Pular para conteúdo

Pular para sumário

Jeová nos vigia para cuidar de nós

Jeová nos vigia para cuidar de nós

“Os olhos de Jeová estão em todo lugar, vigiando os maus e os bons.” — PRO. 15:3.

1, 2. Qual é a diferença entre sermos vigiados por Jeová e por câmeras de segurança?

EM MUITOS países, câmeras de segurança são cada vez mais usadas para monitorar o trânsito e registrar acidentes. Se alguém provoca um acidente e foge do local, as imagens das câmeras podem ajudar as autoridades a encontrar e prender o motorista infrator. Com câmeras espalhadas por todo lugar, está ficando mais difícil as pessoas escaparem das consequências de suas ações.

2 Mas será que o amplo uso das câmeras de alguma forma nos faz lembrar de nosso amoroso Pai, Jeová? É verdade que a Bíblia diz que os olhos dele “estão em todo lugar”. (Pro. 15:3) No entanto, será que isso quer dizer que ele fica o tempo todo examinando cada coisa que fazemos? Deus nos vigia simplesmente para aplicar suas leis, pensando em nos punir? (Jer. 16:17; Heb. 4:13) De forma alguma! O principal motivo de Jeová nos vigiar é que ele ama cada um de nós e está interessado em nosso bem-estar. — 1 Ped. 3:12.

3. O que analisaremos neste artigo sobre o cuidado amoroso de Deus?

3 Como podemos entender que Deus nos vigia porque nos ama? Algo que pode ajudar é analisarmos como ele faz isso. Vejamos cinco maneiras: (1) por nos alertar quando manifestamos tendências ruins, (2) por nos corrigir quando fazemos algo errado, (3) por nos guiar por meio de princípios de sua Palavra, (4) por nos ajudar quando passamos por diversas provações e (5) por nos recompensar quando vê algo bom em nós.

UM DEUS ATENTO NOS ALERTA

4. Por que Jeová avisou Caim que o pecado estava “agachado à entrada”?

4 Primeiro, vejamos como Deus nos alerta quando começamos a desenvolver tendências ruins. (1 Crô. 28:9) Para entendermos esse aspecto da atenção amorosa de Deus, analisemos como ele lidou com Caim, que ficou furioso quando não recebeu aprovação divina. (Leia Gênesis 4:3-7.) Jeová disse para Caim mudar e “fazer o bem”. Se ele não fizesse isso, alertou Jeová, o pecado estava “agachado à entrada”. Deus perguntou a ele: “Conseguirás tu dominá-lo?” Jeová queria que Caim acatasse o aviso e voltasse a ter o seu favor. Ter o favor divino tornaria possível que ele continuasse tendo um bom relacionamento com Deus.

5. De que maneiras Jeová nos alerta contra tendências prejudiciais que talvez tenhamos?

5 O que dizer de nós hoje? Os olhos de Jeová sondam nosso coração; não podemos esconder dele nossas verdadeiras tendências e motivações. Nosso Pai amoroso quer que façamos o que é certo, seguindo seu caminho; mas ele não nos obriga a mudar de proceder. Por meio de sua Palavra, a Bíblia, ele nos alerta quando estamos indo na direção errada. Como? Em nossa leitura diária da Bíblia, muitas vezes nos deparamos com um trecho que nos ajuda a vencer tendências prejudiciais. Além disso, nossas publicações cristãs podem nos ajudar a entender melhor um problema que talvez estejamos enfrentando e nos mostrar como vencê-lo. E, em nossas reuniões, todos nós recebemos conselhos que vêm exatamente na hora certa!

6, 7. (a) Por que se pode dizer que o alimento espiritual preparado para milhões de pessoas é evidência de que Deus cuida de você? (b) O que você pode fazer para se beneficiar da preocupação amorosa de Jeová?

6 Na realidade, todos esses alertas são prova da preocupação amorosa de Jeová para com cada um de nós. É verdade que as palavras contidas na Bíblia existem há séculos, que as publicações da organização de Deus são preparadas para milhões de pessoas e que os conselhos nas reuniões são para a congregação inteira. Mas, em todos esses casos, Jeová direciona a sua atenção à Palavra dele para que você possa corrigir suas tendências. Podemos assim dizer que isso é evidência do modo amoroso como Jeová cuida pessoalmente de você.

Uma consciência treinada pela Bíblia nos ajuda a evitar os perigos ao nosso redor (Veja os parágrafos 6 e 7.)

7 Para que os alertas de Deus nos beneficiem, precisamos primeiro entender que ele realmente se preocupa conosco. Daí, temos de reagir de modo favorável ao que lemos em sua Palavra, nos esforçando em eliminar qualquer pensamento que desagrade a ele. (Leia Isaías 55:6, 7.) Se acatarmos os alertas que recebemos, seremos poupados de muito sofrimento. Mas imagine que venhamos a ceder às nossas tendências ruins. Que ajuda nosso Pai amoroso nos dá num caso assim?

NOSSO PAI AMOROSO NOS CORRIGE

8, 9. De que forma os conselhos que Jeová dá por meio de seus servos mostram sua grande preocupação? Ilustre.

8 Uma situação em que percebemos de modo especial o cuidado de Jeová é quando somos corrigidos. (Leia Hebreus 12:5, 6.) É verdade que não gostamos de ser aconselhados ou disciplinados. (Heb. 12:11) Mas pense no que a pessoa que está nos dando o conselho precisa levar em conta. Ela precisa perceber que estamos fazendo algo que pode afetar nossa relação com Jeová Deus e estar preocupada com nossos sentimentos. Também precisa estar disposta a dedicar o tempo e o esforço necessários para nos mostrar na Bíblia como podemos corrigir nosso proceder para agradarmos a Deus. Jeová, que é a Fonte de tal conselho, com certeza também se preocupa conosco.

9 Consideremos um exemplo de como conselhos dados por humanos podem refletir a preocupação de Deus. Antes de conhecer a verdade, certo irmão costumava ver pornografia, mas abandonou esse hábito. Mas sua antiga tendência ainda estava lá, como as brasas ainda acesas de uma fogueira que foi apagada. Quando ele comprou um celular novo, isso reacendeu seu desejo errado. (Tia. 1:14, 15) Ele começou a usar o celular para acessar sites pornográficos na internet. Certo dia, enquanto dava testemunho por telefone, ele deixou que um ancião usasse seu celular para procurar alguns endereços. Quando o ancião começou a usar o telefone, apareceram sites questionáveis. Isso acabou sendo uma bênção para nosso irmão que estava espiritualmente em perigo. Ele recebeu conselhos oportunos, aceitou a correção dada e com o tempo venceu aquela tendência ruim. Sem dúvida, somos muito gratos por nosso amoroso Pai celestial ver até mesmo pecados secretos e nos corrigir antes de irmos longe demais.

BENEFÍCIOS DE APLICARMOS PRINCÍPIOS BÍBLICOS

10, 11. (a) De que modo você pode buscar a orientação de Deus? (b) Como uma família comprovou a sabedoria de seguir a orientação de Jeová?

10 O salmista cantou a Jeová: “Tu me guiarás com o teu conselho.” (Sal. 73:24) Sempre que precisamos de orientação, podemos ‘notar’ Jeová ‘em todos os nossos caminhos’ por consultar sua Palavra a fim de descobrir como ele encara os assuntos. Aplicar princípios bíblicos nos beneficia não apenas em sentido espiritual, mas às vezes também nos ajuda a cuidar de nossas necessidades materiais. — Pro. 3:6.

11 Um exemplo de como Jeová pode nos guiar pode ser visto na experiência de um lavrador que morava e trabalhava em terra arrendada em Masbate, região montanhosa nas Filipinas. Ele e a esposa serviam como pioneiros regulares e, ao mesmo tempo, tinham uma família grande para cuidar. Certo dia, eles ficaram chocados ao receber uma ordem de despejo do dono da propriedade. Qual era o motivo? Eles haviam sido falsamente acusados de desonestidade. Embora o irmão tivesse ficado preocupado, pensando se conseguiria encontrar um lugar para a família morar, ele disse: “Jeová proverá. Ele sempre cuida de nossas necessidades, não importa o que aconteça.” A confiança do irmão não foi em vão. Alguns dias mais tarde, a família descobriu, para seu alívio, que não precisaria sair. O que aconteceu? O dono da propriedade percebeu que, apesar da acusação, a família manteve uma atitude respeitosa e pacífica por se deixar orientar por princípios bíblicos. Isso o impressionou tanto que, além de deixar a família ficar, lhes deu mais terra para plantar. (Leia 1 Pedro 2:12.) Com certeza, Jeová nos guia por meio de sua Palavra para nos ajudar a lidar com as dificuldades da vida.

UM AMIGO QUE NOS AJUDA A SUPORTAR PROVAÇÕES

12, 13. Em que situações alguns poderiam se perguntar se Deus realmente vê seu sofrimento?

12 Às vezes, porém, uma provação continua por um bom tempo. Podemos estar enfrentando uma doença crônica, oposição da família ou constante perseguição. E que dizer daqueles graves conflitos de personalidade que vez por outra podemos ter com alguém na congregação?

13 Por exemplo, você talvez fique magoado por causa de um comentário que, na sua opinião, foi indelicado. Você pensa: ‘Isso não deveria acontecer na organização de Deus!’ Mas o irmão que fez o comentário tem privilégios na congregação e parece bem respeitado por outros. Você se pergunta: ‘Como pode isso? Será que Jeová não está vendo? Não vai fazer nada?’ — Sal. 13:1, 2; Hab. 1:2, 3.

14. Qual pode ser um dos motivos de Deus não interferir para resolver nossos problemas?

14 Jeová pode ter motivos válidos para não interferir. Por exemplo, você talvez ache que a outra pessoa tem a maior parcela de culpa, mas pode ser que Deus encare as coisas de modo diferente. Do ponto de vista dele, você talvez tenha mais culpa do que imagina. Pode ser que o comentário que você achou tão duro na realidade seja um conselho merecido a que você deveria dar atenção. Em sua biografia, o irmão Karl Klein, que serviu no Corpo Governante, contou sobre uma ocasião em que o irmão Joseph Rutherford lhe deu uma repreensão franca. Mais tarde, o irmão Rutherford cumprimentou o irmão Klein com um animado “Olá, Karl!”. Mas o irmão Klein, ainda magoado, murmurou apenas um cumprimento frio. Percebendo que o irmão Klein ainda guardava ressentimento, o irmão Rutherford o alertou para que não caísse numa armadilha do Diabo. O irmão Klein escreveu mais tarde: “Quando nutrimos ressentimento contra um irmão, especialmente por nos dizer algo que ele tem direito de dizer, por ser seu dever, ficamos propensos a cair nos laços do Diabo.” *

15. Diante de uma provação, o que ajudará você a não ficar impaciente ao esperar a ajuda de Jeová?

15 Ainda assim, podemos ficar impacientes quando uma provação parece não ter fim. Como agir nesse caso? Imagine que você esteja dirigindo numa estrada e fique preso no trânsito. Você não sabe quanto tempo ficará parado. Se ficar irritado e tentar achar outro caminho, poderá se perder. Você poderá acabar demorando mais para chegar ao destino do que se esperar com paciência. De modo similar, se você permanecer nos caminhos descritos na Palavra de Deus, com o tempo chegará ao seu destino.

16. Qual é outro motivo de Jeová talvez esperar para agir quando passamos por provações?

16 Jeová talvez espere antes de agir para nos ajudar porque ele quer que recebamos o treinamento necessário. (Leia 1 Pedro 5:6-10.) Isso não significa que Deus causa nossas provações. (Tia. 1:13) ‘Nosso adversário, o Diabo’, é quem causa a maior parte das adversidades. Mas Deus pode usar uma situação difícil para nos ajudar a crescer em sentido espiritual. Ele vê nosso sofrimento e, visto que “tem cuidado” de nós, se certificará de que as adversidades continuem apenas “por um pouco”. Você se sente grato pelo cuidado amoroso de Jeová quando passa por aflições, confiante em que ele proverá uma saída? — 2 Cor. 4:7-9.

SEJA ABENÇOADO COM A APROVAÇÃO DE DEUS

17. Por quem Jeová procura, e por quê?

17 Por último, há um motivo muito consolador pelo qual Deus examina nossa vida. Por meio de Hanani, o vidente, ele disse ao Rei Asa: “Quanto a Jeová, seus olhos percorrem toda a terra, para mostrar a sua força a favor daqueles cujo coração é pleno para com ele.” (2 Crô. 16:9) No caso do Rei Asa, Deus não viu um coração pleno. Mas, se nós continuarmos a fazer o que é certo, ele ‘mostrará a sua força’ em nosso favor.

18. Quando achar que ninguém valoriza o que você faz, o que deve se lembrar a respeito de Jeová? (Veja a gravura no início do artigo.)

18 Deus quer que ‘busquemos o que é bom’, ‘amemos o que é bom’ e ‘façamos o que é bom’ para que ele possa nos ‘mostrar favor’. (Amós 5:14, 15; 1 Ped. 3:11, 12) Jeová nota os justos e os abençoa. (Sal. 34:15) Por exemplo, pense nas parteiras hebreias Sifrá e Puá. Quando o povo de Israel era escravo no Egito, essas duas mulheres tinham mais temor a Deus do que a Faraó, que lhes havia ordenado que matassem todos os meninos hebreus assim que nascessem. Fica claro que a consciência delas, orientada pelo temor a Deus, as motivou a preservar a vida dos bebês. Mais tarde, Sifrá e Puá foram recompensadas com suas próprias famílias. (Êxo. 1:15-17, 20, 21) O bem que elas fizeram não passou despercebido dos olhos de Jeová, que estão atentos a tudo. Às vezes, podemos achar que ninguém se importa com o bem que fazemos. Mas Jeová se importa. Ele nota todas as coisas boas que fazemos e nos recompensará por isso. — Mat. 6:4, 6; 1 Tim. 5:25; Heb. 6:10.

19. Como uma irmã aprendeu que o bem que fazemos não passa despercebido de Jeová?

19 Certa irmã na Áustria viu que seu trabalho árduo não passou despercebido dos olhos atentos de Jeová. Visto que era descendente de húngaros, foi pedido a ela que contatasse no ministério uma pessoa interessada que falava húngaro. Ela foi imediatamente ao endereço que lhe deram, mas não encontrou ninguém em casa. Ela voltou várias vezes. Havia ocasiões em que ela tinha a impressão de que havia alguém na casa, mas ninguém atendia. Ela deixou publicações, cartas e informações para contato. Depois de um ano e meio fazendo várias visitas, finalmente a porta se abriu! Uma senhora amigável cumprimentou a irmã dizendo: “Entre, por favor. Eu li tudo o que você deixou e estava esperando por você.” A moradora esteve fazendo tratamentos de quimioterapia e não se sentia disposta para atender a porta. Foi iniciado um estudo bíblico com ela. Não há dúvida de que Deus recompensou nossa irmã pelo seu grande esforço!

20. Como você se sente por ser observado por Jeová?

20 Jeová vê tudo que você faz e um dia o recompensará. Quando você perceber que os olhos de Jeová o estão observando, não se sinta como se estivesse sendo vigiado friamente por uma câmera de segurança. Em vez disso, sinta-se mais achegado ao Deus amoroso, que realmente se preocupa com você.

^ parágrafo 14 A biografia do irmão Klein foi publicada na Despertai! de 22 de setembro de 1987.