Ir para conteúdo

Ir para índice

Eclesiastes 7:1-29

RESUMO

  • Um bom nome e o dia da morte (1-4)

  • Censura de um sábio (5-7)

  • Melhor é o fim do que o começo (8-10)

  • Vantagem da sabedoria (11, 12)

  • Dias bons e dias maus (13-15)

  • Evita ir a extremos (16-22)

  • Comentários do congregante (23-29)

7  Um bom nome* é melhor do que um bom óleo,+ e o dia da morte é melhor do que o dia do nascimento.  Mais vale ir a uma casa onde há luto do que ir a uma casa onde há festa,+ pois a morte é o fim de todos os homens, e quem está vivo deve refletir sobre isso.  A tristeza é melhor do que o riso,+ pois um rosto triste torna melhor o coração.+  O coração dos sábios está na casa onde há luto, mas o coração dos tolos está na casa onde há alegria.*+  Mais vale ouvir a censura de um sábio+ do que ouvir a canção dos tolos.  Pois, o riso do tolo é como os estalidos de espinhos que ardem debaixo da panela;+ e isto também é vaidade.  No entanto, a opressão pode levar o sábio à loucura, e o suborno corrompe o coração.+  O fim de uma coisa é melhor do que o seu início. Mais vale ser paciente do que ter um espírito arrogante.+  Não te ofendas facilmente,*+ pois o coração dos tolos é que fica ofendido.*+ 10  Não digas: “Porque é que os tempos antigos eram melhores do que os atuais?” Pois não é a sabedoria que te faz perguntar isso.+ 11  A sabedoria acompanhada de uma herança é algo bom, e é uma vantagem para os que veem a luz do dia.* 12  Pois a sabedoria é uma proteção,+ assim como o dinheiro é uma proteção.+ Porém, a vantagem do conhecimento é esta: a sabedoria preserva a vida de quem a possui.+ 13  Considera o trabalho do verdadeiro Deus: quem é que pode endireitar aquilo que ele fez torto?+ 14  Num dia bom, sê tu também bom;+ mas, num dia de dificuldades,* lembra-te de que o verdadeiro Deus fez tanto um como o outro,+ de modo que os homens não podem ter a certeza de* nada do que o futuro lhes reserva.+ 15  Durante a minha vida vã,+ vi de tudo: pessoas justas que morrem na sua justiça+ e pessoas más que vivem muito tempo, apesar da sua maldade.+ 16  Não sejas demasiado justo,+ nem excessivamente sábio.+ Porque é que haverias de causar a tua própria ruína?+ 17  Não sejas excessivamente mau, nem sejas tolo.+ Porque é que haverias de morrer antes do tempo?+ 18  É melhor seguir um dos conselhos, mas não desconsiderar o outro;+ pois quem teme a Deus acatará ambos. 19  A sabedoria faz com que o sábio seja mais poderoso do que dez homens fortes numa cidade.+ 20  Pois não há nenhum homem justo na terra que faça sempre o que é bom e que nunca peque.+ 21  Além disso, não dês atenção* a todas as palavras que as pessoas dizem,+ senão poderias ouvir o teu servo a amaldiçoar-te;* 22  pois, no teu íntimo, bem sabes que, muitas vezes, tu mesmo amaldiçoaste outros.+ 23  Examinei tudo isto com sabedoria e disse: “Vou tornar-me sábio.” Contudo, isso estava fora do meu alcance. 24  O que já aconteceu é inatingível e insondável. Quem é que o pode compreender?+ 25  Eu direcionei o meu coração para conhecer, investigar e procurar a sabedoria e a razão por trás das coisas, e para entender a maldade da insensatez e a tolice da loucura.+ 26  Então, descobri que mais amarga do que a morte é a mulher que é como uma rede de caça, cujo coração é como redes de arrasto e cujas mãos são como correntes. Aquele que agrada ao verdadeiro Deus escapará dela,+ mas o pecador é capturado por ela.+ 27  “Vê, foi isto que eu descobri”, diz o congregante.+ “Investiguei uma coisa após outra para chegar a uma conclusão, 28  mas o que procurei* continuamente não encontrei. Encontrei um homem* em mil, mas não encontrei nenhuma mulher. 29  O que descobri resume-se a isto: o verdadeiro Deus fez a humanidade reta,+ mas os homens seguiram os seus próprios planos.”+

Notas de rodapé

Ou: “Uma boa reputação”. Lit.: “Um nome”.
Ou: “diversão”.
Lit.: “Não te apresses a ficar ofendido no teu espírito”.
Ou, possivelmente: “ficar ofendido é a marca dos tolos”.
Isto é, para os que estão vivos.
Ou: “calamidade”.
Ou: “descobrir”.
Ou: “não entregues o coração”.
Ou: “falar mal de ti”.
Ou: “a minha alma procurou”.
Ou: “homem justo”.