Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua angolana de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Março de 2016

Tente perceber quem precisa de ajuda prática, apoio emocional ou encorajamento da Bíblia

Você pode ajudar mais na sua congregação?

Você pode ajudar mais na sua congregação?

ANTES de ir para o céu, Jesus disse aos seus discípulos: “[Vocês] serão minhas testemunhas . . . até a parte mais distante da terra.” (Atos 1:8) Como os primeiros cristãos conseguiram realizar essa difícil tarefa?

O professor da Universidade de Oxford, Martin Goodman, disse: “No antigo Império Romano, os cristãos reconheciam que tinham uma missão a cumprir, e era isso que os destacava de outros grupos religiosos, incluindo os judeus.” Jesus viajou a muitos lugares para realizar seu ministério. Os cristãos verdadeiros seguiram seu exemplo. Eles entenderam que divulgar “as boas novas do Reino de Deus” envolvia encontrar pessoas que queriam conhecer as verdades da Bíblia. (Luc. 4:43) Esse era um dos motivos de existir apóstolos na congregação cristã do primeiro século. O termo “apóstolos” literalmente se refere àqueles que são enviados. (Mar. 3:14) Jesus ordenou aos seus seguidores: “Vão e façam discípulos de pessoas de todas as nações.” — Mat. 28:18-20.

Nenhum dos 12 apóstolos de Jesus está vivo na Terra, mas muitos servos de Jeová hoje seguem seu exemplo no ministério. Quando são convidados a fazer mais na obra de pregação, sua resposta é: “Aqui estou! Envia-me!” (Isa. 6:8) Alguns se mudaram para lugares distantes — como os milhares de irmãos que se formaram na Escola de Gileade. Outros se mudaram para uma região diferente em seu próprio país. Muitos aprenderam um novo idioma para ajudar congregações e grupos de língua estrangeira. Os irmãos que se mudaram para onde há necessidade ou que aprenderam um novo idioma talvez não tivessem as circunstâncias ideais para  fazer isso. Pode ser que no início não tenha sido fácil. Para mostrar amor a Jeová e ao próximo, eles precisaram colocar os interesses dos outros à frente dos seus. Depois de calcular o custo, eles usaram suas energias e recursos para ajudar onde há mais necessidade. (Luc. 14:28-30) Os que fazem isso são de grande ajuda.

Mas cada situação é diferente. Nem toda Testemunha de Jeová tem condições de mudar para onde a necessidade é maior ou de aprender outro idioma. Assim, será que podemos ser como missionários na nossa própria congregação?

SEJA UM MISSIONÁRIO NA SUA CONGREGAÇÃO

Você poderá ser de grande ajuda

No primeiro século, todos podiam ver que os cristãos agiam e pensavam como missionários. Mas é provável que a maioria deles não tenha mudado de cidade. Ainda assim, o conselho que Timóteo recebeu se aplicava a eles e a todos os que servem a Deus: “Faça a obra de um evangelizador, realize plenamente o seu ministério.” (2 Tim. 4:5) Todos os cristãos, não importa onde vivam, obedecem à ordem de pregar a mensagem do Reino e fazer discípulos. Além disso, há muitas maneiras de trabalharmos como missionários em nossa própria congregação.

Por exemplo, um missionário que serve em outro país precisa se adaptar a novas situações. Há muitas coisas diferentes em sua nova designação. Mas e se nós não podemos mudar para onde a necessidade é maior? Será que devemos achar que já conhecemos bem o território da nossa congregação? Ou poderíamos tentar novas maneiras de falar com as pessoas? Por exemplo, em 1940, os irmãos foram incentivados a programar um dia da semana para o testemunho nas ruas. Será que você também pode participar nesse tipo de trabalho? Ou o que acha de trabalhar com os carrinhos de publicações? O importante é estar disposto a experimentar novos métodos de pregar as boas novas. Ter uma atitude positiva nos ajudará a pregar de modo animado.

Por encorajar outros a ‘fazer a obra de um evangelizador’

Em muitos casos, os que se mudam para onde há mais necessidade ou para servir no campo de língua estrangeira são publicadores bem qualificados. Assim, eles podem ser de grande ajuda para muitos, por exemplo, tomando a liderança no serviço de pregação. Em geral, os missionários também  ajudam a organizar as reuniões e outros assuntos congregacionais até haver irmãos locais disponíveis. Se você é um irmão batizado, “está se esforçando” para assumir mais responsabilidades? Desse modo, poderá servir melhor os irmãos da sua congregação. — 1 Tim. 3:1.

SEJA “UM AUXÍLIO FORTIFICANTE”

Por fazer algo prático

Além de ter uma boa participação no ministério e assumir mais responsabilidades, há outras coisas que podemos fazer para ajudar nossa congregação. Todos — jovens ou idosos, homens ou mulheres — podem ser “um auxílio fortificante” para seus irmãos. — Col. 4:11, nota.

Para ajudar nossos irmãos, precisamos conhecê-los bem. A Bíblia nos aconselha a ‘estar atentos uns aos outros’ quando nos reunimos. (Heb. 10:24, nota) Isso não quer dizer que vamos nos intrometer em sua vida pessoal. Devemos procurar conhecer nossos irmãos e ficar atentos ao que eles precisam. Talvez eles precisem de ajuda prática, apoio emocional ou encorajamento da Bíblia. Ajudar os irmãos não é responsabilidade só dos anciãos e servos ministeriais. É verdade que pode haver situações em que é melhor que esses irmãos deem ajuda. (Gál. 6:1) Mas todos nós podemos ajudar irmãos idosos ou famílias que passam por problemas.

Por dar apoio emocional aos que lutam com os problemas da vida

Por exemplo, quando Salvatore passou por uma crise financeira, vendeu sua empresa, sua casa e muitas coisas que a família tinha. Ele se perguntava como eles iam lidar com a situação. Uma família da congregação percebeu a necessidade deles. Então deram ajuda financeira, ajudaram Salvatore e a esposa a encontrar um serviço e passaram muitas noites escutando e encorajando toda a família. Isso deu início a uma grande amizade que dura até hoje. Foi uma fase difícil. Mas agora as duas famílias lembram com carinho dos momentos que passaram juntos naquela época.

Os cristãos verdadeiros falam sobre sua fé a outros. Precisamos imitar a Jesus e levar a todos as maravilhosas promessas da Bíblia. Mesmo que não tenhamos condições de nos mudar para onde a necessidade é maior, podemos nos esforçar para fazer o bem a todos. E sem dúvida é possível fazer isso na congregação onde já servimos. (Gál. 6:10) Assim, seremos felizes por ajudar outros e ‘daremos fruto em toda boa obra’. — Col. 1:10; Atos 20:35.