Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua angolana de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Julho de 2016

Eric e Amy

Eles se Ofereceram — Gana

Eles se Ofereceram — Gana

VOCÊ conhece irmãos que se mudaram para um país que precisa de mais publicadores do Reino? Já se fez alguma destas perguntas: ‘Por que eles decidiram fazer isso? Como eles se prepararam para realizar esse trabalho? Será que eu também poderia fazer isso?’ O melhor jeito de saber as respostas é perguntando diretamente para eles. Vamos fazer isso, então?

POR QUE ELES FIZERAM ISSO?

O que fez você pensar em servir num país onde a necessidade é maior? Amy tem uns 35 anos e é dos Estados Unidos. Ela conta: “Já por muitos anos eu pensava em servir em outro país, mas isso parecia difícil demais pra mim.” O que a fez mudar de ideia? “Em 2004, um casal que estava servindo em Belize me convidou pra trabalhar no campo com eles por um mês. Aceitei o convite, e amei! Um ano depois, me mudei para Gana para servir como pioneira ali.”

Aaron e Stephanie

Stephanie tem quase 30 anos e também é dos Estados Unidos. Alguns anos atrás, ela analisou sua situação e pensou: ‘Tenho saúde, e minha família não está precisando de mim. Pensando bem, eu poderia fazer mais pra Jeová.’ Essa avaliação honesta a motivou a se mudar para Gana e fazer mais no ministério. Filip e Ida são da Dinamarca. Esse casal de pioneiros de meia-idade sempre sonhou em se mudar para um território que tivesse mais necessidade. Eles começaram a pensar em maneiras de realizar esse sonho. Filip diz: “Quando surgiu a oportunidade, foi como se Jeová nos dissesse: ‘Mãos à obra!’” Em 2008, eles se mudaram para Gana e serviram ali por mais de três anos.

Brook e Hans

Hans e Brook, um casal de pioneiros de uns 30 e poucos anos, servem nos Estados Unidos. Em 2005, eles participaram do programa de ajuda humanitária logo após o furacão Katrina. Mais tarde, eles se ofereceram para servir em construções internacionais, mas não foram chamados. Hans conta: “Daí, teve um discurso no congresso que falava do exemplo do rei Davi. Quando Davi soube que não construiria o templo, ele aceitou isso e simplesmente mudou de alvo. Isso nos ajudou a ver que não tem problema nenhum mudar os alvos.” (1 Crô. 17:1-4, 11, 12; 22:5-11) Brook acrescenta: “Jeová queria que a gente tentasse outras opções.”

Depois de ouvir as experiências fascinantes de seus amigos que serviam em outros países, Hans e Brook ficaram animados para experimentar o serviço de pioneiro em outro país. Em 2012, eles foram para Gana e ajudaram uma congregação de língua de sinais por quatro meses. Eles tiveram de voltar para os Estados Unidos, mas o tempo que passaram naquele país os deixou ainda mais determinados a continuar colocando o Reino em primeiro lugar. Desde então, eles puderam ajudar num projeto de construção da sede na Micronésia.

QUE PASSOS ELES DERAM?

Como você se preparou para servir onde a necessidade é maior? Stephanie diz: “Li artigos na Sentinela que falavam sobre esse assunto. * Falei com os anciãos, e também com o viajante e sua esposa, que eu tinha vontade de servir em outro país. Mas o mais importante é que orei muitas vezes sobre esse alvo.” Além disso, Stephanie continuou a levar uma vida simples. Assim, ela conseguiu juntar dinheiro para se sustentar enquanto estivesse fora.

Hans conta: “Oramos a Jeová porque queríamos ir para onde ele nos mandasse. Também dissemos pra Jeová a data específica em que íamos colocar nosso plano em ação.” O casal escreveu para quatro filiais. Depois de receber uma resposta animadora da sede de Gana, eles decidiram passar dois meses no país. Hans diz: “Nós gostamos tanto de trabalhar com a congregação que acabamos ficando mais um pouco.”

Adria e George

George e Adria têm quase 40 anos e são do Canadá. Eles tinham bem em mente o seguinte: Jeová abençoa boas decisões, não apenas boas intenções. Assim, deram passos específicos para atingir o alvo de servir onde há mais necessidade. Conversaram com uma irmã que já estava servindo no país de Gana e fizeram muitas perguntas. Além disso, escreveram para as filiais do Canadá e de Gana. O que mais eles fizeram? Adria conta: “Procuramos maneiras de simplificar ainda mais a nossa vida.” Com isso, eles conseguiram se mudar para Gana em 2004.

E OS DESAFIOS?

Que desafios você enfrentou depois de se mudar? Como lidou com eles? No começo, a saudade de casa era um desafio para Amy. “Tudo era tão diferente do que eu estava acostumada.” O que a ajudou? “Era muito bom quando meus parentes me telefonavam e me elogiavam pelo meu trabalho. Isso me ajudava a lembrar por que eu estava ali. Daí comecei a falar com minha família pela internet. Como a gente se via pela câmera, parecia que eles não estavam tão longe assim.” Amy conta que fazer amizade com uma irmã local experiente a ajudou a entender melhor os costumes da região. “Ela era meu ponto de referência; quando eu não entendia por que as pessoas agiam de certo jeito, eu procurava a ajuda dela. Com ela, aprendi o que fazer e o que não fazer, o que foi muito bom pra ter alegria no meu ministério.”

George e Adria lembram da primeira impressão que tiveram de sua designação: foi como se tivessem voltado no tempo. Adria conta: “Em vez de uma máquina de lavar, nós tínhamos baldes. Cozinhar parecia levar uma eternidade. Mas, depois de um tempo, passamos a encarar essas dificuldades como parte de uma nova aventura.” Brook pensa de modo parecido: “É verdade que ser pioneiro nem sempre é fácil, mas vale a pena. Cada coisa boa que aconteceu é como uma flor: juntas, elas formam um lindo buquê de boas lembranças que guardamos com carinho.”

SERÁ QUE VALEU A PENA?

Por que você recomendaria esse tipo de serviço a outras pessoas? Stephanie conta: “Pregar num território em que as pessoas querem estudar a Bíblia todo dia dá muita alegria. Servir onde a necessidade é maior foi uma das melhores decisões que já tomei na vida!” Em 2014, Stephanie se casou com Aaron, e hoje eles servem na sede de Gana.

Christine, uma pioneira de 30 e poucos anos da Alemanha, conta: “Servir dessa maneira faz tão bem!” Antes de se mudar para Gana, Christine serviu na Bolívia. Ela acrescenta: “Já que estou longe da minha família, quando preciso de ajuda eu conto com Jeová. Jeová nunca foi tão real pra mim como ele é hoje. Também pude sentir a incrível união que existe entre o povo de Jeová. Esse serviço abriu meus horizontes.” Recentemente, Christine se casou com Gideon, e os dois continuam no país de Gana.

Christine e Gideon

Filip e Ida contam o que eles faziam para ajudar seus estudantes da Bíblia a progredir: “A gente tinha 15 ou mais estudos, mas daí decidimos ficar só com 10. Assim conseguimos dar mais atenção aos estudantes.” Será que isso fez diferença? Filip diz: “Eu tinha um estudante chamado Michael. Ele estudava todos os dias e se preparava tão bem que em um mês terminamos o livro Bíblia Ensina. Depois disso, ele se tornou publicador não batizado. Na primeira vez que saiu no campo, ele me disse: ‘Preciso da sua ajuda com meus estudantes.’ Aquilo me pegou de surpresa. Michael me disse que tinha iniciado três estudos bíblicos, mas precisava de ajuda para ensinar aquelas pessoas.” Dá para acreditar nisso? A necessidade é tão grande nesse país que até os estudantes da Bíblia dão estudo!

Ida e Filip

Amy logo descobriu como a necessidade era grande naquele país: “Quando chegamos aqui, pregamos num pequeno povoado para procurar surdos. Não encontramos apenas um surdo, mas oito, e só naquele povoado!” Com o tempo, Amy se casou com Eric, e eles servem como pioneiros especiais. Nesse país, há mais de 300 publicadores e pessoas interessadas que são surdos. Eric e Amy servem numa congregação de língua de sinais, ajudando algumas dessas pessoas. George e Adria puderam sentir o gostinho de como é ser missionário. Imagine como eles ficaram felizes quando receberam o convite para cursar a 126.a classe da Escola de Gileade! Hoje eles são missionários em Moçambique.

MOTIVADOS POR AMOR

É muito bonito ver irmãos de outros países trabalhando lado a lado ‘na colheita’ com os irmãos locais. (João 4:35) Em média, toda semana 120 pessoas são batizadas no país de Gana. No total, 17 publicadores já se mudaram para Gana para ajudar na pregação. Em todo o mundo, milhares de irmãos também se ofereceram voluntariamente para servir onde a necessidade é maior. Por quê? Por amor a Jeová Deus. Com certeza, esses irmãos dispostos alegram o coração de Jeová! — Sal. 110:3; Pro. 27:11.

^ parágrafo. 9 Por exemplo, veja os artigos “Você pode servir onde a necessidade de publicadores do Reino é maior?” (A Sentinela de 15 de abril de 2009) e “Você pode ‘passar’ à Macedônia?” (A Sentinela de 15 de dezembro de 2009).