Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como os anciãos treinam outros para mais responsabilidades

Como os anciãos treinam outros para mais responsabilidades

“As coisas que ouviste de mim, . . . destas coisas encarrega homens fiéis.” — 2 TIM. 2:2.

1. (a) O que os servos de Deus entendem há muito tempo sobre treinamento, e como isso se aplica hoje? (b) O que vamos considerar neste artigo?

HÁ MUITO tempo os servos de Deus entendem que treinar dá excelentes resultados. O patriarca Abrão “convocou seus homens treinados” para resgatar Ló — e eles foram bem-sucedidos nessa luta. (Gên. 14:14-16) Nos dias do Rei Davi, os cantores da casa de Deus foram “treinados” para entoar cânticos a Jeová, o que resultou em louvor para Deus. (1 Crô. 25:7) Hoje, estamos lutando numa guerra espiritual contra Satanás e seus seguidores. (Efé. 6:11-13) Além disso, nos esforçamos bastante para trazer louvor a Jeová. (Heb. 13:15, 16) Então, assim como os servos de Deus do passado, precisamos de treinamento para ser bem-sucedidos. Na congregação, Jeová confia aos anciãos a responsabilidade de treinar outros. (2 Tim. 2:2) Que métodos anciãos experientes têm usado ao treinar irmãos para cuidar do rebanho?

FORTALEÇA ESPIRITUALMENTE O APRENDIZ

2. Antes de ensinar novas habilidades a um irmão, o que um ancião talvez faça e por quê?

2 Como ancião, você pode ser comparado a um jardineiro. Antes de lançar as sementes, um jardineiro talvez veja a necessidade de colocar nutrientes no solo para torná-lo mais produtivo. De modo similar, antes de ensinar novas habilidades a um irmão menos experiente, você talvez perceba a necessidade de mostrar a ele pontos bíblicos edificantes. Isso preparará o coração dele para corresponder melhor ao treinamento. — 1 Tim. 4:6.

3. (a) Como as palavras de Jesus em Marcos 12:29, 30 podem ser usadas em uma conversa com um aprendiz? (b) A oração de um ancião pode ter que efeito sobre o aprendiz?

3 Para saber até que ponto os pensamentos e ações de um aprendiz são influenciados pela verdade do Reino, você pode perguntar a ele: “Como sua dedicação a Jeová mudou seu modo de levar a vida?” Essa pergunta pode resultar numa conversa significativa sobre como prestar serviço sagrado de toda a alma. (Leia Marcos 12:29, 30.) No fim da conversa, você talvez possa fazer uma oração pedindo que Jeová dê ao aprendiz o espírito santo que ele precisa no seu treinamento. Será muito encorajador para o irmão ouvir você orar sinceramente por ele!

4. (a) Cite relatos bíblicos que estimulam o desenvolvimento espiritual de um aprendiz. (b) Que objetivo os anciãos devem ter ao treinar outros?

4 No início do treinamento, considere alguns relatos bíblicos que podem ajudar o aprendiz a ver a importância de ser disposto, confiável e humilde. (1 Reis 19:19-21; Nee. 7:2; 13:13; Atos 18:24-26) Essas qualidades são tão importantes para o aprendiz como os nutrientes são para o solo, pois aceleram o crescimento espiritual dele. Jean-Claude, um ancião da França, disse: “Meu principal objetivo ao treinar é ajudar o aprendiz a ter uma mentalidade espiritual. Eu procuro oportunidades para ler com ele um texto bíblico que abra seus olhos ‘para as coisas maravilhosas’ encontradas na Palavra de Deus.” (Sal. 119:18) Quais são outras maneiras de fortalecer um aprendiz?

SUGIRA ALVOS E EXPLIQUE OS MOTIVOS

5. (a) Por que é importante conversar com um aprendiz sobre alvos espirituais? (b)  Por que os anciãos devem treinar aqueles que ainda são jovens? (Veja a nota.)

5 Pergunte ao aprendiz: “Quais são seus alvos espirituais?” Se ele não tiver alvos claros, ajude-o a estabelecer um que seja realista e alcançável. Mencione um alvo que você estabeleceu no passado e fale com entusiasmo sobre como se sentiu feliz ao atingi-lo. Esse método pode parecer simples, mas é eficaz. Victor, um ancião e pioneiro na África, relembra: “Quando eu era jovem, um ancião me fez perguntas bem escolhidas sobre meus alvos. Isso me fez pensar seriamente no meu ministério.” Anciãos experientes também enfatizam a importância de começar a treinar irmãos enquanto são jovens — no início da adolescência — por dar a eles designações apropriadas à idade. Esse treinamento antecipado ajuda os jovens a manter o foco em alvos espirituais quando chegam ao final da adolescência e são bombardeados por muitas distrações. — Leia Salmo 71:5, 17. *

Explique por que uma tarefa precisa ser feita e dê elogios pelo esforço para realizá-la (Veja os parágrafos 5-8.)

6. Que método importante Jesus usava ao treinar outros?

6 Outra maneira de estimular no aprendiz o desejo de servir é explicar não só o que ele deve fazer, mas também por que fazer isso. Por explicar os motivos, você imitará o Grande Instrutor, Jesus. Por exemplo, antes de dar aos seus apóstolos a comissão de fazer discípulos, Jesus explicou por que eles deviam obedecê-lo. Ele disse: “Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra.” Então acrescentou: “Ide, portanto, e fazei discípulos de pessoas de todas as nações.” (Mat. 28:18, 19) Como você pode seguir o exemplo de Jesus ao treinar outros?

7, 8. (a) Como os anciãos podem seguir o exemplo de Jesus ao treinar outros? (b) Por que é importante elogiar o aprendiz? (c) Que sugestões podem ajudar os anciãos a treinar outros? (Veja o quadro “ Como treinar outros”.)

7 Explique ao aprendiz o motivo bíblico por trás do que lhe foi pedido. Desse modo, você o ensinará a pensar com base em princípios bíblicos. Por exemplo, digamos que você peça a um irmão que mantenha a entrada do Salão do Reino limpa e segura para transitar. Você pode considerar Tito 2:10 e explicar como o cuidado dele com o Salão do Reino ‘adorna o ensino de nosso Salvador, Deus’. Também, peça que o aprendiz pense em como os idosos da congregação são beneficiados por ele cumprir sua designação. Incluir esse tipo de conversa no treinamento ajudará o aprendiz a se concentrar mais nas pessoas do que nas regras. Ele sentirá alegria ao ver como os irmãos se beneficiam do serviço que ele faz.

8 Além disso, não deixe de elogiar o aprendiz pelos esforços que faz para seguir suas sugestões. Por que é importante fazer isso? Assim como a água ajuda a planta a florescer, elogios sinceros ajudam um irmão a progredir. — Note Mateus 3:17.

UM DESAFIO ADICIONAL

9. (a) Com respeito a treinamento, que desafio alguns anciãos em países ricos enfrentam? (b) Por que a verdade nunca veio em primeiro lugar na vida de alguns jovens?

9 Anciãos em países ricos talvez enfrentem um desafio adicional: motivar irmãos batizados na faixa dos 20 ou 30 anos a se envolver nas atividades congregacionais. Perguntamos a anciãos experientes em 20 países ocidentais por que acham que alguns irmãos jovens evitam aceitar privilégios. Vários deles apontaram o mesmo motivo: enquanto cresciam, alguns jovens não foram incentivados a se empenhar por alvos espirituais. Na verdade, houve casos de jovens que até queriam fazer isso, mas foram incentivados pelos pais a se empenhar por alvos neste mundo. A verdade nunca veio em primeiro lugar na vida desses jovens. — Mat. 10:24.

10, 11. (a) Como um ancião pode aos poucos ajudar um irmão que parece indiferente? (b) Que textos bíblicos um ancião poderia usar para motivar um irmão, e por quê? (Veja a nota.)

10 Se um irmão parecer indiferente, será preciso muito esforço e paciência para mudar seu modo de pensar, mas isso é possível. Um jardineiro pode aos poucos direcionar o crescimento de uma planta por alinhar seu caule; da mesma forma, você pode aos poucos ajudar um irmão a mudar seu conceito sobre aceitar privilégios. Como?

11 Tire tempo para se tornar amigo do irmão. Diga que a congregação precisa dele. Então, de tempos em tempos, raciocine com ele sobre textos bíblicos específicos e ajude-o a pensar em sua dedicação a Jeová. (Ecl. 5:4; Isa. 6:8; Mat. 6:24, 33; Luc. 9:57-62; 1 Cor. 15:58; 2 Cor. 5:15; 13:5) Você pode perguntar: “O que você prometeu a Jeová quando se dedicou a ele?” Tente tocar seu coração por perguntar: “Como acha que Jeová se sentiu quando você se batizou?” (Pro. 27:11) “E Satanás, como se sentiu?” (1 Ped. 5:8) Nunca subestime o poderoso efeito da leitura de textos bíblicos bem escolhidos. — Leia Hebreus 4:12. *

APRENDIZ, SEJA FIEL

12, 13. (a) Que atitude Eliseu mostrou como aprendiz? (b) Como Jeová recompensou a fidelidade de Eliseu?

12 Mas que dizer de você, jovem? Lembre-se de que a congregação precisa de você. Então, que atitude você deve mostrar? Para responder, vejamos alguns acontecimentos na vida de um aprendiz do passado.

13 Quase 3 mil anos atrás, o profeta Elias convidou o jovem Eliseu para ser seu ajudante. Eliseu aceitou prontamente e serviu de modo fiel ao profeta realizando tarefas humildes. (2 Reis 3:11) Depois de uns seis anos de treinamento, Eliseu soube que o trabalho de Elias em Israel estava chegando ao fim. Elias insistiu que seu companheiro bem treinado parasse de segui-lo, mas Eliseu lhe disse três vezes: “Não te deixarei.” Ele estava determinado a acompanhar seu instrutor e conselheiro o máximo que pudesse. Jeová, por sua vez, recompensou Eliseu por sua lealdade e fidelidade permitindo que ele presenciasse a espantosa partida de Elias. — 2 Reis 2:1-12

14. (a) Como os aprendizes hoje podem imitar Eliseu? (b) Por que é tão importante que um aprendiz mostre fidelidade?

14 Como você pode imitar Eliseu? Aceite prontamente designações, incluindo tarefas humildes. Encare seu instrutor como amigo e diga o quanto valoriza o esforço dele para lhe ajudar. Ter essa atitude pode ser o mesmo que dizer: “Não te deixarei.” Acima de tudo, mostre fidelidade por cumprir qualquer designação que receba. Por que isso é tão importante? Porque, quando os anciãos observam que você é fiel e de confiança, eles passam a ter convicção de que é da vontade de Jeová que você receba mais responsabilidades na congregação. — Sal. 101:6; leia 2 Timóteo 2:2.

MOSTRE O DEVIDO RESPEITO

15, 16. (a) De que maneiras Eliseu demonstrou respeito por seu instrutor? (Veja a gravura no início do artigo.) (b) Que atitude de Eliseu ajudou outros profetas a confiar nele?

15 O relato sobre Eliseu, o sucessor de Elias, também indica como os irmãos hoje podem mostrar o devido respeito pelos anciãos experientes. Certa vez, depois de terem visitado um grupo de profetas em Jericó, Elias e Eliseu andaram até o rio Jordão. Ali, “Elias tomou . . . seu manto oficial e o enrolou, e golpeou as águas, e estas se dividiram”. Após atravessarem o leito seco do rio, eles continuaram “falando ao andarem”. O relato deixa claro que Eliseu não achava que já sabia de tudo. Até o momento em que Elias partiu, Eliseu ouviu com atenção cada palavra dita por seu instrutor. Daí Elias foi levado num vendaval. Mais tarde, de volta ao Jordão, Eliseu golpeou as águas com o manto de Elias e clamou: “Onde está Jeová, o Deus de Elias?” Mais uma vez, as águas se dividiram. — 2 Reis 2:8-14.

16 Notou que o primeiro milagre realizado por Eliseu foi uma cópia exata do último milagre realizado por Elias? Por que isso é interessante? Aparentemente, Eliseu não achava que, agora que ele tinha assumido o controle, deveria mudar o rumo das coisas. Em vez disso, por imitar a maneira de Elias realizar seu ministério, Eliseu demonstrou o devido respeito por seu instrutor. Isso ajudou outros profetas a confiar nele. (2 Reis 2:15) No entanto, mais tarde, durante o ministério de 60 anos de Eliseu, Jeová habilitou o profeta a realizar um número bem maior de milagres que Elias. Que lição esse relato contém para os atuais aprendizes?

17. (a) Como os aprendizes hoje podem imitar a atitude de Eliseu? (b) Com o tempo, como Jeová pode usar aprendizes fiéis?

17 Não pense que, logo que receber uma responsabilidade na congregação, você precisará usá-la para mudar o rumo das coisas, ou seja, fazê-las de um modo completamente diferente. Não é o seu desejo que determina se é preciso fazer mudanças, mas sim as necessidades da congregação e as orientações que recebemos da organização de Jeová. Lembre-se de que Eliseu continuou usando os métodos de Elias; desse modo ganhou a confiança dos outros profetas e mostrou respeito por seu instrutor. Da mesma forma, você pode ganhar a confiança dos irmãos e mostrar respeito pelos anciãos experientes por continuar usando os métodos deles, baseados na Bíblia. (Leia 1 Coríntios 4:17.) É claro que, à medida que ganhar experiência, você poderá sugerir mudanças que ajudarão a congregação a continuar em harmonia com a progressiva organização de Jeová. Assim como no caso de Eliseu, Jeová com o tempo poderá usar você, aprendiz fiel, a fazer obras ainda maiores do que as dos seus instrutores. — João 14:12.

18. Por que treinar os irmãos nas congregações é de máxima importância hoje?

18 Esperamos que as sugestões apresentadas neste artigo e no anterior motivem mais anciãos a reservar tempo para treinar outros. E que irmãos qualificados aceitem bem esse treinamento e o usem sabiamente para ajudar a cuidar das ovelhas de Jeová. Isso fortalecerá as congregações no mundo todo e ajudará cada um de nós a permanecer fiel diante dos acontecimentos marcantes que nos aguardam.

^ parágrafo 5 Se um jovem demonstra maturidade cristã, é humilde e atende às outras qualificações bíblicas, os anciãos podem recomendá-lo como servo ministerial, mesmo que ainda não tenha 20 anos. — 1 Tim. 3:8-10, 12; veja A Sentinela de 1.° de julho de 1989, página 29.

^ parágrafo 11 Você pode usar os pontos apresentados em A Sentinela de 15 de abril de 2012, páginas 14-16, parágrafos 8-13, e no capítulo 16 do livro ‘Mantenha-se no Amor de Deus’, parágrafos 1-3.