Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Março de 2014

Mostre consideração pelos idosos

Mostre consideração pelos idosos

“Tens de mostrar consideração para com a pessoa dum homem idoso.” — LEV. 19:32.

1. Em que estado lamentável a humanidade se encontra?

JEOVÁ nunca quis que os humanos sofressem os efeitos debilitantes da velhice. Pelo contrário, seu propósito era que homens e mulheres vivessem com saúde perfeita no Paraíso. Mas hoje “toda a criação junta persiste em gemer e junta está em dores”. (Rom. 8:22) Como você acha que Deus se sente ao observar a deterioração que o pecado causa nos humanos? Além disso, muitos idosos são negligenciados na fase de sua vida em que mais precisam de ajuda. — Sal. 39:5; 2 Tim. 3:3.

2. Por que os cristãos têm muito apreço pelos idosos?

2 O povo de Jeová aprecia ter irmãos idosos nas congregações. Nós nos beneficiamos de sua sabedoria, e seu exemplo de fé nos inspira. Alguns desses queridos irmãos talvez sejam nossos parentes. Mas, mesmo que não tenhamos parentes cristãos idosos, estamos interessados em seu bem-estar. (Gál. 6:10; 1 Ped. 1:22) Neste estudo, analisaremos o ponto de vista de Deus sobre os de mais idade. Também consideraremos as responsabilidades da família e da congregação para com nossos queridos idosos.

“NÃO ME REJEITES”

3, 4. (a) Que pedido significativo o escritor do Salmo 71 fez a Jeová? (b) O que os idosos na congregação podem pedir a Deus?

3 O inspirado escritor do Salmo 71:9 suplicou a Deus: “Não me rejeites na minha velhice; não me abandones quando se vão as minhas forças.” (Nova Versão Internacional) Esse salmo parece ser uma continuação do Salmo 70, que foi escrito por Davi. Então, provavelmente foi ele quem fez o pedido no Salmo 71:9. Davi serviu a Deus desde a juventude até a velhice, e Jeová o usou de modo extraordinário. (1 Sam. 17:33-37, 50; 1 Reis 2:1-3, 10) Ainda assim, Davi sentiu a necessidade de pedir a Jeová que continuasse a lhe mostrar favor. — Leia Salmo 71:17, 18.

4 Muitos irmãos hoje são como Davi. Apesar da idade avançada e dos “dias calamitosos”, eles continuam a fazer seu melhor para servir a Deus. (Ecl. 12:1-7) Por causa de suas atuais limitações, boa parte deles talvez não consiga mais fazer o mesmo que fazia nas atividades do dia a dia, incluindo o ministério. No entanto, eles também podem suplicar pelo cuidado e aprovação de Jeová. Esses fiéis idosos podem ter certeza de que Deus responde suas orações. Afinal, essas orações refletem as mesmas preocupações que Davi expressou sob inspiração divina.

5. Como Jeová encara os idosos fiéis?

5 As Escrituras mostram que Jeová valoriza muito os idosos fiéis e espera que seus outros servos mostrem consideração por eles. (Sal. 22:24-26; Pro. 16:31; 20:29) “Deves levantar-te diante do cabelo grisalho e tens de mostrar consideração para com a pessoa dum homem idoso, e tens de ter temor de teu Deus. Eu sou Jeová”, diz Levítico 19:32. Realmente, honrar os idosos na congregação era uma séria responsabilidade quando essas palavras foram escritas, e ainda é uma séria responsabilidade hoje. Mas e quanto a cuidar das necessidades dos idosos? A quem cabe essa responsabilidade?

A RESPONSABILIDADE DA FAMÍLIA

6. Que exemplo Jesus deu quanto a cuidar dos pais?

6 A Palavra de Deus nos diz: “Honra a teu pai e a tua mãe.” (Êxo. 20:12; Efé. 6:2) Jesus enfatizou esse mandamento ao condenar os fariseus e os escribas, que se recusavam a sustentar os pais. (Mar. 7:5, 10-13) O próprio Jesus deu um bom exemplo. Quando estava prestes a morrer na estaca, ele deixou sua mãe, que pelo visto já era viúva, aos cuidados de seu amado discípulo João. — João 19:26, 27.

7. (a) Que princípio sobre cuidar dos pais o apóstolo Paulo estabeleceu? (b) Qual é o contexto das palavras de Paulo?

7 O apóstolo Paulo foi inspirado a escrever que os cristãos devem cuidar de sua própria família. (Leia 1 Timóteo 5:4, 8, 16.) Considere o contexto do que Paulo escreveu a Timóteo. Paulo falava sobre quem se qualificava, ou não, para receber ajuda financeira da congregação. Ele tornou claro que os cristãos que eram filhos, netos ou outros parentes de viúvas idosas deviam ser os primeiros a sustentá-las. Desse modo, nenhum fardo financeiro desnecessário seria imposto à congregação. Hoje, igualmente, uma das maneiras de os cristãos praticarem a “devoção piedosa” é por suprir as necessidades materiais de parentes que precisam.

8. Por que a Bíblia não oferece soluções específicas quanto a cuidar de pais idosos?

8 Em outras palavras, filhos cristãos têm a obrigação de cuidar das necessidades materiais de seus pais. Embora Paulo estivesse falando sobre ‘parentes crentes’, os pais que não são cristãos não devem ser negligenciados. O modo como os filhos cuidam de seus pais pode variar. Nenhuma situação é igual à outra. As necessidades, o temperamento e a saúde dos envolvidos são diferentes. Alguns idosos têm vários filhos; outros têm apenas um. Alguns podem contar com a ajuda do governo, outros não. As preferências pessoais dos que precisam de ajuda também variam. Portanto, não seria sensato nem amoroso criticar a maneira como alguns cuidam de parentes idosos. Afinal, Jeová pode abençoar qualquer decisão baseada nas Escrituras, e tem sido assim desde os dias de Moisés. — Núm. 11:23.

9-11. (a) Que situações difíceis alguns talvez enfrentem? (Veja a gravura no início do artigo.) (b) Por que os filhos não devem se precipitar quanto a deixar o serviço de tempo integral? Ilustre.

9 Pode ser um desafio ajudar pais idosos se os filhos moram longe. De uma hora para outra, pode acontecer de os filhos terem de visitar seus pais por causa de um declínio repentino na saúde deles, talvez em resultado de uma queda, uma fratura ou algum tipo de crise. Os pais podem precisar de ajuda — temporária ou constante. *

10 Servos de tempo integral, que por causa de sua designação vivem longe de casa, talvez tenham de tomar decisões especialmente difíceis. Os que servem como betelitas, missionários e superintendentes viajantes consideram sua designação preciosa, uma bênção de Jeová. No entanto, se seus pais ficam doentes, a primeira reação talvez seja: ‘Precisamos deixar nossa designação e voltar para casa para cuidar de nossos pais.’ Mas seria sábio considerar com oração se isso é o que os pais realmente precisam ou desejam. Ninguém deveria desistir precipitadamente de privilégios de serviço, e pode ser que isso nem seja necessário. Se o problema de saúde for temporário, talvez haja irmãos na congregação dos pais que teriam prazer em ajudar. — Pro. 21:5.

11 Por exemplo, considere o caso de dois irmãos que serviam longe de casa. Um era missionário na América do Sul, e o outro trabalhava na sede mundial em Brooklyn, Nova York. Os pais idosos desses irmãos precisavam de ajuda. Os filhos, junto com as esposas, visitaram os pais no Japão para saber qual a melhor maneira de providenciar a ajuda necessária. Algum tempo depois, o casal que estava na América do Sul considerou a possibilidade de deixar sua designação e voltar para casa. Eles receberam um telefonema do coordenador do corpo de anciãos da congregação dos pais. Aqueles anciãos haviam conversado sobre a situação e queriam que os missionários continuassem em sua designação o máximo tempo possível. Os anciãos valorizavam o serviço desse casal e estavam determinados a fazer tudo o que podiam para ajudá-los a cuidar de seus pais. Todos na família apreciaram muito essa preocupação amorosa.

12. Qual deve ser a preocupação de uma família com respeito a qualquer decisão sobre cuidar de pais idosos?

12 Qualquer que seja a estratégia adotada por uma família cristã para cuidar das necessidades de pais idosos, todos os envolvidos devem se certificar que ela reflita bem no nome de Deus. Nunca desejaremos ser como os líderes religiosos dos dias de Jesus. (Mat. 15:3-6) Queremos que nossas decisões honrem a Deus e a congregação. — 2 Cor. 6:3.

A RESPONSABILIDADE DA CONGREGAÇÃO

13, 14. Com base nas Escrituras, por que podemos concluir que as congregações estão interessadas em cuidar de cristãos idosos?

13 Nem todos podem ajudar ministros de tempo integral da forma já mencionada. Mas uma situação que surgiu no primeiro século mostra que as congregações estão interessadas em cuidar das necessidades de irmãos idosos exemplares. A Bíblia diz que na congregação em Jerusalém “não havia nem mesmo um só necessitado”. O motivo não era que todos tivessem bastante em sentido material. Pelo visto alguns tinham pouco, mas “fazia-se distribuição a cada um, conforme tivesse necessidade”. (Atos 4:34, 35) Mais tarde, surgiu um problema ali. Relatou-se que certas “viúvas estavam sendo passadas por alto na distribuição diária” de alimentos. Por isso, os apóstolos orientaram a designação de homens qualificados que, por sua vez, tomaram medidas para que as necessidades das viúvas fossem supridas de modo adequado e por igual. (Atos 6:1-5) É verdade que essa era uma provisão temporária para pessoas que haviam se tornado cristãs no Pentecostes de 33 EC e que haviam permanecido em Jerusalém para ser edificadas espiritualmente. Ainda assim, a reação dos apóstolos ilustra que a congregação pode ajudar a cuidar de cristãos necessitados.

14 Conforme observado, Paulo deu a Timóteo instruções sobre em que circunstâncias viúvas cristãs se qualificavam para receber ajuda material da congregação. (1 Tim. 5:3-16) Da mesma maneira, o inspirado escritor bíblico Tiago reconheceu a obrigação cristã de cuidar de órfãos, viúvas e outros em caso de tribulação ou necessidade. (Tia. 1:27; 2:15-17) O apóstolo João também argumentou: “Todo aquele que tiver os meios deste mundo para sustentar a vida e observar que o seu irmão padece necessidade, e ainda assim lhe fechar a porta das suas ternas compaixões, de que modo permanece nele o amor de Deus?” (1 João 3:17) Se cristãos individuais têm esse tipo de obrigação para com os necessitados, não se daria o mesmo no caso das congregações?

No caso de um acidente, como a congregação pode ajudar? (Veja os parágrafos 15 e 16.)

15. Ao ajudar irmãos idosos, que fatores podem estar envolvidos?

15 Em alguns países, o governo provê benefícios, assistência social e cuidadores em domicílio para cidadãos idosos. (Rom. 13:6) Em outros lugares, não existe esse tipo de serviço. Por isso, a ajuda prática que os parentes e a congregação precisam dar a irmãos idosos varia conforme a situação. Se filhos cristãos moram longe de seus pais, isso talvez afete o quanto de ajuda eles podem razoavelmente dar. Os filhos fariam bem em se comunicar abertamente com os anciãos da congregação de seus pais para que todos entendam as circunstâncias da família. Por exemplo, os anciãos talvez possam ajudar os pais a encontrar programas governamentais ou sociais na localidade que os beneficiem. Eles também podem informar aos filhos sobre situações como contas que não foram pagas ou uso incorreto de medicamentos. Essa bem-intencionada e bondosa troca de informações pode impedir que a situação fique pior e ajudar a encontrar soluções práticas. Fica claro que irmãos assim, que servem como “olhos” dos filhos, podem aliviar muito as preocupações de uma família.

16. Como alguns cristãos ajudam os idosos da congregação?

16 Pela afeição que sentem por seus amados irmãos idosos, alguns cristãos se colocam à disposição para ajudar dentro de suas possibilidades. Eles podem mostrar um interesse especial pelos idosos da congregação. Alguns se oferecem para dividir com outros na congregação as tarefas relacionadas a cuidar dos idosos. Mesmo que suas próprias circunstâncias não lhes permitam se empenhar no ministério de tempo integral, esses irmãos ficam felizes em ajudar os filhos de idosos a permanecer no tempo integral o máximo tempo possível. Que excelente atitude esses irmãos demonstram! No entanto, sua generosidade não isenta os filhos de sua responsabilidade para com os pais.

HONRE OS IDOSOS COM PALAVRAS DE ENCORAJAMENTO

17, 18. Em relação a cuidar de idosos, que atitude é importante e por quê?

17 Todos os envolvidos podem se empenhar para tornar a experiência de cuidar de idosos o mais agradável possível. Se você ajuda a cuidar de um idoso, faça o que puder para manter uma atitude positiva. Em alguns casos, envelhecer pode deixar a pessoa desanimada e até deprimida. Por isso, você talvez precise fazer um esforço extra para honrar e encorajar irmãos idosos por meio de conversas edificantes. Os que há muitos anos servem a Jeová com dedicação merecem elogios. E, assim como Jeová, os irmãos na fé não se esquecem de tudo o que esses idosos fizeram para servi-Lo. — Leia Malaquias 3:16; Hebreus 6:10.

18 Além disso, as dificuldades do dia a dia podem se tornar mais suportáveis quando os idosos e os que cuidam deles demonstram senso de humor quando apropriado. (Ecl. 3:1, 4) Muitos idosos procuram não ser exigentes demais, pois sabem que sua atitude pode afastar as pessoas que os visitam. Quando os idosos têm uma atitude positiva, não é incomum seus visitantes dizerem: “Eu fui lá para encorajar o irmão, mas quem saiu de lá encorajado fui eu.” — Pro. 15:13; 17:22.

19. Que perspectiva tanto jovens como idosos podem ter quanto ao futuro?

19 Todos ansiamos o dia em que o sofrimento e os efeitos da imperfeição acabarão. Enquanto isso, os servos de Deus devem manter sua esperança no que é eterno. Sabemos que a fé nas promessas de Deus é como uma âncora em épocas de aflições e tribulação. Graças a essa fé, “não desistimos; porém, ainda que o homem que somos por fora se definhe, certamente o homem que somos por dentro está sendo renovado de dia em dia”. (2 Cor. 4:16-18; Heb. 6:18, 19) Mas, além de uma forte fé nas promessas de Deus, o que mais pode ajudar os que cuidam de idosos a cumprir suas responsabilidades? Algumas sugestões práticas serão consideradas no próximo artigo.

^ parágrafo 9 O próximo artigo considerará algumas opções disponíveis para o cuidado de pais idosos.