Ir para conteúdo

Quem é Jeová e qual é a importância do seu nome?

Quem é Jeová e qual é a importância do seu nome?

A resposta da Bíblia

Jeová é o verdadeiro Deus da Bíblia, o Criador de todas as coisas. (Apocalipse 4:11) Ele era o Deus dos profetas Abraão e Moisés, e também de Jesus. (Génesis 24:27; Êxodo 15:1, 2; João 20:17) Jeová não é Deus apenas para um grupo de pessoas, mas é o Deus de “toda a terra”. — Salmo 47:2.

A Bíblia revela que Jeová é o nome pessoal de Deus – um nome que só lhe pertence a ele. (Êxodo 3:15; Salmo 83:18) Esse nome deriva de um verbo hebraico que significa “vir a ser; tornar-se”. Muitos eruditos acreditam que “Jeová” significa “Ele faz com que venha a ser”. Esta definição corresponde bem ao facto de ele ter criado todas as coisas e cumprir sempre a sua vontade. (Isaías 55:10, 11) O que a Bíblia ensina sobre Jeová vai muito além do seu nome. Por exemplo, as Escrituras Sagradas ensinam-nos sobre sua maior qualidade: o amor. — Êxodo 34:5-7; Lucas 6:35; 1 João 4:8.

O nome Jeová é uma tradução portuguesa de יהוה (YHWH), o nome hebraico de Deus. Estas quatro letras hebraicas são conhecidas como Tetragrama. Ninguém sabe a pronúncia exata desse nome no hebraico antigo. Mas a forma “Jeová” já se usa há muito tempo em português e até aparece na primeira tradução da Bíblia disponibilizada na língua portuguesa. *

Porque não se sabe como se pronunciava o nome de Deus no hebraico antigo?

O hebraico antigo era escrito sem vogais, usando apenas consoantes. Ao pronunciar as palavras, qualquer pessoa que falasse hebraico sabia facilmente que vogais deveria usar. Mas, depois de as Escrituras Hebraicas (ou Velho Testamento) terem sido completadas, alguns judeus adotaram uma crença supersticiosa. Eles acreditavam que era errado pronunciar o nome de Deus. Quando liam em voz alta um texto que continha o nome de Deus, trocavam-no por expressões como “Senhor” ou “Deus”. Com o tempo, essa crença espalhou-se e a pronúncia antiga perdeu-se. *

Alguns acham que a pronúncia do nome de Deus era “Iavé” ou “Javé”, enquanto outros sugerem outras possibilidades. Um Rolo do Mar Morto que contém um trecho, em grego, de Levítico translitera o nome divino como Iao. Além desta forma, antigos escritores gregos também sugerem as pronúncias Iae, Iabé e Iaoué. Todavia, não é possível provar qual era a pronúncia exata usada no hebraico antigo. *

Mitos sobre o nome de Deus na Bíblia

Mito: O nome “Jeová” não ocorria nos escritos originais da Bíblia.

Facto: O nome de Deus em forma de Tetragrama aparece cerca de 7 mil vezes na Bíblia. * A maioria das traduções simplesmente removeu o nome de Deus e substituiu-o por um título, como “Senhor”.

Mito: Deus é superior a tudo, ele não precisa de um nome que o diferencie.

Facto: O próprio Deus orientou os escritores da Bíblia a usarem o seu nome milhares de vezes. Ele também diz que as pessoas que o adoram devem usar o seu nome. (Isaías 42:8; Joel 2:32; Malaquias 3:16; Romanos 10:13) Deus até condenou falsos profetas que tentavam fazer com que o povo esquecesse o seu nome. — Jeremias 23:27.

Mito: Seguindo a tradição dos judeus, o nome de Deus devia ser removido da Bíblia.

Facto: É verdade que alguns judeus que faziam cópias das Escrituras se recusavam a pronunciar o nome de Deus. No entanto, eles não o removiam das cópias que faziam. De qualquer forma, Deus não quer que sigamos costumes humanos que nos desviam dos seus mandamentos. — Mateus 15:1-3.

Mito: O nome de Deus não deveria ser usado na Bíblia porque não se sabe qual era a sua pronúncia no hebraico antigo.

Facto: Este argumento parte do princípio de que Deus espera que todas as pessoas pronunciem o seu nome da mesma forma, independentemente da língua que falam. Contudo, a Bíblia indica que os servos de Deus do passado que falavam línguas diferentes pronunciavam nomes próprios de maneiras diferentes.

Veja o exemplo do nome de Josué, um juiz do Israel antigo. Os cristãos do primeiro século que falavam hebraico provavelmente usavam a pronúncia Yeoshúa. Mas os que falavam grego pronunciavam este nome como Iesoús. A Bíblia usa a tradução grega do nome hebraico de Josué. Isto mostra que os cristãos faziam o que era mais lógico: usavam a forma mais comum dos nomes próprios na sua língua. — Atos 7:45; Hebreus 4:8.

O mesmo princípio pode ser aplicado ao nome de Deus. Mais importante do que descobrir a pronúncia exata do nome de Deus é dar-lhe o devido destaque dentro da Bíblia.

^ par. 5 A primeira Bíblia em português, a versão Almeida, usou milhares de vezes o nome de Deus na forma “JEHOVAH”, como pode ser visto na edição de 1693, reimpressa em 1870. A comissão tradutora da Versão Brasileira (1917) também decidiu usar a forma “Jehovah”, e, na sua edição de 2010, a grafia foi atualizada para “Jeová”. O mesmo ocorreu noutras línguas. Por exemplo, a primeira ocorrência do nome pessoal de Deus numa Bíblia em inglês data de 1530, na tradução do Pentateuco de William Tyndale. Ele usou a forma “Iehouah”. Com o tempo, a língua sofreu mudanças, e a grafia do nome divino foi modernizada.

^ par. 7 A New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica), segunda edição, volume 14, nas páginas 883-884, diz o seguinte: “Algum tempo depois do exílio, o nome Yahweh começou a ser tratado com reverência especial, e surgiu a prática de substituir esse nome pela palavra ADONAI ou ELOHIM.”

^ par. 8 Para saber mais, veja o apêndice A4, “O Nome Divino nas Escrituras Hebraicas”, na Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.

^ par. 11 Veja o Theological Lexicon of the Old Testament (Léxico Teológico do Velho Testamento), volume 2, páginas 523-524.