Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua angolana de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Janeiro de 2017

A liberdade de escolha é um presente de Jeová

A liberdade de escolha é um presente de Jeová

“Onde está o espírito de Jeová, ali há liberdade.” — 2 COR. 3:17.

CÂNTICOS: 31, 32

1, 2. (a) Que opiniões diferentes existem sobre liberdade de escolha? (b) O que a Bíblia ensina sobre nossa liberdade de escolha? (c) Que perguntas serão respondidas neste artigo?

TODOS nós ganhamos um presente maravilhoso do nosso Criador: a liberdade de escolha. Mas existem pessoas que abrem mão dessa liberdade; preferem que outros digam a elas o que fazer. Veja o que uma mulher disse para um amigo quando ela teve que tomar uma decisão: “Eu não quero pensar; só me diz o que fazer e pronto. Assim é mais fácil.” E no seu caso? Gosta de tomar suas próprias decisões ou prefere que outros façam isso por você? Você acha que é bom a gente ter liberdade de escolha?

2 Não faltam opiniões sobre esse assunto. Alguns dizem que, na verdade, não temos liberdade de escolha, porque Deus já decidiu tudo que vai acontecer na nossa vida. Já outros dizem que a verdadeira liberdade de escolha só seria possível num mundo sem regras. Mas a Bíblia nos explica o que liberdade de escolha realmente significa. Ela mostra que Jeová nos criou com a capacidade e a liberdade de tomar nossas próprias decisões. (Leia Josué 24:15.) E ela também responde às seguintes perguntas: Como devemos usar nossa liberdade para tomar decisões? Será que essa liberdade tem limites? Como nossas decisões mostram o amor que sentimos por Jeová? Como podemos mostrar que respeitamos as decisões de outras pessoas?

O EXEMPLO DE JEOVÁ E DE JESUS

3. Como Jeová usa sua liberdade?

3 Jeová tem total liberdade, e ele nos mostra como usar a liberdade de escolha da melhor maneira possível. Ele usa sua liberdade para o bem de outros. Por exemplo, ele escolheu a nação de Israel para ser seu povo, “sua propriedade especial”. (Deut. 7:6-8) Jeová teve um motivo para escolher essa nação: ele queria cumprir a promessa que tinha feito ao seu amigo Abraão muitos anos antes. (Gên. 22:15-18) Além disso, Jeová usa sua liberdade de acordo com seu amor e sua justiça. Veja como Jeová corrigia os israelitas, que vez após vez desobedeciam a ele. Quando eles se arrependiam de coração, Jeová mostrava amor e misericórdia. Ele disse: “Vou curá-los da sua infidelidade. Vou amá-los de livre e espontânea vontade.” — Ose. 14:4.

4, 5. (a) Quem foi o primeiro a receber liberdade de escolha, e como ele usou essa liberdade? (b) Por que é importante respeitar os limites que Jeová nos deu?

4 Jeová decidiu criar os anjos e os humanos com liberdade de escolha. Isso foi muito amoroso da parte de Jeová. O primeiro a ganhar esse presente foi Jesus, a primeira criação de Jeová, “a imagem do Deus invisível”. (Col. 1:15) Será que Jesus usou bem a liberdade que recebeu? Antes de vir à Terra, Jesus escolheu ser leal a seu Pai e não se tornar rebelde como Satanás. Mais tarde, quando esteve na Terra, ele decidiu rejeitar as tentações de Satanás. (Mat. 4:10) E, na noite antes de sua morte, Jesus mostrou que estava decidido a obedecer a Jeová. Em oração, Jesus disse: “Pai, se tu quiseres, afasta de mim este cálice. Contudo, ocorra não a minha vontade, mas a tua.” (Luc. 22:42) Nós queremos imitar a Jesus e usar a nossa liberdade para fazer a vontade de Jeová. Mas será que conseguimos fazer isso?

5 Com certeza! Podemos imitar a Jesus porque nós também fomos criados ‘à imagem de Deus’. (Gên. 1:26) Mas, ao contrário de Jeová, nossa liberdade tem limites. A Bíblia mostra que Jeová colocou limites em nossa liberdade para o nosso bem, e ele espera que a gente obedeça a esses limites. Por exemplo, a esposa deve respeitar o marido, e os filhos devem obedecer aos pais. (Efé. 5:22; 6:1) Se não respeitarmos os limites que Jeová colocou em nossa liberdade, poderemos perder a chance de viver para sempre.

COMO ALGUNS USARAM SUA LIBERDADE DE ESCOLHA

6. Dê um exemplo que mostra que é bom ter limites em nossa liberdade.

6 Será que liberdade de escolha com limites é realmente liberdade? Claro que sim. Por quê? Porque, quando a liberdade tem limites, isso serve de proteção. Por exemplo, você tem a liberdade de pegar o seu carro e ir para onde quiser. Mas será que você ia se sentir seguro se na estrada não existissem leis de trânsito, e as pessoas pudessem dirigir na velocidade que quisessem e até na contramão? Dificilmente. Para que todos possam aproveitar a liberdade, ela precisa ter limites. Vamos ver alguns exemplos da Bíblia que mostram que os limites que Jeová colocou em nossa liberdade são para o nosso bem.

7. (a) Em que sentido Adão era bem diferente dos animais? (b) Dê um exemplo de como Adão usou sua liberdade de escolha.

7 Assim como os anjos, Adão também foi criado com liberdade de escolha. Nesse sentido, Adão era bem diferente dos animais: os animais agem por instinto, ou seja, fazem as coisas sem saber por quê. Veja um exemplo de como Adão usou bem sua liberdade de escolha. Os animais foram criados antes de Adão. Mas Jeová deu a Adão a interessante tarefa de dar nome aos animais. Deus ‘começou a levá-los ao homem para ver como ele chamaria a cada um deles’. Depois de observar cada animal, Adão dava um nome que combinasse com o animal. Jeová respeitou a escolha de Adão e não ficou mudando o nome dos animais depois. Em vez disso, “como o homem chamava a cada criatura vivente, esse se tornava o seu nome”. — Gên. 2:19.

8. (a) Como Adão usou mal sua liberdade de escolha? (b) Qual foi o resultado dessa escolha de Adão?

8 Jeová deu outra responsabilidade a Adão: fazer da Terra um paraíso. Ele disse: “Tenham filhos e tornem-se muitos; encham e dominem a terra; tenham domínio sobre os peixes do mar, sobre as criaturas voadoras dos céus e sobre toda criatura vivente que se move sobre a terra.” (Gên. 1:28) Ao fazer isso, Adão teria muita liberdade. Mas, infelizmente, ele não estava satisfeito com isso. Ele decidiu ultrapassar os limites que Deus tinha dado e comeu do fruto proibido. Assim, Adão usou mal sua liberdade de escolha, e por causa disso a humanidade está sofrendo até hoje. (Rom. 5:12) Lembrar das consequências da decisão de Adão vai nos ajudar a usar bem nossa liberdade, respeitando os limites que Jeová nos dá.

9. (a) Que escolha Jeová deu ao povo de Israel? (b) O que o povo decidiu?

9 Depois que pecaram, Adão e Eva passaram para todos os humanos a imperfeição e a morte. Mas os humanos continuaram tendo liberdade de escolha. Podemos ver isso na maneira como Deus lidou com a nação de Israel. Por meio do seu servo Moisés, Jeová deu ao povo uma escolha: aceitar ou não o privilégio de ser sua “propriedade especial”. (Êxo. 19:3-6) O que eles decidiram? De livre e espontânea vontade, eles escolheram ser o povo de Deus e prometeram obedecer a Ele. Eles disseram: “Estamos dispostos a fazer tudo o que Jeová falou.” (Êxo. 19:8) Só que, com o tempo, a nação começou a usar mal sua liberdade de escolha e não cumpriu sua promessa. Isso nos ensina uma lição importante: precisamos usar bem nossa liberdade de escolha, ficando do lado de Jeová e obedecendo aos seus mandamentos. Se fizermos isso, estaremos dando valor a esse presente que Jeová nos deu. — 1 Cor. 10:11.

10. Que exemplos provam que humanos imperfeitos podem usar bem sua liberdade de escolha? (Veja a gravura no começo do artigo.)

10 No capítulo 11 de Hebreus, encontramos o nome de 16 servos fiéis que usaram bem sua liberdade de escolha, respeitando os limites dados por Jeová. Ele os recompensou com muitas bênçãos e uma esperança maravilhosa para o futuro. Por exemplo, Noé mostrou muita fé quando escolheu obedecer à ordem de Deus de construir uma arca. Assim, ele conseguiu salvar sua família e todas as pessoas que nasceram depois. (Heb. 11:7) Abraão e Sara obedeceram a Deus de coração e foram para a terra que Deus tinha prometido dar a eles. Durante a longa viagem que fizeram, eles tiveram “oportunidade de voltar” para a cidade de Ur, que era muito rica. Mas eles se concentraram nas promessas de Deus para o futuro. A Bíblia se refere a isso quando diz que eles queriam “alcançar um lugar melhor”. (Heb. 11:8, 13, 15, 16) Moisés abriu mão das riquezas do Egito, “escolhendo ser maltratado com o povo de Deus em vez de desfrutar os prazeres temporários do pecado”. (Heb. 11:24-26) Com certeza nós queremos imitar esses bons exemplos de fé do passado, dando valor à nossa liberdade de escolha e usando bem esse presente para fazer a vontade de Deus!

11. (a) Que oportunidade a liberdade de escolha nos dá? (b) Por que você quer usar bem sua liberdade de escolha?

11 É verdade que pode parecer mais fácil pedir que outra pessoa tome decisões por nós. Só que, se fizermos isso, vamos perder uma grande oportunidade. Como assim? Veja o que diz Deuteronômio 30:19, 20. O versículo 19 fala da escolha que Jeová deu aos israelitas. No versículo 20, aprendemos que aquela escolha dava a eles a oportunidade de mostrar a Jeová o amor que sentiam por ele. Nós também podemos escolher adorar a Jeová. Não existe alegria maior do que usar nossa liberdade de escolha para honrar a Jeová e mostrar a ele que o amamos!

USE BEM SUA LIBERDADE DE ESCOLHA

12. O que devemos estar decididos a fazer?

12 Imagine que você deu um presente a um amigo. Como você ia se sentir se ele jogasse o presente no lixo, ou pior ainda, usasse o presente para machucar alguém? Com certeza, você ia ficar magoado. Agora pense em como Jeová deve se sentir quando vê as pessoas usarem mal sua liberdade de escolha, tomando decisões ruins ou até mesmo prejudicando outros. A Bíblia acertou quando disse que “nos últimos dias” as pessoas seriam ‘ingratas’. (2 Tim. 3:1, 2) Devemos estar decididos a sempre usar bem esse presente de Deus e mostrar que damos valor a ele. Como podemos fazer isso?

13. Como queremos usar nossa liberdade?

13 Todos nós temos liberdade para escolher amigos, roupa e diversão. Mas essa liberdade pode se tornar um “disfarce”, ou uma desculpa, “para fazer o que é errado”. Como assim? Se a gente não tomar cuidado, pode acabar fazendo escolhas que desagradam a Deus ou começar a imitar as modas e manias do mundo. (Leia 1 Pedro 2:16.) Não queremos usar nossa liberdade como uma desculpa para “buscar os desejos da carne”, ou seja, fazer coisas erradas. Pelo contrário, queremos usar nossa liberdade para fazer “todas as coisas para a glória de Deus”. — Gál. 5:13; 1 Cor. 10:31.

14. Por que precisamos confiar em Jeová quando usamos nossa liberdade de escolha?

14 Outra maneira de usar bem a nossa liberdade de escolha é confiar em Jeová e obedecer aos limites que ele nos deu. Só Jeová ‘nos ensina o que é melhor para nós e nos guia no caminho em que devemos andar’. (Isa. 48:17) Com humildade, precisamos reconhecer que a Bíblia está certa quando diz: “O caminho do homem não pertence a ele. Não cabe ao homem nem mesmo dirigir os seus passos.” (Jer. 10:23) Tanto Adão como os israelitas desobedientes preferiram confiar em si mesmos e rejeitaram os limites de Jeová. A gente não quer cair no mesmo erro, não é? Queremos ‘confiar em Jeová de todo o coração’. — Pro. 3:5.

RESPEITE A LIBERDADE DE OUTROS

15. O que aprendemos de Gálatas 6:5?

15 Já ouviu o ditado “sua liberdade termina quando começa a do outro”? Essas palavras mostram que é importante respeitar o direito que outros têm de tomar suas próprias decisões. Afinal, todos nós temos liberdade para fazer nossas escolhas. E nem sempre dois cristãos vão tomar a mesma decisão sobre um assunto. Isso acontece mesmo em assuntos como nossa adoração e a maneira como nos comportamos. Precisamos nos lembrar do que diz Gálatas 6:5. (Leia.) Cada cristão tem que levar “a sua própria carga”, ou seja, ele é responsável pelas decisões que toma. Quando entendemos isso, respeitamos o direito que outros têm de usar sua liberdade de escolha.

Podemos tomar nossas próprias decisões respeitando a consciência dos outros (Veja o parágrafo 15.)

16, 17. (a) Os cristãos em Corinto começaram a discutir sobre o quê? (b) Como Paulo ajudou os cristãos ali? (c) O que isso nos ensina?

16 Vamos ver um exemplo na Bíblia que mostra por que precisamos respeitar a decisão de nossos irmãos em assuntos de consciência. Na cidade de Corinto, alguns açougues vendiam carne que tinha sido oferecida a ídolos. Os cristãos ali começaram a discutir sobre o seguinte: será que era errado comer carne que talvez tivesse sido oferecida a ídolos? Alguns pensavam: ‘Isso não afeta a minha consciência, porque o ídolo é falso, não existe.’ Mas os cristãos que no passado tinham adorado aqueles ídolos achavam que comer a carne era o mesmo que adorar o ídolo. (1 Cor. 8:4, 7) Era um assunto delicado que estava criando problemas na congregação. Como Paulo ajudou os cristãos ali a ter o ponto de vista de Deus sobre o assunto?

17 Primeiro, Paulo lembrou aos dois grupos que eles não precisavam criar caso sobre alimento porque não era isso que ia ‘aproximá-los de Deus’. (1 Cor. 8:8) Daí, Paulo disse que eles precisavam tomar cuidado para que o “direito de escolha” deles não se tornasse “uma pedra de tropeço para os que [eram] fracos”. (1 Cor. 8:9) Depois ele disse para os que tinham a consciência sensível demais que eles não deviam julgar os que comiam aquela carne. (1 Cor. 10:25, 29, 30) Resumindo: naquele assunto importante sobre adoração, cada cristão tinha o direito de tomar a sua própria decisão. Se é assim no caso de assuntos importantes, não acha que devemos respeitar as decisões de nossos irmãos em assuntos menos importantes? — 1 Cor. 10:32, 33.

18. O que você está decidido a fazer?

18 A liberdade de escolha é um presente maravilhoso que Jeová nos deu. Damos muito valor a esse presente! Quando o usamos bem, temos verdadeira liberdade. (2 Cor. 3:17) Por meio da liberdade de escolha podemos mostrar o amor que sentimos por Jeová. Estamos decididos a continuar tomando decisões que honram a Deus. E queremos respeitar o direito que outros têm de usar sua liberdade de escolha, esse presente tão especial.