Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Fevereiro de 2016

Como recuperar-se de um divórcio

Como recuperar-se de um divórcio

“Fiquei completamente arrasado. Minha vida estava indo bem e, de repente, eu não tinha nada.” — MARK, * divorciado há um ano.

“Meu marido teve um caso com uma mulher da idade de nossa filha. Quando nos divorciamos, fiquei aliviada por me livrar de seu gênio forte, mas também me senti humilhada e desprezada.” — EMMELINE, divorciada há 17 anos.

Algumas pessoas se divorciam na tentativa de melhorar sua vida. Outras querem permanecer casadas, mas não podem obrigar o cônjuge a ficar. Ainda assim, quase todos os divorciados descobrem que a vida depois do divórcio é mais difícil do que imaginavam. De fato, se você se divorciou recentemente, talvez descubra que essa é uma das situações mais estressantes de sua vida. Por isso, considerar alguns conselhos práticos da Bíblia pode ajudá-lo a lidar com os desafios do divórcio.

DESAFIO 1: SENTIMENTOS NEGATIVOS.

O estresse relacionado a problemas financeiros, criação de filhos e solidão pode ser esmagador, e sentimentos negativos levam tempo para desaparecer. A psicóloga Judith Wallerstein descobriu que alguns, mesmo anos depois de se divorciar, continuam se sentindo traídos e abandonados e acham que a “vida é injusta, desapontadora e solitária”.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

  • Permita-se lamentar o que perdeu. Você talvez ainda ame a pessoa e sinta falta dela. Mesmo que seu relacionamento tenha sido ruim, você pode lamentar por não ter tido o casamento feliz que esperava. (Provérbios 5:18) Não sinta vergonha de chorar. — Eclesiastes 3:1, 4.

  • Evite se isolar. Embora você precise de um tempo sozinho para se recuperar, não é sábio se isolar por muito tempo. (Provérbios 18:1) Seja positivo ao conversar com amigos. Reclamações frequentes sobre seu ex-cônjuge, mesmo quando válidas, podem afastar as pessoas. Se precisar tomar decisões importantes logo após o divórcio, procure ajuda de alguém de confiança.

  • Cuide de sua saúde. O estresse do divórcio muitas vezes causa problemas físicos, como pressão alta ou enxaquecas. Alimente-se bem, faça exercícios e durma o suficiente. — Efésios 5:29.

  • Livre-se de itens que podem reacender a raiva contra seu ex-cônjuge ou que sejam desnecessários, mas guarde documentos importantes. Se coisas como fotos de casamento trazem lembranças dolorosas, coloque-as numa caixa e guarde-as para seus filhos.

  • Combata sentimentos negativos. Olga, que se divorciou depois que seu marido cometeu adultério, disse: “Eu ficava me perguntando: ‘O que ela tem que eu não tenho?’” Mas, como Olga percebeu mais tarde, ficar remoendo pensamentos negativos pode resultar num “espírito abatido”. — Provérbios 18:14.

    Muitas pessoas descobriram que escrever seus pensamentos as ajuda a controlá-los e a pensar com clareza. Se você fizer isso, tente substituir um pensamento negativo por um positivo. (Efésios 4:23) Por exemplo:

    Negativo: A infidelidade da minha esposa é culpa minha.

    Positivo: Minhas falhas não são desculpa para minha esposa ter me traído.

    Negativo: Eu desperdicei os melhores anos de minha vida com o homem errado.

    Positivo: Eu serei mais feliz se me concentrar no futuro, não no passado.

  • Não dê importância a comentários que possam magoar. Amigos e parentes bem-intencionados talvez digam coisas que podem magoar ou mesmo que são incorretas no seu caso: ‘Ela nem era boa para você’ ou ‘Deus odeia o divórcio’. * Com razão, a Bíblia aconselha: “Não entregues teu coração a todas as palavras que se falam.” (Eclesiastes 7:21) Martina, divorciada há dois anos, diz: “Em vez de dar importância a palavras que magoam, eu tento ver as coisas do ponto de vista de Deus. Os pensamentos dele são superiores aos nossos.” — Isaías 55:8, 9.

  • Ore a Deus. Ele nos incentiva a ‘lançar sobre ele toda a nossa ansiedade’, especialmente em ocasiões de grande angústia. — 1 Pedro 5:7.

TENTE O SEGUINTE: Escreva versículos bíblicos que podem ser de ajuda e os deixe em lugares onde você os verá com frequência. Além dos já citados, muitos divorciados se beneficiam dos seguintes textos: Salmo 27:10; 34:18; Isaías 41:10 e Romanos 8:38, 39.

Permita que a Palavra de Deus o sustente em épocas difíceis

DESAFIO 2: O RELACIONAMENTO COM SEU EX-CÔNJUGE.

Juliana, que foi casada por 11 anos, diz: “Eu implorei para meu marido ficar. Mas ele foi viver com outra mulher, e eu fiquei furiosa com os dois.” Muitos divorciados sentem essa raiva por anos. Ainda assim, às vezes eles são obrigados a se falar, especialmente se têm filhos.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

  • Mantenha um relacionamento civilizado entre vocês dois. Concentre-se em assuntos necessários e seja breve e objetivo. Muitos acham que isso contribui para a paz. — Romanos 12:18.

  • Evite provocar o outro. Especialmente quando você se sente sob ataque, o sábio conselho da Bíblia se aplica: “Quem refreia as suas declarações é possuído de conhecimento.” (Provérbios 17:27) Se você perceber que a conversa está tomando um rumo indesejável, poderá dizer: “Eu vou pensar no que você disse, e a gente se fala depois.”

  • Na medida do possível, procure separar coisas que vocês ainda têm em comum, como registros legais, financeiros e médicos.

TENTE O SEGUINTE: Na próxima vez que conversarem, fique atento a indícios de que um de vocês está começando a ficar na defensiva ou parou de ceder. Se necessário, peça uma pausa ou combine tratar do assunto por e-mail. Provérbios 17:14.

DESAFIO 3: AJUDAR SEUS FILHOS A SE AJUSTAR.

Maria lembra como as coisas ficaram depois de seu divórcio: “Minha filha mais nova chorava o tempo todo e voltou a molhar a cama. E, embora minha filha mais velha tentasse esconder seus sentimentos, eu podia ver que ela também estava sendo afetada.” Infelizmente, talvez você tenha tão pouco tempo ou esteja tão esgotado em sentido emocional que não consegue ajudar seus filhos quando eles mais precisam de você.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

  • Incentive seus filhos a conversar sobre os sentimentos deles, mesmo que isso pareça levar a “conversa irrefletida”. — Jó 6:2, 3.

  • Não inverta os papéis. Embora você talvez precise de apoio emocional, pedir a seu filho para ajudar com problemas de adultos é injusto e prejudicial, mesmo que ele esteja disposto a escutá-lo. (1 Coríntios 13:11) Evite fazer de seu filho seu confidente ou deixá-lo agir como mediador ou mensageiro entre você e seu ex-cônjuge.

  • Mantenha a vida de seus filhos bem estruturada. Continuar na mesma casa e manter a mesma rotina pode ajudar, mas o mais importante é manter uma boa rotina espiritual, incluindo leitura da Bíblia e adoração em família. — Deuteronômio 6:6-9.

TENTE O SEGUINTE: Reserve um tempo nesta semana para conversar e garantir a seus filhos que os ama e que eles não causaram o divórcio dos pais. Responda suas perguntas sem colocar a culpa em seu ex-cônjuge.

Você pode recuperar-se de um divórcio. Melissa, que foi casada por 16 anos, diz: “Quando me divorciei, eu pensei: ‘Não era isso que eu esperava para minha vida.’” Mas ela aprendeu a ser feliz apesar de suas circunstâncias. Ela diz: “Depois que desisti de tentar mudar o passado, me senti muito melhor.”

^ parágrafo 2 Alguns nomes neste artigo foram mudados.

^ parágrafo 18 Deus odeia o divórcio por motivos enganosos e traiçoeiros. Mas se um dos cônjuges comete fornicação, Deus dá ao inocente o direito de decidir se divorciar ou não. (Malaquias 2:16; Mateus 19:9) Veja o artigo “O Conceito da Bíblia — Que tipo de divórcio Deus odeia?”, na Despertai! de 8 de fevereiro de 1994, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

PERGUNTE-SE . . .

  • Eu realmente tenho me permitido lamentar o divórcio?

  • Como posso me livrar de qualquer ressentimento que ainda tenho por causa do divórcio?