Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Novembro de 2015

Você ‘ama o seu próximo como a si mesmo’?

Você ‘ama o seu próximo como a si mesmo’?

“Ame o seu próximo como a si mesmo.” — MAT. 22:39.

CÂNTICOS: 73, 36

1, 2. Como as Escrituras destacam a importância do amor?

O AMOR é a principal qualidade de Jeová. (1 João 4:16) Jesus, sua primeira criação, viveu com ele nos céus por incontáveis eras e aprendeu o modo amoroso de Deus agir. (Col. 1:15) Durante toda a sua existência, incluindo sua vida na Terra, Jesus mostrou que compreende plenamente que Jeová é um Deus muito amoroso, e ele imita esse amor. Assim, podemos ter certeza de que o governo exercido por Jeová e Jesus será sempre guiado pelo amor.

2 Quando perguntaram a Jesus qual era o maior mandamento da Lei, ele disse: “‘Ame a Jeová, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de toda a sua mente.’ Esse é o maior e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a esse, é: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo.’” — Mat. 22:37-39.

3. Quem é o nosso “próximo”?

3 Note que Jesus disse que o amor ao próximo é quase tão importante quanto o amor a Jeová. Isso mostra a importância de demonstrar amor em todos os nossos relacionamentos. Mas quem é o nosso “próximo”? Se formos casados, o próximo mais achegado que temos é nosso marido ou nossa esposa. Também achegados a nós são os irmãos na congregação cristã, isto é, aqueles que adoram ao Deus verdadeiro junto conosco. E as pessoas que encontramos no ministério também são nosso próximo. Como os que adoram a Jeová e seguem os ensinamentos de seu Filho podem mostrar amor ao próximo?

AMOR PELO MARIDO OU PELA ESPOSA

4. Por que um casamento pode ser feliz apesar da imperfeição humana?

4 Jeová realizou o primeiro casamento ao criar Adão e Eva e uni-los. Seu propósito era que a união deles fosse feliz e duradoura, e que eles enchessem a Terra com seus descendentes. (Gên. 1:27, 28) No entanto, a rebelião contra a soberania de Jeová manchou o primeiro casamento e trouxe o pecado e a morte para toda a humanidade. (Rom. 5:12) Apesar disso, a Bíblia nos mostra como ser feliz no casamento. Ela contém os melhores conselhos sobre o assunto porque esses conselhos vêm de Jeová, o Originador do casamento. — Leia 2 Timóteo 3:16, 17.

5. Que importância o amor tem no casamento?

5 A Palavra de Deus mostra que o amor, um sentimento de caloroso apego ou de profunda afeição, é essencial para os humanos terem relacionamentos felizes. Isso com certeza vale para o casamento. Falando à congregação, o apóstolo Paulo disse o seguinte: “O amor é paciente e bondoso. O amor não é ciumento. Não se gaba, não é orgulhoso, não se comporta indecentemente, não procura os seus próprios interesses, não se irrita com facilidade. Não leva em conta o dano. Não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Suporta todas as coisas, acredita em todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas. O amor nunca acaba.” (1 Cor. 13:4-8) Meditar nessas palavras inspiradas e colocá-las em prática com certeza aumentará a felicidade no casamento.

A Palavra de Deus mostra como ter um casamento feliz (Veja os parágrafos 6 e 7.)

6, 7. (a) O que a Bíblia diz sobre a chefia? (b) Como o marido cristão deve tratar sua esposa?

6 O amor é especialmente importante em vista do princípio da chefia, que pode ser visto no modo como Deus organizou as coisas. Paulo explicou: “Quero que saibam que o cabeça de todo homem é o Cristo; o cabeça da mulher é o homem; e o cabeça do Cristo é Deus.” (1 Cor. 11:3) Mas a chefia não deve ser exercida de modo autoritário. Por exemplo, a chefia que Jeová exerce sobre Jesus é bondosa e altruísta, e Jesus reage bem a ela. Ele aprecia a chefia amorosa de Deus, pois disse: “Eu amo o Pai.” (João 14:31) Dificilmente Jesus teria se sentido assim se Jeová fosse duro e dominador ao lidar com seu amado Filho.

7 Embora o marido seja o cabeça de sua esposa, a Bíblia o orienta a ‘dar-lhe honra’. (1 Ped. 3:7) Uma maneira de o marido honrar sua esposa é por levar em consideração as necessidades dela e respeitar suas preferências em determinados assuntos. Realmente, a Palavra de Deus diz: “Marido, continue a amar a sua esposa, assim como também o Cristo amou a congregação e se entregou por ela.” (Efé. 5:25) Jesus até mesmo deu a vida pelos seus seguidores. Quando o marido imita a forma amorosa em que Jesus exerce a chefia, fica muito mais fácil para a esposa amá-lo, respeitá-lo e se sujeitar a ele. — Leia Tito 2:3-5.

AMOR PELOS IRMÃOS

8. Como os adoradores de Jeová devem encarar seus irmãos na fé?

8 Em toda a Terra, há milhões de pessoas que adoram a Jeová e dão testemunho do seu nome e propósito. Como cada adorador de Jeová deve encarar seu irmão na fé? A Palavra de Deus responde: “Façamos o bem a todos, mas especialmente aos que fazem parte da nossa família na fé.” (Gál. 6:10; leia Romanos 12:10.) O apóstolo Pedro escreveu: “Agora que vocês se purificaram pela sua obediência à verdade, tendo como resultado o amor fraternal sem hipocrisia, amem uns aos outros intensamente, de coração.” Pedro também disse a seus irmãos: “Acima de tudo, tenham intenso amor uns pelos outros.” — 1 Ped. 1:22; 4:8.

9, 10. Por que o povo de Deus é unido?

9 Por causa do nosso intenso amor por aqueles que servem a Jeová junto conosco, nós formamos uma organização mundial única. Além disso, visto que amamos a Jeová e obedecemos às suas leis, ele nos ajuda com a força mais poderosa do Universo, seu espírito santo, ou força ativa. Isso torna possível que tenhamos uma maravilhosa união e uma verdadeira fraternidade internacional. — Leia 1 João 4:20, 21.

10 Destacando a necessidade de os cristãos terem amor entre si, Paulo escreveu: “Revistam-se de terna compaixão, bondade, humildade, brandura e paciência. Continuem a suportar uns aos outros e a perdoar uns aos outros liberalmente, mesmo que alguém tenha razão para queixa contra outro. Assim como Jeová os perdoou liberalmente, vocês devem fazer o mesmo. Mas, além de todas essas coisas, revistam-se de amor, pois é o perfeito vínculo de união.” (Col. 3:12-14) Como somos gratos de que o amor, “o perfeito vínculo de união”, predomina entre nós, não importa qual seja a nossa formação ou nacionalidade!

11. Como o amor e a união identificam a organização de Jeová?

11 O verdadeiro amor e a união entre os servos de Jeová os identificam como a religião verdadeira. Jesus disse: “Por meio disto todos saberão que vocês são meus discípulos: se tiverem amor entre si.” (João 13:34, 35) E o apóstolo João escreveu: “Desta forma sabemos quem são os filhos de Deus e quem são os filhos do Diabo: aquele que não pratica a justiça não se origina de Deus, nem aquele que não ama o seu irmão. Porque esta é a mensagem que vocês ouviram desde o princípio: devemos amar uns aos outros.” (1 João 3:10, 11) O amor que torna possível essa extraordinária união identifica as Testemunhas de Jeová como verdadeiros seguidores de Cristo. Por meio deles, Deus realiza o seu propósito de que as boas novas do Reino sejam pregadas em toda a Terra habitada. — Mat. 24:14.

AJUNTAMENTO DA “GRANDE MULTIDÃO”

12, 13. (a) O que a “grande multidão” está fazendo hoje? (b) O que acontecerá em breve com os que fazem parte dela?

12 A grande maioria dos servos de Jeová faz parte da “grande multidão . . . de todas as nações, tribos, povos e línguas”. Eles estão “em pé diante do trono [de Deus] e diante do Cordeiro [Jesus Cristo]”. Quem são eles? “Esses são os que saem da grande tribulação; eles lavaram suas vestes compridas e as embranqueceram no sangue do Cordeiro” porque exercem fé no sacrifício de resgate de Jesus. Os que fazem parte dessa crescente “grande multidão” amam a Jeová e seu Filho e “prestam serviço sagrado [a Deus] dia e noite”. — Apo. 7:9, 14, 15.

13 Em breve, Deus destruirá este mundo perverso na “grande tribulação”. (Mat. 24:21; leia Jeremias 25:32, 33.) Mas, por causa do seu amor por seus servos, Jeová os preservará como grupo e os conduzirá ao novo mundo. Como predito quase 2 mil anos atrás, Deus “enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais tristeza, nem choro, nem dor”. Você aguarda com expectativa viver no Paraíso depois que ‘as coisas anteriores já tiverem passado’? — Apo. 21:4.

14. Quantas pessoas fazem parte da grande multidão atualmente?

14 Quando os últimos dias começaram em 1914, só havia alguns milhares de servos de Jeová no mundo. Motivados por amor ao próximo, e com o apoio do espírito santo de Deus, o pequeno restante de cristãos ungidos perseverou na obra de pregação. O resultado é que hoje uma grande multidão de pessoas com esperança terrestre está sendo reunida. Somos cerca de 8 milhões de Testemunhas de Jeová em mais de 115.400 congregações em toda a Terra, e esse número não para de crescer. Por exemplo, mais de 275.500 Testemunhas de Jeová foram batizadas no ano de serviço de 2014, uma média de 5.300 por semana.

15. Descreva o alcance da obra de pregação feita hoje.

15 O alcance da obra de pregação é extraordinário. Nossas publicações baseadas na Bíblia são agora publicadas em mais de 700 idiomas. A Sentinela é a revista mais distribuída no mundo. Mais de 52 milhões de exemplares são impressos todos os meses, e ela é publicada em 247 idiomas. Mais de 200 milhões de exemplares do nosso livro de estudo bíblico O Que a Bíblia Realmente Ensina? já foram impressos em mais de 250 idiomas.

16. Qual o motivo da prosperidade espiritual da parte terrestre da organização de Jeová?

16 O impressionante crescimento que vemos hoje resulta da nossa fé em Deus e da nossa total obediência à Bíblia, milagrosamente inspirada por Jeová. (1 Tes. 2:13) Algo especialmente notável é a prosperidade espiritual do povo de Jeová, apesar do ódio e da oposição de Satanás, “o deus deste mundo”. — 2 Cor. 4:4.

SEMPRE MOSTRE AMOR POR OUTROS

17, 18. Como os servos de Jeová devem tratar os que não adoram a Deus?

17 Como os servos de Jeová devem tratar os que não adoram o único Deus verdadeiro? Na pregação, as pessoas reagem de diversas formas; algumas nos escutam, outras nos tratam mal. Mas, não importa como as pessoas reajam, a Palavra de Deus mostra que atitude seus servos devem ter. Ela diz: “Que as suas palavras sejam sempre agradáveis, temperadas com sal, de modo que saibam como responder a cada pessoa.” (Col. 4:6) Quando fazemos uma defesa perante alguém que exige uma razão para a nossa esperança, fazemos isso “com brandura e profundo respeito” porque amamos o próximo. — 1 Ped. 3:15.

18 Nós mostramos amor ao próximo mesmo quando nossa mensagem é rejeitada por um morador irritado que nos maltrata. Imitamos a Jesus, que, “quando estava sendo insultado, não respondia com insultos. Quando estava sofrendo, não ameaçava, mas confiava-se Àquele [Jeová] que julga com justiça”. (1 Ped. 2:23) Quer estejamos com os irmãos, quer não, mostramos humildade e aplicamos o conselho: “Não paguem mal com mal, nem insulto com insulto. Em vez disso, retribuam com uma bênção.” — 1 Ped. 3:8, 9.

19. Que princípio Jesus deu sobre tratar opositores?

19 Por manterem uma atitude humilde, o povo de Jeová obedece a um importante princípio dado por Jesus. No Sermão do Monte, ele disse: “Vocês ouviram que se disse: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo.’ No entanto, eu lhes digo: Continuem a amar os seus inimigos e a orar pelos que perseguem vocês, para que vocês mostrem ser filhos de seu Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol se levantar sobre os maus e sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos.” (Mat. 5:43-45) Como servos de Deus, devemos aprender a ‘amar nossos inimigos’, não importa o que eles achem de nós.

20. Por que o amor a Deus e ao próximo prevalecerá no novo mundo? (Veja a gravura no início do artigo.)

20 Em todos os aspectos da vida, os servos de Jeová precisam mostrar por meio de sua atitude e suas ações que amam a Jeová e ao próximo. Por exemplo, mesmo que alguns não aceitem a mensagem do Reino, mostramos amor ao próximo quando eles precisam de ajuda. O apóstolo Paulo escreveu: “Não devam nada a ninguém, a não ser amar uns aos outros, pois quem ama o seu próximo cumpre a Lei. Pois os mandamentos — ‘não cometa adultério, não assassine, não furte, não cobice’, e qualquer outro mandamento que exista — se resumem nestas palavras: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo.’ O amor não faz o mal contra o próximo; portanto, o amor é o cumprimento da lei.” (Rom. 13:8-10) Como Testemunhas de Jeová, mostramos genuíno amor neste mundo desunido, violento e perverso, governado por Satanás. (1 João 5:19) Depois que Satanás, seus demônios e os humanos rebeldes tiverem saído de cena, o amor sem dúvida influenciará toda atividade na Terra no novo mundo. Como será bom quando todos os habitantes da Terra amarem a Deus e ao próximo!