Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Julho de 2014

O povo de Jeová ‘renuncia à injustiça’

O povo de Jeová ‘renuncia à injustiça’

“Todo aquele que menciona o nome de Jeová renuncie à injustiça.” — 2 TIM. 2:19.

1. O que é muito importante para nós?

VOCÊ já viu o nome “Jeová” escrito em algum prédio público ou em um artefato? Isso talvez tenha deixado você curioso e empolgado. O nome de Deus é muito importante para nós; afinal, somos Testemunhas de Jeová. Nenhum grupo no mundo é tão associado ao nome divino como nós. No entanto, sabemos que esse privilégio vem acompanhado de responsabilidade.

2. Levar o nome de Deus traz que responsabilidade?

2 O simples fato de usar o nome divino não traz a aprovação de Jeová. Também devemos viver de acordo com seus padrões de moral. Por isso, a Bíblia nos lembra de que o povo de Jeová deve se ‘desviar do que é mau’. (Sal. 34:14) O apóstolo Paulo deixou isso claro ao escrever: “Todo aquele que menciona o nome de Jeová renuncie à injustiça.” (Leia 2 Timóteo 2:19.) Como suas Testemunhas, somos de fato conhecidos por levar o nome de Jeová. Mas de que modo podemos renunciar à injustiça?

AFASTE-SE DO QUE É MAU

3, 4. Que texto tem intrigado eruditos bíblicos, e por quê?

3 Considere o relato no qual Paulo baseia suas palavras em 2 Timóteo 2:19. Paulo faz referência ao “sólido alicerce de Deus” e então menciona duas declarações contidas nesse alicerce. A primeira, “Jeová conhece os que lhe pertencem”, evidentemente é uma citação de Números 16:5. (Veja o artigo anterior.) A segunda, “todo aquele que menciona o nome de Jeová renuncie à injustiça”, tem intrigado eruditos bíblicos há muito tempo. Por quê?

4 Pode-se ter a impressão de que Paulo cita essa declaração de outra parte das Escrituras. Mas parece não haver nenhum texto nas Escrituras Hebraicas semelhante às palavras de Paulo. Então, ao que ele estava se referindo quando disse: “Todo aquele que menciona o nome de Jeová renuncie à injustiça”? Pouco antes dessa declaração, Paulo citou Números capítulo 16, que fala sobre a rebelião de Corá. Será que essa segunda declaração está relacionada ao que aconteceu naquela rebelião?

5-7. Que acontecimentos nos dias de Moisés nos ajudam a entender as palavras de Paulo em 2 Timóteo 2:19? (Veja a gravura no início do artigo.)

5 A Bíblia diz que Datã e Abirão, filhos de Eliabe, se juntaram a Corá como líderes da rebelião contra Moisés e Arão. (Núm. 16:1-5) Eles abertamente desrespeitaram a Moisés e rejeitaram a autoridade que ele tinha recebido de Deus. Esses rebeldes continuaram a viver entre o povo de Jeová, colocando em perigo a saúde espiritual dos que eram fiéis. Quando chegou o momento de mostrar a diferença entre os adoradores leais e os rebeldes, a ordem de Jeová foi bem clara.

6 A Bíblia relata: “Jeová, por sua vez, falou a Moisés, dizendo: ‘Fala à assembleia, dizendo: “Afastai-vos do redor dos tabernáculos de Corá, Datã e Abirão!”’ Após isso, Moisés levantou-se e foi ter com Datã e Abirão, e os anciãos de Israel foram com ele. Falou então à assembleia, dizendo: ‘Retirai-vos, por favor, de diante das tendas destes homens iníquos e não toqueis em nada do que lhes pertence, para que não sejais arrasados em todo o seu pecado.’ Afastaram-se imediatamente de diante do tabernáculo de Corá, Datã e Abirão, por todos os lados.” (Núm. 16:23-27) Jeová então matou todos os rebeldes. Por outro lado, seus adoradores leais foram poupados, pois renunciaram à injustiça quando se afastaram.

7 Jeová vê o coração. Ele observa a lealdade dos que lhe pertencem. Mesmo assim, seus servos leais tiveram de agir sem hesitar por se separar dos injustos. Então, é possível que Paulo estivesse se referindo ao relato de Números 16:5, 23-27 quando escreveu: “Todo aquele que menciona o nome de Jeová renuncie à injustiça.” Essa conclusão estaria em harmonia com a declaração de Paulo: “Jeová conhece os que lhe pertencem.” — 2 Tim. 2:19.

‘RECUSE QUESTÕES TOLAS E IGNORANTES’

8. Por que apenas usar o nome de Jeová ou fazer parte da congregação não é suficiente?

8 Por se referir ao que aconteceu nos dias de Moisés, Paulo estava lembrando Timóteo da necessidade de agir sem hesitação para proteger sua valiosa relação com Jeová. Apenas fazer parte da congregação não era suficiente, assim como apenas levar o nome de Jeová não foi suficiente nos dias de Moisés. Adoradores fiéis devem ‘renunciar à injustiça’ com determinação. O que isso significava para Timóteo? E o que o povo de Jeová hoje pode aprender do conselho inspirado de Paulo?

9. De que maneira “questões tolas e ignorantes” afetaram os primeiros cristãos?

9 A Palavra de Deus dá conselhos específicos sobre os tipos de injustiça aos quais os cristãos devem renunciar ou rejeitar. Por exemplo, no contexto de 2 Timóteo 2:19, vemos que Paulo diz a Timóteo para ‘não lutar sobre palavras’ e ‘se esquivar dos falatórios vãos’. (Leia 2 Timóteo 2:14, 16, 23.) Alguns na congregação estavam promovendo ensinos apóstatas. Também parece que outros cristãos estavam introduzindo ideias que causavam controvérsias. Mesmo que essas ideias não fossem necessariamente antibíblicas, elas causavam divisão. Geravam discussões e brigas e criavam um ambiente espiritualmente prejudicial. Por isso, Paulo enfatizou a necessidade de recusar debates sobre “questões tolas e ignorantes”.

10. Como devemos reagir ao nos deparar com a apostasia?

10 Hoje, não é comum o povo de Jeová enfrentar apostasia dentro da congregação. Ainda assim, quando nos deparamos com algum ensino antibíblico, devemos rejeitá-lo firmemente, não importa de onde venha. Não seria sábio se envolver em debates com apóstatas, quer pessoalmente, quer por meio da internet ou qualquer meio de comunicação. Mesmo que a intenção seja ajudar a pessoa, esse contato seria contrário à orientação bíblica que acabamos de considerar. Antes, como povo de Jeová, evitamos completamente, sim, rejeitamos, a apostasia.

Não entre em debates com apóstatas (Veja o parágrafo 10.)

11. O que poderia levar a debates sobre “questões tolas”, e que bom exemplo os anciãos podem dar?

11 Há outras coisas além da apostasia que podem tirar a paz da congregação. Por exemplo, diferenças de opinião sobre entretenimento podem levar a debates sobre “questões tolas e ignorantes”. É claro que, se alguém promove entretenimento que viola os padrões de moral de Jeová, os anciãos não permitirão esse comportamento simplesmente para evitar controvérsias. (Sal. 11:5; Efé. 5:3-5) Por outro lado, os anciãos tomam cuidado para não promover seu próprio ponto de vista. Eles lealmente se apegam à instrução das Escrituras aos superintendentes cristãos: ‘Pastoreai o rebanho de Deus, que está aos vossos cuidados, não dominando sobre os que são a herança de Deus, mas tornando-vos exemplos para o rebanho.’ — 1 Ped. 5:2, 3; leia 2 Coríntios 1:24.

12, 13. (a) Como as Testemunhas de Jeová encaram a escolha de entretenimento, e que princípios bíblicos estão envolvidos? (b) Como os princípios considerados no parágrafo 12 se aplicam a várias questões de escolha pessoal?

12 Quando se trata de entretenimento, nossa organização não elabora uma lista de filmes, jogos de videogame, livros ou músicas que deveríamos evitar. Por que não? A Bíblia incentiva cada um a treinar suas “faculdades perceptivas . . . para distinguir tanto o certo como o errado”. (Heb. 5:14) As Escrituras estabelecem princípios básicos que podem ajudar um cristão a escolher seu entretenimento. Em todas as áreas da vida, nosso objetivo deve ser ‘persistir em nos certificar do que é aceitável para o Senhor’. (Efé. 5:10) A Bíblia ensina que os chefes de família têm certa autoridade. Portanto, eles podem decidir que tipo de entretenimento permitirão para sua família. * — 1 Cor. 11:3; Efé. 6:1-4.

13 Esses princípios bíblicos não se aplicam apenas à nossa escolha de entretenimento. Opiniões diferentes sobre roupa e modo de se arrumar, saúde e nutrição e outros assuntos pessoais também podem gerar controvérsias. Assim, se nenhum princípio bíblico é violado, o povo de Jeová evita discutir sobre esses assuntos, pois “o escravo do Senhor não precisa lutar, porém, precisa ser meigo para com todos”. — 2 Tim. 2:24.

EVITE MÁS ASSOCIAÇÕES

14. Que ilustração Paulo usou para mostrar a necessidade de evitar más associações?

14 De que outra maneira aqueles que ‘mencionam o nome de Jeová renunciam à injustiça’? Por evitar ter amizade com pessoas que praticam a injustiça. É interessante que, após falar sobre “o sólido alicerce de Deus”, Paulo fez outra ilustração. Ele escreveu sobre ‘uma casa grande’ onde “não há só vasos de ouro e de prata, mas também de madeira e de barro, e alguns para fim honroso, mas outros para fim sem honra”. (2 Tim. 2:20, 21) Daí, ele incentivou os cristãos a ‘se manter livres’, ou separados, dos vasos que são usados para um fim “sem honra”.

15, 16. O que podemos aprender da ilustração de Paulo sobre a ‘casa grande’?

15 O que significa essa ilustração? Paulo compara a congregação a ‘uma casa grande’ e os cristãos a “vasos”, ou utensílios domésticos. Numa casa, alguns utensílios podem ficar contaminados por substâncias perigosas ou por falta de higiene. Uma dona de casa mantém separados os utensílios limpos, como os de cozinha, dos utensílios contaminados.

16 Do mesmo modo, para levar uma vida limpa, o povo de Jeová hoje deve evitar ter amizade com alguns na congregação que vez após vez desrespeitam os princípios de Jeová. (Leia 1 Coríntios 15:33.) Se devemos evitar ter amizade com alguns de dentro da congregação, quanto mais com os de fora dela, muitos dos quais são ‘amantes do dinheiro, desobedientes aos pais, desleais, caluniadores, ferozes, sem amor à bondade, traidores e mais amantes de prazeres do que amantes de Deus’. — 2 Tim. 3:1-5.

JEOVÁ ABENÇOA NOSSA DETERMINAÇÃO

17. Qual foi a atitude dos israelitas leais ao tomarem posição contra a injustiça?

17 A Bíblia menciona qual foi a atitude dos israelitas quando Moisés lhes disse para ‘se afastar dos tabernáculos de Corá, Datã e Abirão’. O relato diz que “afastaram-se imediatamente”. (Núm. 16:24, 27) Eles não hesitaram nem demoraram em agir. O texto também menciona até que ponto eles obedeceram. Eles ‘se afastaram . . . de todos os lados’. Os leais não quiseram correr nenhum risco. Sua obediência não foi parcial ou de má vontade. Eles tomaram uma atitude firme a favor de Jeová e contra a injustiça. O que podemos aprender desse exemplo?

18. O que Paulo quis dizer quando incentivou Timóteo a ‘fugir dos desejos pertinentes à mocidade’?

18 Para proteger nossa relação com Jeová, devemos agir rapidamente e com determinação. Foi isso o que Paulo quis dizer quando incentivou Timóteo a ‘fugir dos desejos pertinentes à mocidade’. (2 Tim. 2:22) Naquela época, Timóteo possivelmente tinha 30 e poucos anos, portanto já era adulto. Mas desejos tolos “pertinentes à mocidade” nem sempre têm a ver com a idade. Ao se deparar com esses desejos, Timóteo deveria ‘fugir’ deles. Em outras palavras, Timóteo deveria ‘renunciar à injustiça’. Jesus transmitiu uma mensagem parecida ao dizer: “Se o teu olho te faz tropeçar, arranca-o e lança-o para longe de ti.” (Mat. 18:9) Hoje, os cristãos que levam esse conselho a sério enfrentam ameaças espirituais com determinação, sem hesitação nem demora.

19. O que alguns hoje fazem por estar determinados a se proteger de perigos espirituais?

19 Alguns que tiveram problemas com álcool antes de se tornar Testemunhas de Jeová decidiram evitar por completo qualquer bebida alcoólica. Outros evitam certos tipos de entretenimento que em si mesmos não são errados, mas que podem despertar neles uma antiga fraqueza moral. (Sal. 101:3) Por exemplo, antes de se tornar Testemunha de Jeová, certo irmão gostava do ambiente imoral das festas dançantes que frequentava. Mas, depois que aprendeu a verdade, ele evita dançar até mesmo em recreações com irmãos por medo de que isso desperte nele pensamentos ou desejos impróprios. É claro que os cristãos não são obrigados a se abster de álcool, danças ou outras coisas que em si não são erradas. No entanto, se espera que todos tomemos uma atitude firme para nos proteger de perigos espirituais.

20. Embora nem sempre seja fácil ‘renunciar à injustiça’, o que nos consola?

20 O privilégio de levar o nome de Deus vem acompanhado de responsabilidade. Devemos ‘renunciar à injustiça’ e nos ‘desviar do que é mau’. (Sal. 34:14) É verdade que isso nem sempre é fácil. Mas é muito consolador saber que Jeová sempre amará “os que lhe pertencem” e os que se apegam a seus caminhos justos! — 2 Tim. 2:19; leia 2 Crônicas 16:9a.

^ parágrafo 12 Veja o artigo “Vocês proíbem certos filmes, músicas ou livros?”, no site jw.org. Acesse “QUEM SOMOS > PERGUNTAS FREQUENTES”.