Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua angolana de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Abril de 2017

Você tem o mesmo ponto de vista de Jeová sobre justiça?

Você tem o mesmo ponto de vista de Jeová sobre justiça?

“Declararei o nome de Jeová . . . , Deus de fidelidade, que nunca é injusto.” — DEUT. 32:3, 4.

CÂNTICOS: 51, 13

1, 2. (a) Que injustiça Nabote e seus filhos sofreram? (b) Sobre que duas qualidades vamos estudar neste artigo?

IMAGINE a cena. Um homem é acusado de um crime muito grave, um crime que não cometeu. Dois homens são chamados como testemunhas. Todo mundo sabe que esses homens não prestam. Mesmo assim, as mentiras que eles contam são suficientes para que não só aquele homem inocente seja morto, mas também os seus filhos. A família e os amigos mal podem acreditar! Na hora em que o homem e seus filhos são executados, as pessoas boas que estão ali ficam revoltadas com essa injustiça. Infelizmente, isso não é apenas uma história. Foi exatamente isso que aconteceu com Nabote, um servo fiel de Jeová que viveu no tempo em que Acabe era rei de Israel. — 1 Reis 21:11-13; 2 Reis 9:26.

2 Neste artigo, vamos estudar sobre o que aconteceu com Nabote. Também vamos estudar sobre um ancião fiel do tempo dos apóstolos que fez algo que não foi muito amoroso. Esses dois exemplos vão nos ajudar a ver que a humildade e o perdão são importantes para termos o ponto de vista de Jeová sobre justiça.

UMA GRANDE INJUSTIÇA

3, 4. (a) Que tipo de pessoa era Nabote? (b) Por que Nabote não quis vender seu vinhedo para o rei Acabe?

3 No tempo de Nabote, a maioria dos israelitas imitava o mau exemplo do rei Acabe e da esposa dele, a perversa Jezabel. Eles adoravam o deus falso Baal e não tinham o menor respeito por Jeová e suas leis. Mas Nabote adorava a Jeová. Para ele, agradar a Deus era mais importante do que a própria vida.

4 1 Reis 21:1-3. Acabe se interessou pelo vinhedo de Nabote e estava disposto a pagar por ele ou a trocar por um vinhedo melhor. Nabote não aceitou a proposta. Por quê? Ele explicou: “Em respeito a Jeová, eu jamais lhe daria a herança dos meus antepassados.” Nabote não quis vender o terreno porque respeitava a Lei de Jeová. A Lei dizia que era proibido vender definitivamente um terreno e que nenhuma herança podia passar de uma tribo para outra. (Lev. 25:23; Núm. 36:7) Com certeza Nabote tinha o ponto de vista de Jeová sobre as coisas.

5. Como Jezabel participou no assassinato de Nabote?

5 Para Acabe e Jezabel, aceitar um não como resposta estava fora de cogitação. Para conseguir o vinhedo, Jezabel armou uma situação: ela mandou chamar dois homens para acusarem Nabote de um crime que ele não tinha cometido. Por causa disso, Nabote e seus filhos foram executados. Como Jeová lidou com essa grande injustiça?

JEOVÁ JULGOU COM JUSTIÇA

6, 7. (a) No caso de Nabote, como Jeová mostrou que leva a justiça muito a sério? (b) O que pode ter consolado a família e os amigos de Nabote?

6 Jeová imediatamente mandou Elias encontrar Acabe. Sem meias palavras, Elias disse para Acabe que ele era assassino e ladrão. Qual foi a decisão de Jeová sobre esse caso? Acabe, seus filhos e sua esposa teriam o mesmo fim de Nabote e os filhos dele. — 1 Reis 21:17-25.

7 A dor da família e dos amigos de Nabote deve ter sido grande. Mas uma coisa deve ter ajudado a eles a lidar com aquela situação: saber que Jeová viu tudo aquilo e imediatamente lidou com aquela injustiça. Só que o que aconteceu depois deve ter sido um teste e tanto; testou sua confiança em Jeová e sua humildade.

8. (a) Como Acabe reagiu quando ficou sabendo da decisão de Jeová? (b) O que Jeová achou da reação de Acabe?

8 Quando Acabe ficou sabendo da decisão de Jeová, ele “rasgou as suas roupas, cobriu o corpo com pano de saco e começou a jejuar; ele se deitava em pano de saco e andava abatido”. Acabe se humilhou diante de Jeová; ele realmente estava arrependido. O que Jeová achou disso? Jeová disse a Elias: “Visto que ele se humilhou diante de mim, não trarei a calamidade durante a vida dele. Trarei a calamidade sobre a casa dele nos dias do seu filho.” (1 Reis 21:27-29; 2 Reis 10:10, 11, 17) Jeová “examina os corações”. (Pro. 17:3) Ele viu o que estava no coração de Acabe e decidiu tratá-lo com misericórdia.

SER HUMILDE É UMA PROTEÇÃO

9. Por que a humildade seria uma proteção para a família e os amigos de Nabote?

9 Vimos que Jeová resolveu adiar a punição da família de Acabe. Quando a família e os amigos de Nabote souberam disso, como será que eles reagiram? Afinal, à primeira vista podia parecer que Jeová tinha mudado seu julgamento. Isso poderia ter sido um grande teste de fé para eles. Nesse caso, a humildade seria uma proteção. Por quê? A humildade os ajudaria a continuar servindo a Jeová, confiando que ele nunca é injusto. (Deuteronômio 32:3, 4.) Quando Jeová ressuscitar Nabote e sua família, eles vão ter justiça perfeita. (Jó 14:14, 15; João 5:28, 29) Se formos humildes, não vamos nos esquecer que “o verdadeiro Deus julgará todas as ações, incluindo todas as coisas ocultas [ou escondidas], e determinará se são boas ou más”. (Ecl. 12:14) Ou seja, a humildade nos ajuda a reconhecer que, antes de fazer um julgamento, Jeová leva em conta todos os fatos, incluindo alguns que não sabemos. Quando somos humildes e deixamos as coisas nas mãos de Jeová, somos protegidos e não caímos da fé quando sofremos injustiça.

10, 11. (a) Que situações podem testar nossa fé em Jeová e nossa confiança na organização? (b) De que duas maneiras a humildade vai nos proteger?

10 Pode acontecer de não entendermos muito bem por que os anciãos tomaram certa decisão. Ou pode ser que a gente não concorde com a decisão deles. Em casos assim, como vamos agir? Por exemplo, o que vamos fazer se perdermos um privilégio de que gostávamos muito, ou se isso acontecer com alguém que a gente ama? E se nosso marido ou esposa, nosso filho ou filha, ou nosso melhor amigo for desassociado e nós não concordarmos com isso? E se acharmos que os anciãos foram bondosos demais com alguém que pecou? Situações assim podem testar nossa fé em Jeová e nossa confiança na organização. Como a humildade vai nos proteger? Vamos ver duas maneiras.

Se você não concordar com uma decisão dos anciãos, como você vai reagir? (Veja os parágrafos 10 e 11.)

11 Primeiro, a humildade vai nos ajudar a reconhecer que não temos todos os fatos. Nós podemos até estar bem informados, mas só Jeová vê o coração. (1 Sam. 16:7) Quando temos essa verdade bem gravada na mente, isso nos ajuda a ser humildes, a reconhecer nossas limitações e a ajustar nosso ponto de vista sobre o assunto. Segundo, a humildade vai nos ajudar a ser obedientes e a esperar em Jeová com paciência, confiando que ele vai corrigir qualquer injustiça. É como a Bíblia diz: “Tudo terminará bem para os que temem o verdadeiro Deus. . . . Mas nada terminará bem para aquele que é mau, nem prolongará ele a sua vida.” (Ecl. 8:12, 13) Quando somos humildes, todo mundo sai ganhando. — 1 Pedro 5:5.

UM CASO DE HIPOCRISIA

12. O que vamos ver agora, e por que isso vai nos ajudar?

12 Na época dos apóstolos, os cristãos na Antioquia da Síria passaram por uma situação que testou se eles eram humildes e se estavam dispostos a perdoar. Ver o que aconteceu com eles vai nos ajudar a entender melhor o que o perdão tem a ver com a justiça de Jeová. Também vai nos ajudar a ver se estamos dispostos a perdoar quando sofremos uma injustiça.

13, 14. (a) Que privilégios Pedro teve? (b) Como Pedro mostrou coragem?

13 O apóstolo Pedro era um ancião muito conhecido pelos primeiros cristãos. Ele foi um grande amigo de Jesus, e Jesus deu a ele responsabilidades importantes. (Mat. 16:19) Por exemplo, no ano 36, Pedro teve o privilégio de ensinar as boas novas para Cornélio e sua família. Cornélio era gentio, ou seja, ele não era judeu. E ele não era circuncidado. Por isso, quando Cornélio e sua família receberam espírito santo, essa foi uma ocasião marcante. Pedro disse: “Estas pessoas receberam o espírito santo assim como nós; será que alguém pode negar a água, impedindo que sejam batizadas?” — Atos 10:47.

14 No ano 49, os apóstolos e os anciãos em Jerusalém fizeram uma reunião importante. Essa reunião era para decidir se os gentios que se tornassem cristãos precisavam ser circuncidados ou não. Pedro não teve medo de dizer o que ele tinha visto alguns anos antes: gentios que não eram circuncidados tinham recebido espírito santo. O que Pedro disse ajudou o corpo governante daquela época a tomar uma decisão. (Atos 15:6-11, 13, 14, 28, 29) Tanto os judeus como os gentios devem ter pensado: ‘Que bom que Pedro teve coragem de falar sobre essas informações importantes!’ Com certeza era muito fácil para aqueles irmãos confiarem num homem maduro e espiritual como Pedro! — Heb. 13:7.

15. Que erro Pedro cometeu na Antioquia da Síria? (Veja a gravura no começo do artigo.)

15 Pouco depois dessa reunião, Pedro visitou a Antioquia da Síria. Durante o tempo que passou ali, ele se sentia bem à vontade com os irmãos gentios. Sem dúvida, aqueles irmãos aprenderam muito com Pedro. Mas, quando Pedro de repente parou de comer com aqueles irmãos, eles devem ter ficado chateados, sem entender o que estava acontecendo. Outros irmãos judeus acabaram fazendo a mesma coisa que Pedro, até mesmo Barnabé. O que fez com que um ancião experiente como Pedro cometesse um erro desses, um erro que poderia ter dividido a congregação? E, mais importante, como o que aconteceu com Pedro pode nos ajudar se ficarmos magoados por causa do que um ancião falou ou fez?

16. (a) Como Pedro foi corrigido? (b) Depois de analisarmos o que aconteceu com Pedro, que perguntas surgem?

16 Gálatas 2:11-14. Pedro caiu na armadilha do medo do homem. (Pro. 29:25) Ele sabia muito bem o que Jeová pensava sobre aquele assunto. Mas, quando chegaram alguns irmãos de Jerusalém que eram judeus e apoiavam a circuncisão, Pedro ficou com medo do que eles iam pensar. Quando o apóstolo Paulo viu o que estava acontecendo, ele foi bem direto e disse que Pedro estava agindo com hipocrisia. (Gál. 2:13, nota) Por quê? Porque Paulo tinha ouvido Pedro falar a favor dos gentios na reunião do corpo governante em Jerusalém no ano 49. (Atos 15:12) Como os cristãos gentios que eram amigos de Pedro se sentiram? Afinal, eles foram os mais afetados pela injustiça dele. Será que eles iam tropeçar por causa disso? E Pedro? Será que ele ia perder algum privilégio por causa do que fez?

ESTEJA DISPOSTO A PERDOAR

17. O que mostra que Jeová perdoou Pedro?

17 Tudo indica que Pedro foi humilde e aceitou a correção de Paulo. Tanto é que, um tempo depois, Pedro chamou Paulo de “nosso amado irmão”. (2 Ped. 3:15) Além disso, não existe nada na Bíblia que dê a entender que Pedro perdeu seus privilégios. Na verdade, mais tarde o espírito santo ajudou Pedro a escrever duas cartas que hoje fazem parte da Bíblia. É verdade que o erro dele pode ter magoado os irmãos gentios. Mas Jesus, que é o líder da congregação, continuou a usar Pedro. (Efé. 1:22) Se os irmãos perdoassem Pedro, eles estariam imitando a Jesus e a Jeová. Os irmãos naquela época tinham uma escolha: tropeçar por causa do erro de um homem imperfeito, ou perdoar e seguir em frente. Esperamos que todos eles tenham feito a escolha certa.

18. Que tipo de situações podem testar se temos o ponto de vista de Jeová sobre a justiça?

18 No tempo dos apóstolos não existia ancião perfeito, e hoje também não. Sabemos muito bem que a Bíblia diz que “todos nós cometemos erros muitas vezes”. (Tia. 3:2, nota) Mas a história é bem diferente quando somos nós que sofremos por causa das imperfeições de um irmão. Num caso assim, será que vamos mostrar que temos o ponto de vista de Jeová sobre a justiça? Por exemplo, como vamos reagir se um ancião disser algo que tem uma pontinha de preconceito? E se um ancião sem querer fizer um comentário infeliz que nos magoa, será que vamos tropeçar por causa disso? Em vez de logo achar que o irmão não merece mais ser ancião, será que vamos deixar o assunto com Jesus, o cabeça da congregação? Vamos evitar ficar nos concentrando no erro e nos lembrar que o irmão já serve fielmente a Jeová por muitos anos? Se um irmão fizer algo contra nós e continuar a servir como ancião ou até mesmo ganhar mais privilégios, vamos ficar feliz por ele? Quando perdoamos de coração, imitamos a justiça de Jeová. — Mateus 6:14, 15.

19. O que vamos fazer se um irmão nos tratar com injustiça?

19 Nós amamos a justiça e por isso não vemos a hora de Jeová acabar com toda a injustiça causada por Satanás e seu mundo. (Isa. 65:17) Até lá, se um irmão nos tratar com injustiça, queremos ser humildes e reconhecer que nem sempre temos todos os fatos. Além disso, queremos perdoar de coração os que pecam contra nós. Se fizermos isso, vamos mostrar que temos o mesmo ponto de vista de Jeová sobre a justiça.