Pular para conteúdo

Pular para sumário

Ajude a embelezar o paraíso espiritual

Ajude a embelezar o paraíso espiritual

“Eu glorificarei o próprio lugar dos meus pés.” — ISA. 60:13.

CÂNTICOS: 28, 21

1, 2. A que pode se referir o termo “escabelo” nas Escrituras Hebraicas?

“OS CÉUS são o meu trono e a terra é o meu escabelo [ou: apoio para os pés]”, declarou Jeová Deus. (Isa. 66:1) A respeito do seu “escabelo”, ele disse também: “Eu glorificarei o próprio lugar dos meus pés.” (Isa. 60:13) Como ele faz isso? E o que isso significa para nós, que vivemos no “escabelo” de Deus?

2 Além de se referir à Terra, o termo “escabelo” é usado nas Escrituras Hebraicas para descrever o antigo templo usado pelos israelitas. (1 Crô. 28:2; Sal. 132:7) O templo servia como centro da adoração pura na Terra. Por isso, ele era muito belo aos olhos de Jeová, e o simples fato de ele existir já glorificava o lugar para os pés de Jeová, a Terra.

3. O que é o grande templo espiritual de Deus, e quando passou a existir?

3 Hoje, o centro da adoração pura não é mais um templo físico na Terra. Mas existe um templo espiritual, que glorifica muito mais a Jeová do que qualquer construção. Trata-se de uma provisão que permite a reconciliação com Deus, por meio do sacerdócio e do sacrifício de Jesus Cristo. O grande templo espiritual de Jeová passou a existir em 29 EC, quando Jesus se batizou e foi ungido como Sumo Sacerdote desse templo. — Heb. 9:11, 12.

4, 5. (a) Como o Salmo 99 descreve o desejo sincero dos adoradores de Jeová? (b) Que pergunta devemos fazer a nós mesmos?

4 Como somos gratos pelo templo espiritual, incluindo a misericordiosa dádiva do resgate! Isso nos motiva a louvar a Jeová e a divulgar o seu nome. Ficamos emocionados de saber que hoje mais de 8 milhões de cristãos verdadeiros estão ativos, glorificando a Jeová. Alguns grupos religiosos pensam que louvarão a Deus somente quando deixarem a Terra e forem viver no céu, mas as Testemunhas de Jeová reconhecem que precisam louvá-lo agora, aqui na Terra.

5 Dessa forma, agimos de acordo com as palavras do Salmo 99:1-3, 5. (Leia.) Esse salmo indica que Moisés, Arão e Samuel apoiaram plenamente a estrutura que havia nos seus dias para a adoração verdadeira. (Sal. 99:6, 7) Hoje, antes de irem para o céu servir como sacerdotes com Jesus, o restante dos irmãos ungidos de Cristo servem fielmente no pátio terrestre do templo espiritual. Milhões de “outras ovelhas” os apoiam lealmente. (João 10:16) Esses dois grupos, embora tenham esperanças diferentes, estão unidos em adorar a Jeová aqui, no escabelo de Deus. Mas é bom que nós, individualmente, nos perguntemos: ‘Estou apoiando plenamente a estrutura que Jeová estabeleceu para a adoração pura?’

QUEM SERVE NO TEMPLO ESPIRITUAL DE DEUS?

6, 7. Que problema surgiu entre os primeiros cristãos, e o que aconteceu antes de 1919?

6 Menos de um século depois que a congregação cristã foi formada, a predita apostasia começou a se desenvolver. (Atos 20:28-30; 2 Tes. 2:3, 4) A partir de então, ficou cada vez mais difícil identificar quem estava realmente servindo a Deus no templo espiritual dele. O tempo para Jeová esclarecer as coisas só chegou séculos depois; ele fez isso por meio do seu recém-entronizado Rei, Jesus Cristo.

7 Em 1919, já haviam sido claramente identificados aqueles que tinham a aprovação de Jeová e estavam servindo no templo espiritual. Eles haviam sido refinados espiritualmente para que o seu serviço a Deus fosse ainda mais aceitável. (Isa. 4:2, 3; Mal. 3:1-4) Uma visão que o apóstolo Paulo teve séculos antes começou a se cumprir até certo ponto.

8, 9. Explique os três aspectos do “paraíso” da visão de Paulo.

8 A visão de Paulo está registrada em 2 Coríntios 12:1-4. (Leia.) O que Paulo observou na visão sobrenatural foi chamado de revelação. Tratava-se de um acontecimento futuro, não de algo que já existia na época dele. Quando Paulo “foi arrebatado . . . até o terceiro céu”, que “paraíso” ele viu? Esse paraíso teria um cumprimento físico, um espiritual e um celestial, e todos existirão juntos no futuro. Pode se referir: (1) ao Paraíso físico, terrestre, que ainda virá (Luc. 23:43); (2) ao paraíso espiritual que existirá de modo pleno no novo mundo; e (3) à condição abençoada que haverá no céu no “paraíso de Deus”. — Rev. 2:7.

9 Mas por que Paulo disse que tinha ‘ouvido palavras inefáveis, as quais não eram lícitas ao homem falar’? Ainda não era a época para Paulo explicar em detalhes as coisas maravilhosas de sua visão. Mas hoje é lícito, ou permitido, falar das bênçãos que já existem entre o povo de Deus.

10. Os termos “paraíso espiritual” e “templo espiritual” se referem à mesma coisa? Explique.

10 A expressão “paraíso espiritual” faz parte do nosso vocabulário teocrático. Ela se refere à nossa condição de prosperidade espiritual, algo incomparável neste mundo, que nos permite estar em paz com Deus e com nossos irmãos. É claro que não devemos concluir que “paraíso espiritual” e “templo espiritual” se referem à mesma coisa. O templo espiritual é a estrutura que Jeová estabeleceu para a adoração verdadeira. O paraíso espiritual é uma condição que identifica claramente aqueles que têm a aprovação de Deus e que hoje servem a ele em Seu templo espiritual. — Mal. 3:18.

11. Que privilégio relacionado ao paraíso espiritual temos hoje?

11 Como é bom saber que, desde 1919, Jeová tem permitido que humanos imperfeitos colaborem com ele em cultivar, fortalecer e expandir o paraíso espiritual na Terra! Consegue ver a participação que você tem nesse empenho maravilhoso? Ao pensar nisso, não se sente motivado a continuar colaborando com Jeová em glorificar ‘o lugar dos pés’ dele?

A ORGANIZAÇÃO DE JEOVÁ SE TORNA MAIS BELA

12. Que certeza todos nós temos em relação ao cumprimento de Isaías 60:17? (Veja a gravura no início do artigo.)

12 Uma maravilhosa obra de transformação relacionada com a parte terrestre da organização de Jeová foi predita em Isaías 60:17. (Leia.) Os que são jovens ou relativamente novos na verdade já leram sobre as evidências dessa transformação ou já ouviram outros falando sobre ela. Mas pense no privilégio que tiveram aqueles irmãos e irmãs que presenciaram essa transformação! Não é de admirar que eles estejam convencidos de que Jeová, por meio do seu Rei entronizado, está orientando Sua organização. E todos nós temos essa mesma certeza. Ouvir os comentários sinceros desses irmãos fortalece nossa fé e confiança em Jeová.

13. De acordo com Salmo 48:12-14, o que devemos fazer?

13 Não importa há quanto tempo estejamos na verdade, devemos falar a outros sobre a organização de Jeová. A existência de um paraíso espiritual em meio a um mundo perverso, corrompido e sem amor é um milagre moderno. Queremos falar com entusiasmo para as ‘gerações futuras’ sobre como a organização de Jeová — ou “Sião” — é maravilhosa, e sobre a verdade a respeito do paraíso espiritual. — Leia Salmo 48:12-14.

14, 15. Que ajustes organizacionais ocorreram na década de 70, e como trouxeram benefícios?

14 Com o passar dos anos, os mais velhos em nosso meio presenciaram ajustes organizacionais que embelezaram a parte terrestre da organização de Jeová. Por exemplo, no passado as congregações tinham um servo de congregação em vez de um corpo de anciãos, os países tinham um supervisor da sede em vez de uma Comissão de Filial, e quem exercia supervisão era um presidente da Sociedade Torre de Vigia (dos EUA) em vez de um Corpo Governante claramente identificado. É verdade que todos esses irmãos dedicados tiveram o apoio de leais ajudantes. Mas basicamente uma pessoa acabava ficando responsável por tomar as decisões nas congregações, nas filiais e na sede mundial. Na década de 70, fizeram-se ajustes para que a responsabilidade de supervisão não ficasse mais com uma única pessoa, mas com um grupo de anciãos.

15 Será que esses ajustes trouxeram benefícios? Sim, o que não é de surpreender. Por que não? Porque os ajustes se basearam num entendimento mais claro do padrão estabelecido nas Escrituras. Em vez de a influência de uma só pessoa prevalecer, a organização hoje é beneficiada pelas qualidades somadas de todos os anciãos, ou “dádivas em homens”, que Jeová forneceu. — Efé. 4:8; Pro. 24:6.

Jeová está dando às pessoas a orientação que elas tanto precisam (Veja os parágrafos 16 e 17.)

16, 17. Que ajustes recentes mais impressionaram você, e por quê?

16 Pense também em ajustes mais recentes, como as mudanças na aparência e no conteúdo de nossas publicações, bem como nos métodos de distribuição delas. Que alegria sentimos em oferecer publicações práticas e belas no ministério! E, quando usamos as tecnologias mais modernas para divulgar a verdade — como o site jw.org —, refletimos o interesse de Jeová nas pessoas, pois ele dá a elas a orientação que tanto precisam, mas que a maioria não tem.

17 Não podemos nos esquecer do sábio ajuste feito em nossas reuniões para que tivéssemos uma Noite de Adoração em Família ou mais tempo para estudo pessoal. Também somos gratos pelas mudanças nos programas de assembleia e congresso. Costumamos dizer que eles ficam melhores a cada ano. E com certeza nos alegramos com o treinamento dado em nossas muitas escolas teocráticas. Vemos claramente a mão de Jeová em todos esses ajustes. Ele tem aumentado de forma gradativa a beleza de sua organização e do paraíso espiritual que já temos.

COMO VOCÊ PODE CONTRIBUIR PARA O PARAÍSO ESPIRITUAL

18, 19. Como podemos contribuir para a beleza do paraíso espiritual?

18 Jeová nos concede a honra de contribuir para a beleza de nosso paraíso espiritual. Fazemos isso por pregar com zelo as boas novas do Reino e por fazer mais discípulos. Sempre que ajudamos alguém a progredir até o batismo, estamos na verdade ampliando as fronteiras de nosso paraíso espiritual. — Isa. 26:15; 54:2.

19 Também podemos aumentar a beleza de nosso paraíso espiritual por sempre melhorar nossa personalidade cristã. Desse modo, tornamos esse paraíso mais atraente para os de fora. Mais do que até mesmo o conhecimento bíblico, geralmente é a nossa conduta casta e pacífica que atrai as pessoas primeiro à organização e depois a Deus e a Cristo.

Você pode ajudar a ampliar as fronteiras do paraíso espiritual (Veja os parágrafos 18 e 19.)

20. De acordo com Provérbios 14:35, qual deve ser o nosso desejo?

20 Imagine como Jeová e Jesus devem ficar felizes ao ver nosso belo paraíso espiritual hoje! A alegria que temos em contribuir para essa beleza é apenas uma amostra do que sentiremos no futuro ao trabalhar na transformação da Terra num paraíso físico. Tenhamos em mente Provérbios 14:35, que diz: “O prazer do rei está no servo que age com perspicácia.” Que sempre ajamos com perspicácia à medida que nos esforçamos para embelezar o paraíso espiritual!