Ir para conteúdo

28 DE NOVEMBRO DE 2016
RÚSSIA

PARTE 3 Suplemento

Entrevistas exclusivas – Estudiosos de todo o mundo desmentem avaliações de “especialistas” russos sobre “extremismo”

Entrevistas exclusivas – Estudiosos de todo o mundo desmentem avaliações de “especialistas” russos sobre “extremismo”

Esta é a terceira de uma série de três partes.

As autoridades russas estão a tentar proibir a obra das Testemunhas de Jeová e a sua Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, classificando-as como “extremistas”. As Testemunhas de Jeová e as suas publicações estão a ser submetidas a análises encomendadas pelos tribunais. Essas análises são realizadas pelo Centro de Estudos Socioculturais Especializados, em Moscovo.

Enquanto as Testemunhas de Jeová esperam que o caso seja retomado, foram feitas entrevistas exclusivas com estudiosos de renome nas áreas de religião, política e sociologia, e com especialistas no estudo do regime soviético e pós-soviético.

Como descreveria as análises que os “especialistas” fizeram para determinar se algo é “extremista” ou não?

  • Dr. Gerhard Besier

    “Na minha opinião, as observações do Centro de Estudos Socioculturais Especializados em Moscovo foram feitas por motivos políticos, e não académicos.” — Dr. Gerhard Besier, professor emérito, estudos europeus, Universidade Técnica de Dresden; palestrante, Universidade Stanford; diretor, Instituto Sigmund Neumann de Investigação sobre Liberdade e Democracia, Alemanha

  • Dr. George D. Chryssides

    “Eu não sei quem são esses chamados especialistas que foram convocados pelo governo para dar a sua opinião a respeito das Testemunhas de Jeová. Mas estudiosos renomados que conhecem a obra das Testemunhas de Jeová na Rússia duvidam da opinião desses ‘especialistas’. Eu mesmo nunca ouvi falar do Centro de Estudos Socioculturais Especializados, e o facto de não haver nada na Internet sobre esse centro é algo preocupante. Eu assisto e participo sempre em conferências académicas sobre novas religiões, incluindo as Testemunhas de Jeová. Os que frequentam essas conferências identificam-se por mencionarem a sua instituição ou cargo, mas eu nunca vi nenhum representante desses chamados especialistas. O que determina se alguém é um especialista são as suas qualificações académicas, os artigos que a pessoa publica e a disposição dela de submeter as suas teorias a discussões, como em conferências académicas. Esses chamados especialistas consultados pela Rússia classificaram livros inofensivos, como Meu Livro de Histórias Bíblicas e O Maior Homem Que Já Viveu, como publicações extremistas. Isso levanta dúvidas sobre as qualificações e motivações desses supostos especialistas.” — Dr. George D. Chryssides, ex-diretor de estudos religiosos, Universidade de Wolverhampton; investigador honorário de religião contemporânea, Universidade de York St. John e Universidade de Birmingham, Reino Unido

  • Dr. Roman Lunkin

    “Contradizendo toda a lógica, o governo da Rússia produz estudos especializados completamente ridículos (e, pelos vistos, incentivam os seus apoiantes a criar centros especializados). A respeito do Centro de Estudos Socioculturais Especializados designado para analisar a Bíblia das Testemunhas de Jeová, nenhum dos especialistas tem formação em estudos religiosos, e eles não conhecem as publicações das Testemunhas de Jeová. A análise deles inclui citações fornecidas pelo Centro Irineu de Lyon. Esse centro é uma organização ortodoxa radical conhecida por se opor às Testemunhas de Jeová e a muitas outras religiões e denominações.” — Dr. Roman Lunkin, responsável pelo Centro para Religião e Sociedade da Academia de Ciências Russa em Moscovo; presidente da União dos Especialistas em Religião e Lei, Rússia

  • Sr. Alexander Verkhovsky

    “Nessas análises, é muito rara a participação de estudiosos de religião – mesmo nos casos relacionados com a religião. Existe uma tradição, consagrada em alguns documentos, de que a linguística e a psicologia social são as únicas ciências necessárias para realizar essas análises, o que com certeza não é verdade.” — Sr. Alexander Verkhovsky, diretor, Centro de Informações e Análises Sova (uma organização não comercial na Rússia com sede em Moscovo responsável por investigações relacionadas com o nacionalismo, a xenofobia, as relações entre as igrejas e a sociedade, e o radicalismo político), Rússia

  • Dr. Mark R. Elliott

    “Esses ‘especialistas’ indicados pelo governo estão a testemunhar sobre questões religiosas, incluindo as que condenam a Bíblia usada pelas Testemunhas de Jeová. Mas eles não têm experiência nem credibilidade quando dão as suas ‘opiniões’ sem fundamento em questões relacionadas com a fé.” — Dr. Mark R. Elliott, editor-chefe de um periódico * sobre religião, Universidade Asbury, Kentucky, Estados Unidos

  • Sra. Catherine Cosman

    “As decisões dos tribunais da Rússia, geralmente, baseiam-se nas avaliações feitas por pessoas que se dizem especialistas e que são pagas pelo governo.” — Sra. Catherine Cosman, analista sénior de política (Europa e países da antiga União Soviética), Comissão dos Estados Unidos sobre a Liberdade Religiosa Internacional, Estados Unidos

  • Professor Robert C. Blitt

    “Para classificar e processar alguns grupos religiosos, a Rússia há muito tempo leva em conta os chamados estudos especializados. Por exemplo, em fevereiro de 2009, o Ministério da Justiça da Rússia criou um Conselho de Estudos Especializados sobre Religiões. Esse conselho tem autoridade para investigar organizações religiosas e determinar se, entre outras coisas, a organização divulga ideias extremistas. Na época, o presidente desse conselho era Aleksandr Dvorkin, que não tinha as qualificações académicas necessárias como especialista em religião e era conhecido como o ‘maior ativista contra cultos religiosos da Rússia’. É comum as pessoas designadas para esses conselhos, e até as que são nomeadas especialistas em procedimentos judiciais, não terem nem mesmo as qualificações básicas. A principal função desses conselhos de ‘especialistas’ é validar as acusações do governo, apesar de recentemente alguns conselhos terem dado opiniões que iam contra os interesses do governo. É necessário ter cuidado com as opiniões desses conselhos e outros similares.” — Professor Robert C. Blitt, professor de direito, Universidade do Tennessee; ex-especialista em direito internacional da Comissão dos Estados Unidos sobre a Liberdade Religiosa Internacional, Estados Unidos

  • Dra. Emily B. Baran

    “As Testemunhas de Jeová estão há muito tempo a lutar nos tribunais de Moscovo para conseguir o registo municipal como Organização Religiosa Legalizada. E essa batalha inclui os chamados estudos especializados, que concluíram que as Testemunhas de Jeová violam a lei, prejudicam a família e o bem-estar e incentivam o ódio a outras religiões. É muito fácil encontrar um ‘especialista’ disposto a afirmar que as Testemunhas de Jeová são perigosas, mesmo que não levem em conta o que as evidências mostram.” — Dra. Emily B. Baran, professora assistente de história russa e do Leste Europeu, Universidade Estadual Middle Tennessee, Estados Unidos

  • Dra. Liudmyla Fylypovych

    “Já faz 25 anos que as condições políticas, legais e intelectuais estão a mudar na Rússia e na Ucrânia. Dizem que está cada vez mais difícil ver especialistas a dar opiniões imparciais sobre assuntos de religião na Rússia. Geralmente, os especialistas não têm as mesmas qualificações e não têm de se submeter a nenhuma lei especial. Os designados para fazer análises especializadas são pessoas preconceituosas influenciadas por conceitos religiosos, geralmente os da Igreja Ortodoxa. Sendo ortodoxos, eles não podem fazer uma análise imparcial de outra religião. Esses ‘especialistas’ não encaram outras religiões como verdadeiras e acham que possuem o ‘direito de manter a sua religião pura’. Assim, de modo agressivo, classificam todas as outras religiões como extremistas.” — Dra. Liudmyla Fylypovych, professora, diretora, Departamento de Estudos das Práticas Religiosas e da História das Religiões, Instituto de Filosofia da Academia Nacional de Ciências; vice-presidente, Associação Ucraniana de Investigadores de Religião, Ucrânia

  • Dra. Ekaterina Elbakyan

    “Na Rússia atual, os estudos especializados sobre religião, geralmente, são encomendados pelo governo e feitos por pessoas que não são especialistas. Nesses estudos, os especialistas não têm liberdade para declarar os verdadeiros resultados das suas investigações. Eu participei em dois julgamentos em Taganrog e estive presente como especialista no tribunal de apelação em Rostov-on-Don. Vi com os meus próprios olhos o vídeo que foi usado como base para acusar as Testemunhas de Jeová de extremismo. Por duas vezes dei comentários detalhados no tribunal a explicar que aquele era um típico serviço religioso cristão e que não tinha nada a ver com extremismo. Mas o tribunal não levou em conta a minha opinião como especialista. É impossível não encarar isso como uma tendência clara e sistemática de preconceito religioso. Enquanto essa tendência continuar, é óbvio que não haverá nenhuma garantia de que os adeptos vão parar de ser classificados como ‘extremistas’ por causa das suas crenças.” — Dra. Ekaterina Elbakyan, professora de sociologia e gestão de processos sociais na Academia de Trabalho e Relações Sociais de Moscovo; membro da Associação Europeia para o Estudo da Religião; editora-chefe das edições russas do Dicionário de Termos Teológicos de Westminster, do Estudo da Religião e da Enciclopédia das Religiões, * Rússia

  • Sra. Melissa Hooper

    “Eu nunca participei em casos em que alguém ou algo tenha sido declarado ‘extremista’. Mas trabalhei em casos em que um procedimento parecido foi usado – por exemplo, para decidir que uma ação foi motivada por ódio religioso ou para incentivar ódio racial e violência. Nesse tipo de casos, os especialistas são escolhidos por terem a mesma opinião que o governo. Ao escolher esses especialistas, o que os estudos e as evidências mostram não é considerado importante. O governo diz que um especialista participou nos ‘estudos’ ou nas pesquisas. Mas, em geral, as suas conclusões são contrárias às evidências, e talvez tenham sido inventadas apenas com base na sua própria opinião.” — Sra. Melissa Hooper, advogada, diretora, Projeto Internacional Bolsa de Estudos de Direito/Projeto Pillar, Human Rights First; ex-diretora regional da Iniciativa do Estado de Direito em Moscovo da Ordem dos Advogados dos Estados Unidos, Estados Unidos

Contactos para a comunicação social:

International: David A. Semonian, Departamento de Informação Pública, 1-718-560-5000

Russia: Yaroslav Sivulskiy, 7-812-702-2691

^ par. 11 Título do periódico: East-West Church and Ministry Report.

^ par. 16 Títulos em inglês:Westminster Dictionary of Theological Terms, Study of Religion Encyclopedia of Religions.