenderem como lidar um com o outro e decidirem se vão ou não casar-se. É também um período em que é necessário ter autodomínio. A tentação para se entregarem a demonstrações íntimas de afeto pode ser muito grande – afinal de contas, a atração física é natural. No entanto, os que realmente se amam evitarão qualquer atitude que poderia prejudicar espiritualmente a outra pessoa. (1 Tessalonicenses 4:6) Portanto,  se está a namorar, tenha autodomínio; essa qualidade pode beneficiá-lo por toda a vida, quer se case, quer não.

COMO FAZER O CASAMENTO DURAR?

19, 20. Como é que o conceito de um cristão sobre o casamento deve ser diferente do conceito de muitos hoje em dia? Ilustre.

19 Se um casal desejar que o seu casamento dure, precisará de ter um conceito correto sobre compromisso. Nos livros de romance e nos filmes, o casamento, geralmente, é o final feliz que as pessoas tanto desejam. Na vida real, porém, o casamento não é um fim; é um começo – o início de uma união que Jeová intencionou que durasse. (Génesis 2:24) Infelizmente, esse não é o conceito geral no mundo de hoje. Em algumas culturas, as pessoas dizem que casar é como dar um nó. Todavia, elas talvez não se deem conta de que a expressão descreve bem um conceito comum sobre o casamento. Como assim? Um nó bem feito resiste bem, mas ao mesmo tempo é fácil de ser desatado.

20 Hoje em dia, muitos encaram o casamento como algo temporário. Querem casar-se porque acham que com isso terão as suas necessidades satisfeitas, mas esperam poder romper o casamento assim que surgirem dificuldades. Mas lembre-se da ilustração bíblica do cordão, que pode ser aplicada ao vínculo do casamento. Os cordões ou cordas usados nos veleiros são feitos para durar, não para se gastar ou ­rebentar, mesmo nas tempestades mais fortes. Da mesma forma, o casamento foi feito para durar. Lembre-se de que Jesus disse: “O que Deus pôs sob o mesmo jugo, o homem não deve separar.” (Mateus 19:6) Se deseja casar-se, precisará de ter esse mesmo conceito sobre o casamento. Será que esse tipo de compromisso torna o casamento num fardo? Não.

21. Qual é o conceito que o marido e a esposa devem ter um do outro, e o que os pode ajudar nesse sentido?

21 O marido e a esposa devem ter sempre o conceito correto  um do outro. Se cada um procurar concentrar-se nas boas qualidades e nos esforços do outro, o casamento será uma fonte de alegria e contentamento. Será que é irrealista ter esse conceito positivo de um cônjuge imperfeito? Jeová nunca é irrealista. Mesmo assim, confiamos que ele tem sempre um conceito positivo sobre nós. O salmista perguntou: “Se vigiasses os erros, ó Jah, quem é que poderia ficar de pé, ó Jeová?” (Salmo 130:3) Os maridos e as esposas devem ter esse ponto de vista positivo um do outro e perdoar-se mutuamente. — Leia Colossenses 3:13.

22, 23. Como é que Abraão e Sara foram um bom exemplo para os casais da atualidade?

 22 Com o passar dos anos, o casamento pode trazer cada vez mais felicidade. A Bíblia fala-nos sobre a vida de casados de Abraão e Sara quando já eram idosos. Eles, com certeza, tiveram as suas dificuldades e desafios. Imagine como deve ter sido difícil para Sara, uma mulher possivelmente com mais de 60 anos de idade, deixar o seu lar confortável na próspera cidade de Ur e morar em tendas pelo resto da vida. Mesmo assim, ela foi submissa à chefia do seu marido. Como verdadeiro complemento e ajudadora de Abraão, ela respeitosamente contribuiu para que as decisões dele tivessem um bom resultado. E a sua submissão não era superficial. Até “consigo mesma” – no seu íntimo – ela considerava o marido como seu senhor. (Génesis 18:12; 1 Pedro 3:6) O seu respeito por Abraão vinha do coração.

23 Sem dúvida, isso não significa que Abraão e Sara tenham sempre concordado em tudo. Certa vez, Sara deu uma sugestão que foi muito desagradável para Abraão. Ainda assim, sob a orientação de Jeová, Abraão humildemente ouviu a voz da sua esposa, o que resultou em benefício para a família. (Génesis 21:9-13) Os maridos e as esposas dos nossos dias, mesmo os que já são casados há muitos anos, podem aprender muito desse casal temente a Deus.

24. Que tipo de casamento resulta em louvor para Jeová, e porquê?

24 Na congregação cristã, há milhares de casais felizes – casamentos em que a esposa respeita profundamente o marido, o marido ama e honra a esposa, e ambos cooperam para que fazer a vontade de Jeová seja a sua prioridade na vida. Se decidir casar-se, seja sensato ao escolher o seu cônjuge, prepare-se bem para a vida de casado e esforce-se para ter um casamento em que haja paz e amor, e que traga louvor a Jeová Deus. Se agir assim, com certeza, o seu casamento irá ajudá-lo a permanecer no amor de Deus.

^ par. 11 Veja o capítulo 2 do livro O Segredo de Uma Família Feliz, publicado pelas Testemunhas de Jeová.

^ par. 12 Alguns patriarcas fiéis tinham mais de uma esposa. Nos seus tratos com os patriarcas e com o Israel carnal, Jeová permitiu a prática da poligamia. Embora não tenha instituído esse costume, ele regulamentou-o. Porém, os cristãos sabem que Jeová já não permite a poligamia entre os seus adoradores. — Mateus 19:9; 1 Timóteo 3:2.