Ir para conteúdo

As leis de Deus sobre higiene estavam à frente do seu tempo

As leis de Deus sobre higiene estavam à frente do seu tempo

Pouco antes de a nação de Israel ter entrado na Terra Prometida, há cerca de 3500 anos, Deus disse que os iria proteger de “doenças terríveis” que eles tinham conhecido no Egito. (Deuteronómio 7:15) Uma forma de fazer isso foi por lhes dar instruções detalhadas sobre higiene, e sobre como prevenir e deter a propagação de doenças. Por exemplo:

  • A Lei obrigava a que tomassem banho e lavassem as suas roupas. — Levítico 15:4-27.

  • Quanto aos excrementos, Deus disse: “Deve-se reservar um lugar privado fora do acampamento, e é para lá que deves ir. Entre os teus utensílios, deves ter um pequeno pau. Quando te abaixares lá fora, deves cavar um buraco com ele e cobrir o teu excremento.” — Deuteronómio 23:12, 13.

  • Pessoas suspeitas de terem uma doença contagiosa eram mantidas em quarentena, ou seja, eram afastadas das outras pessoas por um período de tempo. Antes de voltar para o acampamento, quem tivesse recuperado de uma doença tinha de lavar a roupa e tomar banho, se quisesse ser considerado “puro”. — Levítico 14:8, 9.

  • Quem tocasse num cadáver ficava de quarentena. — Levítico 5:2, 3; Números 19:16.

A Lei de Israel refletia conceitos médicos e uma visão sobre saneamento que estavam muito à frente do seu tempo.

Fora de Israel, prevaleciam padrões de higiene primitivos. Por exemplo:

  • O lixo era deixado nas ruas. Não havia condições sanitárias devido à existência de água poluída, alimentos contaminados e outros tipos de lixo, o que contribuía para um alto índice de doenças e de mortalidade infantil.

  • Os médicos antigos tinham pouco ou nenhum conhecimento sobre germes e microorganismos patogénicos. Os egípcios usavam como “remédios” sangue de lagarto, estrume de pelicano, ratos mortos, urina e pão com bolor. Excrementos de humanos e de animais eram também bastante usados nos seus procedimentos médicos.

  • Os antigos egípcios adoeciam devido a vários parasitas presentes nas águas contaminadas do rio Nilo e dos seus canais de irrigação. Da mesma forma, muitas crianças egípcias morriam de diarreia ou de doenças semelhantes devido a alimentos contaminados.

Por outro lado, os israelitas foram beneficiados e mantiveram-se mais saudáveis por seguirem as regras estipuladas na Lei de Deus.