Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua angolana de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Janeiro de 2016

“Queremos ir com vocês”

“Queremos ir com vocês”

“Queremos ir com vocês, pois ouvimos que Deus está com vocês.” — ZAC. 8:23.

CÂNTICOS: 65, 122

1. O que Jeová disse que aconteceria na nossa época?

A RESPEITO do tempo em que vivemos, Jeová predisse: “Naqueles dias, dez homens de todas as línguas das nações agarrarão, sim, agarrarão firmemente a túnica de um judeu, dizendo: ‘Queremos ir com vocês, pois ouvimos que Deus está com vocês.’” (Leia Zac. 8:23) Assim como esses dez homens que agarram a roupa de um judeu, as pessoas com a esperança terrestre têm orgulho de se associar com o “Israel de Deus” — os que foram ungidos pelo espírito de Jeová. Por quê? Porque sabem que Jeová os está abençoando. — Gál. 6:16.

2.  Que perguntas serão respondidas neste artigo? (Veja a gravura no início do artigo.)

2 Jesus, assim como o profeta Zacarias, destacou que haveria união entre o povo de Deus. Ele disse que seus seguidores estariam em dois grupos — um “pequeno rebanho” e as “outras ovelhas” —, mas também disse que eles formariam “um só rebanho”, com “um só pastor”. (Luc. 12:32; João 10:16) No entanto, surgem algumas perguntas sobre a relação entre esses dois grupos: (1) Será que os das outras ovelhas precisam saber o nome de todos os ungidos hoje? (2) Como os ungidos devem encarar a si mesmos? (3) Como você deve reagir se alguém na sua congregação começar a comer do pão e beber do vinho na Celebração? (4) Você precisa ficar preocupado se notar que o número dos que comem do pão e bebem do vinho está aumentando? Vejamos a resposta a essas perguntas.

PRECISAMOS SABER O NOME DE TODOS OS UNGIDOS HOJE?

3. Por que é impossível sabermos com certeza quem fará parte dos 144 mil?

3 Será que os das outras ovelhas precisam saber o nome de todos os ungidos hoje? A resposta direta é não. Por que não? Porque, mesmo que alguém tenha recebido a chamada celestial, ele recebeu apenas um convite, não uma confirmação dessa recompensa. Tanto é que Satanás usa “falsos profetas” para tentar “enganar . . . os escolhidos”. (Mat. 24:24) Ninguém pode saber se um cristão ungido receberá sua recompensa celestial até que o próprio Jeová decida isso. Jeová avalia se a pessoa é digna dessa recompensa e lhe dá a selagem final algum tempo antes de ela morrer fielmente ou algum tempo antes do início da “grande tribulação”. (Apo. 2:10; 7:3, 14) Assim, seria inútil alguém hoje na Terra tentar descobrir quem dentre os servos de Deus fará parte dos 144 mil. [1]

4. Se é impossível saber o nome de todos os ungidos na Terra hoje, como é que podemos “ir com” eles?

4 Se é impossível saber o nome de todos os ungidos que estão hoje na Terra, como é que os membros das outras ovelhas podem “ir com” eles? Pense no que a profecia em Zacarias diz sobre os simbólicos dez homens. Eles ‘agarrariam firmemente a túnica de um judeu, dizendo: “Queremos ir com vocês, pois ouvimos que Deus está com vocês.”’ Embora o texto mencione apenas um judeu, ele faz referência a mais de uma pessoa. Por isso, não é necessário identificar cada judeu espiritual e então ir com ele. Em vez disso, precisamos identificar essas pessoas como grupo e daí apoiar esse grupo. De modo algum a Bíblia nos incentiva a seguir uma pessoa específica. Jesus é o nosso Líder. — Mat. 23:10.

COMO OS UNGIDOS DEVEM ENCARAR A SI MESMOS?

5. Que alerta os ungidos devem considerar com muita atenção, e por quê?

5 Os que comem do pão e bebem do vinho na Celebração devem considerar com muita atenção o alerta em 1 Coríntios 11:27-29. (Leia.) O que o apóstolo Paulo quis dizer aqui? Se um cristão ungido não estiver mantendo uma boa relação com Jeová, estará comendo o pão e bebendo o vinho de modo indigno. (Heb. 6:4-6; 10:26-29) Esse alerta ajuda os ungidos a lembrar que eles ainda não receberam a recompensa. Eles precisam continuar se empenhando “para alcançar o alvo, a fim de receber o prêmio da chamada para cima da parte de Deus, por meio de Cristo Jesus”. — Fil. 3:13-16.

6. Como os ungidos devem encarar a si mesmos?

6 Sob inspiração, Paulo fez um apelo para que os ungidos ‘andassem de um modo digno da chamada com que haviam sido chamados’. Como eles devem fazer isso? Paulo continua: “Com toda a humildade e brandura, com paciência, suportando uns aos outros em amor, esforçando-se diligentemente para manter a unidade do espírito, no vínculo unificador da paz.” (Efé. 4:1-3) O espírito de Jeová promove a humildade, não o orgulho. (Col. 3:12) Os ungidos são modestos e reconhecem o seguinte: o fato de terem a chamada celestial não significa necessariamente que eles têm mais espírito santo que os das outras ovelhas. Eles não afirmam ter um conhecimento especial ou receber revelações; nem tentam provar que são superiores de algum modo. Além disso, eles nunca sugeririam a outras pessoas que elas também foram ungidas e devem começar a comer do pão e beber do vinho na Celebração; em vez disso, reconhecem com humildade que é Jeová quem faz a chamada dos ungidos.

7. O que os ungidos não esperam, e por quê?

7 Os ungidos consideram sua chamada celestial um grande privilégio, mas não esperam receber um tratamento especial. (Efé. 1:18, 19; Filipenses 2:2, 3.) O espírito de Jeová deu testemunho apenas a eles, não a todos. Então, eles não ficam surpresos se alguém não vai logo acreditando que eles foram ungidos pelo espírito santo. Na verdade, eles sabem que a Bíblia nos alerta contra acreditar ingenuamente em alguém que afirma ter uma designação especial de Deus. (Apo. 2:2) Portanto, ao se apresentar a outras pessoas, eles jamais dizem que são ungidos só para impressionar. Geralmente, eles nem mencionam isso, pois não querem chamar atenção para si mesmos; nem querem se gabar de sua futura recompensa. — 1 Cor. 1:28, 29; leia 1 Coríntios 4:6-8.

8. How could the attitude of the anointed ones affect the congregation?

8 Além disso, os ungidos não encaram a si mesmos como membros de um grupo exclusivo, uma espécie de elite. Eles não ficam procurando outros ungidos para fazer amizade ou para formar grupos de estudo da Bíblia. (Gál. 1:15-17) Isso causaria divisões na congregação e prejudicaria a atuação do espírito santo, que promove a paz e a união. — Leia Romanos 16:17, 18.

COMO VOCÊ DEVE TRATÁ-LOS?

9. Por que precisamos tomar cuidado com o tratamento que damos a alguém ungido? (Veja o quadro “ O amor ‘não se comporta indecentemente’”.)

9 Como você deve tratar alguém que come do pão e bebe do vinho na Celebração? Jesus disse a seus discípulos: “Todos vocês são irmãos.” Daí acrescentou: “Quem se enaltecer será humilhado, e quem se humilhar será enaltecido.” (Mat. 23:8-12) Então, seria errado enaltecer pessoas, mesmo que sejam irmãos ungidos de Cristo. Referindo-se aos anciãos, a Bíblia nos incentiva a imitar a dos que exercem liderança, mas nunca diz que devemos engrandecer algum humano como se fosse nosso líder. (Heb. 13:7) É verdade que a Bíblia diz que alguns são “considerados dignos de dupla honra”. No entanto, eles não merecem essa honra porque são ungidos, mas porque “presidem bem” e “trabalham arduamente no falar e no ensinar”. (1 Tim. 5:17) Por isso, os que têm a chamada celestial se sentiriam constrangidos se outros os bajulassem. Pior ainda, esse tipo de tratamento especial poderia levá-los a perder a humildade. (Rom. 12:3) Nenhum de nós gostaria de fazer um irmão de Cristo tropeçar! — Luc. 17:2.

Como você deve tratar alguém que come do pão e bebe do vinho na Celebração? (Veja os parágrafos 9-11.)

10. Como podemos mostrar respeito pelos ungidos?

10 Como podemos mostrar o devido respeito àqueles que Jeová ungiu? Por não fazer perguntas pessoais sobre sua unção. Desse modo, evitamos nos intrometer em assuntos que não nos dizem respeito. (1 Tes. 4:11; 2 Tes. 3:11) Não devemos concluir que os pais, o cônjuge ou outros parentes do ungido também são ungidos. Os laços familiares não influenciam na escolha de um ungido. (1 Tes. 2:12) Também devemos resistir ao impulso de perguntar ao cônjuge de uma pessoa ungida como se sente por saber que não viverá com ela no Paraíso terrestre. Em vez de fazer perguntas que podem magoar, todos nós podemos confiar plenamente na promessa de que Jeová vai abrir sua mão e ‘satisfazer o desejo de todos os seres vivos’. — Sal. 145:16.

11. Como somos protegidos por não ‘admirar personalidades’?

11 Os que tratam os ungidos de modo equilibrado estão se protegendo de um perigo sutil. A Bíblia diz que “falsos irmãos” podem se infiltrar na congregação. (Gál. 2:4, 5; 1 João 2:19) Esses impostores talvez até afirmem ser ungidos. Além disso, alguns cristãos ungidos podem se desviar da fé. (Mat. 25:10-12; 2 Ped. 2:20, 21) Se evitarmos a armadilha de ‘admirar personalidades’, não deixaremos que esse tipo de pessoa nos afaste da verdade; além disso, nossa fé não ficará abalada caso um cristão bem conhecido ou veterano se torne infiel. — Judas 16, nota.

QUE DIZER DO NÚMERO DOS QUE COMEM DO PÃO E BEBEM DO VINHO?

12, 13. Por que não precisamos nos preocupar com o número de pessoas que comem do pão e bebem do vinho na Celebração?

12 Em anos recentes, temos notado um aumento no número dos que comem do pão e bebem do vinho na Celebração da morte de Cristo. Isso é bem diferente do que vimos por muitas décadas, quando o número diminuía. Será que o aumento atual deve nos preocupar? Não. Vejamos alguns pontos importantes que devemos ter em mente.

13 “Jeová conhece os que lhe pertencem.” (2 Tim. 2:19) Os irmãos que fazem a contagem dos que comem do pão e bebem do vinho não podem julgar quem realmente tem a esperança celestial. Esse número inclui pessoas que por engano acham que são ungidas. Depois de um tempo, alguns que começaram a comer do pão e beber do vinho pararam. Outros, por terem problemas mentais ou emocionais, acreditam que governarão com Cristo no céu. Então, o número de participantes não indica com precisão a quantidade de ungidos na Terra.

14. O que a Bíblia diz sobre o número de ungidos que estarão na Terra quando começar a grande tribulação?

14 Haverá ungidos em várias partes da Terra quando Jesus vier para levá-los para o céu. A respeito desse tempo, a Bíblia diz: “[Jesus] enviará os anjos e reunirá os seus escolhidos desde os quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu.” (Mar. 13:27) É verdade que a Bíblia indica que apenas um restante dos ungidos estará na Terra durante os últimos dias. (Apo. 12:17) Mas ela não diz quantos ainda estarão aqui quando começar a grande tribulação.

15. O que precisamos entender sobre os 144 mil escolhidos por Jeová?

15 Jeová decide em que ponto da História ele escolhe os ungidos. (Rom. 8:28-30) Jeová começou a escolher os ungidos depois da morte e ressurreição de Jesus, e pelo visto todos na congregação cristã do primeiro século eram ungidos. Desde aquele tempo até o início dos últimos dias, a grande maioria dos que afirmavam seguir a Cristo eram falsos cristãos. Jesus os comparou a “joio”. Mesmo assim, Jeová continuou ungindo alguns fiéis durante esse tempo, e eles provaram ser como o “trigo” descrito por Jesus. (Mat. 13:24-30) Nos últimos dias, Jeová continua escolhendo pessoas para fazer parte dos 144 mil. [2] Se ele decidir esperar até a parte final desse período para escolher alguns para esse privilégio, quem somos nós para questionar sua sabedoria? (Isa. 45:9; Dan. 4:35; leia Romanos 9:11, 16.) [3] Devemos tomar cuidado para não agirmos como os trabalhadores insatisfeitos que reclamaram do modo como o dono do vinhedo lidou com os trabalhadores da 11.a hora. — Leia Mateus 20:8-15.

 16. O que entendemos pela forma como Jeová alimenta o seu povo?

16 Nem todos que têm a esperança celestial fazem parte do “escravo fiel e prudente”. (Mat. 24:45-47) Assim como no primeiro século, Jeová e Jesus estão hoje alimentando muitos pelas mãos de poucos. No primeiro século, poucos cristãos ungidos foram usados para escrever as Escrituras Gregas Cristãs. Hoje, também, poucos cristãos ungidos foram designados para fornecer “alimento [espiritual] no tempo apropriado”.

17. O que você aprendeu deste artigo?

17 O que aprendemos desta consideração? Jeová decidiu dar duas recompensas distintas: vida celestial para os judeus espirituais e vida terrestre para os simbólicos dez homens. Mas ele exige o mesmo padrão de fidelidade dos que têm a chamada celestial e dos que têm a esperança terrestre. Os dois grupos devem se manter humildes. Os dois grupos devem ser unidos. E os dois grupos devem promover a paz na congregação. À medida que os últimos dias se aproximam do fim, que todos nós estejamos determinados a servir como um só rebanho sob a direção de Cristo!

^ [1] (parágrafo 3) Segundo o Salmo 87:5, 6, é provável que no futuro seja revelado o nome de todos os que tiverem sido levados para o céu para governar com Jesus. — Rom. 8:19.

^ [2] (parágrafo 15) Embora Atos 2:33 mostre que Jesus faz parte do processo de escolha, Jeová é a Fonte do convite.

^ [3] (parágrafo 15) Para mais informações, veja “Perguntas dos Leitores” em A Sentinela de 1.° de maio de 2007, pp. 30-31.