Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Dezembro de 2014

‘Escute e compreenda o significado’

‘Escute e compreenda o significado’

“Escutai-me, todos vós, e compreendei o significado.” — MAR. 7:14.

1, 2. Por que muitos que ouviram Jesus não conseguiram compreender o significado de suas palavras?

PODEMOS ouvir alguém falando conosco e até perceber seu tom de voz. Mas de que isso adiantaria se não entendêssemos o significado do que ele fala? (1 Cor. 14:9) De modo similar, milhares de pessoas ouviram o que Jesus disse. No entanto, nem todas compreenderam o significado de suas palavras, apesar de ele ter falado num idioma que elas entendiam. Por isso, Jesus disse a seus ouvintes: “Escutai-me, todos vós, e compreendei o significado.” — Mar. 7:14.

2 Por que muitos não conseguiram compreender o significado do que Jesus disse? Alguns se apegavam às suas próprias opiniões e tinham motivações erradas. Jesus disse que essas pessoas haviam ‘colocado de lado o mandamento de Deus, a fim de reter as suas tradições’. (Mar. 7:9) Elas não se esforçavam para entender o significado das palavras dele. Não queriam mudar seu comportamento e sua forma de pensar. Seus ouvidos estavam abertos às palavras de Jesus, mas seu coração estava “embotado”, ou insensível. (Leia Mateus 13:13-15.) Que dizer de nós? Como podemos manter nosso coração receptivo e assim nos beneficiar do ensino de Jesus?

COMO COMPREENDER O QUE JESUS ENSINOU

3. Por que os discípulos conseguiam compreender as palavras de Jesus?

3 Precisamos seguir o exemplo dos humildes discípulos de Jesus. Ele lhes disse: “Felizes são os vossos olhos porque observam, e os vossos ouvidos porque ouvem.” (Mat. 13:16) Por que eles conseguiam compreender o que Jesus ensinava, ao passo que outros não? Primeiro, porque estavam dispostos a fazer perguntas e a buscar o verdadeiro significado das palavras de Jesus. (Mat. 13:36; Mar. 7:17) Segundo, estavam dispostos a aprender, acrescentando novas informações ao que já sabiam. (Leia Mateus 13:11, 12.) Terceiro, estavam dispostos a aplicar em sua vida pessoal o que tinham aprendido e a usar isso para ajudar outros. — Mat. 13:51, 52.

4. Para compreender as ilustrações de Jesus, que três passos estão envolvidos?

4 Se queremos compreender as ilustrações de Jesus, precisamos seguir o exemplo de seus discípulos fiéis. Isso também envolve três passos. Primeiro, precisamos reservar tempo para estudar e meditar no que Jesus disse, para fazer as pesquisas necessárias e para refletir em perguntas relacionadas ao assunto. Isso resulta em conhecimento. (Pro. 2:4, 5) Daí, precisamos ver como esse conhecimento se encaixa com o que já sabemos e entender como podemos usar essa informação pessoalmente. Assim, ganhamos compreensão. (Pro. 2:2, 3) Por último, devemos aplicar o que aprendemos. Com isso, mostramos sabedoria. — Pro. 2:6, 7.

5. Ilustre a diferença entre conhecimento, compreensão e sabedoria.

5 Qual é a diferença entre conhecimento, compreensão e sabedoria? Podemos ilustrar da seguinte forma: Imagine que, ao caminhar num campo aberto, você vê que o céu começa a escurecer e ouve fortes estrondos. Você percebe que uma tempestade está se aproximando — isso é conhecimento. A seguir, você se dá conta de que, se continuar ali, poderá ser atingido por um raio — isso é compreensão. Então, você decide procurar abrigo — isso é sabedoria. Não é à toa que a Bíblia enfatiza a importância de ‘resguardar a sabedoria prática’. Ela pode salvar nossa vida! — Pro. 3:21, 22; 1 Tim. 4:16.

6. Ao considerar sete ilustrações de Jesus, em que quatro perguntas refletiremos? (Veja o  quadro.)

6 Neste e no próximo artigo, analisaremos sete ilustrações de Jesus. Ao considerar cada uma, refletiremos nas seguintes perguntas: O que essa ilustração significa? (Isso nos ajuda a ter conhecimento.) Por que Jesus a contou? (Isso resulta em compreensão.) Como podemos usá-la para beneficiar a nós mesmos e a outros? (Isso é sabedoria.) E, por fim, o que ela nos ensina sobre Jeová e Jesus?

O GRÃO DE MOSTARDA

7. Qual é o significado da ilustração do grão de mostarda?

7 Leia Mateus 13:31, 32. Qual é o significado da ilustração de Jesus sobre o grão de mostarda? O grão representa a mensagem do Reino, bem como o resultado da pregação dessa mensagem: a congregação cristã. Assim como o grão de mostarda — “a menor de todas as sementes” —, a congregação cristã tinha bem poucos membros quando foi formada em 33 EC. Mas, em poucas décadas, ela cresceu rapidamente e superou todas as expectativas. (Col. 1:23) Esse crescimento foi benéfico porque, na ilustração, Jesus disse que “as aves do céu” conseguiram encontrar ‘pousada entre os ramos’ da árvore. Essas aves simbólicas retratam pessoas sinceras que encontram alimento, sombra e proteção em sentido espiritual na congregação. — Note Ezequiel 17:23.

8. Por que Jesus usou a ilustração do grão de mostarda?

8 Por que Jesus contou essa ilustração? Ele usou o extraordinário crescimento de um grão de mostarda para ilustrar a capacidade do Reino de Deus de se expandir, dar proteção e vencer todos os obstáculos. Desde 1914, o crescimento da parte visível da organização de Deus tem sido impressionante. (Isa. 60:22) Os que se associam com a organização recebem uma maravilhosa proteção espiritual. (Pro. 2:7; Isa. 32:1, 2) Além disso, nenhuma oposição conseguiu impedir a expansão constante dos interesses do Reino. — Isa. 54:17.

9. (a) O que aprendemos da ilustração do grão de mostarda? (b) Em sua opinião, o que isso nos ensina sobre Jeová e Jesus?

9 O que podemos aprender da ilustração sobre o grão de mostarda? Talvez moremos numa região em que há poucas Testemunhas de Jeová ou onde nossa obra de pregação parece não dar muito resultado. Mesmo assim, lembrar que o Reino pode superar qualquer obstáculo nos dará forças para perseverar. Por exemplo, quando o irmão Edwin Skinner chegou à Índia em 1926, havia pouquíssimas Testemunhas de Jeová no país. De início, quase não houve progresso, e a obra ali foi descrita como “bem difícil”. Mas ele continuou pregando e viu como a mensagem do Reino superou grandes obstáculos. Hoje, há mais de 37 mil Testemunhas de Jeová na Índia, e 108 mil pessoas estiveram presentes à Celebração no ano passado. Considere também como a expansão do Reino é impressionante. Por exemplo, no mesmo ano em que o irmão Skinner chegou à Índia, a obra tinha acabado de começar em Zâmbia. Atualmente, mais de 170.000 publicadores pregam ali, e 763.915 pessoas assistiram à Celebração em 2013. Isso significa que 1 em cada 18 pessoas nesse país compareceu à Celebração. Que crescimento incrível!

O FERMENTO

10. Qual é o significado da ilustração do fermento?

10 Leia Mateus 13:33. Qual é o significado da ilustração do fermento? Essa ilustração também se refere à mensagem do Reino e o efeito que ela tem. “A massa inteira” de farinha representa todas as nações, e o processo de fermentação retrata a divulgação da mensagem do Reino por meio da obra de pregação. Ao passo que o crescimento do grão de mostarda é facilmente observável, a fermentação de início não é visível. Só algum tempo depois é que seus efeitos se tornam evidentes.

11. Por que Jesus contou a ilustração do fermento?

11 Por que Jesus contou essa ilustração? Jesus mostrou que, assim como o fermento leveda a massa toda, a mensagem do Reino tem o potencial de se espalhar e produzir mudanças. A mensagem do Reino chegou “à parte mais distante da terra”. (Atos 1:8) Mesmo assim, as mudanças causadas por essa mensagem podem passar despercebidas por um tempo. Mas elas estão acontecendo — não apenas com respeito a números, mas também na personalidade dos que aceitam essa poderosa mensagem. — Rom. 12:2; Efé. 4:22, 23.

12. Dê um exemplo de como a obra de pregar o Reino cresceu, conforme descrito na ilustração do fermento.

12 Alguns dos efeitos da obra de pregação muitas vezes só são vistos anos depois do contato inicial. Por exemplo, Franz e Margit, um casal de betelitas que já serviu na filial do Brasil, pregaram numa pequena cidade desse país em 1982. Um dos estudos que eles iniciaram foi com uma mãe e seus quatro filhos. O menino mais velho, com 12 anos na época, era muito tímido e várias vezes tentou se esconder antes do estudo. Por causa de uma mudança de designação, o casal não pode continuar estudando com essa família. Depois de 25 anos, o casal voltou para visitar essa cidade. O que eles encontraram? Uma congregação de 69 publicadores, 13 dos quais eram pioneiros regulares, que se reunia em um Salão do Reino novo. E aquele menino tímido? Ele agora serve como coordenador do corpo de anciãos! Assim como o fermento da ilustração de Jesus, a mensagem do Reino tinha crescido e mudado a vida de várias pessoas — o que deixou esse casal muito feliz.

13. Dê um exemplo de como a obra de pregar o Reino cresceu, conforme descrito na ilustração do fermento.

13 O poder da mensagem do Reino de mudar pessoas pode ser visto mesmo em países onde a obra é legalmente restrita. Embora seja difícil saber até que ponto a mensagem foi divulgada nesses países, os resultados muitas vezes são surpreendentes. Veja o caso de Cuba, onde a obra ficou proscrita por muitos anos. A mensagem do Reino chegou ali em 1910, e o irmão Russell visitou o país em 1913. Mas de início o progresso da obra foi lento. O que vemos em Cuba hoje? Há mais de 96.000 publicadores pregando as boas novas, e 229.726 pessoas assistiram à Celebração em 2013 — ou seja, 1 em cada 48 habitantes dessa ilha. Mesmo em países em que a obra não está proscrita, é possível que a mensagem do Reino tenha alcançado lugares em que, para as Testemunhas de Jeová da região, pouco testemunho está sendo dado. * — Ecl. 8:7; 11:5.

14, 15. (a) Como a ilustração de Jesus sobre o fermento pode nos ajudar? (b) Em sua opinião, o que isso nos ensina sobre Jeová e Jesus?

14 Como a ilustração de Jesus sobre o fermento pode nos ajudar? Quando meditamos no significado da ilustração de Jesus, percebemos que não precisamos ficar preocupados demais quanto a se a mensagem do Reino conseguirá alcançar ou não os milhões de pessoas que ainda não a ouviram. Jeová tem tudo sob controle. Mas qual é nosso papel? A Palavra de Deus responde: “Semeia de manhã a tua semente, e não descanse a tua mão até a noitinha; pois não sabes onde esta terá bom êxito, quer aqui quer ali, ou se ambas serão igualmente boas.” (Ecl. 11:6) É claro que, ao mesmo tempo, nunca devemos nos esquecer de orar para que a obra de pregação seja bem-sucedida, especialmente em países onde ela está restrita. — Efé. 6:18-20.

15 Além disso, não devemos ficar desanimados se a princípio não vemos os resultados de nossa obra. Nunca deveríamos desprezar “o dia das coisas pequenas”. (Zac. 4:10) Pode ser que, com o tempo, os resultados acabem nos surpreendendo! — Sal. 40:5; Zac. 4:7.

O COMERCIANTE VIAJANTE E O TESOURO ESCONDIDO

16. O que as ilustrações do comerciante viajante e do tesouro escondido significam?

16 Leia Mateus 13:44-46. O que as ilustrações do comerciante viajante e do tesouro escondido significam? Nos dias de Jesus, alguns comerciantes chegavam a viajar até o distante oceano Índico para obter pérolas da melhor qualidade. O comerciante nessa ilustração representa pessoas sinceras que fazem tudo o que podem para suprir suas necessidades espirituais. A “pérola de grande valor” representa a valiosa verdade do Reino. O comerciante reconheceu o valor dessa pérola e por isso estava disposto a vender “prontamente” tudo o que tinha para comprá-la. Jesus também falou de um homem que achou um tesouro “escondido” enquanto trabalhava num campo. Diferentemente do comerciante, esse homem não estava procurando um tesouro. Mas, assim como o comerciante, ele estava disposto a vender “todas as coisas” que tinha para obter o tesouro.

17. Por que Jesus contou as ilustrações do comerciante viajante e do tesouro escondido?

17 Por que Jesus contou essas duas parábolas? Ele estava mostrando que a verdade pode ser encontrada de diferentes maneiras. Algumas pessoas estão procurando por ela e não medem esforços para encontrá-la. Outras, apesar de não a estarem procurando, se deparam com ela — talvez por meio de outra pessoa. Qualquer que seja o caso, os homens das ilustrações reconheceram o valor do que encontraram e se dispuseram a fazer grandes sacrifícios para obtê-lo.

18. (a) O que aprendemos dessas duas ilustrações? (b) Em sua opinião, o que isso nos ensina sobre Jeová e Jesus?

18 O que aprendemos dessas duas ilustrações? (Mat. 6:19-21) Pergunte-se: ‘Tenho a mesma atitude desses homens? Valorizo a verdade assim como eles? Estou disposto a fazer sacrifícios pela verdade ou permito que outras coisas, como as preocupações da vida diária, me distraiam?’ (Mat. 6:22-24, 33; Luc. 5:27, 28; Fil. 3:8) Quanto maior for nossa alegria por ter encontrado a verdade, mais forte será nossa determinação de mantê-la em primeiro lugar na vida.

19. O que consideraremos no próximo artigo?

19 Mostremos que escutamos e realmente compreendemos o significado dessas ilustrações sobre o Reino. Mas lembre-se de que não basta apenas conhecer seu significado; precisamos aplicar o que aprendemos. No próximo artigo, consideraremos mais três ilustrações e veremos o que podemos aprender delas.

^ parágrafo 13 Experiências similares ocorreram em países como Argentina (Anuário de 2001, página 186, quadro); Alemanha Oriental (Anuário de 1999, página 83); Papua-Nova Guiné (Anuário de 2005, página 63); e ilha de Robinson Crusoé (A Sentinela de 15 de junho de 2000, página 9).