Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua angolana de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Janeiro de 2017

Ajude os mais jovens a cuidar de responsabilidades

Ajude os mais jovens a cuidar de responsabilidades

“Essas coisas confie a homens fiéis, que, por sua vez, estarão qualificados para ensinar outros.” — 2 TIM. 2:2.

CÂNTICOS: 22, 53

1, 2. Dependendo do trabalho que uma pessoa faz, como ela é encarada por outros?

MUITAS pessoas consideram alguém importante ou não dependendo do trabalho que ele faz. Tanto é que, em alguns países, uma das primeiras perguntas que alguém faz quando conhece outra pessoa é: “Em que você trabalha?”

2 Às vezes, a Bíblia descreve as pessoas com base no trabalho delas. Por exemplo, ela fala de “Mateus, o cobrador de impostos”; de “Simão, um curtidor de couro”; e de “Lucas, o médico”. (Mat. 10:3; Atos 10:6; Col. 4:14) A Bíblia também descreve as pessoas com base nas designações que elas receberam de Deus. Por exemplo, ela fala do rei Davi, do profeta Elias e do apóstolo Paulo. Eles amavam suas designações. E nós também devemos valorizar nossas designações.

3. Por que os mais velhos precisam treinar os mais jovens? (Veja a foto no começo do artigo.)

3 A maioria de nós ama a designação que tem e gostaria de continuar com ela para sempre. Mas infelizmente as pessoas envelhecem, e uma geração mais nova precisa substituir a geração mais antiga. (Ecl. 1:4) Essa transição é ainda mais complicada na época atual porque a organização tem passado por muitas mudanças. Conforme a obra de Jeová cresce, precisamos mudar a maneira de fazer certas coisas, o que inclui usar novas tecnologias. Para alguns irmãos mais velhos, é difícil acompanhar essas mudanças. (Luc. 5:39) E até os que conseguem acompanhar já não têm mais aquela energia que tinham antes. (Pro. 20:29) Por isso, quando os mais velhos treinam os mais jovens para assumir mais responsabilidades, isso é bom para eles mesmos e para a organização. — Leia Salmo 71:18.

4. Por que alguns acham difícil passar algumas de suas responsabilidades? (Veja o quadro “ Por que alguns não passam responsabilidades”.)

4 Aqueles que têm mais autoridade na organização talvez achem difícil passar algumas de suas responsabilidades para os mais jovens. Por quê? Alguns não querem abrir mão da designação que tanto gostam. Outros têm medo de não estar no controle da situação. Ainda outros acham que os mais jovens não vão fazer as coisas tão bem como eles. Há também aqueles que acham que não têm tempo para treinar outros. Ao mesmo tempo, os mais jovens devem ter paciência se ainda não receberam mais responsabilidades.

5. O que vamos ver neste artigo?

5 Neste artigo, vamos ver os dois lados dessa questão. Primeiro, como os mais velhos podem ajudar os mais jovens a cuidar de mais responsabilidades, e por que isso é importante? (2 Tim. 2:2) Segundo, que atitude os mais jovens devem ter ao ajudar os mais velhos e ao aprender com eles? Para começar, vamos ver como o rei Davi preparou seu filho Salomão para assumir uma responsabilidade muito importante.

DAVI PREPAROU SALOMÃO

6. O que Davi quis fazer, e o que Jeová disse?

6 Davi ficou anos vivendo como fugitivo, sem ter onde morar. Depois ele se tornou rei e foi morar numa casa bem confortável. Mas ele ficou muito triste porque não havia nenhuma “casa”, ou templo, para Jeová. Então, ele foi conversar com o profeta Natã e disse: “Veja, eu estou morando numa casa de cedros, enquanto a Arca do Pacto de Jeová está numa tenda.” Ele queria construir uma casa para Jeová. Natã respondeu: “Faça tudo o que o seu coração desejar, pois o verdadeiro Deus está com o senhor.” Mas não era assim que Jeová pensava. Ele mandou Natã dizer a Davi: “Não será você quem construirá uma casa para eu morar.” Mesmo assim, Jeová garantiu que ia continuar abençoando Davi. Mas seria Salomão que construiria o templo. Como Davi reagiu? — 1 Crô. 17:1-4, 8, 11, 12; 29:1.

7. Como Davi reagiu à decisão de Jeová?

7 Davi poderia ter pensado: ‘Já que eu não vou construir o templo, também não vou ajudar em nada. Fui eu que dei a ideia, e outro que vai levar a fama?’ Realmente, a construção não ficou conhecida como “templo de Davi”, mas como “templo de Salomão”. Davi deve ter ficado um pouco decepcionado, mas deu todo o apoio ao projeto. Ele organizou grupos de trabalhadores e providenciou os materiais de construção, como ferro, cobre, prata, ouro e madeira de qualidade. Além de tudo isso, ele encorajou Salomão: “Agora, meu filho, que Jeová esteja com você, e que você seja bem-sucedido e construa a casa de Jeová, seu Deus, assim como ele prometeu.” — 1 Crô. 22:11, 14-16.

8. (a) Por que Davi poderia achar que Salomão não estava preparado? (b) Mas o que Davi fez?

8 1 Crônicas 22:5. Davi poderia ter pensado que Salomão não estava preparado para cuidar daquela obra. Afinal, o templo teria que ser ‘extremamente magnífico’, e Salomão ainda era “jovem e inexperiente”. Mas Davi sabia que Jeová ajudaria Salomão a fazer bem o trabalho. Então, Davi se concentrou nas coisas que ele podia fazer para ajudar, como providenciar materiais em grande quantidade.

TREINAR OUTROS DÁ ALEGRIA

Dá muita alegria ver homens mais jovens assumindo responsabilidades! (Veja o parágrafo 9.)

9. Que comparação pode ajudar os mais velhos a sentir alegria ao treinar os mais jovens?

9 Quando um irmão mais velho precisa abrir mão de uma designação, ele não precisa ficar chateado. Ele deve lembrar que, na verdade, treinar os mais jovens é para o bem da organização. E ver o mais jovem assumir a designação deve lhe dar alegria. Podemos comparar isso a quando um filho aprende a dirigir. Quando é criança, ele só observa o pai dirigindo. Quando o menino fica mais velho, o pai começa a explicar o que está fazendo enquanto dirige o carro. Daí, quando o filho tira a carteira de motorista e começa a dirigir o carro da família, o pai continua dando treinamento. Às vezes, eles até se revezam no volante. Mas, conforme o pai vai envelhecendo, o filho dirige o carro cada vez mais. Em vez de ficar chateado, o pai fica contente ao ver seu filho cuidando dessa responsabilidade. Da mesma forma, os mais velhos devem ficar contentes ao treinar os mais jovens para cuidar de responsabilidades teocráticas.

10. O que Moisés achava de ter importância e autoridade?

10 Nós, os que somos mais velhos, também temos que tomar cuidado com o ciúme. Devemos seguir o exemplo de Moisés. Certa vez, alguns israelitas começaram a agir como profetas. (Números 11:24-29.) Josué, que era ajudante de Moisés, deve ter achado que isso ia diminuir a importância e a autoridade de Moisés. Então ele pediu que Moisés tomasse uma atitude. Mas Moisés disse: “Você tem ciúmes em meu lugar? Quem dera que todo o povo de Jeová fosse profeta e que Jeová pusesse seu espírito sobre eles!” Por que Moisés reagiu assim? Ele percebeu que aqueles homens tinham o apoio de Jeová. Ele não queria ser o centro das atenções, mas queria que todos os servos de Jeová recebessem os mesmos privilégios que ele tinha. E nós? Não ficamos contentes quando alguém recebe um privilégio que nós queríamos ter?

11. O que um irmão achou de passar suas responsabilidades para alguém mais jovem?

11 Hoje, há muitos irmãos que deram tudo de si por décadas e treinaram outros para assumir mais responsabilidades. Peter, por exemplo, serviu quase 75 anos por tempo integral, sendo que 35 foram num Betel na Europa. Até pouco tempo atrás, ele era o responsável pelo Departamento de Serviço. Agora quem cuida dessa responsabilidade é Paul, um irmão mais jovem que trabalhou com Peter por vários anos. Um dia, perguntaram a Peter o que ele achava dessa mudança. Ele respondeu: “Acho muito bom ter irmãos treinados para cuidar de mais responsabilidades. Eles estão fazendo um excelente trabalho!”

VALORIZE OS MAIS VELHOS

12. O que aprendemos da história de Roboão?

12 Depois que Salomão morreu, seu filho Roboão se tornou rei. Quando Roboão precisou tomar uma decisão importante, ele primeiro foi pedir conselho aos homens mais velhos. Mas o conselho deles entrou por um ouvido e saiu pelo outro. Então, ele pediu conselho para os jovens que tinham crescido com ele e que agora eram seus ajudantes. O resultado foi um desastre. (2 Crô. 10:6-11, 19) O que aprendemos disso? Quem é sábio procura a ajuda dos mais velhos e leva em conta seus conselhos. Isso não significa que os mais jovens precisam ficar presos à maneira tradicional de fazer as coisas, mas eles também não devem ir logo descartando o conselho dos mais velhos.

13. Que atitude os mais jovens devem ter ao trabalhar com os mais velhos?

13 Alguns irmãos mais jovens receberam mais autoridade, inclusive sobre irmãos mais velhos. Será que, por causa disso, eles não precisam mais ouvir o conselho dos mais experientes antes de tomar decisões? Não. Paul, que substituiu Peter na supervisão de um departamento em Betel, disse: “Eu fazia questão de pedir conselho ao Peter e incentivava outros no departamento a fazer o mesmo.”

14. O que aprendemos do exemplo de Timóteo e Paulo?

14 Timóteo era bem mais jovem que o apóstolo Paulo, mas eles trabalharam juntos por muitos anos. (Leia Filipenses 2:20-22.) Paulo escreveu aos coríntios: “[Eu] lhes envio Timóteo, porque ele é meu filho amado e fiel no Senhor. Ele lembrará vocês do meu modo de fazer as coisas em união com Cristo Jesus, assim como estou ensinando em toda a parte, em todas as congregações.” (1 Cor. 4:17) Isso mostra que Paulo e Timóteo colaboravam bastante um com o outro. Paulo tinha tirado tempo para ensinar a Timóteo o seu “modo de fazer as coisas em união com Cristo”. E Timóteo, por aprender bem o que Paulo ensinou, conquistou o carinho dele. Por isso, Paulo sabia que Timóteo ia cuidar bem dos irmãos em Corinto. Hoje, os anciãos podem seguir esse exemplo ao treinar outros para cuidar da congregação.

TODOS NÓS PODEMOS PARTICIPAR

15. Como Romanos 12:3-5 pode nos ajudar quando somos afetados por mudanças?

15 Vivemos numa época incrível! A obra de Jeová na Terra está crescendo muito. Mas, com esse crescimento, também vêm mudanças. E essas mudanças podem nos afetar. Como devemos reagir? Sendo humildes. Devemos lembrar que o mais importante é a vontade de Jeová, não a nossa. Pensar assim ajuda a manter a nossa união. Paulo escreveu: “Digo a cada um de vocês que não pense de si mesmo mais do que é necessário pensar, mas que cada um pense de um modo que revele bom senso, conforme a medida de fé que Deus lhe deu. Pois, assim como temos muitos membros em um só corpo, mas os membros não têm todos a mesma função, assim também nós, embora muitos, somos um só corpo em união com Cristo.” — Rom. 12:3-5.

16. O que cada um de nós pode fazer para manter a união do povo de Jeová?

16 Qualquer que seja nossa situação, vamos nos esforçar para apoiar a organização de Jeová. Vocês que são mais velhos, treinem os mais jovens. E vocês que são mais jovens, aceitem responsabilidades, mas sem perder a humildade e o respeito pelos mais velhos. Além disso, vocês que são esposas, sigam o exemplo de Priscila, que acompanhava e apoiava seu marido, Áquila, em qualquer situação. — Atos 18:2.

17. O que mostra que Jesus confiava em seus discípulos? Qual foi o resultado do treinamento que ele deu?

17 Qual é o maior exemplo de alguém que treinou outros para assumir mais responsabilidades? Jesus. Ele sabia que sua pregação na Terra ia acabar, então mostrou que confiava em seus discípulos. Ele disse que eles continuariam seu trabalho, e que até fariam obras maiores do que as dele, mesmo sendo imperfeitos. (João 14:12) Para isso, ele deu um treinamento completo aos seus discípulos. Qual foi o resultado? Eles pregaram as boas novas em todos os lugares conhecidos na época. — Col. 1:23.

18. (a) Que trabalho vamos ter no futuro? (b) Em que trabalho podemos participar hoje?

18 Depois que Jesus morreu, ele foi ressuscitado. Quando ele voltou para o céu, Jeová lhe deu mais trabalho para fazer, dessa vez numa posição “muito acima de todo governo, autoridade, poder [e] domínio”. (Efé. 1:19-21) E nós? Se morrermos fiéis antes do Armagedom, seremos ressuscitados para viver num novo mundo justo. Lá, vamos ter bastante para fazer, e será um trabalho que traz verdadeira felicidade. Mas, mesmo hoje, todos nós podemos participar de um trabalho muito importante: pregar as boas novas e fazer discípulos. Incentivamos todos, incluindo os mais jovens e os mais velhos, a ter “sempre bastante para fazer na obra do Senhor”. — 1 Cor. 15:58.