Pular para conteúdo

Pular para sumário

Sirva a Jeová sem distração

Sirva a Jeová sem distração

“Maria . . . ficou escutando o que [Jesus] dizia. Marta . . . estava distraída, cuidando de muitos afazeres.” — LUC. 10:39, 40.

CÂNTICOS: 40, 55

1, 2. Por que Jesus amava Marta, mas que erro ela cometeu?

O QUE vem à sua mente quando pensa em Marta, mencionada na Bíblia? Embora ela seja a única mulher citada por nome como amada por Jesus, ele também tinha um amor sincero e puro por outras mulheres fiéis a Deus, como sua querida mãe terrestre, Maria, e a irmã de Marta, também chamada Maria. (João 11:5; 19:25-27) Por que então Marta é mencionada dessa forma no Evangelho de João?

2 Jesus não amava Marta só porque ela era hospitaleira e trabalhadeira, mas, com certeza, também porque ela era uma pessoa espiritual. Ela tinha forte fé nos ensinamentos de Jesus e absoluta certeza de que ele era o prometido Messias. (João 11:21-27) Ao mesmo tempo, assim como todos nós, ela não era perfeita. Certa vez, enquanto Jesus estava na casa dela para uma refeição, Marta se atreveu a dizer que Jesus devia corrigir uma situação que ela achava estar errada. “Senhor”, disse Marta, “não se importa que minha irmã me deixou sozinha para cuidar das coisas? Diga a ela que venha me ajudar”. (Leia Lucas 10:38-42.) Que lições podemos aprender desse relato?

MARTA SE DISTRAIU

3, 4. Em que sentido Maria escolheu “a boa porção”, e que lição Marta sem dúvida levou a sério? (Veja a gravura no início do artigo.)

3 Em retribuição à hospitalidade de Marta e Maria, Jesus quis transmitir a elas um dom espiritual. Maria aproveitou a oportunidade para ouvir os ensinamentos diretamente do Grande Instrutor e se sentou “aos pés do Senhor . . . , escutando o que ele dizia”. Marta podia ter feito o mesmo. Sem dúvida, Jesus teria elogiado Marta por lhe ter dado sua total atenção.

4 Marta, porém, estava ocupada preparando uma refeição especial e cuidando de outros afazeres para tornar a estadia de Jesus o mais agradável possível. Mas todo esse trabalho lhe causou ansiedade desnecessária, e ela ficou irritada com Maria. Jesus percebeu que Marta estava fazendo muitas coisas, então lhe disse bondosamente: “Marta, Marta, você está ansiosa e preocupada com muitas coisas.” Daí disse que preparar apenas um prato seria suficiente. Jesus então voltou a atenção para Maria e a defendeu, mostrando que ela não estava sendo negligente. Ele disse: “Maria, por sua vez, escolheu a boa porção, e essa não será tirada dela.” Maria talvez logo se esquecesse do que comeria naquela ocasião especial, mas nunca se esqueceria do elogio e do excelente alimento espiritual que estava recebendo por dar a Jesus toda a atenção. Mais de 60 anos depois, o apóstolo João escreveu: ‘Jesus amava Marta e a irmã dela.’ (João 11:5) Essas palavras inspiradas confirmam que Marta levou a sério a correção amorosa de Jesus e serviu fielmente a Jeová pelo resto da sua vida.

5. Como a vida no mundo moderno se compara à dos tempos bíblicos, e que pergunta surge?

5 Com respeito às distrações, como o mundo de hoje se compara ao mundo dos tempos bíblicos? “Nunca antes na História a humanidade pôde se gabar de ter meios de comunicação tão eficientes, rotativas de alta velocidade, revistas bem ilustradas, rádio, filmes, televisão. . . . Somos bombardeados todos os dias com novas distrações . . . Pouco tempo atrás, gostávamos de pensar que vivíamos na ‘era do esclarecimento’. Esta época está se tornando cada vez mais ‘a era da distração’.” Essas palavras foram ditas há mais de 60 anos a um grupo de alunos nos Estados Unidos. A Sentinela de 1.° de junho de 1959 disse: “É provável que as distrações aumentem, ao passo que este mundo se aproxima de sua ruína.” Isso com certeza é verdade! Surge então uma pergunta importante: o que podemos fazer para evitar distrações desnecessárias e ser como Maria, mantendo o foco em coisas espirituais?

USE O MUNDO, MAS NÃO PLENAMENTE

6. Como o povo de Jeová tem feito bom uso da tecnologia do mundo?

6 A parte terrestre da organização de Deus sempre usou bem a tecnologia do mundo para promover a adoração verdadeira. Por exemplo, considere o “Fotodrama da Criação”, uma produção de slides e filmes com cor e som. Antes e durante a Primeira Guerra Mundial, milhões de pessoas ao redor do mundo foram consoladas por essa apresentação, que terminava com uma descrição do pacífico Reinado Milenar de Jesus Cristo. Mais tarde, a mensagem do Reino foi transmitida por rádio e foi ouvida por milhões de pessoas em toda a Terra. Hoje, a tecnologia de computadores e a internet são um meio poderoso de divulgar as boas novas. Assim, essa mensagem alcança pessoas em ilhas distantes e nos quatro cantos da Terra.

Não deixe que coisas desnecessárias interfiram nas atividades espirituais (Veja o parágrafo 7.)

7. (a) Por que é perigoso tentar usar tudo que o mundo oferece? (b) Com o que em especial devemos tomar cuidado? (Veja a nota.)

7 A Bíblia dá um alerta sobre o perigo de tentarmos usar tudo que o mundo oferece. (Leia 1 Coríntios 7:29-31.) O cristão corre o risco de perder bastante tempo com coisas que não são erradas em si, como hobbies, leitura, televisão e passeios, além de olhar vitrines e pesquisar sobre novos aparelhos eletrônicos ou artigos de consumo não essenciais. Outra coisa que pode nos fazer desperdiçar tempo e até mesmo se tornar uma obsessão é acessar redes sociais, trocar mensagens de texto, enviar e-mails e verificar as últimas notícias ou eventos esportivos. * (Ecl. 3:1, 6) Se não limitarmos o tempo que gastamos com coisas desnecessárias, podemos acabar negligenciando a atividade mais importante de todas: nossa adoração a Jeová. — Leia Efésios 5:15-17.

8. Por que é tão importante o conselho de não amar as coisas do mundo?

8 Satanás preparou este mundo para nos atrair e distrair. Era assim no primeiro século; quanto mais hoje! (2 Tim. 4:10) Por isso, precisamos seguir o conselho: “Não amem . . . as coisas no mundo.” Por procurarmos constantemente viver de acordo com esse conselho, evitaremos nos distrair, e nosso “amor ao Pai” aumentará. Assim, será mais fácil fazer a vontade de Deus e continuar no seu favor para sempre. — 1 João 2:15-17, nota.

MANTENHA SEU OLHO FOCADO

9. O que Jesus disse sobre nosso olho figurativo, e que exemplo ele deu?

9 O conselho bondoso que Jesus deu a Marta estava em perfeita harmonia com seus ensinos e seu exemplo. Ele incentivou os discípulos a manter seu olho figurativo “focado” para que buscassem primeiro o Reino, sem distrações. (Leia Mateus 6:22, 33.) O próprio Jesus não se sobrecarregou com bens materiais; ele não possuía casa nem terras. — Luc. 9:58; 19:33-35.

10. Que exemplo Jesus deu no início do seu ministério?

10 Muitas coisas aconteceram durante o ministério de Jesus, mas ele não se deixou distrair por nenhuma delas. No início do seu ministério, depois que ele tinha ensinado as multidões e realizado milagres em Cafarnaum, as pessoas imploraram que ele ficasse na cidade. Jesus poderia ter se sentido honrado com esse pedido. Mas como reagiu? Ele disse: “Tenho de declarar as boas novas do Reino de Deus também a outras cidades, porque fui enviado para isso.” (Luc. 4:42-44) Fiel ao que disse, Jesus andou por toda a Palestina, pregando e ensinando. Embora fosse perfeito, ele era humano, e às vezes se sentia muito cansado depois do seu serviço intenso na obra de Deus. — Luc. 8:23; João 4:6.

11. O que Jesus disse a um homem que tinha uma disputa de família, e que alerta Jesus deu?

11 Em outra ocasião, quando Jesus estava ensinando seus seguidores a lidar com oposição, um homem o interrompeu e disse: “Instrutor, diga a meu irmão que divida comigo a herança.” Mas Jesus se recusou a se envolver nessa disputa. Ele respondeu: “Homem, quem me designou como juiz ou me deu o direito de repartir os bens entre vocês dois?” Então Jesus continuou ensinando e alertou os ouvintes contra o perigo de se desviarem do serviço a Deus por se distraírem com o desejo de ter coisas materiais. — Luc. 12:13-15.

12, 13. (a) O que despertou a curiosidade de alguns prosélitos gregos pouco antes da morte de Jesus? (b) Como Jesus lidou com a possível distração?

12 A última semana de Jesus como humano foi muito estressante. (Mat. 26:38; João 12:27) Ele tinha muito trabalho a fazer, além disso enfrentou um julgamento humilhante e uma morte cruel. Veja, por exemplo, o que aconteceu no domingo 9 de nisã de 33 EC. Como predito, Jesus entrou em Jerusalém num jumentinho, e as multidões o aclamaram como “aquele que vem como Rei em nome de Jeová”. (Luc. 19:38) No dia seguinte, Jesus entrou no templo e corajosamente expulsou dali os negociantes gananciosos que estavam usando a casa de Deus para extorquir dinheiro de outros judeus. — Luc. 19:45, 46.

13 Entre as multidões em Jerusalém, havia alguns prosélitos gregos que pelo visto ficaram tão impressionados que disseram a Filipe que queriam falar com Jesus. Mas Jesus se recusou a desviar sua atenção das coisas mais importantes que estavam para acontecer. De modo algum ele tentaria ganhar popularidade a fim de evitar a morte sacrificial às mãos dos inimigos de Deus. Por isso, depois de explicar que em breve morreria, ele disse a André e Filipe: “Quem ama a sua vida a perderá, mas quem odeia a sua vida neste mundo a preservará para a vida eterna.” Jesus não satisfez a curiosidade daqueles gregos. Em vez disso, recomendou seguir o exemplo de abnegação que ele deixou, e prometeu: “Se alguém quiser me servir, o Pai o honrará.” Sem dúvida, Filipe levou essa mensagem positiva àqueles homens. — João 12:20-26.

14. Mesmo colocando a pregação em primeiro lugar na vida, como sabemos que Jesus era equilibrado?

14 Embora Jesus não tenha se distraído do seu objetivo de pregar as boas novas, ele não pensava só em trabalho. Aceitou pelo menos um convite de casamento e até ajudou a tornar a ocasião ainda mais alegre quando milagrosamente transformou água em vinho. (João 2:2, 6-10) Ele também aceitou convites para refeições com amigos íntimos e pessoas que poderiam vir a segui-lo. (Luc. 5:29; João 12:2) Mais importante ainda, Jesus sempre reservava tempo para ficar sozinho a fim de orar e meditar, além de ter o descanso necessário. — Mat. 14:23; Mar. 1:35; 6:31, 32.

‘LIVRE-SE DE TODO PESO’

15. Que conselho o apóstolo Paulo deu, e que bom exemplo deixou?

15 “Livremo-nos também de todo peso”, escreveu o apóstolo Paulo. Ele comparou a vida de um cristão dedicado com uma longa corrida. (Leia Hebreus 12:1.) Certamente, Paulo agia de acordo com o que pregava. Ele poderia ter ficado rico e famoso com sua carreira no judaísmo, mas abandonou tudo isso. Ele se concentrou nas “coisas mais importantes” e trabalhou como escravo no serviço a Deus, viajando pelas regiões da Síria, Ásia Menor, Macedônia e Judeia. “Esquecendo-me das coisas atrás e esticando-me para alcançar as coisas à frente, empenho-me para alcançar o alvo, a fim de receber o prêmio”, escreveu Paulo a respeito da sua esperança de vida eterna no céu. (Fil. 1:10; 3:8, 13, 14) Paulo aproveitou ao máximo seu estado de solteiro e foi bem-sucedido em “servir constantemente ao Senhor, sem distração”. — 1 Cor. 7:32-35.

16 . Solteiros ou casados, como podemos seguir o exemplo de Paulo?

16 Como Paulo, alguns servos de Deus decidem continuar solteiros; assim, eles podem se dedicar totalmente ao serviço do Reino por terem menos responsabilidades familiares. (Mat. 19:11, 12) Geralmente, os cristãos casados precisam cuidar de mais responsabilidades. Mas tanto os solteiros como os casados podem ‘livrar-se de todo peso’ e servir a Deus com o mínimo de distrações possível. Para isso, talvez seja preciso reduzir atividades que desperdiçam tempo e estabelecer alvos para dedicar mais tempo ao serviço de Deus.

17 . Como um casal do país de Gales seguiu o exemplo de Paulo?

17 Mark e Claire, um casal do País de Gales, se tornaram pioneiros quando jovens, assim que terminaram a escola. Depois de casados, continuaram como pioneiros. Mark diz: “Para simplificar a vida ainda mais, saímos da nossa casa de três quartos e do nosso trabalho de meio período, e fomos servir na obra internacional de construção.” Nos últimos 20 anos, eles viajaram por toda a África ajudando a construir Salões do Reino. Certa vez, eles não tinham mais do que 15 dólares guardados, mas Jeová cuidou deles. Claire diz: “Usar todos os nossos dias para servir a Jeová nos dá grande satisfação. Fizemos muitos amigos no decorrer dos anos, e nunca nos faltou nada. O pouco que deixamos para trás não se compara com a felicidade que temos por servir a Jeová por tempo integral.” Muitos servos de tempo integral têm experiências parecidas. *

18. Que perguntas podemos fazer a nós mesmos?

18 E você? O que pode fazer se perceber que, por causa de distrações desnecessárias, já não tem o mesmo entusiasmo ao buscar o Reino? Talvez sua leitura e seu estudo da Bíblia precisem ser mais produtivos. Como você pode fazer isso? O próximo artigo vai explicar.

^ parágrafo 7 Veja o artigo “A pessoa ingênua acredita em qualquer palavra”.

^ parágrafo 17 Veja também a biografia de Hadyn e Melody Sanderson, no artigo “Fizemos o que sabíamos ser certo”. (A Sentinela de 1.° de março de 2006) Eles abriram mão de um negócio lucrativo na Austrália para entrar no serviço de tempo integral. Leia o que aconteceu depois que o dinheiro deles acabou enquanto serviam como missionários na Índia.