Pular para conteúdo

Pular para sumário

Dê honra a Cristo, o glorioso Rei!

Dê honra a Cristo, o glorioso Rei!

“No teu esplendor prossegue [à vitória].” — SAL. 45:4.

1, 2. Por que o Salmo 45 é de interesse para nós?

UM REI glorioso cavalga pela causa da verdade e da justiça para derrotar seus inimigos. Depois da vitória final sobre eles, esse rei se casa com uma bela noiva. Em todas as gerações seguintes, as pessoas se lembram dele e o louvam. Esse é o tema básico do Salmo 45.

2 Mas esse salmo é muito mais do que uma história empolgante com um final feliz. Os acontecimentos mencionados nele têm significado para nós. Eles afetam nossa vida hoje e o nosso futuro. Então, vamos analisar com atenção esse salmo.

“MEU CORAÇÃO PALPITA POR CAUSA DE UM ASSUNTO BOM”

3, 4. (a) O que é “um assunto bom” que nos interessa hoje, e que efeito tem em nosso coração? (b) De que modo nossos “trabalhos se referem a um rei”, e em que sentido nossa língua se torna como “o estilo de um destro copista”?

3 Leia Salmo 45:1. “Um assunto bom” que faz o coração do salmista ‘palpitar’ se refere a um rei. O verbo hebraico traduzido ‘palpitar’ originalmente significava “borbulhar”, ou “ferver”. Esse assunto fez o coração do salmista “ferver” de entusiasmo e sua língua se tornar “o estilo de um destro copista”.

4 Que dizer de nós? As boas novas do Reino messiânico são “um assunto bom” que toca nosso coração. A mensagem do Reino se tornou especialmente ‘boa’ em 1914. Desde então, essa mensagem não se refere mais a um Reino futuro, mas a um governo real que está em vigor no céu. Essas são as “boas novas do reino” que pregamos “em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações”. (Mat. 24:14) Será que nosso coração “palpita” por causa da mensagem do Reino? Pregamos as boas novas do Reino com zelo? Assim como o salmista, nossos “trabalhos se referem a um rei” — nosso Rei Jesus Cristo. Nós proclamamos que ele é o entronizado Rei celestial do Reino messiânico. Além disso, convidamos todas as pessoas — sejam elas governantes, sejam súditos — a se sujeitar ao reinado dele. (Sal. 2:1, 2, 4-12) E nossa língua se torna “o estilo de um destro copista” no sentido de que fazemos amplo uso da Palavra escrita de Deus em nossa pregação.

Nós proclamamos com alegria as boas novas a respeito de nosso Rei Jesus Cristo

‘ENCANTO É DESPEJADO SOBRE OS LÁBIOS DO REI’

5. (a) De que maneiras Jesus era “bonito”? (b) Em que sentido ‘encanto era despejado sobre os lábios do Rei’, e como podemos seguir seu exemplo?

5 Leia Salmo 45:2. As Escrituras não dizem quase nada sobre a aparência física de Jesus. Como homem perfeito, ele com certeza era “bonito”. Mas sua extraordinária beleza era resultado de sua fidelidade a Jeová e de sua integridade inquebrantável. Além disso, quando pregava a mensagem do Reino, Jesus falava com “encanto”, usando palavras que cativavam seus ouvintes. (Luc. 4:22; João 7:46) E nós? Será que nos esforçamos para seguir o exemplo dele em nossa pregação e tentamos usar palavras que tocam o coração das pessoas? — Col. 4:6.

6. Como Deus abençoou Jesus “por tempo indefinido”?

6 Por causa da devoção de todo o coração de Jesus, Jeová o abençoou durante seu ministério na Terra e o recompensou após sua morte sacrificial. O apóstolo Paulo escreveu: “Quando [Jesus] se achou na feição de homem, humilhou-se e tornou-se obediente até à morte, sim, morte numa estaca de tortura. Por esta mesma razão, também, Deus o enalteceu a uma posição superior e lhe deu bondosamente o nome que está acima de todo outro nome, a fim de que, no nome de Jesus, se dobre todo joelho dos no céu, e dos na terra, e dos debaixo do chão, e toda língua reconheça abertamente que Jesus Cristo é Senhor, para a glória de Deus, o Pai.” (Fil. 2:8-11) Jeová abençoou Jesus “por tempo indefinido” por ressuscitá-lo para a vida imortal. — Rom. 6:9.

O REI SE TORNA MAIOR DO QUE SEUS “ASSOCIADOS”

7. De que maneiras Deus ungiu Jesus mais do que aos “associados” dele?

7 Leia Salmo 45:6, 7. Por causa do grande amor de Jesus pela justiça e de seu ódio por qualquer coisa que pudesse desonrar seu Pai, Jeová o ungiu como Rei do Reino messiânico. Jesus foi ungido “com óleo de exultação” mais do que seus “associados”, os reis de Judá da linhagem de Davi. Como assim? Primeiro, Jesus foi ungido pelo próprio Jeová. Segundo, Jeová o ungiu como Rei e como Sumo Sacerdote. (Sal. 2:2; Heb. 5:5, 6) Terceiro, Jesus não foi ungido com óleo, mas com espírito santo, e seu reinado não é terrestre, mas celestial.

8. Por que é garantido que haverá justiça no reinado de Jesus, e por que podemos dizer que ‘Deus é o seu trono’?

8 Jeová entronizou seu Filho como seu Rei messiânico no céu em 1914. Visto que ‘o cetro de seu reinado é um cetro de retidão’, é garantido que haverá justiça e igualdade em seu governo. Sua autoridade é legítima, pois ‘Deus é o seu trono’. Em outras palavras, Jeová é a base de seu reinado. Além disso, o trono de Jesus durará “por tempo indefinido, para todo o sempre”. Você não sente orgulho de servir a Jeová sob o governo de um Rei tão poderoso, designado por Deus?

O REI ‘CINGE SUA ESPADA’

9, 10. (a) Quando Cristo cingiu sua espada, e como ele a usou imediatamente? (b) Como Cristo ainda usará sua espada?

9 Leia Salmo 45:3. Jeová instrui seu Rei a ‘cingir sua espada’, autorizando assim Jesus a travar guerra contra todos que se opõem à soberania de Deus e a destruí-los, aplicando o julgamento Dele. (Sal. 110:2) Visto que Cristo é um Rei-Guerreiro invencível, a expressão “ó poderoso” é usada para se dirigir a ele. Ele cingiu sua espada em 1914 e derrotou Satanás e seus demônios, expulsando-os do céu e confinando-os à Terra. — Rev. 12:7-9.

10 Esse foi apenas o início da cavalgada vitoriosa do Rei. Ele ainda precisa “completar a sua vitória”. (Rev. 6:2) Os julgamentos de Jeová ainda precisam ser executados contra todos os elementos deste mundo, e a influência de Satanás e seus demônios precisa ser removida. O primeiro elemento a ser eliminado será Babilônia, a Grande, o império mundial da religião falsa. É do propósito de Jeová usar os governantes políticos para destruir essa perversa “meretriz”. (Rev. 17:16, 17) Em seguida, o Rei-Guerreiro voltará sua atenção para o sistema político de Satanás, reduzindo-o a nada. Cristo, que também é chamado de “o anjo do abismo”, completará então sua vitória por lançar Satanás e seus demônios num abismo. (Rev. 9:1, 11; 20:1-3) Vejamos como o Salmo 45 profetiza esses acontecimentos empolgantes.

O REI CAVALGA “NA CAUSA DA VERDADE”

11. Em que sentido Cristo “cavalga na causa da verdade”?

11 Leia Salmo 45:4. O objetivo do Rei-Guerreiro não é ocupar territórios nem dominar povos. Ele trava uma guerra justa com objetivos nobres. Ele cavalga ‘na causa da verdade, da humildade e da justiça’. A maior verdade que deve ser defendida é a da soberania universal de Jeová. Satanás desafiou a legitimidade do governo de Jeová quando se rebelou contra Ele. Desde então, a soberania divina tem sido questionada por demônios e humanos. Chegou a hora para o Rei ungido de Jeová cavalgar a fim de estabelecer a verdade da soberania de Jeová de uma vez por todas.

12. De que modo o Rei cavalga ‘na causa da humildade’?

12 O Rei também cavalga ‘na causa da humildade’. Como Filho unigênito de Deus, ele mesmo tem dado um excelente exemplo de humildade e sujeição leal à soberania de seu Pai. (Isa. 50:4, 5; João 5:19) Todos os súditos leais do Rei devem seguir seu exemplo e humildemente se sujeitar à soberania de Jeová em todas as coisas. Apenas os que fazem isso poderão viver no prometido novo mundo de Deus. — Zac. 14:16, 17.

13. Como Cristo sai cavalgando ‘na causa da justiça’?

13 Cristo também sai cavalgando com destemor ‘na causa da justiça’. Essa justiça que o Rei defende é “a justiça de Deus” — os padrões de Jeová do que é certo e do que é errado. (Rom. 3:21; Deut. 32:4) Isaías profetizou o seguinte sobre o Rei Jesus Cristo: “Um rei reinará para a própria justiça.” (Isa. 32:1) O reinado de Jesus trará os prometidos “novos céus” e “nova terra”, onde “há de morar a justiça”. (2 Ped. 3:13) Todos os habitantes desse novo mundo terão de obedecer aos padrões de Jeová. — Isa. 11:1-5.

O REI REALIZA “COISAS ATEMORIZANTES”

14. Como a direita de Cristo realizará “coisas atemorizantes”? (Veja a gravura no início do artigo.)

14 À medida que cavalga, o Rei tem a espada cingida. (Sal. 45:3) Mas chegará a hora de ele pegar a espada e empunhá-la com a mão direita. O salmista profetizou que a direita de Jesus realizará “coisas atemorizantes”. (Sal. 45:4) Quando Jesus Cristo cavalgar para executar os julgamentos de Jeová no Armagedom, ele realizará “coisas atemorizantes” contra seus inimigos. Não sabemos exatamente que meios ele usará para destruir o sistema de Satanás. Mas essa ação causará terror no coração das pessoas que não tiverem acatado o aviso divino de se submeter ao governo do Rei. (Leia Salmo 2:11, 12.) Em sua profecia a respeito do tempo do fim, Jesus disse que as pessoas ‘ficariam desalentadas de temor e na expectativa das coisas que viriam sobre a terra habitada, porque os poderes dos céus seriam abalados’. Daí, acrescentou: “E então verão o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória.” — Luc. 21:26, 27.

15, 16. Quem fará parte dos “exércitos” que acompanharão Cristo na batalha?

15 Anunciando a vinda do Rei “com poder e grande glória” para executar julgamento, o livro de Revelação diz: “Eu vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. E o sentado nele chama-se Fiel e Verdadeiro, e ele julga e guerreia em justiça. Seguiam-no também os exércitos que havia no céu, montados em cavalos brancos, e eles se trajavam de linho fino, branco e puro. E da sua boca se estende uma longa espada afiada, para que golpeie com ela as nações, e ele as pastoreará com vara de ferro. Ele pisa também o lagar de vinho da ira do furor de Deus, o Todo-poderoso.” — Rev. 19:11, 14, 15.

16 Quem serão os guerreiros que farão parte dos “exércitos” celestiais que acompanharão Cristo na batalha? Quando Jesus cingiu sua espada pela primeira vez para expulsar Satanás e seus demônios do céu, ele estava acompanhado de “seus anjos”. (Rev. 12:7-9) Parece lógico concluir que, na guerra do Armagedom, os santos anjos farão parte dos exércitos de Cristo. Será que esses exércitos incluirão outros? Jesus fez a seguinte promessa a seus irmãos ungidos: “Àquele que vencer e observar as minhas ações até o fim, eu darei autoridade sobre as nações, e ele pastoreará as pessoas com vara de ferro, de modo que serão despedaçadas como vasos de barro, assim como recebi de meu Pai.” (Rev. 2:26, 27) Assim, os exércitos celestiais de Cristo também incluirão seus irmãos ungidos, que então já terão recebido sua recompensa celestial. Esses corregentes ungidos estarão ao lado de Cristo quando ele realizar “coisas atemorizantes” ao pastorear as nações com vara de ferro.

O REI COMPLETA SUA VITÓRIA

17. (a) O que o cavalo branco em que Cristo está montado representa? (b) O que a espada e o arco simbolizam?

17 Leia Salmo 45:5. O Rei está montado num cavalo branco, o que representa uma guerra limpa e justa aos olhos de Jeová. (Rev. 19:11) Além da espada, Jesus tem um arco. Lemos: “Eu vi, e eis um cavalo branco; e o que estava sentado nele tinha um arco; e foi-lhe dada uma coroa, e ele saiu vencendo e para completar a sua vitória.” (Rev. 6:2) Tanto a espada como o arco representam os meios que Cristo usará para executar julgamento contra seus inimigos.

As aves serão convidadas a limpar a Terra (Veja o parágrafo 18.)

18. Por que se pode dizer que as “flechas” que Cristo usará são afiadas?

18 Em linguagem poética, o salmista profetizou que as flechas do Rei “são agudas [ou afiadas]”, atingindo o ‘coração dos seus inimigos’ e fazendo ‘cair povos’ diante dele. A matança abrangerá a Terra inteira. A profecia de Jeremias predisse: “Os mortos por Jeová certamente virão a estar naquele dia de uma extremidade da terra até à outra extremidade da terra.” (Jer. 25:33) Uma profecia paralela diz: “Eu vi também um anjo em pé no sol, e ele clamou com voz alta e disse a todas as aves que voam pelo meio do céu: ‘Vinde para cá, ajuntai-vos para a grande refeição noturna de Deus, para comerdes as carnes de reis, e as carnes de comandantes militares, e as carnes de homens fortes, e as carnes de cavalos e dos sentados neles, e as carnes de todos, tanto de homens livres como de escravos, e de pequenos e de grandes.’” — Rev. 19:17, 18.

19. De que modo Cristo ‘prosseguirá ao bom êxito’, ou completará sua vitória?

19 Depois de destruir o perverso sistema de Satanás na Terra, Cristo, ‘em seu esplendor’, ‘prosseguirá ao bom êxito [ou à vitória]’. (Sal. 45:4) Ele completará sua vitória por lançar Satanás e seus demônios no abismo, mantendo-os aprisionados durante todo o Reinado Milenar. (Rev. 20:2, 3) Uma vez que o Diabo e seus anjos estiverem nessa condição de inatividade semelhante à morte, os habitantes da Terra ficarão livres da influência satânica e conseguirão se sujeitar plenamente ao vitorioso e glorioso Rei. Mas, antes de verem a Terra ser transformada aos poucos num paraíso, eles terão outro motivo para se alegrar com seu Rei e os associados dele. Essa ocasião alegre será considerada no próximo artigo.