Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Dezembro de 2013

‘Façam isso em memória de mim’

‘Façam isso em memória de mim’

“Depois de ter dado graças, partiu [o pão] e disse: ‘Isto significa meu corpo em vosso benefício. Persisti em fazer isso em memória de mim.’” — 1 COR. 11:24.

1, 2. O que provavelmente os apóstolos pensaram quando estavam a caminho de Jerusalém?

‘AGORA que o céu ficou limpo, já podemos ver a lua crescente. Na noite passada, os vigias em Jerusalém devem ter visto a primeira faixa da Lua. Quando informaram o Sinédrio disso, eles declararam o início do novo mês, nisã. A notícia logo se espalhou por meio de sinais de fogo ou de mensageiros, chegando até onde estamos. Sem dúvida, Jesus vai querer chegar a Jerusalém antes da Páscoa.’

2 Provavelmente foi isso que passou pela mente dos apóstolos que estavam com Jesus na Pereia (do outro lado do Jordão) em sua última viagem a Jerusalém. (Mat. 19:1; 20:17, 29; Mar. 10:1, 32, 46) Assim que se determinava o primeiro dia do mês judaico de nisã, realizava-se a Páscoa treze dias mais tarde, após o pôr do sol em 14 de nisã.

3. Por que a data da Páscoa é um assunto que interessa aos cristãos?

3 Neste ano, a data da Refeição Noturna do Senhor, que corresponde à data da Páscoa, será 14 de abril, após o pôr do sol. Esse será um dia especial para os cristãos verdadeiros e pessoas interessadas. Por quê? Por causa das palavras de 1 Coríntios 11:23-25: “Jesus, na noite em que ia ser entregue, tomou um pão, e, depois de ter dado graças, partiu-o e disse: ‘Isto significa meu corpo em vosso benefício. Persisti em fazer isso em memória de mim.’ Ele fez o mesmo também com respeito ao copo.”

4. (a) Que perguntas surgem a respeito da Celebração da morte de Cristo? (b) Como é determinada a data da Celebração em cada ano? (Veja o quadro  “A Celebração em 2014”.)

4 Você sem dúvida estará presente ao único evento anual que Jesus ordenou seus seguidores a celebrar. Antes desse dia, pergunte-se: ‘Como eu devo me preparar para essa ocasião? Que itens serão usados como emblemas? Que procedimentos serão seguidos? Que significado essa ocasião e os emblemas têm para mim?’

OS EMBLEMAS

5. Que preparativos Jesus pediu que seus apóstolos fizessem para a última Páscoa?

5 Quando Jesus pediu que seus apóstolos preparassem uma sala para a refeição da Páscoa, ele não falou nada sobre uma decoração elaborada; em vez disso, é provável que ele quisesse apenas um local limpo e apropriado, com espaço suficiente para os convidados. (Leia Marcos 14:12-16.) Eles deviam preparar certos itens para a refeição, como pão não fermentado e vinho tinto. Quando terminou a refeição pascoal, Jesus se concentrou nesses dois emblemas.

6. (a) Depois da refeição pascoal, o que Jesus disse sobre o pão? (b) Que tipo de pão é usado na Celebração?

6 O apóstolo Mateus, que estava presente, mais tarde escreveu: “Jesus tomou um pão, e, depois de proferir uma bênção, partiu-o, e, dando-o aos discípulos, disse: ‘Tomai, comei.’” (Mat. 26:26) Assim como na Páscoa, o “pão” usado não era fermentado. (Êxo. 12:8; Deut. 16:3) Ele era feito de farinha de trigo e água, sem qualquer adição de fermento ou tempero, como sal. Visto que a massa não era fermentada, ela não crescia. Tratava-se de um pão sem sabor, seco e quebradiço, fácil de ser partido. Hoje, antes da Celebração da morte de Cristo, os anciãos providenciam a preparação desse pão feito com farinha de trigo e água, assado numa forma levemente untada com óleo. (Se não houver farinha de trigo, pode-se usar farinha de arroz, de cevada, de milho ou de um cereal similar.) Pode-se usar também um tipo de pão judeu chamado matzá que não contenha sal, malte, ovo nem cebola.

7. A que tipo de vinho Jesus estava se referindo, e que tipo pode ser usado hoje na Celebração?

7 Mateus continua seu relato: “[Jesus] tomou . . . um copo, e, tendo dado graças, deu-lho, dizendo: ‘Bebei dele, todos vós.’” (Mat. 26:27, 28) O que Jesus usou foi um copo de vinho tinto. (Não podia ter sido suco de uva fresco porque a colheita da uva já tinha acabado havia muito tempo.) O vinho não fez parte da primeira refeição pascoal no Egito; mesmo assim, Jesus não objetou a que se fizesse uso dele na Páscoa. Ele até mesmo usou um pouco de vinho na Refeição Noturna do Senhor. Assim, os cristãos usam vinho na Celebração. Visto que não é preciso reforçar o valor do sangue de Jesus, não se usam tipos de vinho fortificados com bebida destilada ou aromatizantes. Deve-se usar vinho tinto simples, de fabricação caseira ou industrial, como Beaujolais, Borgonha ou Chianti.

EMBLEMAS SIGNIFICATIVOS

8. Por que os cristãos se interessam no significado do pão e do vinho?

8 O apóstolo Paulo deixou claro que todos os cristãos, não só os apóstolos, deviam realizar a Refeição Noturna do Senhor. Ele escreveu o seguinte a seus irmãos em Corinto: “Eu recebi do Senhor o que também vos transmiti, que o Senhor Jesus . . . tomou um pão, e, depois de ter dado graças, partiu-o e disse: ‘Isto significa meu corpo em vosso benefício. Persisti em fazer isso em memória de mim.’” (1 Cor. 11:23, 24) É por isso que os cristãos hoje realizam esse evento especial todo ano e se interessam no significado do pão e do vinho.

9. Que conceito errado alguns têm sobre o pão usado por Jesus?

9 Alguns religiosos argumentam que Jesus disse literalmente: ‘Este é o meu corpo’, e por isso acreditam que, de forma milagrosa, o pão se tornou sua carne. Mas isso não está de acordo com os fatos. * O corpo de Jesus estava ali, na frente dos apóstolos fiéis, assim como o pão não fermentado que eles comeriam. Fica claro que Jesus estava falando simbolicamente, como fez em muitas outras ocasiões. — João 2:19-21; 4:13, 14; 10:7; 15:1.

10. O que o pão usado na Refeição Noturna do Senhor representa?

10 O pão que os apóstolos estavam vendo e que logo comeriam significava o corpo de Jesus. Que corpo? Visto que Jesus partiu o pão, mas nenhum de seus ossos foi quebrado, houve uma época em que os servos de Deus achavam que o pão significava o “corpo do Cristo”, a congregação de ungidos. (Efé. 4:12; Rom. 12:4, 5; 1 Cor. 10:16, 17; 12:27) Com o tempo, porém, entendeu-se que, tanto pela lógica como pelas Escrituras, o pão representa o corpo humano de Jesus, que havia sido preparado para ele. Jesus “sofreu na carne”, sendo até mesmo pregado numa estaca. Assim, na Refeição Noturna do Senhor, o pão representa o corpo físico no qual Jesus “levou os nossos pecados”. — 1 Ped. 2:21-24; 4:1; João 19:33-36; Heb. 10:5-7.

11, 12. (a) O que Jesus disse sobre o vinho? (b) O que o vinho usado na Refeição Noturna do Senhor representa?

11 Isso nos ajuda a entender o que Jesus disse a seguir sobre o vinho. Lemos: “Ele fez o mesmo também com respeito ao copo, depois de tomar a refeição noturna, dizendo: ‘Este copo significa o novo pacto em virtude do meu sangue.’” (1 Cor. 11:25) Muitas Bíblias vertem essas palavras como a versão Almeida, revista e atualizada: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue.” (O grifo é nosso.) Será que o copo que Jesus estava segurando era o novo pacto? Não. A palavra “copo”, ou “cálice”, se referia ao que estava dentro dele — o vinho. O que Jesus disse que o vinho significava ou representava? Seu sangue derramado.

12 No Evangelho de Marcos, encontramos estas palavras de Jesus: “Isto significa meu ‘sangue do pacto’, que há de ser derramado em benefício de muitos.” (Mar. 14:24) De fato, o sangue de Jesus seria “derramado em benefício de muitos, para o perdão de pecados”. (Mat. 26:28) Assim, o vinho tinto representa apropriadamente o sangue literal de Jesus. Esse sangue torna possível obtermos livramento por meio de resgate, ou seja, “o perdão de nossas falhas”. — Leia Efésios 1:7.

Os apóstolos beberam do vinho que representava o “sangue do pacto” de Jesus (Veja os parágrafos 11 e 12.)

A CELEBRAÇÃO DA MORTE DE CRISTO

13. Descreva como é realizada a Celebração anual da morte de Cristo.

13 Se você vai assistir pela primeira vez à Celebração da morte de Cristo com as Testemunhas de Jeová, o que pode esperar? A reunião provavelmente será realizada num lugar agradável e limpo onde todas as pessoas presentes estarão bem acomodadas para tirar proveito da ocasião. Talvez haja arranjos de flores modestos, mas você não verá uma decoração espalhafatosa ou um clima de festa que desvie a atenção da assistência. Um ancião qualificado explicará de modo claro e respeitoso o que a Bíblia diz sobre essa ocasião. Ele ajudará todos a valorizar o que Cristo fez por nós: morreu como resgate para que pudéssemos ter vida. (Leia Romanos 5:8-10.) O orador falará também de duas esperanças que a Bíblia apresenta para os cristãos.

14. Que duas esperanças serão explicadas no discurso da Celebração?

14 Uma esperança é a de reinar com Cristo no céu. Um número relativamente pequeno de seguidores de Cristo tem essa esperança, como era o caso dos apóstolos fiéis. (Luc. 12:32; 22:19, 20; Rev. 14:1) Quem tem a outra esperança é a maioria dos cristãos que servem lealmente a Deus. Eles têm a perspectiva de viver para sempre num paraíso restaurado na Terra. Então, a vontade de Deus será feita na Terra assim como no céu, algo que os cristãos pedem em oração há muito tempo. (Mat. 6:10) E as Escrituras fazem uma bela descrição das maravilhosas condições que eles poderão desfrutar eternamente. — Isa. 11:6-9; 35:5, 6; 65:21-23.

15, 16. O que é feito com o pão durante a Refeição Noturna do Senhor?

15 Perto do fim do discurso, o orador dirá que chegou a hora de fazer o que Jesus ordenou a seus apóstolos. Como já mencionado, serão usados dois emblemas: o pão não fermentado e o vinho tinto. Eles provavelmente estarão numa mesa perto do orador. Ele lerá um trecho da Bíblia sobre o que Jesus disse e fez quando instituiu essa celebração. Por exemplo, lemos o seguinte no relato de Mateus: “Jesus tomou um pão, e, depois de proferir uma bênção, partiu-o, e, dando-o aos discípulos, disse: ‘Tomai, comei. Isto significa meu corpo.’” (Mat. 26:26) Jesus partiu o pão não fermentado para poder distribuí-lo aos apóstolos. Na reunião que será realizada em 14 de abril, você verá que o pão não fermentado já vai estar partido e colocado em pequenas bandejas.

16 Haverá bandejas suficientes para que elas possam ser passadas a todos os presentes num tempo razoável. A passagem do pão não envolverá nenhum ritual detalhado. Depois de uma breve oração, as bandejas serão passadas de modo organizado, de acordo com o que for mais prático para o local. Poucos (ou talvez ninguém) comerão do pão, como aconteceu na maioria das congregações em 2013 no momento em que o pão foi passado.

17. Seguindo o padrão deixado por Jesus, o que é feito com o vinho na Celebração?

17 O orador voltará a atenção para o que Mateus descreveu: “[Jesus] tomou . . . um copo, e, tendo dado graças, deu-lho, dizendo: ‘Bebei dele, todos vós; pois isto significa meu “sangue do pacto”, que há de ser derramado em benefício de muitos, para o perdão de pecados.’” (Mat. 26:27, 28) Seguindo esse padrão, haverá outra oração antes de os ‘copos’ com vinho tinto serem passados a todos os presentes.

18. Mesmo que poucos, ou ninguém, participem dos emblemas, por que é importante estar presente?

18 A maioria das pessoas presentes, por respeito, não participa dos emblemas quando eles são passados, visto que Jesus indicou que apenas os que reinarão em Seu Reino celestial devem participar. (Leia Lucas 22:28-30; 2 Tim. 4:18) Todos os presentes que não participam dos emblemas serão observadores respeitosos. Mesmo assim, é importante assistirem à Refeição Noturna do Senhor, porque sua presença mostra o quanto eles valorizam o sacrifício de Jesus. Durante a Celebração, eles podem meditar nas bênçãos que o sacrifício de resgate de Jesus tornou possíveis. Eles têm a perspectiva de fazer parte da “grande multidão” de adoradores de Deus que sobreviverá à “grande tribulação”. Eles terão ‘lavado as suas vestes compridas e as embranquecido no sangue do Cordeiro’. — Rev. 7:9, 14-17.

19. O que você pode fazer a fim de se preparar para a Celebração e tirar proveito dela?

19 As Testemunhas de Jeová em todo o mundo se preparam para essa ocasião especial. Algumas semanas antes dessa reunião, nós participaremos de uma campanha para convidar o maior número possível de pessoas. Além disso, nos dias que antecedem a Celebração, nós leremos os relatos bíblicos sobre o que Jesus fez e o que aconteceu nos dias que correspondem às mesmas datas do ano 33 EC. Para garantir que estaremos presentes, nós organizamos nossos compromissos. Seria bom que chegássemos bem antes do cântico e oração iniciais para podermos receber os visitantes e tirar proveito da reunião inteira. Todos nós, quer sejamos membros da congregação, quer visitantes, seremos mais beneficiados se acompanharmos em nossa Bíblia a explicação dos textos. O mais importante é que nossa presença à Celebração da morte de Cristo mostrará nosso sincero apreço pelo sacrifício de Jesus e nossa obediência à ordem que ele deu: “Persisti em fazer isso em memória de mim.” — 1 Cor. 11:24.

^ parágrafo 9 O erudito alemão Heinrich Meyer comenta: “Visto que o corpo de Jesus ainda estava intacto (ainda vivo), e que, até então, Seu sangue não havia sido derramado, nenhum dos convidados [os apóstolos] poderia ter imaginado . . . que eles estavam na realidade comendo o próprio corpo e bebendo o próprio sangue do Senhor; [por isso] Jesus não tinha a intenção de que Suas palavras simples fossem entendidas de uma forma que era inadmissível para eles.”