Ir para conteúdo

OS JOVENS PERGUNTAM

Como posso lidar com os meus erros?

Como posso lidar com os meus erros?

 O que é que tu farias?

Lê o que aconteceu à Karina e imagina que estás no lugar dela. O que é que tu terias feito se estivesses na mesma situação?

Karina: “Eu estava a caminho das aulas e conduzia a toda a velocidade. Então, um polícia mandou-me parar e passou-me uma multa. Fiquei tão chateada! Contei à minha mãe, e ela disse-me que eu tinha de contar tudo ao meu pai – exatamente o que eu não queria fazer.”

O que é que tu farias no lugar dela?

  1. Opção A: Não contar e torcer para que o teu pai nunca descubra.

  2. Opção B: Contar toda a verdade ao teu pai.

A primeira opção pode parecer a mais tentadora. Afinal, talvez a tua mãe até pense que já foste falar com o teu pai. No entanto, se recebeste uma multa de trânsito ou cometeste qualquer outro erro, há bons motivos para dizeres a verdade.

 Três motivos para admitires os teus erros

  1. 1. É a coisa certa a fazer. A Bíblia descreve como os cristãos devem agir: ‘Queremos comportar-nos honestamente em todas as coisas.’ — Hebreus 13:18.

    “Estou a esforçar-me bastante para ser honesta e aceitar as consequências do que faço – e também para assumir logo quando erro.” — Alexis.

  2. 2. É mais fácil as pessoas perdoarem quem admite os seus erros. A Bíblia diz: “Quem encobre as suas transgressões não será bem-sucedido, mas aquele que as confessa e abandona será tratado com misericórdia.” — Provérbios 28:13.

    “É preciso ser corajoso para confessar um erro, mas só assim é que ganhamos a confiança dos outros. Eles vão ver que somos honestos. Quando admites que erraste, transformas uma coisa má numa coisa boa.” — Richard.

  3. 3. E o mais importante: deixa Jeová feliz. A Bíblia diz que Jeová “detesta a pessoa falsa, mas tem amizade íntima com os íntegros.” — Provérbios 3:32.

    “Depois de ter cometido um erro grave, percebi que tinha de confessá-lo. Jeová nunca me abençoaria se eu não fizesse as coisas à maneira dele.” — Rachel.

Como é que a Karina, citada no início, lidou com o erro dela? Ela tentou manter a multa que recebeu em segredo. Mas esse segredo não ficou escondido por muito tempo. Karina conta: “Quase um ano depois, o meu pai estava a ver uns documentos do carro quando encontrou o registo da multa em meu nome. A situação ficou ainda pior, porque até a minha mãe discutiu comigo por eu não ter feito o que ela disse!”

Moral da história: Karina diz: “Esconder os teus erros só vai piorar as coisas. Mais cedo ou mais tarde, vais ter de pagar por eles.”

 Aprende com os teus erros

Todos nós erramos. (Romanos 3:23; 1 João 1:8) Como vimos, é um sinal de humildade e maturidade admitir os erros – e quanto antes, melhor.

O próximo passo é aprender com os teus erros. Infelizmente, muitos jovens perdem essa oportunidade. Alguns sentem-se como uma adolescente chamada Priscilla. Ela disse: “Eu costumava ficar muito desapontada com os meus erros. Eu tinha uma autoestima baixa e isso fazia os meus erros parecerem pesos gigantescos que eu não conseguia aguentar. Eu sentia-me muito sobrecarregada e achava que era um caso perdido.”

Sentes-te assim de vez em quando? Nesse caso, lembra-te: Ficar a remoer os erros do passado é como conduzir um carro e olhar apenas através do retrovisor. Pensar demais no que ficou para trás só vai fazer com que te sintas inútil e vai tirar-te a força de que precisas para lidar com os desafios futuros.

Em vez disso, tenta ter um ponto de vista mais equilibrado.

“Lembra-te dos teus erros e vê o que podes aprender com eles para não os repetir. Mas não penses demasiado neles, senão isso poderá desanimar-te.” — Elliot.

“Eu tento encarar os meus erros como oportunidades para aprender. Eu tiro uma lição de cada um deles: como posso ser uma pessoa melhor e como lidar com a situação de maneira diferente na próxima vez. Essa é a melhor forma de ver as coisas porque nos ajuda a crescer.” — Vera.