Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Novembro de 2015

Jeová é o Deus de amor

Jeová é o Deus de amor

“Deus é amor.” — 1 JOÃO 4:8, 16.

CÂNTICOS: 18, 51

1. Qual é a principal qualidade de Deus, e como você se sente em relação a ele por saber disso?

A PALAVRA inspirada de Jeová, a Bíblia, diz que “Deus é amor”. Ela não simplesmente diz que o amor é uma das muitas excelentes qualidades dele, mas que “Deus é amor”. (1 João 4:8) É a sua qualidade principal, a mais importante. Jeová não apenas tem amor, ele é a personificação do amor. Como é bom saber que o Criador do Universo e de todos os seres vivos é um Deus de amor! Tudo que ele faz se baseia nessa qualidade.

2. O amor de Deus nos dá que garantia? (Veja a gravura no início do artigo.)

2 O caloroso sentimento de amor e bondade que Deus tem por suas criaturas nos garante que todos os seus propósitos para a família humana se cumprirão da melhor maneira possível e trarão muitos benefícios para os que se sujeitarem ao seu domínio. Por exemplo, foi por amor que Jeová “determinou um dia em que vai julgar a terra habitada com justiça, por meio de um homem a quem designou”, Jesus Cristo. (Atos 17:31) Podemos ter certeza de que isso vai acontecer. Para aqueles que amam a justiça e são obedientes, o julgamento favorável resultará em futuras bênçãos por toda a eternidade.

O QUE A HISTÓRIA TEM DEMONSTRADO

3. Como você acha que seria a vida se Deus não amasse a humanidade?

3 Imagine como seria a vida no futuro se Deus não amasse a humanidade. Basta olhar para a terrível história deste mundo, com seus governos humanos sob a influência de um deus frio e furioso, Satanás, o Diabo. (2 Cor. 4:4; 1 João 5:19; leia Apocalipse 12:9, 12.) Isso mostra como o futuro seria horrível caso não existisse o amor de Deus no Universo.

4. Por que Jeová permitiu uma rebelião contra o seu governo justo?

4 Ao se rebelar contra o governo de Jeová, o Diabo influenciou o primeiro casal humano a fazer o mesmo. Ele desafiou a legitimidade e a justiça da soberania universal de Deus. Em outras palavras, Satanás afirmou que seu governo seria melhor do que o do Criador. (Gên. 3:1-5) Embora Jeová tenha permitido que Satanás tentasse provar sua alegação, essa permissão era temporária. Na sua grande sabedoria, Jeová tem dado tempo para expor claramente que qualquer governo além do seu é ineficaz. A triste história da humanidade mostra que nem os humanos nem Satanás podem produzir o bom governo que precisamos.

5. O que a história da humanidade tem demonstrado claramente?

5 Nos últimos cem anos, mais de 100 milhões de pessoas foram mortas em guerras. Hoje, as condições mundiais só têm piorado. Isso é exatamente o que a Palavra de Deus predisse que aconteceria “nos últimos dias” do atual sistema de coisas, quando “as pessoas más e os impostores se [tornariam] cada vez piores”. (2 Tim. 3:1, 13) A História tem demonstrado claramente como são verdadeiras as palavras da Bíblia: “Bem sei, ó Jeová, que o caminho do homem não pertence a ele. Não cabe ao homem nem mesmo dirigir os seus passos.” (Jer. 10:23) Jeová não criou os humanos com a habilidade nem o direito de cuidar de seus assuntos sem depender dele.

6. Ter Deus permitido temporariamente a maldade serve a que objetivo?

6 Além de mostrar como o governo humano é inútil, ter Deus permitido temporariamente a maldade serve a outro objetivo a longo prazo. Serve como um testemunho permanente de que apenas o governo de Deus pode ser bem-sucedido. Se depois de Jeová acabar com a maldade e com os que a causam alguém desafiar o governo amoroso de Jeová, não haverá necessidade de Deus permitir que esse desafio prossiga. Ele poderá usar o que aconteceu na história da humanidade como um motivo justo para destruir rapidamente esses rebeldes, não permitindo que a maldade surja de novo.

JEOVÁ JÁ DEMONSTROU AMOR

7, 8. De que maneiras Jeová demonstrou seu grande amor?

7 Jeová já demonstrou seu grande amor de muitas maneiras. Por exemplo, veja a grandiosidade do Universo. Existem bilhões de galáxias, cada uma com muitos bilhões de estrelas e planetas. O Sol, que fica na nossa galáxia, a Via Láctea, é uma dessas estrelas. Sem ele, a grande variedade de formas de vida na Terra não existiria. Todas essas criações dão evidência da Divindade de Jeová e de suas qualidades, como poder, sabedoria e amor. Realmente, “suas qualidades invisíveis — isto é, seu poder eterno e Divindade — são claramente vistas desde a criação do mundo, porque são percebidas por meio das coisas feitas”. — Rom. 1:20.

8 Jeová criou tudo o que há na Terra para beneficiar suas criaturas. Ele colocou os humanos num belo paraíso e lhes deu uma mente perfeita e um corpo capaz de viver para sempre. (Leia Apocalipse 4:11.) Além disso, “ele dá alimento a todos os seres vivos, pois o seu amor leal dura para sempre”. — Sal. 136:25.

9. Além do amor, que outro sentimento Jeová às vezes demonstra, e por quê?

9 Jeová revela a si mesmo como o Deus de amor, mas ele também expressa ódio pelo que é mau. Por exemplo, o Salmo 5:4-6 diz sobre Jeová: “Tu não és um Deus que tem prazer na maldade . . . Odeias a todos os malfeitores.” E acrescenta: “Jeová detesta pessoas violentas e enganadoras.”

O FIM DA MALDADE SE APROXIMA

10, 11. (a) O que Jeová fará com as pessoas más? (b) Como Jeová recompensará os justos?

10 Jeová é um Deus de amor que odeia a maldade. Por isso, seu propósito é livrar do mal a Terra e o restante do Universo assim que a questão da soberania estiver resolvida até o ponto em que ele estiver satisfeito. A Palavra de Deus diz: “Os maus serão eliminados, mas os que esperam em Jeová possuirão a terra. Apenas mais um pouco, e os maus deixarão de existir . . . Os inimigos de Jeová desaparecerão como a beleza dos pastos; eles desaparecerão como fumaça.” — Sal. 37:9, 10, 20.

11 Por outro lado, a Palavra de Deus também diz: “Os justos possuirão a terra e viverão nela para sempre.” (Sal. 37:29) Esses justos “terão grande alegria na abundância de paz”. (Sal. 37:11) Isso acontecerá porque nosso amoroso Deus sempre faz o que é melhor para seus servos fiéis. A Bíblia diz: “Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais tristeza, nem choro, nem dor. As coisas anteriores já passaram.” (Apo. 21:4) Que futuro maravilhoso terão os que realmente dão valor ao amor de Jeová e obedecem a ele como Governante!

12. Quem pode ser considerado como “o homem irrepreensível”?

12 A Palavra de Deus diz: “Observe o homem irrepreensível, preste atenção ao homem reto, pois o futuro desse homem será pacífico. Mas todos os transgressores serão destruídos; não haverá futuro para as pessoas más.” (Sal. 37:37, 38) “O homem irrepreensível” conhece a Jeová e a seu Filho, e obedece à vontade de Deus. (Leia João 17:3.) Uma pessoa assim leva a sério as palavras de 1 João 2:17: “O mundo está passando, e também o seu desejo, mas quem faz a vontade de Deus permanece para sempre.” À medida que o fim do mundo se aproxima, é essencial ‘esperar em Jeová e seguir o caminho dele’. — Sal. 37:34.

O GRANDE ATO DE AMOR DE DEUS

13. Que grande ato de amor Jeová realizou em benefício de pecadores?

13 Embora sejamos imperfeitos, podemos ‘seguir o caminho de Jeová’. Também podemos ter uma relação achegada com Jeová por causa do seu grande ato de amor. Ele providenciou o sacrifício de resgate de Jesus Cristo, tornando possível que os humanos obedientes fossem libertados do pecado e da morte que herdaram de Adão. (Leia Romanos 5:12; 6:23.) Jeová tinha plena confiança no seu Filho unigênito, que havia sido fiel a ele no céu por incontáveis eras. Como um Pai amoroso, Deus sem dúvida ficou muito triste com o tratamento injusto que Jesus recebeu quando esteve na Terra. No entanto, Jesus apoiou fielmente a soberania de Deus e mostrou que um humano perfeito pode manter a integridade a Jeová mesmo enfrentando as provas mais difíceis.

Por amor, Deus enviou seu Filho à Terra (Veja o parágrafo 13.)

14, 15. O que a morte de Jesus tornou possível?

14 Jesus conseguiu manter a integridade e defendeu a soberania de Jeová mesmo enfrentando as provas mais difíceis, morrendo como servo fiel de seu Pai. Devemos ser gratos por Jesus também ter pago por meio de sua morte o preço necessário para resgatar a humanidade. Isso abriu o caminho para a vida eterna no prometido novo mundo de Deus. O apóstolo Paulo mostrou que esse foi um grande ato de amor da parte de Jeová e de Jesus quando disse: “Realmente, enquanto ainda éramos fracos, Cristo morreu por homens ímpios no tempo determinado. Dificilmente alguém morreria por um justo; embora, por um homem bom, alguém talvez se atreva a morrer. Mas Deus recomenda a nós o seu próprio amor, por Cristo ter morrido por nós enquanto ainda éramos pecadores.” (Rom. 5:6-8) O apóstolo João escreveu: “Por meio disto se revelou o amor de Deus em nosso caso: Deus enviou o seu Filho unigênito ao mundo para que ganhássemos a vida por meio dele. O amor consiste no seguinte: não que nós tenhamos amado a Deus, mas que ele nos amou e enviou seu Filho como sacrifício propiciatório pelos nossos pecados.” — 1 João 4:9, 10.

15 A respeito do amor de Deus pela humanidade, Jesus disse: “Deus amou tanto o mundo [da humanidade que pode ser resgatada], que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele exercer fé não seja destruído, mas tenha vida eterna.” (João 3:16) O amor de Deus pelos humanos é tão grande que ele não deixa de fazer o que é bom para eles, não importando o custo para si mesmo. Seu amor é eterno; sempre poderemos contar com esse amor. Paulo escreveu: “Estou convencido de que nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem governos, nem coisas presentes, nem coisas por vir, nem poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criação será capaz de nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” — Rom. 8:38, 39.

O REINO DE DEUS JÁ DOMINA

16. O que é o Reino messiânico, e quem é o rei desse Reino?

16 O amor de Deus pela humanidade fica evidente na provisão que ele fez para que o Reino messiânico existisse. Jeová já entregou esse Reino a Seu Filho, que ama a humanidade e está mais do que qualificado para governar. (Pro. 8:31) Na sua ressurreição, os 144 mil que reinarão com Jesus levam consigo sua experiência de vida como humanos. (Apo. 14:1) O Reino era o tema principal dos ensinos de Jesus, e ele ensinou seus discípulos a orar: “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” (Mat. 6:9, 10) Quando as palavras dessa oração se cumprirem, a humanidade obediente terá muitas bênçãos.

17. Que contraste existe entre o governo de Jesus e os governos humanos?

17 Existe um contraste muito grande entre o amoroso governo celestial de Jesus e o governo dos humanos, responsável pelas guerras que resultam na morte de milhões de pessoas. Jesus realmente se importa com seus súditos e demonstra as maravilhosas qualidades de Deus, em especial o amor. (Apo. 7:10, 16, 17) Jesus disse: “Venham a mim, todos vocês que estão trabalhando duro e estão sobrecarregados, e eu os reanimarei. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou de temperamento brando e humilde de coração, e acharão revigoramento para si mesmos. Pois o meu jugo é suave e a minha carga é leve.” (Mat. 11:28-30) Essa é uma garantia maravilhosa!

18. (a) O que o Reino de Deus está fazendo desde que foi estabelecido? (b) Que perguntas serão respondidas no próximo artigo?

18 As profecias da Bíblia mostram que o Reino celestial de Deus foi estabelecido no início da presença de Cristo, em 1914. Desde então, tem havido o ajuntamento do restante que reinará com Jesus no céu e também de “uma grande multidão” de pessoas que sobreviverão ao fim deste sistema e serão conduzidas ao novo mundo. (Apo. 7:9, 13, 14) Qual o tamanho da grande multidão hoje? O que se espera dos que compõem esse grupo? O próximo artigo responderá a essas perguntas.